Inocência escrita por Nameless


Capítulo 8
Capítulo 8


Notas iniciais do capítulo

Aqui está outro ! Espero que gostem e obrigada por acompanharem ! ^^

Qualquer erro é só falar.

Boa Leitura e divertimento ! ^^



"Espero que venha e acabe com meu sofrimento", pensou antes de deixar o loiro para trás.

(...)

Encontrava-se parado na mesma posição em que havia sido largado por Loki. Estava boquiaberto e surpreso demais. Precisava de explicações. Levantou-se e começou a correr sem um destino certo. De longe avistou alguém e pelas roupas julgava ser um Gigante. Gritou pela pessoa que virou-se e sorriu gentilmente. Era Idun. A bela mulher tinha semblante sereno, quase sem expressão e carregava consigo uma cesta cheia de maçãs. Thor sem perder tempo, abordou-a e afoito perguntou.

– Desculpe ser direto, mas você pode me explicar o que seria o poder de Seidhr?

– Vejo que estás com uma grande dúvida e preocupação jovem asgardiano. -Estendeu uma fruta ao loiro - Pegue.

– Não estou com fome. Só quero que me responda. -Tentou apressar.

– E eu não quero responder. Só quero que coma. -Retrucou sorridente. -Podemos conversar e deliciarmos, o que acha?

Ansioso e vendo que não teria alternativa, brutalmente pegou o que lhe foi oferecido em mãos e mordeu fortemente. Olhou-a na esperança de esta falar algo, mas antes de qualquer coisa sua visão escureceu e sentiu-se cair.

(...)

Loki chegou em casa e revirou seu baú a procura de algo. Estava lá, bem no fundo, enrolada com um tecido grosso. Desencapou-a e segurou fortemente. Estava na hora de algo acontecer. Andou bastante até a mais majestosa cabana de lá. Usou de seus poderes para invisibilizar o objeto e escondeu-o num arbusto. Vestiu-se de inocência e bateu na porta aguardando uns instantes até que fosse aberta.

– Heimdall, me ajude. - Pediu com semblante desesperado.

– O que houve? -Falou sem muitas alterações de expressão.

– Acho que tem um lobo por aqui. -Disse ofegante- Venha.

Puxou o grande homem até a parte de trás da residência e apontou para a um local um pouco mais afastado. Este foi até lá pronto para enfrentar algum animal raivoso, porém foi surpreendido por um golpe nos joelhos que o derrubou. Não conseguia se mexer, apenas consegui virar-se para cima e ver Loki segurando algo.

– É a G-gungnir. - Disse surpreso - Foi você que a roubou naquele dia?

– Claro. - Riu alto o moreno - Sem ela não haveria ritual, já que foi feita com Seidhr.

– Então sabe aonde está a pedra!? -Questionou arregalando os olhos.-

– Obviamente. E você vai falar para Odin aonde está e dirá para ele que farei a Thor o mesmo que ele fez com meus pais.

E assim aproximou-se lentamente de Heimdall, com fogo nos olhos.

(...)

– Pai! Mãe! -Gritava o menino desesperado entrando em um túnel subterrâneo feito de pedras. Tinha entrado no local após notar uma grande movimentação aos arredores e escutar o grande homem vindo de fora comentar com outro que havia aprisionado o casal lá.

Continuou sua caminhada que era iluminada apenas por uma tocha até encontrar os dois amarrados pelos pés, desnutridos e de olhar baixo. Correu até os mesmos que o receberam emocionados.

Abraços apertados, choro e palavras de amor ditas com desespero de quem se encontra sem saída.

– Por que? -Perguntou o garoto.

– Não há muito tempo filho, vou te falar o que deve fazer. -Falou o homem.

– Não papai! Eu vou tirá-los daqui! - Chorou tentando quebrar as correntes.

– Não! Não há tempo! Não para nós dois... - Entristeceu-se a mulher, abaixando a cabeça deixando os cabelos negros caírem em cascata.

– Olha para mim! -Novamente o homem falou, levantando o olhar do filho.- Sabes que a muito a Seidhr não é utilizada por causa dos sacrifícios. Matar para usar esse poder não é uma coisa boa, por isso nosso povo a aboliu. Quando você nasceu fomos até o oráculo para pedir sua sorte, pois como sabe, nasceu muito doente. Ele nos disse que não só sobreviveria como também iria possuir o poder de Seidhr. Fomos ambiciosos e perguntamos como teríamos isso e a resposta foi que precisaríamos da lança que foi dada a outro povo quando ainda éramos amigáveis uns com os outros. Fomos até lá e a pedimos ao dono, mentindo dizendo que partilharíamos o poder. Ele de alguma forma descobriu que era mentira e nos aprisionou aqui.

O menino ouvia a tudo atentamente.

– Você precisa tomar o poder para você. Faça o ritual. -Pronunciou a mulher- Roubamos a lança, chamada Gungnir. - Tirou de debaixo de um tecido e entregou ao filho - Você vai até o altar do Oráculo, derramar seu sangue e chamar Hela. E vai pedir para possuir todo o poder de Seidhr. E nunca contará para ninguém. Para quando morrer levar contigo o mal do mundo.

Um barulho fora ouvido. Alguém se aproximava.

– Vá Loki ! Agora! -Gritou o homem.

O menino abraçou os dois chorando muito e correu, escondendo-se. Um homem, o mesmo que havia visto, chegou perto dos dois.

– Primeiro dizem para mim que dividiriam o poder. Mentira. Depois mentem dizendo que o poder está canalizado numa pedra. E não me contam aonde. E agora roubam a Gungnir! - Gritou.- Não serei mais piedoso! Acabou para vocês. E como punição, a vida acabará para metade de seu povo. Sintam a fúria de Odin.

Disse e matou o casal. Atravessando uma espada no coração dos dois que estavam abraçados. O menino assistiu a tudo.

Thor acordou após o sonho, tudo parecia real. A dor, o sofrimento, a agonia. Olhou em volta e viu Idun junto de Sif.

– Querido, ela disse que te encontrou desmaiado na floresta. -A mulher se aproximou com um pano cobrindo a cabeça. - Que bom que está bem.

– Desculpe por preocupá-la. - Apertou a mão da moça.

Agora entendia tudo. O porque fruta, o sonho... Eram lembranças, lembranças de Loki. Ele estava certo, o moreno possuía o poder que seu pai tanto queria.

(...)

Heimdall andou cambaleante até a cabana que dividia com Odin. Chegou perto do mesmo que estava sentado em uma poltrona lendo, e disse sem rodeios.

– Sei aonde está a Seidhr.

– Ora, então diga. -Animou-se largando o livro de lado.

– Esta com Loki. A pedra é Loki, o poder é ele. - Disse ofegante- E ele está com a Gungnir também. E disse que vai fazer a Thor o que você fez com os pais dele.

Após terminar a frase, o homem caiu aos pés do Rei. Estava ferido mortalmente nas costas, com uma adaga cravada na parte de trás da cabeça.

(...)

Provavelmente já era de madrugada, estava perdido no tempo. Encontrava-se sentado numa pedra há mais de horas. Seu olhar petrificado e suas mãos cheias de sangue. Escutou um barulho de passos, mas não se mexeu. Não tinha forças. Lágrimas começaram a cair de seus olhos e sentiu ser abraçado por trás. Sabia quem era e permitiu-se desabar em choro.

– Estou cansado. S-sei que Idun lhe mostrou. - Virou-se e abraçou o pescoço do loiro, escondendo o rosto ali. - Quando ela te mostrou eu lembrei também.

– Shhh... Não fale nada. - Pegou-o no colo. - Desculpe por tudo que eu disse. Você já sofreu tanto não merecia ouvir aquelas palavras.

– Não fique perto de mim, posso não me controlar e te machucar de novo. -Soluçou - Eu não sou assim, sou bom eu juro! - Levantou o olhar verde ao outro.- Só queria esquecer de tudo, me sentir em paz.

– Não se desespere. - Beijou-lhe os cabelos - Quando estiver pronto, sei que me contará tudo, o por que de fazer as coisas que faz. - Acariciou-lhe o rosto. - E saiba que, por hoje, farei você só prestar atenção em mim e esquecer-se de resto. Essa noite será memorável, porque eu só planejava me divertir contigo, desde quando você roubou minha atenção com essa sua inocência peculiar.  Mas agora acho que está começando a roubar espaço no meu coração também.

"Devo estar ficando louco, pois confio em você cegamente". Pensou Thor levando Loki para a casa deste.



Notas finais do capítulo

Idun (ou Iduna) na Mitologia tomava conta das maçãs que davam imortalidade aos deuses.

Contando um pouco do passado de Loki. E Thor como sempre confiando muito.

Será que no próximo capítulo as coisas vão esquentar? hihi
Espero que sim.

Até a próxima. ^^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Inocência" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.