Dont escrita por Tamy Black


Capítulo 19
Eterno enquanto dure


Notas iniciais do capítulo

Chegou segunda, people.
Vamos lá! o/



No capítulo anterior:


Entreabri a boca, dando passagem para que nossas línguas se encontrassem pela primeira vez. O beijo de Edward era muito bom, viciante... Eu estava embriagada. Nossos movimentos sincronizados, no mais perfeito balanço. Eu finalmente estava beijando quem eu queria. Não importava o que aconteceria depois daquele beijo, não importava mais nada.


-x-


Infelizmente precisávamos de oxigênio para respirar, então nos separamos com longos selinhos. Minha respiração estava descompassada e meu coração mais do que acelerado, a qualquer momento ele iria sair pela minha boca. Ficamos com as testas coladas por mais alguns instantes, não queria sair daquela posição.

 

- Eu estava louco pra fazer isso. – Edward sussurrara.

 

Eu não disse nada, ele acariciou a minha bochecha com polegar, não conseguia encará-lo.

 

- Linda. – ele disse, provavelmente eu estava corada.

 

Eu sorri e ele me deu um selinho. Nossos olhares se encontraram, seus belos olhos verdes brilhavam de uma forma intensa e ao mesmo tempo misteriosa, mas era bom de ver, poderia me perder ali. Eu estava abrindo a boca para falar algo quando ouvimos a voz da nanica.

 

- BEEELLA, EDWAARD! – ela estava gritando.

 

Eu levantei num salto do sofá, já ia saindo, mas Edward segurou a minha mão, eu virei para ele. Edward sorria, ele se levantara, saímos da varanda de mãos dadas. Alice assim que nos vira, sorriu, mas nem se tocou para o detalhe das mãos, apesar de que era comum eu e Edward andarmos por aí assim. O pessoal já estava disperso pela casa...

 

- Então, vocês viram o bilhete, né? – ela dizia animada.

- Sim. – eu disse, menos nervosa.

- Ótimo! Nós vamos a um luau! – ela praticamente começou a quicar.

 

Depois Alice me arrastara para cozinha, nem deu tempo de falar nada com o Edward. Eu estava absurdamente distraída. Meg, Alice, Rose e eu começamos a cuidar do nosso pequeno lanche, já que os garotos estavam reclamando de fome. Elas fizeram a maior parte das coisas, eu estava mais na minha.

 

- O que você tem, Bella? – Rosalie me perguntou de repente.

- Nada. – disse de imediato.

- Você sempre foi uma péssima mentirosa, Bella. – ela ria – O que foi que aconteceu, algum problema?

- Não é bem um problema... – eu comecei a dizer, cocei a cabeça, nervosismo total.

- Hm... – ela murmurou – Meg, Alice! – ela chamou as duas.

 

Alice apareceu vinda da sala de jantar e Meg vinha em seu encalço.

 

- Então, conte-nos o que aconteceu em nossa ausência. – Rose disse.

- Er... – era constrangedor contar assim, mas criei forças – Edward me... Beijou. – disse num sussurro.

- ELE O QUE? – as três gritaram em uníssono.

- Isso que vocês ouviram, não gritem! – choraminguei, falando baixo.

- ALELUIAA! – Alice se exaltou – Já não via a hora! – ela sorriu.

- Como é? – quem se exaltou foi eu agora.

- Ah qual é Bells? – ela bufou – Eu sei que naquele dia no seu quarto, se eu não tivesse aparecido de repente vocês teriam se beijado, então já não era sem tempo! – ela empinou o nariz.

- Sim, mas...

- Oh, graças ao bom Deus! – Rose disse, feliz – Pelo menos você vai parar de suspirar pelos cantos.

- Mas você retribuiu, não foi? – Meg indagou e todas me olharam.

- Sim. – assenti e elas suspiraram, aliviadas – E ele se declarou pra mim. – disse aos sussurros novamente.

 

E foi aquela gritaria, de novo. Depois de muitos conselhos sobre como agir agora, nós conseguimos terminar de fazer os sanduíches que fazíamos, as garotas levaram e eu fiquei de pegar o refrigerante e os copos. Quando me virei para levar o refrigerante primeiro encontrei Edward.

 

- Eu vim ajudá-la com as coisas, Alice pediu. – ele disse, sorrindo torto.

- O-ok. – gaguejei – Estão todos separados em cima da pia. – disse mais firme.

- Certo. – ele assentiu.

 

Voltei para a sala de jantar e todos já estavam devidamente sentados, a mesa era de oito cadeiras e as únicas cadeiras que sobraram, eram pra mim e para o Edward. Alice piscou discretamente para mim, só podia ser. Edward voltara com os copos e nós começamos a comer.

 

Em meio a risos e brincadeiras, comemos tranquilamente. Depois deixamos por conta dos rapazes a louça, nós subimos para nos arrumar para a festa. Ela seria na casa de um amigo do Emmett, um tal de James. Fui para o quarto e separei minha roupa, depois corri para o banho. Deixei meus cabelos secarem naturalmente, fiz uma maquiagem leve, coloquei um par de brincos e uma pulseira; coloquei a roupa e calcei o tênis, depois passei perfume e desodorante. Estava pronta. Saí do quarto e dei de cara com o Edward todo arrumado, sorrimos um para o outro e ele veio me abraçar.

 

- Você está linda. – ele disse ao meu ouvido.

- Obrigada, você também está. – eu disse.

 

Nós descemos as escadas e encontramos Emmett e Rosalie já arrumados num canto, abraçados, Alice e Jasper no sofá, Daniel e Meg já a porta. Fizemos uma divisão diferente agora, as garotas foram em um carro e os rapazes em outro. Eu ainda não tinha conversado direito com o Edward depois do beijo, estávamos agindo naturalmente, mas não tínhamos trocado nenhuma palavra sobre o assunto. Chegamos à casa do tal James, amigo do Emmett, e a mesma estava decorada, o luau seria lá, obviamente.

 

Entramos e a música rolava solta. As garotas foram pegar bebidas e eu fiquei na varanda observando o céu estrelado. Senti uma mão nas minhas costas, era Edward.

 

To Be With You – David Archuleta

(n/a: escutando, please!)


- Oi, preciso falar com você. – ele disse, sorrindo.

- Diga. – sorri.

- Não conseguimos conversar direito. – ele sorriu tímido, eu assenti – Eu só queria te dizer que não quero agir como se nada tivesse acontecido. Tudo que eu falei ali foi sério, Bella.

- Eu... – hesitei, não sabia o que responder – Não sei o que te dizer. – ri, de nervosa.

- Olha, não quero te pressionar a nada... Sei bem quais são os seus sentimentos por mim, eu estou reconhecendo os meus agora... Pode ser um pouco tarde demais, só que eu quero passar esses dias aqui em Santa Monica sem pensar em nada a não ser você e eu... – ele dizia isso me encarando seriamente.

- Edward, eu vou embora dentro de alguns dias... – tentei intervir.

- Eu não quero saber. – ele dizia sorrindo – Quero passar os dias com você, Bella.

- Edward... – choraminguei.

- Por favor? – ele sabia que era só me olhar com essa carinha de cachorro que caiu da mudança que conseguia as coisas.

 

Eu não acreditava no que estava acontecendo. Na verdade, isso era o que eu mais quis em toda a minha vida, ver Edward gostando de mim, mas... Suspirei pesadamente e abaixei o rosto, não queria encará-lo, não agora.

 

- Você sabe que eu não nego nada a você. – murmurei.

 

Ele levantou meu rosto com suas mãos e nossos olhares se reencontraram. Edward tinha um brilho intenso em seus olhos verdes e um sorriso arrasador, contagiante. Sem pedir licença, ele tomara meus lábios de uma forma avassaladora e não havia motivos para me afastar ou se quer negar, sei que podia estar cometendo o maior erro da minha vida, aceitando ficar com o cara que eu amo por esses dias e depois ir embora, mas eu iria ficar, ter ao menos uma lembrança feliz.

 

Sua boca sob a minha, seu beijo era o melhor do mundo! Eu sentia minhas pernas ficarem bambas, mas Edward me segurava firmemente, suas mãos passeavam pelas minhas costas e as minhas bagunçavam ainda mais os seus cabelos. Era como se eu me desconectasse do mundo, como se só houvesse nós dois ali. As respirações já estavam ofegantes e rompemos a nossa ligação, mas eu não queria, ficamos abraçados e eu deixei meu rosto escondido sob seu peito, ele acariciava minhas costas.

 

- Desculpe por perceber tarde demais. – ele dizia risonho.

- Eu desculpo você. – sorri a ele.

 

Eu estava decidida, iria fazer daqueles dias eternos enquanto durassem.

 

(...)


Os dias foram passando. Regados a bons momentos...

 

Flashback


Eu e Edward escapamos das garras do pessoal, eles tinham nos pegado no flagra. Saímos da casa e fomos andar pela praia, pelo menos eu estava de tênis, mas queria não ter ido, pois a água estava morninha, constatei assim que joguei um pouco no Edward, de brincadeira logicamente.


- Sabe Bells, gostaria de ficar aqui pra sempre... – Edward disse me abraçando de lado.

- Então somos dois. – admiti.


Ele me colocou a sua frente e nos beijamos apaixonadamente. A cada beijo era uma sensação diferente: ora as minhas pernas sempre ficavam bambas, ora eu me sentia leve, ora eu sentia que tudo estava parado e só nós dois ali, entregues um ao outro, ora eram todas as sensações juntas...


(...)


My Girl – Tiago Iorc

(n/a: se não escutarem vão levar peteleco!)


Tradução

(n/a: vão precisar!)


Estavam todos brincando a frente da casa. Eu estava sentada no batente e ria das tentativas da Alice de pegar o Emmett. Edward estava há horas lá na varanda tocando violão, a melodia era suave e eu estava adorando, não o ouvia cantar, só o dedilhar de seus dedos pelas cordas do instrumento.


- I've got sunshine on a cloudy day… When It's cold outside I've got the month of May… − ouvi a voz perfeita de Edward e então, por puro instinto, me levantei e fui para onde estava vindo o som − Well, I guess you'll say: what can make me feel this way? My girl… Talkin' 'bout my girl, my girl…


Eu sorri ao ver a visão mais perfeita do mundo. Edward estava sentado no sofá gigante que tinha por lá, totalmente concentrado, seu olhar estava para o nada. Lindo...


- I've got so much honey, the bees envy me… I've got a sweeter song than the birds from the trees… − a música me emocionava, o modo como ele estava cantando − Well, I guess you'll say: what can make me feel this way? My girl… Talkin' 'bout my girl, my girl… Ooooh, Hoooo.


Eu me encostei à porta e continuei a observá-lo.


- I've got sunshine on a cloudy day… When It's cold outside I've got the month of May… Well, I guess you'll say: what can make me feel this way? My girl… Talkin' 'bout my girl, my girl… − ele cantou a primeira estrofe mais uma vez e dedilhou os últimos acordes no violão.


Assim que ele terminou, suspirou e sorriu sozinho. Fiz-me presente batendo palmas, ele olhou assustado para mim e fez cara de bebê chorão.


- Está aí há muito tempo? – ele perguntou.

- Desde que começou a cantar. – falei e me sentei a sua frente.

- Droga! – ele resmungara baixinho, mas ainda deu pra ouvir – Não era pra você ter ouvido agora. – ele fez careta.

- Por quê? – perguntei confusa – A música é linda, Edward. – eu disse sorridente.

- Sério que achou isso? – ele me olhou com brilho nos olhos.

- Uhum. – murmurei e continuei a sorrir para ele.

- Bom... – ele passou as mãos pelo cabelo e depois tirou o violão de seu colo – Eu compus essa música pra você.

Como é?

Eu arregalei meus olhos e Edward sorria lindamente.

- Sério? – disse baixinho.

- Mais do que sério. – ele pegou uma das minhas mãos e entrelaçamos nossos dedos – Você é a minha garota, Bella.


Sem mais cerimônias, Edward me puxara para um beijo apaixonante.


(...)


02h00min AM


Chovia torrencialmente aqui em Santa Monica. Estranho, né? Aqui é sempre sol, mas resolveu cair o temporal pela madrugada. Eu estava sentada na cama, não conseguia dormir com aquela zoada de trovões. De repente ouvi um barulho da minha porta e esta se abriu, a cabeça do meu Cullen apareceu de repente. Eu o olhei curiosa...


- O que você está fazendo aqui? – sussurrei.

- Pensei certo. – ele disse e entrou no meu quarto, fechando a porta em seguida – Imaginei que você não dormiria com esses trovões, ainda mais que saímos lá de baixo ainda pouco, então resolvi vir aqui. – ele disse e se jogou na cama, ao meu lado.

- Fazer... – instiguei.

- Fazer você dormir. – ele sorriu lindamente.

- Dormir? – arqueei as sobrancelhas e ele gargalhou, dei-lhe um selinho – É o que menos vamos fazer. – e ri.


Depois disso, ele se deitou e eu me aconcheguei em seus braços. Ficamos conversando por bastante tempo, até que reclamei de sono, Edward começou a cantarolar a minha canção e eu dormi instantaneamente.


Fim do Flashback.


Yellow – Coldplay

(n/a: meus divos lindos pra escutar! *-*)


Agora eu já estava devidamente arrumada para a virada de ano. Olhei-me no espelho e aprovei meu look. Eram os meus últimos momentos... Eu tinha que aproveitar ao máximo. Saí do meu quarto e encontrei Edward saindo do seu também, ele estava mais do que belo: uma calça jeans branca, uma camisa branca com uns dizeres e tênis brancos, estava lindo demais. Assim que ele me vira esbanjou um sorriso intenso, retribuí.  

 

Descemos as escadas e encontramos a Alice e o Jasper – este usava uma bermuda jeans branca, uma camiseta branca regata e outra por cima, também branca, por cima –, Rosalie e Emmett – conjunto calça jeans e camisa, como o Edward –, e o Daniel vinha da cozinha – vestido praticamente como o Ed – e a Meg descia as escadas atrás de nós.

 

Todos nos dividimos nos carros e fomos em direção a casa do James, ele nos convidou para passar o ano novo lá, já que os pais dele e os meus padrinhos são muito amigos, os filhos representantes aqui, aceitaram. A casa já estava abarrotada de pessoas, a música rolava solta, muitos garçons servindo, eu estava com um aperto no coração, depois de hoje tudo iria mudar, quer dizer, depois que voltarmos para Forks... Tudo iria mudar...

 

- O que você tem, amor? – Edward sussurrou ao meu ouvido.

- Nada. – suspirei e beijei-o.

 

Ele começou a me distrair e eu comecei a curtir os últimos minutos do ano. Depois todos fomos para a imensa varanda, iríamos começar a contagem em alguns segundos. Estávamos todos risonhos, já havíamos tirado incontáveis fotos. Eu estava abraçada a Edward, então a contagem começara.

 

10... 9... 8... 7... 6... 5... 4... 3... 2... 1!

 

- FELIZ ANO NOVO! – todos berramos juntos.

 

Edward me virara para sua frente e tomara meus lábios num beijo ardente. Meus braços passaram habilidosamente para seu pescoço e eu me entreguei de corpo e alma durante esse beijo, suas mãos passeavam por minhas costas. O beijo era demasiadamente intenso, avassalador, quente, cheio de significados... Ficamos por bastante tempo naquela dança perfeita com nossas bocas, mas tínhamos que respirar. Separamo-nos com singelos selinhos e de testas coladas ficamos, ainda abraçados.

 

- Eu te amo. – ele disse, encarando-me com seus intensos orbes verdes – E feliz ano novo. – sorrira.

- Não mais do que eu amo você. – sorri – Feliz ano novo, também. – e nos beijamos mais uma vez.

 

-x-


N/A: Acho que esse é o capítulo com mais música que já escrevi, sério. *risos* Foram três e todas três super lindas, David Archuleta, Tiago Iorc e meus divos Coldplay. *se emociona* Nossa, gente... Ainda tem muita bomba pela frente, quer dizer, não muita, mas vocês vão se irritar comigo, quer dizer, com a Bella. *dando spoiler*

 

Eu já disse a vocês que ela vai pro Canadá, né? Pois então, ela vai. Isso é mais do que fato concreto, como já disse anteriormente. Mas a fanfic está entrando na reta final, tipo, ela está colocando um pé na reta final, só um pezinho.*risos* Acho que com o capítulo dezenove ou vinte, eu creio que ela já estará totalmente na reta final. *pensa* Acho que sim... 

 

AINDA TEM ALGUEM VIVO? Quem é ROBSTEN levanta a mão! o/

 

Pra quem ainda não viu, morram junto comigo:

 

http://www.celebuzz.com/robert-pattinson-kristen-stewart-kissing-s238801/photos-34897271/

 

Beijos,

Tamy Black.