Home escrita por Daiana Caster


Capítulo 10
Familia Buscapé


Notas iniciais do capítulo

Demorei pra porra denovo desculpem mais sei que eles fazem uma baita falata e assim como eu existem um grupo de viuvas que espero que leiam e gostam



Fabinho levanta cedo,sai para comprar as coisas pro café. ele compra várias frutas e doces e arruma a mesa. Giane acorda e se espanta.
– Caraca eu acordei na casa da novela ? ou to em casa ainda ? que mesa é essa ? pergunta ela rindo com a boca aberta.
– He He palhacinha você. diz ele rindo e se aproximando dela.
– Qual é cara ? o que tá acontecendo com você ?
– É que eu engravidei um moleque de rua mal educado e agradecido e to tentando ser uma marido legal. mais tá difícil.diz ele a envolvendo em seus braços.
– E o seu ser um marido legal, é comprar toneladas de comida pra me deixar uma bola ? pergunta ela olhando e dando um sorrisinho debochado pra ele.
– Já disse que não ligo se você engordar, te acho gostosa sempre. e por que senão quer engordar ? tá pensando em voltar a ser modelo ? Vai pega o telefone e liga pro playboy diz que você vai voltar, te garanto que ele já vai ta aqui na porta, pronto pra te buscar.diz ele soltando ela e se afastando.
– Para com isso fraldinha, o que te deu ? eu tava brincando sobre a mesa, tá linda. Que te deu ?diz ela indo atraz dele, e segurando seus ombros o virando. ele se vira de cara fechada.
– É que ele tá voltando.diz ele.
– Ele quem ?
– O Maurícinho, seu ex o baba do caio.
ela ri.
– E daí ?
– Tenho ciúme Giane, você sabe .
ela ri
– Não como é ? Não to ouvindo direito. diz ela colocando a mão atrás do ouvido dando risada.- você tá com o que ?
Ele revira os olhos
– Não vou repetir.
– Ah por favor, você fica tão mais tão bonitinho ciumentinho sabia ? diz ela olhando de frente pra ele sorrindo.
– tá, ta Maloqueira eu tenho ciúme de você tá legal.
ela sorri Vitoriosa.
– Eu sei.
– Você gosta só de ouvir eu falar né ?
ela ri.
– É gosto .
– Então tá. eu já falei, já admiti. sua vez agora.diz ele voltando a abraça-la.
– Minha vez ? De que ? diz ela fingindo não saber do que ele esta falando .
– Ah Giane larga de ser difícil vai fala.
ela ri.
– Eu não. nem gosto de você, pra ter ciúme. ela ri.
– Ah é ?.
– É.
ele revira os olhos a agarra e a beija.
– Tem certeza. diz ele olhando pra ela.
– Só um pouquinho.
– É um pouquinho.
– Ah é ? Se é um pouquinho só, e você bateu em duas por minha causa. imagina o dia que você me amar então, mata meio mundo .ele sorri se divertindo.
ela revira os olhos.
– Você tá se achando né ?
– É eu to. ele ri.
– Mais você tem ciúme de mim, a muito mais tempo que eu de você.Você tem desde antes de agente namorar .
– Ah Giane fico numa insegurança da porra. sempre acho que agente vai brigar e ele vai vir urubuzar.
ela ri.
– Ele deve estar casado com a Camila já.
– Como você sabe? ele diz enciumado.
– Não começa. eles estavam noivos, e a Camila não deixa passar.
eleS riem.
– É que nem a vó.
eles riem.
– Olha fraldinha, eu gosto do caio, ele é meu amigo, quero ele na minha vida, mais eu amo você, só você. que é meu marido o cara que eu escolhi pra mim.Ela pega a mão dele e colocando em sua barriga.
– Voce me deu isso e nem o Caio nem ninguem pode destruir entendeu ?
ele sorri e a beija.
– Melhor agora ? ele sorri pra ela.
– Você gosta é de ouvir eu me declarando né ?
– É gosto. ele a abraça e lhe da vários beijos.
– Olha só pra confirmar, se algum dia o Caio terminar com a Camila, e eu ver que ele ainda sente algo por mim .eu afastado dele .
ele sorri.
– Gostei.
– Bobo, não sei por que isso. troquei ele por você e você com ciúme.diz ela revirando os olhos.
– Ah Há, ha anos eu espero você admitir que foi eu o motivo.
– Ue. aquela vez que você deu aquele Chilique lá na sala de casa eu falei.
– Que nunca Devia ter me trocado por ele, é eu lembro bem. ele diz com a cara triste.
– Agente tinha brigado, eu tava com raiva de você, falei sem pensar. agora chega vai, agente teve um dia tão legal ontem, uma noite tão legal. não vamos estragar falando de passado que nem existe mais. diz ela dando um selinho nele.
– Ta você tá certa. diz ele a puxando devolta e lhe dando um beijo cheio de paixão.ela se desvencilha rindo e o puxando pra mesa.
ela olha a mesa e começa a escolher o que quer.
– Olha isso, mais você tá querendo me ver uma bola mesmo.
ele ri.
– Só quero que meu filho nasça forte e saudável só isso.diz ele dando de ombros.
– Seu filho vai é nascer obeso e a mãe dele vai ficar também.
– Para com isso, você tá a maior gata.
– Ra vamos ver até quando você acha isso.
Elê vai se aproximando dela
– Eu sempre vou achar isso, até quando você for uma velinha reclamona e rabugenta.
– Ah eu guardei bem essas palavra tá fraudex ?
Ele a abraça por traz e beija seu pescoço.
– Pode guardar.
Eles tomam café e vão pra sala assistir tv. deitam abraçados a campanha toca.
– Nossa quem é essa hora ?
– há quem você acha ? Familia buscape com certeza. diz Fabinho se levantando e indo até a porta. - Há, não falei pivete. diz ele abrindo a porta e vendo a mãe.

– Oi filho. diz ela abraçando Fabinho com Vitória no colo .
– E ai mãe ? diz ele a abraçando e se virando pra vitoria.- E você gatinha ? diz ele sorrindo pra irmã.
– Inho, inho. esperneia Vitória no colo da mãe.
– Calma filha.diz Irene balançando a filha na intensão de acalma-la.
Fabinho ri.
– Da ela mãe. diz Fabinho estendendo os braços pra irmã, que se joga pra ele.
– Isso fraldinha vai treinando ai. diz Giane se levantando e se encaminhando até a sogra.
– É o jeito né, porque se for deixar pra você, nosso filho não dura um mês.diz ele rindo balançando a irmã que era só alegria no seu colo.
– Ah vai te catar babaca.
– Ão ane, inho é egal ao é abacá.diz Vitória a ela que sorri incredula.
Fabinho caí na gargalhada.
– Tá vendo pivete, se cuida que abalo o coração até das pequenas. diz ele ainda rindo.
– He He palhaço.diz ela com a cara fechada mais ja esbosando um sorriso.
– E como você está minha querida ? diz Irene sentando ao lado da nora.
– Bem Irene.
– Isso tá forte feito um touro mãe. nem parece que tá grávida,quer dizer bizerrinha né. por que ela diz que sou bizerro, então ela é bizerrinha. diz ele sorrindo debochado pra esposa.
Irene ri
– Vocês São uma graça.
– E seu filho é um palhaço.diz Giane bufando.
Ele sorri e da um selinho nela.
Plínio entra.
– Bom dia.
– E aí pai. diz Fabinho dando outro selinho na esposa com a cara ainda amarrada e estendendo a mão pro pai.
– Brigando com sua esposa grávida Fabio ? questiona Plínio.
Fabinho bufa.
– Pivete tá fazendo doce pai, e vai dizer que nunca brigou com dona Irene quando ela tava esperando a vick ?
– Te garanto que não como você com a sua mulher.diz Plinio.
– Pai eu e a Giane sem briga e implicancia, é tricolor sem Rogério cêni e corintians sem cassio. diz Fabinho
Giane ri.
– Aí fraldinha gostei. diz ela se aproximando de Fabinho e lhe dando um selinho.
– Viu seu Plínio, só implicancia. diz ele devolvendo o selinho da esposa.
– Acho que nunca vou entender esse jeito de vocês.diz Plinio confuso.
eles riem.
– Só agente entende pai. essa É a graça, o segredo.diz Fabinho com os braços envolta de Giane beijando seu rosto.
– Sim,sim entendido. tudo bem Giane ?
– Como você mesmo pode ver, tudo ótimo Plínio. ela revira os olhos e sorri.
– E o meu próximo herdeiro como está ?
– Por enquanto graça a Deus sendo legal com a mãe dele, to ótima .
– Não to falando pai, esse pivete aí nem parece que tá Buchada.
– Vai te cata Fabinho.diz ela olhando pra ele e lhe dando um tapinha .
ele ri a abraça e a beija.
– Espero que ele esteja cuidando bem de você Giane. diz Plinio encarando a nora.
ela bufa e revira os olhos.
– Bem até demais. além de tá um babão completo, não deixa eu pegar uma água sem supervisão. já to vendo a hora que o Erico vaí querer a parte dele da agência.brinca Giane sorrindo.
– Não escuta a maloqueira não seu Plínio, to dando conta dela, do nenê e da agência. sem esse olhar reprovador.
– É muito bom mesmo.mesmo sendo pelo meu neto, você não pode descuidar do seu patrimônio. sei que o Erico É um bom rapaz, honesto mais você não pode largar tudo na mão dele, e querer só os lucros.
– Eu sei. to fazendo muito coisa em casa, pensando até em montar uma sala aqui.
– Isso. toda boa casa de empresário que se prese, tem que ter um escritório.
– Cade o resto da família ? Zé florzinha, malu, minha mãe, seu Silveiro .
– Malu e bento saíram. fizeram mistério. e seus país disseram que vem mais tarde.
– ih mistério ?
~
Malu e Bento estão dentro do carro.
– Você não vai falar aonde agente vai ? Pergunta Malu.
– Você já vai ver. diz sorrindo .
– Bento ? O que você ta aprontando ?
Bento sorri.
– Aprontando ? eu aprontando ? não sou seu irmão não Maria luiza .ri Bento.
– Ha ha palhaço.Não fala assim do Fabinho ta ? ele é um homem de familia agora.
– Tudo bem, não ta mais aqui quem falou.tava so brincando.
– Ha, bom mesmo.diz ela
– Ha bonitinha defendendo o irmãozinho.diz Bento apertando a bochecha dela que sorri e lhe da um selinho.
eles chegam
– Ué Acácia ? Você esqueceu alguma coisa aqui.
– Esqueci. vem vamos descer. diz ele abrindo a porta pra ela.
– Não to entendendo nada. mais tudo bem. diz malu saindo.
– Já já você vai entender. diz ele entrando e pegando uma chave. - Vem. diz ele a puxando.
– Aonde agente vai agora ?
Ele olha pra ela e sorri.
Ela revira os olhos.
– Você não vai falar né ?
– Vamos. diz ele arrastando ela.
Eles chegam ao campo de rosas.
Malu sorri.
– O que agente veio fazer aqui ?
– Você lembra ? esse foi o primeiro lugar que eu te trouxe quando agente se conheceu.Diz ele de mãos dadas com ela.
Ela sorri.
– Vim fazer minha pôs.diz ela admirando as flores.
– É e depois disso, muita coisa aconteceu. eu e amora você e o Maurício, nossos desencontros, agente descobriu que era irmão depois que não era irmão. eu voltei pra amora você pro Maurício.Mais hoje agente tá aqui, agente se reencontrou. sem mágoas sem sombras só com um passado. mais eu quero é pensar no presente e no futuro.
Bento se coloca a frente dela e se ajoelha malu começa a chorar.
– Maria Luiza Campana, você aceita se casar comigo.
Malu chora emocionada.
– Aceito, aceito, é claro que eu aceito.
ele se levanta e a beija e coloca o anel no dedo dela.
– Nossa Bento é lindo. diz ela admirando o anel em sua mão.
– Era da minha mãe
Ela sorri e o beija.

Eles saem abraçados do campo de rosas.
~
– Ane, Ane diz Vitória correndo até Giane.
– Fala princesa. diz Giane pegando Vitória no colo e a sentando em seu joelho.
– em nenê baiga ?
Giane ri.
– É linda, tem nenê na Barriga da ane sim, como você sabe ?
– Inho isse pa vit.
– É o inho disse ? Diz Giane sorrindo.
– Inho isse aí se sobinho vit.
– É meu amor vai sim. diz Giane fazendo carinho em seu cabelo.
– Vo pode binca com ele ?
– Claro meu amor vai sim.
– Vai sim gatinha, ele vai brincar com você. diz Fabinho Sentando ao lado de Giane.
– Ane joga bola vem ? Diz a pequena pulando do colo de Giane e a puxando.
Giane olha triste para Fabinho.
– Oh meu amor a ane não pode.diz ela com uma voz triste para a pequena.
– Poque ? A menininha pergunta curiosa.
– Porque pode machucar o nenê da Ane.
_ aaaaah. lamenta a nenê.
– Vem gatinha, inho joga bola com você. diz ele pegando a irmã do colo da esposa, que lhe agradece com um olhar e um sussuro de obrigado ele lhe da um selinho.
– Relaxa pivete, fica aí com a mulherada que eu vou começar a treinar.diz ele sorrindo correndo atraz de Vitoria.
– Vai estrelar a nova versão de treinando o papai ? diz Giane rindo debochada.
ele ri e faz uma careta pra ela.
– Uma versão mais interessante, com um ator mais gato.
Ela o olha com os olhos serrados rindo.
– Mais é podre de metido mesmo.diz ela balançando a cabeça incredula.
ele da um selinho nela.
– Agora vou bancar o pai, da licença. diz ele saindo sendo puxado pela irmã.
Irene e Giane observam ele chutando a bola para Vitória.
– Ele vai ser um ótimo pai, meu menino. diz Irene sem tirar os olhos dos filhos se enchendo de orgulho.
– É vai sim. diz Giane sorrindo sem tirar os olhos da cena também.
– Como tá a vida de casada minha querida já acostumada ?
Giane bufa.
– É Irene por incrível que pareça já. mais sabe que, acho que eu e o fraldinha já éramos casados, só falta morar junto e dormir junto todo dia. o que agente já quase fazia namorando,agente briga claro desde que voltamos da lua de mel acho que ja brigamos umas tres vezes, mais acho que isso é a marca da nossa relação. acho que senão fosse isso nossa vida seria chata. ri ela e com isso continua igual. quer dizer...
– O que minha querida ?
– To sentindo ele mais dedicado sabe, curtindo cada momento. mais acho que isso é culpa minha. ela ri.
– É claro que é minha filha, toda a mudança do meu filho, tudo no que ele se transformou e é hoje e por sua causa.
– Ah Irene, de nada adiantaria tudo o que eu fiz. se ele não tivesse se proposto, se aberto pra isso. eu dei a chance e ele aproveitou.
Irene sorri com o olhar da nora pro filho, ainda brincando com Vitória. Giane balança a cabeça e pisca a sogra ri.
– Desculpa Irene é que eu ando ...
– Mais sentimental que o normal. eu sei e entendo.
– É melosinha boboca. e seu filho bancando o fofo não tá ajudando a eu não virar uma tonta chorona.
Irene ri.
– Como você mesmo diz, culpa sua.
Giane ri.
– É, toda vez que reclamou ele fala isso.
a conversa das duas é interrompida pelo chegada de Bento e Malu.
~
Bento e Malu entram abraçados, eles vêem Fabinho brincando com Vitória.
– Aluuuuu ! corre a nenê em direção da irmã.
– Eí gatinha da irmã. diz ela pegando Vitória no colo e ganhando um beijo estalado da irmã.
– E eu não ganho beijo ? Pergunta Bento.
– anha. diz Vick beijando Bento.
– Aí que gostoso.diz Bento sorrindo para a pequena.
– Pronto. já me trocou. Diz Fabinho fazendo falsa cara de bravo.
Irene e Giane aparecem na porta da sala dando pro quintal.
– Bento. diz Giane correndo para abraça-lo.
– Pronto. fui trocado pelas duas. Giane olha por traz, bufa e revira os olhos pra ele e abraça Malu. voltando pra Fabinho.
– Pronto o ciumentinho, ninguém te trocou não.diz ela abraçando o marido ainda de cara feia.
– Agora eu não quero. pode voltar pro seu príncipe encantado.diz ele de cara amarrada.
ela,malu e bento riem.
– Larga de ser idiota.diz ela o enchendo de beijos fica esperando uma reação dele que faz doce mais a abraça e a beija com paixão.
– Isso bom garoto. ela ri abraçada a ele.
– Você sabe que é só porque você tá grávida né ?
Ela tira a cabeça de seu ombro e o olha nos olhos, ainda entre os braços dele. Fazendo uma cara debochada.
– Ah claro, você nunca é melozinho né ?
ele sorri e a beija
– Palhaça.
– Babaca.
todos a volta riem
– Inho namola dipois, oga bola vit. diz Vitória saindo do colo de malu e apontando a bola.
Fabinho sorri para a irmã ainda abraçado a mulher.
– Vai fraldinha pra ela eu libero. ri ela, sorri tambem e lhe da um selinho. malu interrompe baixando para falar com a irmã que está perto da perna de Fabinho.
– Princesa agente vai conversar agora tá ? Depois você joga bola com o inho.
– ah aluu poque ?
– Depois eu e o ento jogamos bola também pode ser ? diz ela carinhosa com a irmã.
– ode se .
– então tá meu amor .diz a irmã beijando ela que corre para os braços da mãe.
– Ih, o que tá rolando em Maria Luiza ? Diz Fabinho com cara de desconfiado.
– Como diz você para Giane nome completo não me assusta tá ? Diz a irmã sorrindo pra ele.
– Eu e a Malu temos uma comunicado pra fazer.diz Bento sorrindo.
Fabinho respira fundo.
– Po cara não fala que se engravidou minha irmã sem casar, ainda por cima.
– Cala a boca babaca, deixa eles falarem. diz Giane dando um tapa no marido.
– Ai pivete, já falei Pra você parar com isso, dói sabia. diz ele esfregando O braço.
Giane revira os olhos.
– Cara mais voce é muito fraldinha.diz Giane rindo zombando dele.
– E você é um pivete maloqueiro, cavalo grosso e...
ela o beija com vontade, calando ele.que a segura pela cintura,a puxando mais pra si. ela se separa dando selinhos estalados.
– Cala a boca.diz ela olhando nos olhos dele com um sorrisinho.
Ele sorri lhe dando um selinho.
todos os olham sorrindo.
– Viramos centro das atenções pivete.diz ele abraçado a ela olhando pra familia.
– Pra vaiar né ? Ela ri.
– Posso terminar agora.
– Somos todo ouvidos Zé florzinha, solta o verbo.diz Fabinho com Giane entre seus braços.
Magoth e Silvério chegam.
– E aí o que perdemos ? Pergunta Margot.
– Chegaram na hora certa. o Zé Florzinha vai fazer o comunicado, vai desembucha Bentinho.
– Plínio eu queria te pedir a mão da malu em casamento. diz ele a frente do sogro.
– E eu te concedo com toda a honra Bento, você é o melhor genro que um homem pode desejar. diz ele abraçando o genro.
– Até que enfim em Zé florzinha, já tava enrolado já. é agora que perco meu lugar nessa família. diz Fabinho fazendo falso drama.
Giane bufa e revira os olhos.
– E ainda tem coragem de falar que a senhora gosta de drama Dona Margot.
– É mais pelo menos você, eu não perco mais ne pivete. agora seu Principe encantado vai tá casado, e com a sua cunhada. fica meio chato.
Ela búfa.
– Mais é muito babaca né não. onde fui amarrar meu burro,diz Giane revirando os olhos.
ele sorri beijando a esposa.
– Seu lugar vai tá sempre aqui maninho. diz ela lhe abraçando.
– Parabéns maninha. Apesar de que você vai casar com esse aí né ? melhor eu te dar pesames, por que aguentar esse cara. fala sério.diz Fabinho debochando.
– Eu disse o mesmo pra Giane, mais não adiantou nada.diz Bento devolvendo.
– Mais a Giane já é minha mulher. a Malu pode mudar de idéia ainda.ri Fabinho.
– Deixa de ser bobo moleque .diz Giane se dirigindo a agora cunhada dupla .
– Oh malu, você não sabe como eu to feliz. eu não podia querer mulher melhor pro bento. diz ela abraçando a cunhada quase chorando. - droga de hormônios. diz ela secando as lágrimas a cunhada sorri.
– Não esquenta Gi. ninguém aqui vai te zuar.diz Malu abraçando a cunhada.
– Rá fale por você Maria Luiza. ri Fabinho.
– Cala a boca babaca.diz Giane fuzilando ele com o olhar e secando as lagrimas.
– Agente é cunhada duas vezes agora, e ao contrario desses aí. diz malu apontando os dois com a cabeça.- eu não reclamo não, eu to adorando. Diz ela voltando a abraçar a cunhada.
– E você cuida bem da minha irmã viu Zé florzinha, senão te arrebento.
– Essa frase é minha. ri Bento apertando mão e abraçando Fabinho. que se separa de Bento.
– Pó cara, isso é esquisito pra caramba. diz Fabinho fazendo uma careta.
– Muito. mais agente vai ter que se acostumar. ou você pretende deixar a Giane ?
– Sabe que não é uma má idéia. diz ele rindo.
– há já vai tarde amor.diz ela dando um sorrisinho brincalhão.
ele ri e a envolve em seus braços.
– Já disse que não te troco por nada nesse mundo pivete.
Ela ri.
– Tem certeza.diz ela rindo e olhando pra ele.
– Tenho. diz ele beijando ela.
– Então seja o que deus quiser. diz ela rindo e o vendo balançar a cabeça. ela o beija.
– fraldinha.
– Meu papo com você ainda não acabou viu Zé florzinha ? você que faça alguma merda pra ver.Ameaça Fabinho.
– Ah olha quem tá falando ? o rei de fazer cagada.Ri Bento.
– É. Fabinho olha pra ele com uma cara de deboche e a boca aberta. - só que eu já casei com a sua irmã querido, vou ser pai, sou um homem decente, de família agora. bem menos propicio a fazer merda que você. que não colocou a cólera ainda.
– É, mais estamos falando de mim e de você né amigo ? e desde de criança você ê o propício a fazer merda. somba Bento com um sorriso sacana.
Giane gargalha.
– Você tá rindo de que pivete ?
– Cara, o Bento tá te tirando. isso é Hilário. ela volta a rir .
– Ah é assim ne pivete ? ele senta do lado dela.
– Meu Deus a Malu vai casar com o Zé florzinha. diz Fabinho parecendo ainda não acreditar.- E aí pai ? quando agente pode internar ela ? Fabinho segura o riso.
– Cala a boca Fabinho. Malu e Giane falam juntas.
– Senão enrolar não viu ? te mato se a Malu casar grávida.ameaça Fabinho aos risos.
– Fabinho ! repreende Malu corada, dando um tapa nele. que ri.
– Ah maninha, agente já é crescido. você não precisa ficar nesse recato todo comigo. apesar de que é bom não imaginar certas coisas. ele faz uma careta. todos riem. - Mais eu quero um sobrinho, pra fazer companhia pro Maloquinha. diz Fabinho sorrindo.
– Tá aí fraldinha, eu também quero. nosso filho precisa de primos. eles sorriem para Malu e Bento
– Vai com calma aí moço. diz Malu sorrindo.
– Vai com calma nada. você me infernizou pra engravidar, e tá aqui oh. diz Giane apontando pra barriga - E agora eu quero ser tia.enfatiza Giane.
– Isso aí pivete.Fabinho faz coro.
– Gente por favor. interrompe Plínio. - Eu quero propor um brinde. diz ele segurando uma taça de champagne e mada e Emília distribuindo aos demais e pegando as suas.

– Ih, discurso do seu Plínio. ri Fabinho, recebendo um tapa de Giane e um olhar de repressão do pai.
– Tá gente, eu calo a boca.diz ele rindo com as mãos pra cima em sinal de rendição.
– Pó até que fim você se tocou.diz Giane o encarrando com uma careta.
– Cala a boca pivete. diz ele beijando ela.
– Voce vai brindar por que a Malu vai casar com esse prego ? nossos champagnes ja foram mais bem gastos em seu Plinio.zomba Fabinho.
– Não Fabio eu vou propor um brinde a voces todos os meus filhos.
– Ah ta melhor assim, continua seu Plinio. diz Fabinho abraçando Giane.
Ele balança a cabeça reprovando as ironias do filho.
– Quero propor um brinde,A felicidade dos meus filhos. ao casamento feliz e duradouro do Fábio, que encontrou na Giane tudo o que precisava, e hoje me da muito orgulho. Fabinho sorri e abraça o pai depois beija Giane .
E além de orgulho, já começou a inaugurar a nova geração Campana.
– Isso por que eu sou um máximo. se gaba Fabinho, Giane ri e revira os olhos.
– Ao casamento da Maria Luiza. que está me enchendo de alegria, me dando o melhor genro que um homem pode querer .os dois abraçam Plínio. - E a minha Vitória, que veio pra coroar o meu amor e da Irene. e é claro a Ana Luiza ou ao garotão ai não sabemos ainda e aos netos que eu ainda terei.- a felicidade - a felicidade todos brindam
– elicidade diz vick.



Notas finais do capítulo

E ai o que acharam espero merecer reviews mesmo demorando beijos