Inocência escrita por Nameless


Capítulo 9
Capítulo 9


Notas iniciais do capítulo

Olá! Tudo bem com vocês?
Gostaria de agradecer por acompanharem e comentarem.

Enfim, boa leitura e divertimento! ^^

Qualquer erro é falar nos comentários. Às vezes me sinto perdida.



"– Não se desespere. - Beijou-lhe os cabelos - Quando estiver pronto, sei que me contará tudo, o por que de fazer as coisas que faz. - Acariciou-lhe o rosto. - E saiba que, por hoje, farei você só prestar atenção em mim e esquecer-se de resto. Essa noite será memorável, porque eu só planejava me divertir contigo, desde quando você roubou minha atenção com essa sua inocência peculiar. Mas agora acho que está começando a roubar espaço no meu coração também."

(...)

Levava Loki em seus braços que estava visivelmente incomodado ao se dar conta da submissão. Havia pedido para ser colocado no chão diversas vezes, pois afinal, o orgulho ainda era grande. E na escuridão da noite sem luar chegaram na fachada da casa do moreno. Não tinham pensado que teriam pessoas em casa, parecia que seus planos estavam se frustrando.

– Calma. - Adiantou-se Loki, sendo posto no chão - Vamos fazer o seguinte, eu vou na frente e abro a janela do meu quarto e você entra, tudo bem?

Concordou. E assim fizeram. Ao entrar na cabana encontrou tudo escuro, com exceção do quarto de Laufey. Passou por este e viu o homem lendo na cama com apenas uma vela iluminando o local. Chegou perto da porta e avisou estar em casa e que se encontrava cansado, pedindo para não ser incomodado. Recebeu um boa noite como resposta e seguiu pelo corredor, passando por Tyr, apenas dizendo um "não me perturbe".

Sabia agora que ninguém iria os incomodar.

Ao adentrar em seus aposentos, iluminou o local e suavemente abriu a janela, fechando os olhos, sentindo uma brisa gélida lhe atingir a face e em seguida um braço circundar seu corpo. Tombou a cabeça para o lado apreciando os lábios macios de Thor roçarem pelo seu pescoço.

Não percebeu quando caiu em cima de um tecido grosso, mas sabia o que viria a seguir. Foi despido pelos dedos ágeis, com as pontas gélidas tocando sua pele causando arrepios incontroláveis. A sua face enrubesceu em vergonha, porém não gostava disso, sentia-se inferior e inseguro. Parecendo ler a mente do outro, o príncipe logo tratou disso o beijando com luxúria e sussurrando palavras obscenas que nunca havia ouvido. Estava diferente da outra vez, pois sentia na brutalidade nata de Thor, um cuidado quase de devoção.

Sentiu o ar faltar, ofegos e gemidos preencherem o ambiente, espasmos atingirem seu corpo na mesma intensidade que as carícias eram feitas, para logo a satisfação.

– Gostou? - Thor beijava-lhe os lábios que já estavam doloridos e avermelhados devido à força com que eram dados. - Depois de te ensinar tantas coisas boas, vou te mostrar o melhor. -Despiu-se também, recebendo dos olhos que antes transbordavam inocência, um magnetismo fatal e sedutor. - Quero que saiba que mesmo doa, mesmo que você se arrependa, não vou parar. Não sou capaz. Não com você aqui, entregue a mim.

– Não vou me arrepender. – “Não posso desistir” - Confio em você. – “Estou com medo” - Vá em frente. - Silenciou-se por uns instantes - Você já fez isso com algum outro homem?

– Não. -Falou suspirando- Tomarei cuidado. De qualquer maneira não se preocupe, não deve ser diferente de uma mulher. Com a exceção de que nenhuma delas se compara a ti.

O outro sorriu em resposta e fechou os olhos, dando espaço para Thor se posicionar. Errado, estar com um homem nada era comparado com as meretrizes que deitava, pois sem preparo algum, invadiu Loki com a mesma força que fazia com Sif, ouvindo gritos abafados e um choro em resposta. O loiro estava pronto para interromper o que fazia, mas foi impedido pelas pernas de moreno.

– A dor causada pelo amor vale a pena. - Falou pegando a mão de Thor passando pela cicatriz - São dores que vão além da pele, mas que trazem a sensação única que você não entenderia...

Thor abraçou o moreno escondendo seu rosto em seu pescoço. Havia se lembrado do que Idun lhe mostrou.

– A partir de hoje, passo a entender. Por você e com você.

E a dança ritmada ganhou lágrimas de ambos os olhos. As linha que os ligavam dava um nó inseparável.

(...)

Brincava com os cabelos loiros espalhados pela pele grossa em que repousava. Acordou primeiro que o outro, estava feliz, com dor e aliviado.

Percebeu uma presença atípica no cômodo.

– Hela... O que quer? - Subiu o olhar.

– Está chegando a hora. Prepare-se. -Dito isso, desapareceu.

O gigante levantou-se e vestiu-se, pegando a Gungnir e sentando em cima do baú. Estava atordoado. Realmente como havia sido prometido, esqueceu-se de tudo por algumas horas, mas agora a tranquilidade passara. Uma vontade quase incontrolável de ferir, derramar sangue, sentir a agonia profunda que só a morte proporciona, reinava absoluta em sua mente. Após Heimdall constatou que não conseguiria mais se segurar.

Precisava acabar logo com isso.

Poucos minutos de espera foram o bastante para escutar passos e gritaria. Logo a porta foi esmurrada e Odin entrou esbravejando.

– Maldito! Já mandei seus pais para o inferno e agora vou mandar você! - Disse e percorreu o cômodo com os olhos vendo o filho deitado nu, apenas coberto com um lençol. - O que fez com Thor!? -falou agachando perto do deste e o sacudindo, vendo-o acordar assustado diante de tudo que acontecia.

– O que significa isso? - Laufey também entrou no quarto acompanhado por Tyr.

– Achei que nunca viria. -Pronunciou Loki.- Sem mais rodeios, admita que perdeu. Sua ganância não foi suficiente dessa vez. Você nunca terá o poder de Seidhr.

Num rompante, o Rei de Asgard levantou-se e correu até o moreno, porém foi surpreendido com um golpe desferido da Gungnir em seu olho, cegando-o instantaneamente. Gritou e caiu de joelhos tentando estancar o sangramento com as mãos.

– Loki! O que você fez? -Disse Thor correndo até o pai.

- Desculpa vossa majestade, é algo pessoal. -Respondeu e rapidamente foi até a janela jogando metade do corpo para fora. - Agora vou terminar o serviço que comecei em Sif. O sangue dela deve ser melhor que o desse fraco. E quietos aí, senão faço o mesmo que fiz com Tyr e corto-lhes o corpo. -Gargalhou satisfeito vendo o olhar de espanto de todos, principalmente de Laufey.

(...)

– Só espero que Thor não demore, o coitadinho já cedeu.

– Freya, nós sabíamos que isso aconteceria. O destino dele era se afundar em seu próprio Ragnarok. -Falou Idun, assistindo a fuga do Gigante.

– O trato era esse. Receber todo o mal de Seidhr em troca de selá-la em seu corpo e sucumbir a ele antes de descansar em paz nas mãos daquele que ama.

– Sim, e Hela ainda foi boa em oferecer paz a pobre alma dele.

– Mesmo assim... Me apeguei a ele. Que destino cruel.

– Realmente. - Riu - Cumpri minha parte do acordo e ainda fiz muito de contar-lhe o desfecho de sua história. Agora sabe que tudo está ligado e usará isso a seu favor.

– Coitado daqueles que tem suas linhas cruzadas com a dele. -Freya concluiu.



Notas finais do capítulo

Está acabando. :D
Revelações e mais revelações.
Fique na dúvida de qual olho Odin perdeu, então não especifiquei.

Até a próxima! ^^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Inocência" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.