Dont escrita por Tamy Black


Capítulo 20
Hora de Ir




No capítulo anterior:


- Eu te amo. – ele disse, encarando-me com seus intensos orbes verdes – E feliz ano novo. – sorrira.

- Não mais do que eu amo você. – sorri – Feliz ano novo, também. – e nos beijamos mais uma vez.


-x-


Os raios de sol fizeram o favor de me acordar. Tentei me levantar, mas um peso em minha cintura me impedia, sorri, era o braço de Edward. (n/a: não pensem besteiras, suas pervas! Não tem limonada nessa fic! =x) Ele insistiu para dormir aqui quando voltamos da festa, então não pestanejei. Retirei seu braço com delicadeza e fui a passos silenciosos até o banheiro.

 

Fiz minha higiene e quando saí do banheiro encontrei Edward já sentado na cama, coçando os olhos, parecia um bebê.

 

- Por que não me chamou? – ele me indagou, a voz ainda rouca de sono.

- Você parecia um bebê, então não quis te acordar. – falei, me aproximando dele.

- Mas eu despertei assim que não a senti em meus braços. – ele fez um bico enorme e eu ri.

- Estou de volta. – sorri e lhe dei um beijo.

 

O primeiro dia do ano foi somente para ficar jogado no sofá. Quando descemos as escadas, encontramos o pessoal fazendo justamente isso. E já eram duas horas da tarde, iríamos viajar a noite, chegaríamos a Forks de madrugada. Eu e Edward improvisamos um lanche na cozinha e depois fomos para a sala onde a galera se encontrava.

 

Depois de muito tempo sem fazer nada, eu comecei a convocar a galera pra arrumar as coisas, porque senão era capaz de perdermos o vôo de volta. Não que eu estivesse morrendo de vontade de voltar, mas infelizmente tinha.

 

Algumas horas depois, estávamos todos prontos para voltar a nossa casa. Não sei por que, mas eu estava apreensiva, nervosa demais. Saímos de Santa Monica e chegamos a LA em vinte minutos. Emmett foi até a locadora de carros para devolver os ditos. Fizemos o check-in, eu fui comprar algo pra comer com o Edward e as garotas foram até a revistaria com seus respectivos namorados.

 

- Você está tão quieta, Bella. – Edward disse, assim que fizemos o nosso pedido.

- Impressão sua. – disse rapidamente.

- Eu não queria voltar, se pudesse. – ele disse, sorrindo.

- Isso seria ótimo, mas infelizmente temos que voltar. – retribuí ao seu riso.

- É. – concordou e me deu um selinho.

 

Nosso lanche não demorara muito a chegar e nós comemos. Assim que terminamos de comer o nosso vôo teve a primeira chamada de embarque. Eu e Edward fomos caminhando até o portão de embarque e encontramos o pessoal.

 

- De volta ao lugar de origem. – falou o Emmett, abraçado a Rose.

- Infelizmente. – Dan disse.

- Foram ótimos esses dias que passamos aqui. – Meg disse, suspirando.

- Temos que repetir. – disse o Jazz.

- Poderíamos fazer algo nas férias de verão. – Alice sugeriu.

 

A galera concordou e nós embarcamos.

 

(...)


Horas depois nós desembarcamos em Forks. Nossos pais estavam lá para nos receberem. Eu estava bêbada de sono, Edward praticamente me carregava. Mal me despedi dele. Cheguei a minha casa e só troquei de roupa, caí na cama e apaguei.

 

Quando acordei, já era quase meio-dia. Meu celular tocava insistentemente. Levantei tonta da cama e fui catar o celular dentro da bolsa, nem vi quem era e atendi.

 

- Alô? – disse com a voz rouca de sono.

- Bom dia princesa. – arrepiei-me ao reconhecer a voz.

- Ainda não sei se é um bom dia. – disse, bocejando.

- Pra mim é. – disse brincalhão – Pronta para o seu bota-fora?

- Ah... Ainda tem a festa. – murmurei – Eu queria passar o dia inteiro dormindo pra poder viajar amanhã de manhã.

- Ainda dá tempo de cancelar tudo e passar o dia comigo. – ele disse – Eu realmente preciso conversar com você.

- Conversamos a noite. – disse, eu estava tentando evitar o inevitável – Sua irmã não vai me deixar em paz o dia inteiro. – ri, tentando disfarçar o nervosismo.

- Tem razão. – ele suspirou – Alice acabou de sair daqui. – riu.

- Então eu vou desligar. – murmurei – Até a noite.

- Até. – e eu desliguei.

 

Eu já sabia o que ele viria conversar comigo. Mas na verdade, era eu que tinha que conversar com ele. Não podíamos ir adiante com uma relação que não daria certo a distância. Então, dessa vez, eu estava adorando que a pequena Cullen iria me manter afastada dele o dia inteiro, pois me daria tempo pra pensar.

 

- BELLA! VOCÊ AINDA ESTÁ DE PIJAMAS? – uma nanica entrou no meu quarto esbaforida.

- Sim, Allie. – disse – Eu vou tomar um banho e depois descer para comer algo. Após ter feito isso, sou toda sua. – ri.

- Ok, vou pedir pra sua mãe ajeitar uma bandeja. – e saiu do meu quarto.

 

Fui para o banheiro, tirei a roupa e entrei no Box. Enquanto a água quente escorria por meu corpo, eu tentei pensar no que dizer, no que fazer. Eu só tinha uma solução. Só uma.


Saí do chuveiro e já tinha decidido o que iria fazer. Fui até o closet e me vesti. Quando saí de lá, Alice entrava em meu quarto com uma bandeja de café da manhã. Comecei a comer enquanto ela ia dizendo o que iríamos fazer hoje.

 

- Bom, vamos a Port Angeles comprar uma roupa bacana pra você usar hoje e roupas para levar para o Canadá. – disse sorrindo – Sua mãe e a minha estão cuidando do seu jantar de despedida.

- Ok. – murmurei e tomei mais um gole de café.

- E você e o Edward? – ela perguntou de repente.

- O que tem? – a olhei, confusa.

- Não faça essa cara. – ralhou – Como vocês vão ficar?

- Eu não sei. – suspirei – Eu disse a ele que conversaríamos a noite.

- O que você vai dizer a ele? – ela me perguntou, curiosa.

- Não faço a mínima idéia. – disse sincera – Mas eu tenho uma solução.

 

Não a encarei.

 

- VOCÊ VAI TERMINAR COM ELE? – ela berrou.

- SHIIII! – quase dei um salto da cama – E como eu posso terminar uma coisa se nem ao menos começou?

- Bella...

- Não! – a interrompi – Vai ser melhor pra mim, vai ser melhor ainda pra ele! – exaltei-me.

- Não vai não. – ela disse – Você o ama e ele ama mais ainda você! Como você vai terminar tudo e partir pra Montreal, e voltar seis meses depois?

- Quando eu voltar de Montreal, ele já estar formado e indo pra Harvard. – disse séria – E eu ainda tenho mais um ano de colegial. Nenhum namoro sobrevive a isso.

- Pois o meu sobreviverá! Jasper vai pra Yale e eu irei ao próximo ano. – ela disse firme.

- Mas o seu caso é diferente, Alice. Você e o Jazz namoram há mais de um ano. – sorri – Vocês nasceram um para o outro... – suspirei – Eu e o Edward sempre fomos amigos... E agora que finalmente aconteceu alguma coisa! Só agora... Não suportarei viver longe.

 

Alice me olhou séria, mas não disse nada. Terminei de comer e levei a bandeja de volta pra cozinha. Eu e a pequena Cullen fomos para Port Angeles no meu carro. Passamos horas andando pelas ruas e pelo shopping de lá. Voltamos carregadas de sacolas. Quando chegamos a Forks já eram quase sete horas. Alice correu pra casa dela e eu pra minha, o jantar estava marcado para as oito da noite.

 

Tomei um banho e vesti a roupa que comprei, deixei meus cabelos soltos e meio despenteados, fiz uma maquiagem forte nos olhos e um leve gloss nos lábios, passei perfume e desci. Minhas malas estavam semi-prontas, só faltava organizar as roupas novas.

 

Desci as escadas e os Cullen já estavam presentes, assim como alguns amigos e parentes próximos. Edward me cumprimentou com um leve selinho nos lábios, eu não tive como recusar. Minha mãe sorriu largamente ao ver e meu pai também esboçou um sorriso.

 

- Você está mais do que bela. – ele disse em meu ouvido.

 

Eu dei um sorriso constrangido e pedi que todos fossem pra sala de jantar.

 

O jantar foi regrado a piadas, a brindes, a risos, e a histórias sobre a minha pessoa. Foi muito divertido. Nós comemos sobremesa, fomos pra sala depois, rimos mais ainda. E quando a noite já estava se esvaindo. Os meus amigos preparam uma surpresa pra mim. Era um vídeo com fotos nossas e mensagens também, eu quase chorei. Depois a Alice me deu de presente um álbum com várias fotos, mas que não era para eu olhar agora, só depois. Então, Edward pediu um minuto de atenção.

 

Ivence No – Laura Pausini

(n/a: escutando, por favor)


- Obrigada gente. – ele disse e me encarou – Bella, eu tenho umas coisas pra te dizer e quero fazer isso na frente de todos.

 

Meu coração parou.

 

- Bella... – suspirou – Eu sei que teve que acontecer várias coisas pra eu enxergar que amo você. Sinceramente, eu não queria que você fosse. Mas eu não posso impedi-la de ir, não depois de todo o seu esforço, seria egoísmo da minha parte. – sorriu torto – Então, eu gostaria de propor uma coisa... Namora comigo?

 

Todos que estavam na sala me olharam. Eu fiquei sem reação. Ele não podia estar fazendo isso. Ele estava dificultando mais ainda as coisas. Eu não sei como, mas eu me levantei e saí da sala, saí porta a fora e fui parar na árvore que ficava entre a minha casa e a dele. As lágrimas já banhavam o meu rosto.

 

- Bella? – ouvi a voz dele.

 

Levantei o rosto e o vi. Edward me encarava confuso. Eu não consegui emitir qualquer palavra. Edward se aproximara e ficara de frente pra mim.

 

- O que eu disse de errado? – perguntou.

 

E eu solucei mais ainda.

 

- Bella, o que aconteceu? – ele me perguntava, aflito.

- Precisamos conversar. – eu consegui dizer.

- Então vamos.

- Edward, não podemos ir adiante com isso. – disse, enxugando as lágrimas.

- Como assim não podemos? – me indagou, confuso.

- Edward, pense bem... – o encarei – Eu vou passar seis meses em outro país e quando eu voltar, você irá para a faculdade. E eu ainda tenho um ano de colegial. – suspirei – Eu irei pro Canadá, voltarei e você irá para Cambridge.

- Eu sei disso. – ele disse, sério – Mas podemos dar um jeito, Bella. Eu amo você e você me ama, qual o problema?

- À distância e o tempo, esse é o meu problema! – exaltei-me – Não conseguiríamos viver um ano e meio longe um do outro.

- Claro que sim! – ele se irritou – Eu iria até você e você viria até mim nos feriados ou qualquer coisa. – bufou – Existe internet, telefone... Tantos meio de comunicação!

- Não. – murmurei – Não dá certo.

 

E eu voltei a chorar compulsivamente, não agüentava mais.

 

- Bella, por favor... – ele pediu – Não faça isso. Não faça isso conosco. – sua voz estava rouca.

 

Eu tinha abaixado a cabeça e fiz a besteira de levantá-la e encarar os olhos verdes de Edward, ele chorava.

 

- Eu não estou fazendo nada, Edward. – murmurei.

 

Eu me perdi naquele olhar.

 

- O nosso destino... – hesitei e respirei fundo – Nunca foi ficarmos juntos.

- Bella, nós nos amamos... O que tem de errado nisso? – ele disse, exaltado.

- Nada. – disse sem encará-lo – Mas como suportaremos a distância e o tempo? – o encarei.

- Eu não sei. − bufou – Mas podemos dar um jeito, é claro que podemos. Eu já disse a nossa solução.

- Mas eu não posso. – desviei o olhar.

- Você não me ama? – ele me indagou, com as mãos em meu rosto, fazendo-me encará-lo.

- Mais do que a mim mesma. – falei.

- Então? – bufou irritado.

 

Eu abaixei a cabeça de novo, não conseguia encará-lo. Eu sabia que seria difícil, mas estava mais do que tinha pensado. As minhas lágrimas escorriam livremente pela minha face, a dor era dilacerante, parecia que algo estava sendo arrancado a força do meu peito.

 

- Eu sinto muito, Edward. – disse encarando-o – Eu não vou conseguir ir adiante com isso. E nem você. O amor que temos não irá suportar... Tudo aconteceu rápido e tarde demais. – disse sincera – Eu vou ter que ignorar o que sinto e você também, pra você vai ser bem mais fácil.

 

Ele me encarava estupefato. Eu tinha que cortar a raiz antes que seja tarde demais.

 

- Bella... – ele murmurou.

- Eu te amo. – e dei um leve selinho em seus lábios.

 

Meu coração faltava sair pela boca. Afastei-me dele e fui andando pra casa, mas não dei nem cinco passos quando fui virada bruscamente. Edward invadiu minha boca com sua língua, num beijo desesperado e quente. Eu perdi o chão com aquele beijo. Fiquei decorando toda a sua boca com a minha, minhas mãos já estavam agarrados nos cabelos dele e as mãos de Edward apertavam minhas costas com força, prendendo-me para não fugir.

 

Mas o ar estava escasso e nos separamos com selinhos demorados.

 

- Eu preciso ir. – disse entre seus lábios.

 

Eu iria desabar a qualquer momento. Desvencilhei-me de seus braços e corri pra minha casa. Ao entrar lá, todos estavam perto da janela, obviamente estavam observando toda a discussão. Subi correndo para o meu quarto e me tranquei lá. Joguei-me em minha cama e caí no choro.

 

(...)


The Climb – Miley Cyrus

(n/a: escutando galere!)


Eu adormeci pelo cansaço. Fui acordada pela minha mãe.

 

- Bella, querida, acorde. – ela me chamava delicadamente – Seu vôo é dentro de duas horas e precisamos sair de casa.

- Tudo bem. – disse a ela e me comecei a me levantar.

 

Mamãe me observava silenciosamente, mas eu sabia que ela estava louca pra falar algo.

 

- Fala mãe. – disse logo.

- Você está bem? – ela me indagou.

- Sinceramente? – a olhei – Não. – suspirei – Mas tenho que estar.

- Meu amor, eu sei o quanto você ama o Edward. – ela dizia, calma – Mas não era necessário vocês terminarem o pouco que têm.

- Mãe. – a olhei séria – Não quero falar sobre isso.

- Tudo bem. – ela deu de ombros – Você já não é mais nenhuma criança, sabe o que está fazendo. – suspirou – Agora vai tomar banho que eu vou terminar de colocar suas coisas na mala. – disse em seu melhor tom autoritário.

 

Eu fiz o que ela mandou. Depois do meu banho, já tinha uma roupa separada pra mim na cama. Eu a vesti e desci as escadas, minhas malas estavam na sala, fui pra cozinha tomar café.

 

- Alice já foi pro aeroporto com os seus padrinhos, querida. – mamãe ia dizendo – E seus amigos ligaram dizendo que estão se dirigindo pra lá. Termine logo que já estamos atrasados!

 

Eu engoli o café e peguei meu casaco, fui até o meu quarto pegar minha bolsa com os pequenos pertences e desci as escadas. Meu pai e minha irmã já estavam no carro, minhas malas já estavam lá também. Então era mais do que certo, só voltarei pra casa em seis meses.

 

Durante o caminho para Port Angeles, eu fui observando a minha cidade e pensando na vida. Eu tinha tomado uma decisão de não sofrer, mas eu estava sofrendo mais do que se estivesse tudo bem. Edward vai ficar bem, eu sei que vai. Pelo menos eu espero.

 

Eu sentiria falta de tudo, das minhas amigas, dos meus amigos, dos meus pais, da minha irmã, da minha casa, da escola, dos passeios malucos para outras cidades... E principalmente daquele que eu amo desde sempre. Eu sentiria uma saudade louca dele. Dos nossos momentos juntos, dos nossos beijos – foram poucos, mas cada um melhor do que o outro –, sentiria a falta de vê-lo sorrindo todo dia pra mim, da sua risada, das suas brincadeiras... Eu queria que tudo fosse mais fácil.

 

Ter feito a prova para o intercâmbio era uma válvula de escape de vê-lo todos os dias com a loira aguada. Mas agora, ainda continuava sendo uma fuga de sofrer daqui a seis meses quando Edward partisse para a faculdade. Lógico que eu sofreria mais, porque passaríamos seis meses no maior amor e separação não iria ser benéfica pra nenhum dos dois. Exatamente por isso que eu decidi adiantar a separação, antes que fosse pior fazê-la.

 

Chegamos ao aeroporto de Port Angeles faltando quinze minutos para o meu vôo. Meus padrinhos queridos estavam lá, Alice, Emmett, Rosalie, Jasper, Meg e Dan também. Mas ele não. Eu sabia que Edward não iria, mas lá no fundo eu queria que ele estivesse ali. As despedidas começaram quando a primeira chamada do meu vôo foi anunciada. Abracei meus amigos, meus padrinhos, minha irmãzinha e meus pais. Por último, fiquei abraçada a Alice e a Meg, minhas melhores amigas do mundo!

 

Eu já chorava e elas também, assim como meus pais e meus padrinhos.

 

- Promete que vamos nos falar sempre via internet? – Alice dizia, choramingando.

- Claro que sim! – eu dizia entre as lágrimas.

- Vou sentir tanto a sua falta, Bells. – Meg dizia chorando.

- E eu nem vou, né? – nós rimos – Mas vocês estão belamente acompanhadas por seus namorados. – sorri.

- Pelo menos isso, né? – Alice falou.

 

Nós rimos mais uma vez. Eu olhei sem querer para a entrada do aeroporto. Ele não viria mesmo. Suspirei.

 

- Ele não quis vir, Bella. – Alice falou a me ver olhando para a entrada – Ele disse que não suportaria te deixar ir.

 

Meg e Alice me olharam meio que com pena, eu dei de ombros e sorri, triste.

 

- Nem eu suportaria deixá-lo aqui. – admiti – Bem, deixa pra lá. – forcei um sorriso.

 

Meu vôo foi anunciado pela segunda vez e eu me apressei. Dei mais um abraço em meus pais e na Sophia. Fui andando de mãos dadas com as meninas até o portão de embarque. Dei mais um beijo nas duas e entreguei a passagem para o segurança, estava dispersa, mas me virei quando ouvi:

 

- BEEEEEEEEEELLAAAAAAAA!

 

-x-


n/a: Eita bicha burra é essa tal de Bella Swan, né? ¬¬ Bem, não tenho muito a falar. Já falei na JF, oks? E só pra avisar novamente, a Do e a JF estão na reta final. E mais outros avisinhos:

 

Eu tenho um pedido a fazer a vocês, já que as duas fics – Don’t e Just Friends – estão em reta final, queria que as recomendações aumentassem... Porque, fala sério... Um ano de fic – eu as postava originalmente no Twilight Fics, a maioria aqui conhece de lá – e só 3 recomendações em uma e 2 na outra? Vamos lá people, não dói nadinha!

 

E tenho um anúncio a fazer: a RM e a GNY – pra quem lê – estão em modo “stand by”, vão ficar assim até a Do e a JF estiverem totalmente terminadas. E eu excluí a GM (Jake/Nessie), minhas aulas voltaram nessa semana e eu já estou surtando loucamente.

 

Amo vocês,

Tamy Black.