Os Homens De Nossas Vidas escrita por Sansan


Capítulo 12
Hora da revolta


Notas iniciais do capítulo

Olá, queridos leitores!
Faz um tempinho que não posto, não é mesmo?
Sinto muito, tenho ficado - como sempre - muito ocupada fazendo vários relatórios de eletrônica, os quais posso comparar a um porre.
Vamos ao texto, que conta a raiva que Nina sente.

Boa leitura!



São Paulo, 06 de junho de 2013

Queridas,

Depois de um tempo sumida, volte-me à vocês, sem nenhuma novidade em relação ao meu príncipe encantado. Na verdade, estou a ponto de desistir, afinal, meu foco agora é a faculdade, estudar. Quer saber? Desisti. E decidi isso agora! Cansei de ficar esperando por algum cara que possa ser diferente.

Dizem a mim: "Você fica procurando, por isso não encontra!", porém isso não é verdade. Em momento algum eu deixei de viver a minha vida, mudei os ideais que acreditava só para encontrar alguém especial. Acredito que haja alguém feito para mim, que seja diferente para mim, e não para as outras pessoas. Entretanto, acredito ter o direito de querer ter um parceiro, um amigo.

Então, tomo uma decisão neste momento, de forma um pouco impulsiva, mas com certeza de que não me arrependerei do que digo: Eu não quero mais!

Não quero um príncipe, não quero um namorado, não quero ninguém. Quero dinheiro, chocolate, baladas, livros novos e somente isso. Posso parecer um tanto revoltada, só que eu cansei. Novos focos agora!

Eu só gostaria de ser surpreendida pela vida, por algo fora de série. Queria algo arrebatador, sentir algo paranormal. Comprei um novo livro, "O céu está em todo lugar", de Jandy Nelson. Ando gostando muito dele, e por algum acaso encontrei uma ótima definição para como estou me sentindo no momento: "É exatamente isso, estou loucamente triste e, em algum lugar lá no fundo, tudo o que eu quero é voar."

Essa frase foi um tanto arrebatadora. E correta, é claro! Sinto-me presa por não sentir nada de especial, sinto-me presa porque não vivo nenhum momento diferente. Sinto-me decepcionada porque nada mais me surpreende, nada mais é novo. 

Eu quero novas asas, novas aventuras, eu quero é voar! Voar para bem longe daqui, como se eu fosse mais do que pareço ser. Ir até ao sul dos meus sentimentos, ir até o infinito, e creio que quando eu chegar lá, encontrarei o que realmente é o amor.

Beijos revoltados,

Nina



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado, e se me permitem dizer, esse capítulo tem muito do sentimento da Duda. Eu sou uma pessoa intensa e não vivo pela metade, o que me causa ansiedade ao extremo. Mas sou muito diferente da Nina, eu não acredito no amor.
E.. Depois dessa seção desabafo...
Sobre o livro citado no texto, leiam! É incrível, fora de série! Eu sou apaixonada por ele.
Termino esse capítulo com um pedaço do livro muito bonito:

"Como vou sobreviver a esta saudade? Como os outros fazem? As pessoas morrem o tempo todo. Todo dia. Toda hora. Há famílias no mundo olhando para camas em que ninguém mais dorme, para sapatos que não são mais usados. Famílias que não precisam mais comprar um tipo específico de cereal, de xampu. Há pessoas em todo lugar na fila do cinema, comprando cortinas, passeando com cachorros, enquanto, por dentro, com o coração despedaçado. Durante anos. A vida toda. Não acredito que o tempo cura."



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Homens De Nossas Vidas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.