Sobre Mentiras e Casamentos escrita por bellarks


Capítulo 4
Aquele do Roy


Notas iniciais do capítulo

OI OI OI
GENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE COMO VCS TÃO???? VCS VIRAM O ULTIMO EPISÓDIO DE THE WALING DEAD???? SOCORRO O QUE FOI AQUILO?
ENFIMMMM
Aqui vai mais um capitulo para vocêsssss! Espero que gostem.
Eu sei que ele deve estar meio chatinho, mas ele tava muiiiito grande então resolvi dividir em duas partes :3
OBRIGADA ÀS LINDAS QUE COMENTAM E ACOMPANHAM A FIC VCS SÃO PERFEITAS SÉRIO



"Lily, que proposta é essa do Riddle, huh?" James a encarou com os olhos sérios e o cenho franzido.

"Oh." Judith encarou a mãe com uma expressão um tanto cínica demais para uma garotinha da dez anos. "Você não contou, então."

Ah, mas quando chegassem em casa Lily iria ter uma conversa muito séria com a ruivinha. Sua filha havia nascido sem um filtro, não era possível.

"Tom Riddle me ofereceu um emprego de gerente administrativa."

James estava atônito. Lily iria o deixar, então? O que seria da Potter County sem ela? O que seria dele sem ela?

"Lily Evans, pelo amor que tem pelos seus filhos, não diga que aceitou esse emprego!" disse ele já desesperado. Judy o encarava com uma expressão maliciosa, como se estivesse se divertindo com sua miséria. "Eu te pago o dobro! O triplo! Terá férias de três meses, eu reduzo suas horas de trabalho, mas por favor não me deixe."

Lily o observava divertida. Sabia que James teria uma reação parecida, afinal, ela era seu suporte desde a faculdade.

"James." Disse lentamente. "É uma proposta muito tentadora, mas conheço a fama do Riddle. Não sou estúpida para aceitar trabalhar para aquela cobra."

"Oh." James sorriu e suspirou aliviado. De repente se deu conta do que acabara de dizer, soando como um homem necessitado e dependente, e se sentiu envergonhado.

"Vamos... Ás compras, que tal?" disse bagunçando os cabelos e colocando Harry em seus ombros. Judith revirou os olhos, assim como Lily. Vão ser parecidas assim lá longe! Pensou ele.

"Compras?" Harry diz com uma careta extremamente adorável. "Não podemos comer antes?"

"Garoto, você acabou de devorar uma porção de batata frita e dois sorvetes de casquinha sozinho. Falou James. Como pode comer tanto? Pra onde vai toda essa comida?

Com esse comentário, Judy fez uma cara de nojo.

"Não queira saber."

Lily apenas balançou a cabeça como quem diz Não são meus filhos e entrou na primeira loja que viu na sua frente.

"Entrem." Resmungou."Vamos acabar logo com isso."

XxxXX

Após andarem por quase vinte lojas, os braços de James tinham tantas sacolas que quase não conseguia andar. Lily comprara tantos sapatos e roupas que até as crianças tiveram que segurar algumas bolsas, sem contar com a ajuda da própria ruiva. James estava começando a se arrepender da proposta.

"Próxima parada: Salão de beleza!" Disse ela animada. Depois de ter seu guarda roupa renovado, Lily realmente se sentia mais disposta e estava precisando fazer suas unhas urgentemente.

"Ótimo, como se já não tivesse quase estourado meu cartão de crédito." Resmungou James sobre a respiração, fazendo Judy e Harry rirem.

"Eu ouvi isso, Potter. A ideia foi sua, não foi? Lide com isso. Agora vamos, quero me tornar uma verdadeira Senhora Potter."

James bufou e revirou os olhos. Onde estava com a cabeça quando pensou que Lily pudesse ser sua esposa? Com certeza ela iria inventar alguma história sua para Jess, por pura diversão.

"Ora, ora, boa tarde!" Disse uma senhora simpática assim que entraram no salão. "Do que a senhorita precisa?" perguntou para Lily.

"De tudo, minha senhora." James respondeu antes da amiga. "Dá uma geral aí."

Lily o fuzilou com seus olhos incrivelmente verdes. Ele apenas sorriu. Ela estava precisando daquilo, pensou. Estava sempre trabalhando e dando atenção para os filhos e se esquecia de cuidar de si. E esse era o trabalho de James. Ele cuidaria dela quando ninguém mais o fazia, nem mesmo a própria.

Um cara de voz afetada e casaco de couro rosa que se apresentou como Roy sentou Lily em uma cadeira e examinou seu cabelo.

"Hm." Disse, franzindo o nariz. "Isso não tá certo, baby. Quanto tempo desde que não corta essas madeixas?"

"Ahn... Eu realmente não sei. Uns seis meses, talvez mais?"

Roy e encarou com uma expressão ofendida, colocando a mão no peito.

"Oh, querida, está passando por tempos difíceis?"

Numa cadeira perto dali, James se sentava com as crianças Harry, extremamente cansado, encostou em seu ombro e dormiu, enquanto Judy lia o livro que havia ganhado da mãe e se divertia com a cena.

"Você tem algo a ver com isso, garotão?" Pergunta o cabeleireiro, apontando para James.

"É tudo culpa dele, sim." Diz Lily, sorrindo maléfica. "Tenho que tomar conta da casa sozinha, cuidar das crianças, ir para o trabalho... E quando ele chega em casa, só quer saber de assistir televisão e dormir."

"Ei, a culpa não é minha se trabalho o dia inteiro e chego cansado!" Exclama James, entrando na brincadeira. "E ainda tenho que ouvir você reclamar sobre as crianças, sobre a garota chata do trabalho, sobre as dores de cabeça, blá blá blá."

"Como pode ser tão egoísta?! Só pensa em si mesmo, nem quer saber de mim. Dê graças a Deus por ser um pai exemplar, senão já estaria presa por tentativa de homicídio!"

Roy assistia à discussão como se fosse uma partida de tênis.

"Egoísta, eu?!" James exclamou baixo para não acordar Harry. "Você gasta todo meu dinheiro, estoura meus cartões de crédito, e eu sou egoísta?"

"Isso mesmo." Sorri Lily triunfante. "Agora que estamos nos divorciando, quero tudo do bom e do melhor. Então, Roy, faça todo tipo de tratamento, e dos mais caros. Meu querido esposo está pagando, mesmo."

Roy, se divertindo e parecendo extremamente animado com a ideia de fazer de Lily sua boneca, bateu palmas e chamou sua equipe.

James não pode evitar, e caiu na risada com a encenação de Lily.

"Ah, Evans... Se fizer melhor que isso amanhã no almoço, eu faço o que você quiser!"

Ela apenas sorriu.

Depois de horas de tratamentos de beleza, pessoas puxando seu cabelo e arrancando suas cutículas, Lily se sentia muitíssimo bem.

Seu cabelo estava solto e brilhoso, diferente do rabo de cavalo que sempre usava. Sua pele estava mais iluminada, mais clara. Ela era a Lily de antes, a mais divertida e não tão preocupada com o trabalho e com os filhos. Ela era a Lily dos tempos da faculdade.

"Estou absolutamente fabulosa, Roy. Obrigada!"

"Ah, que isso, baby! Agradeça ao seu marido, é ele quem está pagando."

Ela desviou os olhos do espelho para onde James e as crianças haviam adormecido. Ele tinha um braço ao redor de Harry, que estava com a cabeça encostada em seu ombro. Judy estava encolhida com o casaco de James sobre os ombros e estava de costas para o moreno.

"James." Lily sacudiu seu ombro de leve. Ele resmungou. "Potter, levanta." Ele franziu as sobrancelhas.

Hmm, só mais cinco minutos.

"JAMES O SIRIUS DISSE QUE A JESSICA É GOSTOSA!"

Com isso, James acordou alerta, com os olhos arregalados.

"O que?! Onde tá aquele cachorro sem vergonha... Lily?" Ele perguntou confuso, ainda com sono. "Lily, só mais cinco minutos, a aula de Filosofia é chata."

"James, não estamos mais na faculdade e isso não é um sonho. Agora levante, que amanhã será um dia longo."

"Não é um sonho?" Ele franziu o cenho e a encarou. "Você é a Lily de verdade?"

Ela revirou os olhos e pegou Harry no colo.

"Sim, idiota, agora levante."

Sacudindo a cabeça para tentar clarear os pensamentos, James levantou da cadeira desconfortável e bocejou. Olhou bem para Lily e se sentiu... Quente por dentro?

Ela não estava mais bonita, ou diferente. James achou que ela simplesmente parecia mais jovem. Aquela ali era Lily que ele conhecia, a de cabelos ruivas esvoaçantes e olhos do tamanho da lua. Ela sempre fora uma mulher muito atraente, não tinha como negar. Ele simplesmente estava feliz por ter a Lily dele de volta.

"Você está linda, Lils." Ele diz sorrindo e ela simplesmente arqueia as sobrancelhas.

"Certo." Diz ela. "Acha que pode carregar Judy até o carro sem acordá-la?"

James concordou com a cabeça, mas antes pagou a conta. Pegou a garotinha no colo levemente e riu.

"Está rindo do que, retardado?" Pergunta Lily, a delicadeza em pessoa.

"Nada, é só que..." Ele encara Judith. "Olhando assim para a pimentinha, quem vê pensa que ela é um anjinho."

Lily o acompanhou na risada. Ela aconchegou Harry melhor em seu colo enquanto caminhavam pelas ruas.

"Preparado para o grande almoço amanhã?"

"Nem um pouco." Ele ri. "Sei lá, acho que na hora eu vou gaguejar e..."

"Ela é realmente muito importante, né?"

James pareceu pensar por um segundo.

"Parece loucura, mas eu consigo me ver num futuro com ela."

"Uau." Lily arregalou os olhos. "James Potter pensando em um relacionamento sério! Eu quero só ver..."

"Ei!" Exclamou ele com uma expressão tão indignada que Lily não pode deixar de rir. "Qual o problema com isso? Você só está com inveja."

"Inveja?! Como?"

"Só por que seu romance com o cara do grampeador não deu certo. Ei, por que não tenta com o Pettigrew? Soube que ele está solteiro!"

Lily estremeceu. Pettigrew era o cara que cuidava das copiadoras do prédio onde trabalhavam e vivia dando em cima de Lily com aqueles dentes de roedor e barriga de barril.

"Prefiro o tio da limpeza." Ela diz e James solta uma gargalhada.

"É serio!" Exclama ela rindo também. "Aquele bigode é um pouco intimidador mas eu posso me virar com isso."

"Ah, tenho certeza que ele ficaria feliz. Imagine que romântico o passeio de vocês: Lily, Sr Bigode, e Phill."

"Phill?"

"O ornitorrinco." Ele diz simplesmente e Lily quase derruba Harry de tanto rir ao se lembrar do ornitorrinco de estimação do cara da limpeza. Certa vez, quando ela e James saíram tarde do trabalho, o viram no corredor conversando com Phill. "Imagine as possibilidades, Philly! Se eu ganhar na loteria, compro para você uma tonelada de queijo!"

"Dar queijo para um ornitorrinco." Disse Lily. "Eu hein, que cara maluco. Talvez isso explique o fedor."

James estava praticamente sem ar de tanto rir.

"Imagine as possibilidades, Lily!" Ele exclama, imitando o sotaque mexicano do cara. "Se eu ganhar na loteria, compro para você uma tonelada de azeitonas!"

Lily fez uma careta. Como odiava azeitonas!

"Espere, aquele dali é..." James fala, cerrando os olhos ao chegarem no estacionamento.

"Amos." Lily suspira, se sentindo de repente cansada. "Passe de fininho, não faça nenhum barulho."

Caminhando silenciosamente pelo estacionamento, eles se esgueiraram pelos carros uma tarefa muito difícil, levando em conta que carregavam duas crianças no colo e conseguiram chegar ao de James sem serem notados. Amos conversava animadamente com uma loira sua namorada da vez, imaginou Lily.

James abriu o carro com a chave para não fazer barulho, mas foi inútil o esforço. Amos já havia os avistado.

"Lily?"Pergunta ele surpreso. Judith e Harry continuavam em seu sono pesado. James suspirou e colocou a ruivinha no banco de trás, com cuidado para não acordá-la enquanto Amos caminhava a seu encontro.

"O que faz aqui?" Ele pergunta para a ex-mulher, que reprime a vontade de lhe dar um belo soco na cara.

"Oi para você também, Diggory." Diz Lily, entregando Harry para James, que tinha uma expressão emburrada.

"Oi. Olá, Potter."

Ele acena com a cabeça e põe Harry no carro, fechando a porta levemente.

"Então, vejo que voltou dos Alpes." Diz James com a voz fria e dura.

"Ahn, sim..." Amos parece constrangido. "Eu voltei semana passada, na verdade."

Lily cerra os punhos.

"Semana passada?!" Ela exclama irada. "Você voltou semana passada e nem ligou para saber dos seus filhos?"

"Ah, Lily, eu estava..."

"Não se atreva a dizer ocupado. Eu sou ocupada, mais do que você imagina, mas eu nunca, NUNCA, sou ocupada para meus filhos."

Amos a encara com um misto de vergonha, surpresa, e admiração.

"Você fez alguma coisa com o cabelo? Está mais bonita..."

"AH, PELO AMOR DE DEUS!" Ela grita, perdendo a paciência, fazendo Diggory se encolher e James sorrir.

Do outro lado do estacionamento, a loira de Amos encara a cena confusa.

"Chega dessa palhaçada. Ou você começa a se esforçar com as crianças, ou eu tiro elas completamente da sua vida, está me ouvindo?"

"Lily, não precisa ser assim-"

"Eu não me importo com dinheiro, pensão, ou o escambau. Eu só quero que meus filhos sejam amados pelo pai deles, só isso. Será que pode dar um pouquinho de atenção pra eles? Por que na hora de fazê-los, você tinha toda a atenção do mundo!"

James não conseguiu controlar a risada.

"Está rindo do que, Potter? Conseguiu o que queria, não é?" Diz Amos furioso. "Roubou minha mulher, meus filhos... O que mais quer de mim?"

"O que?" James fala arqueando as sobrancelhas. "Seus olhos incrivelmente azuis e sua capacidade de ser extremamente babaca? Não, obrigada."

"James não roubou nada, pelo amor de Deus!" Lily fala, extremamente irritada. "Amos, saia da minha frente antes que eu lhe dê um belo murro."

"Certo. Mas amanhã eu vou buscar as crianças."

"Se elas quiserem ir com você, tudo bem."

"Então ok... Até amanhã." Amos encara James pela ultima vez, com um olhar meio envergonhado, e vai embora.

Entrando no carro, Lily solta a maior quantidade de palavrões possível.

"Miserável filho da égua, nunca vi mais egoísta e crápula..."

"Ei, Lils. Não fica assim, vai." James fala, embora ele também estivesse xingando Amos em sua mente. "Não vale a pena perder seu tempo com ele."

Lily suspira e massageia as têmporas.

"Minha preocupação é com as crianças. Elas já até cansaram de perguntar do pai."

"Bem, eles tem você como mãe. É melhor do que qualquer Amos por aí."

Ela sorriu agradecida.

"Obrigada."

James deixou Lily e as crianças em casa e foi embora. Amanhã seria um longo dia.

Judith ♥



Notas finais do capítulo

Então é isso, pessoal!!! Deixem suas críticas, opiniões, sentimentos, qualquer coisa! comentem!! Favoritem!! Recomendem!!!!!!
Leiam Cops!!! sqn
Mas sério, obrigada a todos que acompanham e se a fic chegar até 30 comentários eu posto novo capitulo depois de amanhã!
Beijos e até quarta, hein?