A Filha Do Kazekage escrita por Lina Scarlet


Capítulo 9
Plano Hinata: primeira parte




Na manha seguinte ao plano de Lin para Sasuke,Hinata junto de seu primo Neji andavam em direção a casa de Naruto, era para eles se encontrarem a meia hora atrás para resolver quem cuidaria de Lin no dia, já que em um dia o Kazekage chegaria.

Claro que como tio da filha do Kazekage, Shikamaru ficaria em carregado de cuidar e proteger ela, mas a vila vizinha estava com alguns problemas de roubo e morte, por isso ele tinha sido mandado a ir para La.

E como não parecia o bastante Sasuke, Sakura e Kiba foram juntos do Nara para dar reforço, claro que tinha Ino, mas por algum motivo tanto a Hokage como o Nara não queriam ela tomando conta da jovem garota.

Karin e Kakashi estavam no portão de entrada como foram ordenados no primeiro dia.Esperando a chegada do Kazekage.

Por algum motivo Hinata se encontrava apreensiva por falar com Naruto, já fazia alguns meses em que eles não conversavam como antes, bem antes dele pedir Sakura em casamento. Ela não conseguia entender o que tinha acontecido, ela havia dito o que sentia por ele e desde então não tocaram no assunto novamente e do nada depois de alguns anos ele e Sakura admitiram que estariam namorando e agora estão prestes a se casarem.

O que estava havendo? Por que continuava a se sentir assim?Não tinha tomado a decisão de esquecer o loiro?

—É fácil dizer isso. – Hinata e Neji olharam para trás surpresos com a voz, dando de cara com a princesa da areia.

—Como? – Hinata arregalou os olhos surpresa com a fala da garota.

Lin sorriu e andou um pouco ate eles, mas sem realmente se aproximar.

—Os seus pensamentos Hina-Chan, é fácil você dizer que vai esquecer alguém, mas quando colocamos em pratica isso já é outra estória. – Ela ergueu a mão mostrando duas sacolas cheias, uma com remédio e outra com mantimentos. _Neji – kun, por favor, leve a Naruto – kun ele acordou hoje com muita febre e dores pelo corpo.

Ele olhou para as duas, pegou as sacolas e foi em direção ao prédio em que o loiro imperativo morava.

—Lin, você? – Hinata estava corada, estava com vergonha, pois a jovem parecia ler seus pensamentos.

Sem olhar para a mulher ao seu lado, Lin respirou fundo e sorriu.

—Hinata, pense no que eu vou te dizer. – Ela viu a morena concordar – é muito difícil encontrar mos alguém nesta vida que faça o nosso coração palpitar fortemente, ao ponto de esquecer o que estávamos fazendo, que faça um momento parecer eterno, um riso se tornar uma risada. – ela virou de costas. – Um momento se tornar inesquecível... E você tem Hina- Chan e se não correr atrás vai perder para outra. Querendo ou não você vai sentir raiva deles, pois o ama e sempre o amara, diga logo ao Naruto – kun, ou você jamais ira saber como é ter realmente quem você ama.

Hinata a olhou partir em meio à grande multidão que começava a crescer no local.

—Você esta linda com esta yokata, Lin – Chan – ela disse alto o bastante para a jovem se virar dar um leve tchau com a mão.

Hinata segui o caminho de seu primo sem ver que a jovem garota estava agora em um telhado de um prédio com um pequeno sorriso nos lábios.

—Estou torcendo por você.

Apartamento do Naruto.

—Como esta se sentindo Naruto- kun? – Hinata acabava de abrir a porta com um grande e lindo sorriso em seus lábios rosados.

Neji sentado no sofá da sala lia uma revista enquanto Naruto se forçava a comer algo, mas não sentia fome.

—Há? Oi Hina – chan, que bom que pode vir, desculpa se eu não compareci ao encontro desta manha. – ele tinha o rosto corado devido à febre e sua voz estava muito rouca.

Ela se sentou a frente dele na mesa e notou a quantidade de coisa que tinha ,entre eles uma pequena nota escrita em uma perfeita caligrafia “Coma tudo, querido onii-chan”

—A Lin fez tudo isso? – a morena de olhos perolados brincava com o cartão.

Naruto ergueu os olhos azuis de sua sopa de legumes para a mulher a sua frente.

—Fez sim, ela passou por aqui mais cedo para ir comigo a reunião, mas assim que viu o meu estado, me obrigou a deitar e mediu a minha temperatura. Ralhou comigo durante longos minutos, saio e voltou com varias comprar fez um baita barulho na cozinha e quando eu vim ver me expulsou para o banheiro. Quando me sentei para comer me senti mal e vomitei, mas – ele corou absurdamente o que chamou mais ainda atenção dos primos. – Acabei sujando a roupa dela – ele apontou para o varal da sacada, onde uma saia e um top azul secavam ao vento. –Ela não ficou brava ou não demonstrou. Tomou banho me mandou comer tudo e com calma, saiu e vocês chegaram... É isso.

Neji não se agüentou e riu.

—Naruto você é realmente um baka – e se levantou indo em direção a porta.

—Aonde vai? – perguntou os dois sentados na mesa.

—Não é obvio? Hina você vai tomar conta do Naruto não é? Então eu vou ser o guarda costas da princesa. – Neji estava quase na porta quando o barulho de um sininho chamou a atenção de todos. Do outro lado da janela, Lin estava deitava no telhado do vizinho e parecia aproveitar bem o sol.

—Que sino foi esse? – Hinata perguntou olhando em volta, foi quando Lin se levantou e pulou para dentro do apartamento parando no parapeito.

—Esta melhor onii-chan? – ela andou ate eles dando atenção somente a Naruto que sorriu e agradeceu com um balançar de cabeça.

Ela se virou e o som dos sinos voltou.

Os primos olharam para o calcanhar de Lin e notaram dois sinos presos em um cordão vermelho amarrado nela.

—Lin estes sinos estavam ai antes? – Hinata perguntou.

A jovem olhou para baixo e sorriu - estavam sim, eu os peguei do Kakashi – sensei,quando fui vê-lo pela manha.

Ela andou ate um dos quartos e logo saiu com uma muda de roupa, deixou no sofá, olhou para Hinata de soslaio e sorriu de canto. Virou se para Neji e andou ate ele.

—Irei buscar algumas ervas para minha oba-chan e também para Sakura- Sama, você escolhe: a: ficar de baba do Naruto – Kun junto de Hinata – Sama ou b:me acompanhar e me ensinar algo sobre a aldeia.

Sem esperar resposta ela passou pela por Neji abriu a porta e saiu, deixando um casal corado para trás e um Neji meio atordoado que logo correu atrás dela.

No lado de fora Lin parou uma vez e olhou para traz se certificando de que ninguém iria atrapalhar os seus planos no dia de hoje. Sem que pudesse resistir um sorriso malicioso apareceu em seus lábios.

“Fico muito feliz por Oba-chan ter se envolvido na minha idéia, fazer com que Naruto e Hinata se entendessem seria um pouco difícil sem ela ter mandado todo mundo para uma única missão.”

—Vamos Neji? – ela se virou e seguiu o caminho que sua Tsunade já havia lhe informado com o ninja ao seu lado.

Apartamento do Naruto.

Hinata olhava corada para a roupa que Lin havia deixado em cima do sofá, não que fosse uma roupa indecente, mas era uma blusa do Naruto o que queria dizer que a querida Lin queria que ela, Hinata fosse dar banho no Naruto. Era isso certo? Ou não?

Naruto não entendia o porquê de Hinata estar corada, o rosto da morena havia ganhado uma tonalidade, mais rosa depois de sua irmãzinha ter deixado sua roupa em cima do sofá. Mas o loiro não conseguia entender, Lin so havia voltado por que tinha se esquecido de deixar a roupa para ele se trocar após o banho, coisa que ela já tinha mencionado.

—Hina – Chan vou tomar um banho frio e já volto. – ele se levantou meio cambaleante e, pois se a andar ate o banheiro, mas antes que desse o segundo passo. Hinata apareceu ao seu lado.

—Eu o ajudo Naruto – Kun – ele a olhou e confirmou com a cabeça, olhou para frente e seguiu com a ajuda da morena ate o banheiro.

 

Depois de ajudar Naruto chegar ao banheiro e esperar para ver se ele ia precisar de sua ajuda, ela voltou para a sala e esperou pelo loiro.

“O que será que Lin quis dizer ao me falar aquelas palavras? Será que ela quer que eu diga ao Naruto o que eu sinto? Mas se eu disser e sem querer acabar com o noivado de meus amigos? Ou se Sakura não olhar nunca mais na minha cara? Ou... se ele não sentir o mesmo por mim?”

Se você arriscar não será melhor?

Um sussurro falou em seu ouvido.

“Arriscar? Sim, seria bom arriscar dizer o que sinto e saber se sou aceita ou não pelo Naruto, mas e Sakura?”

Você esta se importando de verdade ou esta fingindo?

“É claro que eu me importo, Sakura é uma grande amiga, apesar do que o destino tenha feito, ela é minha amiga.”

Você tem é medo de ser rejeitada!

“Sim, eu tenho, não agüentaria dizer ao Naruto que o amo e ele me rejeitar, eu o amo muito.”

No amor há sempre conseqüências, infelizmente nem todos têm o seu amor correspondido, mas não é melhor dizer do que nunca ter dito?

Hinata abriu os olhos e passou a Mao pelo cabelo, seu coração a mil e sua boca seca. Ela havia tomado sua decisão diria a Naruto o que sentia por ele, mas primeiro queria saber se ele amava sua amiga Sakura.

Naruto estava parado no quarto olhando pela janela, assobiava baixo enquanto seus pensamentos voavam alto. Ele não ouviu a porta se abrir e a morena de olhos perolados entrar segurando suas mudas de roupas, as que Lin havia levado para a sala.

Ela parou na porta ouvindo a bela melodia, ela queira saber da onde Naruto havia ouvido, pois era muito encantadora.

Ele suspirou, passou a mão pelos cabelos e jogou a cabeça para trás, Hinata segurou a respiração e seu coração foi a mil.

—Sakura – Chan...

Hinata soltou a respiração o que chamou a atenção do loiro.

—Hinata o que houve?

Ela negou com a cabeça, levantou os braços mostrando as roupas e a deixou em cima da cama.

—Você esta com saudades da Sakura? – ela não olhou para ele.

Naruto achou estranha a reação dela, mas preferiu ignorar por enquanto, sua preocupação no momento era Sakura.

—Estou preocupado Hinata, Sakura me preocupa – ele havia andado ate a cama onde na cabeceira tinha pegado na Mao, o retrato em que estava Sakura sorrindo entusiasmada.

—O que houve? – Hinata só o vira preocupado duas vezes com Sasuke e com as lutas – ta eram muitas vezes.

—Sakura estava muito animada com o casamento, mas de uns tempos para Ca, algo mudou, ela não esta como antes. – ele tocou a foto dela com delicadeza coisa que surpreendeu e muito a morena.

—Talvez ela só esteja cansada. – ela queria vê-lo sorrir mais uma vez.

Naruto a olhou de lado e sorriu de canto.

—Você tem razão Hina, são tantas coisas do casamento que não me passou pela cabeça que Sakura ficaria cansada. – ele pois o retrato no lugar e se virou para ela. – Vou prestar mais atenção à mulher que amo.

Hinata olhou para o relógio da parede e viu as horas.

—Naruto, eu vou aproveitar que você já se sente melhor e vou indo, irei aproveitar para treinar com minha Irma. – ela apontou para as roupas – Se vista e vá deitar um pouco, logo se sentira melhor.

Naruto concordou e a levou ate a porta onde se despediu casualmente, fechou a porta depois de vê La partir e trancou. Ele estava absorvido demais nos próprios pensamentos para notar que Hinata havia ficado abalada depois da sua frase. Para ele a única coisa que importava era saber se Sakura estava bem.

Longe dali Hinata surrava uma arvore com toda a força, ela se negava a chorar ou sentir qualquer sentimento que não fosse à raiva.

Alguém tocou o seu ombro a fazendo olhar para trás.

—Lin?

—Oi – A jovem da areia segurava um embrulho em suas mãos. – Achei que fosse ficar cansada e trouxe um lanche para você.

A morena parou e sorriu agra descida, ambas sentaram em baixo de uma linda arvore, aproveitando o tempo da primavera.

—Eu não consegui – Lin a olhou surpresa.

—O que?

—Eu não consegui dizer ao Naruto o que eu sinto por ele. – ela olhou para a jovem que estava sentada o seu lado. – Quando eu tive coragem para dizer, Naruto falou que Sakura é a mulher que ele ama, não poderia dizer o que sinto depois de ouvir isto. – ela pois a Mao no rosto cobrindo suas lagrimas.

Lin se sentia péssima havia achado que como Naruto era meio desligado, que ele nem teria se dado conta de que realmente amava Hinata e não Sakura.

Ela passou a Mao na cabeça da morena como se fizesse um carinho.

—Agora que tal deixar o seu coração descansar um pouco Hina? Deixe o se acalmar e depois quem sabe talvez você encontre a resposta certa.

Lin que olhava o topo da arvore sentiu Hinata deitar a cabeça no seu colo e o corpo dela a tremer.

Se você sentir vontade de chorar, chore, não serei eu a te menosprezar. Amar seguinifica sentir dor, seguinifica crescer e aprender. Se amar fosse fácil não teria graça. Querida Hinata o que peço é que tire todas as suas dores em meu colo, nada posso fazer por ti hoje, apenas isso.

Desculpe Hina por fazer com que você sinta a dor da decepção.

O vento passou levando algumas pétalas de flores, tocando o rosto de Lin e os pensamentos maus – assim ela desejava.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Filha Do Kazekage" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.