Só Um Mês escrita por Sophia Furtado


Capítulo 28
28ª


Notas iniciais do capítulo

gente, um capitulo pequeno... me desculpem o.k.
vou tentar postar amanha mas não prometo. vou ta cheia de coisas para fazer :(
bejos



– ooooi

– oi. Saia daqui – ela disse e se virou para comer uma maçã

– não... por que esta sozinha?

– porque assim é melhor.

– cade seus amigos?

– não tenho. – ela disse e me olhou. Seus olhos eram castanhos claros que se escondiam atrás dos óculos.

– agora tem. – sorri e estendi a mão que ela não pegou.

– voce estaria acabando com sua popularidade aqui

– não ligo para isso. Quero ser sua amiga.

– mas eu ligo e não quero essa amizade. – credo que menina estranha, retiro o fofa que eu disse antes.

– vai embora como? – perguntei enquanto pegava sua salada de fruta

– voce é muito abusada. Vou de ônibus – ela disse sorrindo, era bonita só precisava dos reparos. E tive uma ideia ótima.

– hoje depois da aula vamos no shopping, vou encontrar umas amigas la, tenho que comprar uma roupa para um jantar formal hoje. E quero que voce vá. – disse e me levantei

– mas não vou. Mal te conheço.

– assim vamos nos conhecer mais – mandei um tchauzinho e voltei para minha mesa sorrindo

Depois do intervalo voltamos para a sala e me sentei entre Stu e Jennifer, na verdade me sentei do lado dela, Stu que veio se intrometendo do meu lado. Assim que acabaram os dois últimos horários de geografia mandei uma mensagem para as meninas avisando para nos encontramos na Gucci e sai para o estacionamento. Vi Jennifer indo apressada para o ponto de ônibus. Corri ate o carro e a segui.

– entra – gritei de dentro do carro para ela que estava caminhando para o ponto

– não.

– se não entrar eu vou te acompanhando

– então acompanhe – o menina chata essa Jennifer.

– ENTRA – disse assim que sai do carro. Ela me olhou feio e entrou.

– pronto,? – perguntou irônica

– sim. – sorri e dei partida no carro para o shopping

– não acredito que estou andando num carro rosa, com uma menina popular da escola, e que estou indo no shopping com ela sendo que a conheci hoje. – ela murmurou

– excelente escolha, essa que teve

– voce me obrigou – ela disse indignada

– voce vai gostar.

– não trouxe dinheiro

– mas eu sim.

O resto do caminho foi tranquilo e logo chegamos na loja. Apresentei Jeny, assim que a chamávamos agora, para as meninas e de cara elas a adoraram. Ela tinha voltado a ser fofa. Depois de muito custo a levamos no salão de beleza e demos um trato em sua pele e cabelo. Fomos para umas lojas de roupa, compramos nossas roupas para a festa e comprei alguns modelos para Jeny que agora estava perfeita.

– amei a tarde – Aprill sorriu enquanto tomávamos milk-shake

– sim. perfeita – Meg concluiu

– gostou Jeny? – perguntei

– sim. obrigada meninas – ela se olhava maravilhada, a roupa e o rosto.

De inicio estranhou, porque ela só se vestia com roupas largas e gigantes. Mas agora? Estava linda. Foi difícil fazer ela se arrumar? Foi. E mais difícil ainda ela aceitar eu pagar. Mas conseguimos o que achávamos ser a missão impossível.

http://www.polyvore.com/cgi/set?id=103715464&.locale=pt-br

– aaaaw, de nada linda. Uma beleza assim tem que mostrar – sorrimos e ela corou com minhas palavras.

– amanha você promete que vai se vestir do modo como eu disse? – Meg disse eufórica

– siiiiim – ela sorriu e percebi que era verdadeiro. Ela parecia estar feliz

Depois do shopping a deixei em casa, sua casa não era tão grande e nem tão pequena, era linda e media. Um bom bairro, ela agradeceu 537 vezes pela ótima tarde e me senti feliz em ajuda-la. Voltei para casa já eram 16:50. Nem tinha visto a hora passar.

Cheguei em casa com aquele monte de sacola e fui coloca-las no closet, a casa estava vazia, Mariah já tinha ido embora, Max nem sinal, Rafa deve ter ido ao aeroporto.... depois que guardei tudo vi algo novo no canto e então me lembrei que Max havia dito de uma jaqueta. Quando a peguei me apaixonei, era linda, de couro preto. Era perfeita. Sorrindo a guardei novamente e fui jogar Xbox na sala, não tinha dever de casa mesmo.

Fiquei jogando até umas 18:00, viciei no Counter Strike 3, e então Rafa chegou com Max.

– ficou mesmo a tarde toda ai? – Max perguntou se jogando no sofá de um lado e Rafa se jogou do outro

– não, fui no shopping com as meninas. – disse e dei pause – e voce? O que fizeram?

– eu busquei meus pais e deixei no hotel. – disse Rafa enquanto fazia cafuné

– eu fiquei olhando uns papeis de uma nova boate

– que horas é esse jantar?

– 20:00 – Rafa respondeu

– vamo jogaar – Max disse e ligou o Xbox rápido jogando uma manete para Rafa

– e eu?

– sobra – Max riu e me levantei com raiva

– pega essa manete e enfia no cu Max – me revoltei

– ai estressadinha. Calma – ele debochou

– eu sei um ótimo remédio – Rafa se levantou e correndo me levou pro quarto deixando Max de cara fechada na sala.

– qual seria o remédio? – perguntei quando ele fechou a porta do quarto atrás de nos.

– esse – disse e me beijou com vontade

(Ta não especifico essas coisas e tal porque vocês já imaginam o que teve né kkk)

Depois de uns 40 minutos estávamos deitados conversando atoa e então vou para o quarto me arrumar enquanto Rafa se arrumava também. Tomei um bom banho rápido, sai e me vesti apenas com o roupão e fui arrumar minha maquiagem e meu cabelo. Já eram 19:20 e estava com tempo frio, separei meu vestido, sapato e sobretudo. Peguei umas joias que havia trago por insistência de minha mãe e vesti tudo. O resultado final ficou perfeito. Tirei uma foto e mandei para minha mãe junto com uma mensagem de voz e desci para a sala.

http://www.polyvore.com/bia/set?id=103505154

– ual – foi a única coisa que Max disse quando me viu na escada

– eu sei que sou linda. Obrigada – sorri e fui para a cozinha

– ta linda, maravilhosa, gostosa – ele disse vindo atrás de mim

– acho melhor se afastar. E também ta lindo – sorri e me virei para ele que já estava na minha frente, me cercando na pia.

Vestia uma calça jeans escura, sapatos de couro, uma camisa rosa clara embaixo de um terno preto lindo. Cabelos com topete para cima, estava perfeito.

– eu sei que sou lindo e gostoso – se gabou e veio se aproximando ate que nosso corpo já estava colado.

– acho melhor não.... – sussurrei

– “sempre faça aquilo que mais te assusta” – ele disse como eu o disse e me beijou.

– O QUE É ISSO? SERIO GENTE? – escutamos uma voz atrás e rapidamente distanciamos.

– mas que porra, sempre tem gente atrapalhando – Max disse revoltado e saiu da cozinha.



Notas finais do capítulo

:x