Inocência escrita por Nameless


Capítulo 2
Capítulo 2


Notas iniciais do capítulo

Aqui está outro capítulo. Obrigada a todos que estão acompanhando. Qualquer erro é só falar.

Boa Leitura. ^^



– Quer dizer que quando você foi cortar a árvore ela não existia e você se desequilibrou e caiu batendo a cabeça? Nunca ouvi uma história tão improvável !

Loki ouvia de longe os dois argadianos conversando, eram Thor e Hogun. Estava encostado numa grande árvore no meio da pequena floresta que existia ali. Se sentia cansado porém feliz, elaborar tantas peças para pregar desgastava-o. "Provavelmente acham que foi magia negra", pensava. O Reino de Odin acreditava fielmente de Jotunheim praticava rituais de Feitiçaria e estavam meio certos, errando apenas de no sentido de que era ela usada apenas para o bem e não para rituais maléficos como pensavam. Mesmo assim, há muito que não é registrado o uso desta, mas não significava que havia se extinguido. Loki era a prova viva e provavelmente única. Fora este que causou todos os acidentes. Ele que tinha se transformado em cavalo para morder Volstagg; enganado Hogun com a ilusão da árvore e ferido Thor com as rochas. Não conseguia aceitar o que estavam fazendo com seu povo, por isso usava de tal magia, chamada Seidhr*. Mesmo que soubesse das consequências do uso e da forma como fora conseguida. Continuava observando escondido as atitudes infantis dos dois com ar de reprovação. As brincadeiras, os risos, tudo. Desencostou-se do tronco quando viu algo estranho entre os dois. Não sabia ao certo do que se tratava e isso fazia se sentir inseguro, por este motivo resolveu interrompe-los.

– Vocês não tem nada melhor para fazer do que ficar brincando ? -Disse aproximando-se dos asgardianos.

Sentindo o tom de hostilidade, Hogun decidiu ir e deixá-los mas não antes de desejar boa sorte ao amigo que ficara ali. Loki sentou ao lado do loiro num pedaço de árvore recém cortado. Seu corpo estava formigando e uma sensação estranha lhe tomando a pele. Começou a encarar o outro, como se isso fosse lhe dar as respostas.

–O que foi? -Perguntou Thor se sentindo incomodado com a súbita atenção.

– Nada. - Hesitou o moreno - Bem... o que vocês estavam fazendo?

– Fazendo uma disputa particular.

– Brincando quer dizer. Me refiro ao que fizeram em seguida.-Disse com a curiosidade lhe aflorando a pele.

–. .. Nos abraçar?

– Abraçar? O que é isso?

– Está falando sério? - Perguntava o príncipe, não segurando a risada.

– Ao contrário de vocês asgardianos, nós não somos infantis e não ficamos por aí trocando contato. -Respondeu e num rompante, uma ideia lhe veio a cabeça. Loki levantou correndo, deixando o outro para trás falando sozinho.

Correu como há muito não fazia, passando por diversos conhecidos, pulando galhos, rochas e poças. Tinha uma ideia em mente e uma pessoa em quem confiava.

–Tyr! Tyr! - Gritava em euforia quando encontrou o amigo carregando toras.

–O que houve? - Respondeu com sua voz grave, soltando os pedaços de madeira. Era um homem alto e forte para os padrões dos Gigantes de Gelo. Possuía uma barba negra como a noite que se misturava com os cabelos da mesma cor.

Loki havia mentido quando disse a Thor que seu povo não trocava carícias. Antes do massacre sempre via todos dessa maneira, trocando carinhos à noite em volta da fogueira enquanto cantavam músicas de seu folclore. Fechou os olhos pois tinha vontade de fazer, mas não sabia como e ainda com certo receio esticou os braços e envolveu Tyr, desajeitadamente.

– O está fazendo?

– Abraço.

– Abraço? -Arqueou uma sobrancelha.

– Sim. Fique quieto e me deixe fazer. - Ordenou apertando-o ainda mais. Sentia-se terrivelmente frustrado, pois não estava sendo correspondido.

– Er... Loki, não estou te entendendo. -Dizia rindo- O que seria isso?

– Ah, desculpe. Eu vi os asgardianos fazendo isso e queria saber como é. - Revelou frustrado- Mas você não sabe fazer.

– Não acredito que você se interessa por eles! -Gritou furioso soltando-se de Loki- Não, não, não! Poupe-me das suas desculpas. Sempre soube o quanto você gosta de brincar com o perigo. Se quer um "abraço", vá e peça a um deles. - Disse sarcástico com uma postura séria e irritado.

Loki, para evitar discussões, virou-se e caminhou furioso batendo os pés ao mesmo tempo que a ideia lhe passava pela mente. "Abraçar um asgardiano? Nunca! Ou... Não, não. Não posso". Mas Tyr estava certo, apesar de odiar profundamente aquele povo, nutria uma curiosidade não saudável sobre estes. Seus devaneios logo foram interrompidos. Ouvira um barulho, estava sendo seguido.

(...)

Thor viu a tentativa frustrada de Loki de abraçar o filho de Laufey e não se aguentou de rir, era hilário. E após presenciar o princípio de discussão e a saída esbravejada do moreno, colocou-se a segui-lo novamente. Após alguns minutos o acompanhando acidentalmente pisou num galho seco. "Droga". Escondeu-se e viu o outro virar e ficar em alerta e não pode evitar ficar tenso. Apesar de ter a certeza de que ganharia deste se houvesse um combate corporal achou melhor se identificar logo para evitar problemas.

– Não se assuste, sou eu Thor. - Revelou saindo de trás de uma árvore.

Loki pareceu surpreso e por um momento ficou estático como se pensasse no que fazer a seguir.

– Por que estava me seguindo ?

– Eu só queria falar contigo. -Disse inventando um motivo.

– Sobre o que ?

– "O que direi ?"– Pensou. Sem muitas alternativas respondeu aquilo que lhe veio a mente primeiro.- Sobre o abraço. Desculpe, não pude evitar de ver você tentando abraçar Tyr. - Disse rindo gostosamente - Foi meio patético.

–Pare! Não tenho culpa se não sei fazer isso. -Disse envergonhado, porém mantendo a postura séria.

–Ora, não por isso. Eu posso te ensinar. -Sugeriu sorrindo largamente.- Se bem que deveria ser algo natural não acha?

–Isso é coisa de seu povo. - Disse tentando parecer bravo, porém sua vontade falou mais alto. Virou o rosto e fechou os olhos. -Bem, vamos logo, faça. -Ordenou tentando parecer autoritário.

–Claro, claro. -Riu o asgardiano.

Thor passou os braços por debaixo dos de Loki e apertou-lhe. Foi retribuído quando o moreno agarrou-se levemente em seu pescoço. Aproveitou-se de sua vantagem na altura e reparou nos detalhes do nativo. Pode reparar como seus cabelos brilhavam e como seu corpo era esguio. Sentiu uma sensação ótima percorre-lhe o corpo e pode ver que era reciproco pois Loki relaxava em seus braços e respirava contra seu pescoço. Não durou muito mais tempo pois o menor desmanchou o ato.

– Er... Obrigado. Mesmo.

– Não precisa agradecer. -Disse levando a mão até o rosto de Loki passando os dedos por sua bochecha, este que por sua vez mantinha o olhar baixo.-. Sempre que quiser é só me pedir. Adorei fazer isso contigo.

– Sério?

– Sim.

Continuava a acariciar o outro sentindo sua pele macia, e ao subir mais um pouco o polegar pode notar um leve relevo no rosto do outro. Afastou minimamente os cabelos deste e viu o que parecia ser o início de uma cicatriz. Loki elevou os olhos para Thor que ficou fascinado, era a primeira vez que encarava o par de esmeraldas sem nada interferindo. Saiu do transe quando o moreno afastou-se e cobriu novamente o rosto com as madeixas.

– Obrigado novamente e não ache que por isso agora somos amigos. -Respondeu sério retomando a postura. Se foi deixando o príncipe confuso e estranhamente feliz.



Notas finais do capítulo

*Seidhr é um tipo de magia/bruxaria que era usada por nórdicos, muitas vezes em cultos pagãos.

Até a próxima ! ^^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Inocência" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.