A semideusa e o Deus escrita por Sayuri Hyuga


Capítulo 11
Machucados e Festa


Notas iniciais do capítulo

Oie!
Acho que esse capitulo ficou meio grande rs
Agradeço á: Saraby, Valerine, Lady Dreams of Love, isy123, isabela, Isabela Valdez, Mariko Aysani, Sherlocked, Almofadinhas, Larissa Toledo, Dark Angel.
Ah eu tenho um recado para a LARISSA TOLEDO: gente você que escreve "A Filha de Klaus" eu amo a sua fic, amo o Klaus, e gente, nem acredito que você gosta da minha fic, rs.



~Beth~

Eu estava parada ao lado de Apolo, segurava a mão dele, mas não me importei em solta-la, Cindy e Jules já sabiam do nosso relacionamento, se assim podia se chamar. Elas se entreolharam ainda boquiabertas.

–Hum, a gente se vê depois, Beth.

Apolo falou, senti que ele ia soltar a minha mão, mas antes que o fizesse eu a apertei com força, como um adeus já que não podia agarrá-lo no momento,e beijar cada parte de sue corpo. Ele deus um sorrisinho para mim e soltou a minha mão, pude ver o clarão onde ele havia desaparecido. Engoli a seco e olhei para Jules e Cindy, que sorriam amplamente ainda um pouco chocadas. Elas já estavam prontas para o treino, e já tinham comido.

– COMO ASSIM?! ME EXPLICA TUDO, ONDE VOCÊ DORMIU?

Eu me sentei, me preparando para a inquisição das duas.

–Eu dormi com ele, no templo, já que não podíamos ficar por aqui.

–E como anda a virgindade, ela ainda existe?

Eu corei e desviei o olhar com aquela pergunta intima, enquanto elas começavam a comemorar juntas.

–Como foi?

Ia explicar rapidamente, sem contar os detalhes.

–Nos nos beijamos, ai as coisas começaram a esquentar e aconteceu. Também não vou explicar tudo isso para vocês.

Elas fizeram um beicinho, enquanto eu pegava uma roupa decente para eu usar no treino, elas me seguiram, sem parar de perguntar.

–Ele fez você... sabe chegar ao ponto máximo?.

Sabia bem do que elas estavam falando, eu não contei que foram duas vezes se não ia começar as perguntas tudo de novo.

–Sim.

Eu escolhi um short jeans preto e uma camiseta regata vermelha, com os meus tênis All Star pretos, Jules Cindy estavam conversando entre elas, e eu nem me importava com os assuntos, se me importasse provavelmente estaria em uma luta corporal com as duas.

Eu comecei a escovar o meu cabelo, e como ele estava meio frisado e embaraçado , resolvi fazer duas marias-chiquinhas caídas, que me deixavam com os cabelos mais decentes, Jules e Cindy agora estavam discutindo sobre como era o Apolo em suas partes intimas, estava conseguindo ignorar as duas, até Jules me perguntar.

–Hey Beth, o Apolo é comprido ou grosso?

Revirei os olhos, e fiz uma careta, se fosse responder aquela pergunta, provavelmente eu diria que os dois, mas não o fiz.

– Não vou responder essa pergunta.

Falei diretamente para as duas, e saí fechando a porta fortemente. Acho que eu tinha sido um pouco grossa, mas não ia responder esse tipo de pergunta de jeito nenhum. Vi outros campistas indo em direção ao centro de treinamento, cruzei com Lauren e dei um oi para ela, que estava com os irmãos, vendo quem equilibrava a espada em um dedo melhor.

Ainda tinha tempo de ir até o refeitório e comer alguma coisa, estava morta de fome, e provavelmente estava tudo vazio a essa hora. Chegando lá, vi que ainda havia uns garotos do chalé de Ares comendo uma pizza fria. Revirei os olhos e fui para a mesa, peguei um pedaço de bolo de chocolate, e o engoli praticamente de uma só vez, fiquei mastigando por um longo tempo, mas como ainda estava com fome e já estava quase na hora do treino, eu só peguei uma maça, me sentei na minha mesa, enquanto via os últimos campistas de Ares saindo do refeitório, fiquei mais um tempo sentada lá comendo, e fui pegar um suco de laranja, estava me servindo quando senti duas mãos na minha cintura, já sabia quem era e eu estava atrasada, então falei rapidamente.

–Olá ó deus do sol,oráculos e da medicina, vossa senhoria gostaria de comer algo.

Ainda estava bebendo o suco, quando ele me respondeu.

–Você.

Me engasguei, mas consegui me controlar com uma tossida.

–Me agradaria que o senhor comesse esse prato, mas no momento ele está fora do cardápio.

Ele riu e me apertou mais forte contra ele, eu me virei e dei mais um gole no suco.

–Eu preciso ir, mais tarde a gente conversa.

–Eu vou estar as oito atrás do seu chalé, não demore.

Ele falou e me deu um selinho rápido, eu acenei com a cabeça que sim, e me afastei, indo em direção ao centro de treinamento. Todos já estavam lá, eu me juntei a Cindy e Jules, que estavam mais calmas, elas quando me viram deram uns risinhos, mas não perguntaram nada sobre Apolo, o que foi ótimo, elas prestavam atenção em Quiron, que dava as orientações sobre a batalha.

–Então, hoje a batalha vai ser de times de dez integrantes, será uma simulação de um ataque em um prédio comum.

Sabia que aquilo significava que seria no prédio em ruínas, que chamávamos de Grafiti pelos desenhos que podíamos fazer em qualquer lugar, Grafiti era um prédio construído especialmente para esse tipo de simulação, não tinha moveis e era bem destruído, parecendo um prédio abandonado, tinha dois andares e as pessoas do lado de fora podiam ver praticamente tudo, esse também era um jeito de Quiron cuidar para não haver machucados muito profundos, mortes etc.

–Vocês poderão escolher os seus grupos, vocês têm dois minutos.

Todos começaram a se movimentar rapidamente, eu me agarrei a Cindy e Jules, que fomos em direção de Lauren que havia nos chamado, ela já estava com todo o grupo praticamente formado, esse grupo incluía Nate, Connor e Christina, e uns garotos que não conhecia. Nós fomos indicados para a primeira batalha, que ia ser com um grupo formado por sua maioria de filhos de Hefesto e Atena, sabíamos que eles teriam uma boa estratégia, se conseguissem escolher entre uma delas é claro, a maioria da filhas de Atena nunca conseguiam se decidir quando tinham contradições em um plano então nós estávamos ok com tudo isso. No meu grupo só havia duas filhas de Atena, então rapidamente nós encontramos uma boa estratégia, eu e as minhas irmãs íamos ficar no grupo de contenção, aquele que tratava de juntar todos em um só lugar ou tirar do jogo, para decidir quem ia entrar no Grafiti primeiro, nos fizemos pedra, papel e tesoura com o outro time, nós acabamos ganhando, assim tínhamos um minuto antes deles subirem, enquanto eles tinham de ficar olhando para o outro lado. Nós usávamos armas brancas, ou que não podiam machucar, eu carregava um arco e flecha com uma espécie de bola de Paint Ball na ponta, que iria marcar quem eu acertasse. Ao sinal de Quiron todos corremos para o segundo andar, eu me organizei em uma sacada destruída, criei um trepadeira que me pendurava em uma ponta e consegui me equilibrar de um jeito não visível para o outro time, ouvi o segundo sinal de Quiron, que liberava o outro time para o Grafiti. Eu fiquei parada sem emitir um só som, eu estava com o arco no modo de ataque, só esperando alguém. Ouvi um leve som de passos, levantei a minha cabeça e constatei uma menina de Atena que carregava uma espada na mão, eu preparava o meu arco, quando ouvi um grito de surpresa e vários passos pesados indo em outra direção, a menina foi se mexer e eu aproveitei a distração e atirei, acabei errando de nervosismo. Ela conseguiu me ver e veio correndo na minha direção com a espada levantada, eu não tinha tempo de recarregar o arco então apenas subi, saindo da trepadeira, consegui ouvir barulhos de espadas se chocando uma contra a outra no andar de baixo, mas não tinha nem como ajudar, larguei o arco no chão, quando ela veio com um ataque direto no meu peito, eu desviei me abaixando, quando consegui me levantar ela veio mais uma vez com um ataque em minhas pernas mas consegui desviar de novo encurralando ela entre eu e o fim do chão, ela tropeçou e quando quase caiu, eu segurei em sua mão ajudando-a a voltar, ela me deu um sorriso e enfiou a minha própria flecha em mim, me manchando sem me machucar, com um reflexo rápido ela inverteu de posição, eu acabei tropeçando em uma pedra solta e caí. Só não dei de cara no chão pela minha trepadeira que me segurava, eu estava muito na ponta e não conseguia voltar, olhei para baixo e vi que era uma queda de pelo menos três metros, ouvi o barulho do final da partida e vi algumas pessoas se acumulando em baixo de mim e me olhando, no inicio fiquei nervosa se alguma coisa além do meu short aparecia, mas logo percebi que isso era o menor dos meus problemas, minhas mãos estavam cansadas e doloridas, ouvi um grito de Connor abaixo de mim.

–Pula Beth a gente te segura!

Não estava mais agüentando de dor nas minhas mãos, mas ainda mantinha a minha mão firmemente na trepadeira, acabei escorregando um pouco, não caí, mas raspei a minha mão com força na trepadeira, e senti o sangue se acumulando em minhas mãos e braços. Não agüentava mais de dor, e mesmo sem reparar, acabei soltando.

Acho que Connor não me mediu a distancia bem, porque cai em cima dele, mas acabei levando ele junto comigo para o chão. Caí de costas no chão, com um impacto forte na minha coluna, via Lauren, Jules e Cindy ao meu redor, junto com outros campistas, que não sabiam o que fazer, eu me sentei no chão , e mesmo toda machucada e sangrando, eu ri daquela cena maluca.

–Saiam da frente!

Quiron passou pelo meio dos campistas, parecia preocupado, mas logo se acalmou quando me viu relativamente bem.

–Bethany, vá a casa grande e pegue o que precisa para se recuperar e pode ficar em seu chalé depois, deve estar com dor nas costas, pode levar as suas irmãs com você.

Eu concordei e saí do Grafiti com Jules e Cindy, ao meu lado, senti algo quente em minha boca e percebi que havia cortado o meu lábio por dentro. Mesmo sendo um acidente, eu me sentia meio idiota, só por aquela noite eu já estava bem dolorida, e agora tinha uma tremenda dor nas costas, mãos sangrando e um lábio cortado, acho que tinha que tomar um banho de sal grosso para tirar esse azar de mim, menos pela parte da dor da noite passada, porque aquela eu gostava.

Chegamos na casa grande onde Cindy e Jules foram buscar uns remédios, eu lavei a minha mão e vi que os cortes não eram tão profundos quanto pareciam, devia ser o sangue que me assustava, mas vi um corte bem grande que seguia do meu mindinho até o meu pulso, acho que aquele precisaria de pontos. Bebi um pouco de água para bochechar e pude ver o sangue quando cuspi. Cindy e Jules voltaram com uma tonelada de remédios.

–Não conseguimos nos decidir então pegamos tudo.

Dei um sorriso para elas, que trataram de me sentar para me curarem, cada uma cuidava de uma mão, Cindy notou que um corte ia precisar de pontos então foi buscar uma agulha encantada, nunca confiaria em suas habilidades de costura. Jules já tinha terminado de fazer um curativo, em minha mão direita, quando Cindy voltou com a agulha. Ela colocou a agulha em minha mão, e ela começou a me costurar sozinha, foi até bem rápido, quando vi, já estava suturado, eu limpei um pouco mais, quando senti Jules levantando a borda de minha camiseta para ver as minhas costas e se tinha algum machucado, antes que ela passasse um remédio eu fui em direção a um grande espelho onde me virei vendo um pequeno roxo no meio de minhas costas, Jules passou o remédio e nos saímos da casa grande, rumo ao centro de treinamento, eu sabia que Quiron não ia deixar eu participar de novo mas só queria ver as lutas, então nos sentamos em uma arquibancada e assistimos as lutas,acabamos ficando todo o treinamento lá, apenas assistindo.

Quando o treinamento acabou, perto da hora do almoço, Quiron nos chamou para um aviso.

– Amanhã é o ultimo domingo do mês, e dia de celebração da nossa colheita de morangos, então iremos providenciar uma festa a fantasia para comemorarmos, se essa festa funcionar, iremos continuar com ela uma vez por mês, então realmente espero que todos se comportem de um jeito adequado, irei liberar o almoço e a tarde de folga para as saídas do acampamento para a compra das fantasias, não devem sair sozinho, sempre tenham outro campista os acompanhando. Estão liberados.

Jules, eu e Cindy demos pulinhos de alegria, fomos para o nosso chalé para trocarmos de roupa para sairmos, ficamos conversando sobre qual fantasia iríamos escolher, Jules ia vestida de She-Ra o que era bem engraçado e criativo, e Cindy queria usar uma fantasia de pirata, eu não tinha a mínima noção do que ia vestida, e ia decidir na loja. Trocamos de roupa rapidamente, eu tirei a minha blusa suja de tinta e coloquei uma blusa tomara que caia vermelha, pegamos algumas dracmas e fomos para a casa grande trocar por dólares, tinha certeza que as lojas não iam aceitar dracmas de ouro. Nos éramos as primeiras a sair, e não havia mais ninguém.

Caminhamos até a fronteira, quando quase cruzávamos o pinheiro de Thalia, vi Apolo encostado em uma arvore, usava uma calça jeans preta e uma camiseta amarela, e sorriu em minha direção, Jules e Cindy o notaram e se entreolharam..

–Hum, Beth a gente se vê mais para frente.

–Eu já vou.

E assim elas seguiram caminho enquanto eu avançava e direção de Apolo, quando cheguei mais perto, ele se entrelaçou em minha cintura, como sempre. Ele me beijou e se afastou quando viu o meu machucado.

–O que aconteceu?

–Hum, foi um luta nas ruínas, eu acabei escorregando e caí do segundo andar, mas não machuquei nada mais.

Eu recolhi a mão em minha direção, como se dissesse não para a próxima pergunta.

–Deixe-me curar, isso vai ficar incomodando.

–Não, eu vou me curar sozinha, e acho que as pessoas já iam começar a notar se você vivesse me curando, vi um monte de garotas se cortando esperando que você as cure.

Falei apenas a verdade, ele fez uma cara feia para mim, e deu um suspiro.

–Você vai comprar a sua fantasia, tenha cuidado.

Sabia que ele falava dos monstros, eu engoli a seco, e continuei falando.

–Vou ter, você vai na festa amanhã?

Ele sorriu amplamente.

–Claro que sim, mas a minha fantasia vai ser uma surpresa até para você,também vou ter várias surpresas mais tarde também...

Ele se aproximou de meu rosto, e me deu um beijo... na testa?

–Eu tenho que ir.

Ele falou, e rapidamente desapareceu, eu continuei andando até alcançar Jules e Cindy, que discutiam se iam de salto ou não, revirei os olhos e parei do lado delas, andamos até uma parada de ônibus, onde esperamos até um ônibus que nos levasse para Nova York.



Notas finais do capítulo

Gente, eu sou muito louca, então sempre que vejo os comentarios eu tento imaginar qual a idade de vocês, e tenho um lista, será que vocês podem me ajudar e dizer as suas idades? tambem quero descobrir o perfil dos leitores da fic.
>.