Back to Start (em hiatus) escrita por asthenia


Capítulo 3
II — Por que você?


Notas iniciais do capítulo

Oláá gente! Como eu prometi, estou postando a fic hoje! Espero que continuem acompanhando! Estou amando todas as reviews que vocês deixam :)
Espero que gostem do capítulo ;)



 

Remembering you running soft through the night

You were bigger, and brighter, and whiter than snow.

Screamed at the make-believe, screamed at the sky

And you finally found

All your courage to let it all go.”

"Lembrando de você correndo delicada pela noite

Você era maior, e mais brilhante, e mais branca que a neve.

Gritava como faz-de-conta, gritava para o céu

E você finalmente encontrou

Toda sua coragem para deixar tudo ir."

( Pictures Of You – The Cure )

.

Era escuro, e a noite parecia ser um manto negro que cobria Konoha. A sombra que saia detrás das árvores percorria todo lugar com uma rapidez inigualável, onde seus pés mal tocavam o chão.

— Está lá! Corra mais rápido! – gritava o ninja de bandana da Aldeia da Folha, enquanto apontava para aquela sombra, que sumia e aparecia naquela escuridão.

De repente, como um sopro de vento que vai para longe, a sombra sumiu. Os dois shinobis, Hiroaki e Ichiro olhavam em volta a procura da sombra que havia invadido Konoha e sumido no meio da floresta. Continuavam estáticos, impressionados com a rapidez e habilidade daquele invasor, que provavelmente era algum shinobi de alto nível.

— Eu... Eu não acredito... – arfava Ichiro, cansado daquela correria, buscando fôlego – ele fugiu de novo...

—/-

O dia seguinte, após clarear todas as sombras que a noite trazia, já dava a Konoha uma aparência melhor. Os comerciantes, shinobis e donas de casa, saiam pela rua, sinalizando que a cidade já estava de pé. Do alto, atrás da grande janela em que Naruto via Konoha com clareza, os altos tons de voz invadiam a sala. Sim, ele havia herdado algumas práticas de Tsunade-sama...

— DE NOVO? – gritava com os dois shinobis, que permaneciam com as suas mãos para trás.

— Hokage-sama, nós mal vimos quem era! Só vimos uma sombra e...

— Tá, tá, eu entendi, 'ttebayo... – respirou fundo – vocês já podem ir.

Ichiro e Hiroaki saiam da sala de cabeças baixas, e o loiro continuava a olhar aquelas duas figuras, aparentemente sujas e tristes. Antes que fechassem a porta, Shizune entrou na sala, e encontrou um Hokage um tanto bravo, que bufava depois de jogar o relatório em cima da sua mesa.

— Aconteceu alguma coisa, Hokage-sama...?

— Não, esse é o problema, não aconteceu DATTEBAYO!

Antes que ela pudesse perguntar o que havia de errado, o loiro sentou-se na cadeira. Aquilo estava errado, totalmente errado, e Shizune conhecia bem o temperamento dele para saber que não ia ficar assim por muito tempo.

— É a terceira vez no mês, Shizune, TERCEIRA VEZ! Esse shinobi, ou sei lá o quê, entra em Konoha e ninguém vê esse cara!

— Mas o que ele vem fazer aqui...?

— Eu não faço ideia! – ele se levantou e começou a andar de um lado para outro, enquanto coçava a cabeça, freneticamente.

Já havia um tempo em que Shizune queria tocar naquele assunto, mas sabia bem que era delicado demais e até intromissão da sua parte falar sobre aquilo. Mas ela sabia que cedo ou tarde aquele assunto viria à tona.

— Hokage-sama... – disse, aproximando-se dele- acho que você devia chamar ninjas mais qualificados para esse tipo de investigação...

— Shizune. – Disse ele, interrompendo-a, tendo conhecimento do assunto do qual ela iria mencionar. – não é necessária a intervenção deles.

— Eu entendo a sua situação, Hokage-sama. Mas você sabe que na Reunião do Conselho amanhã, eles vão falar sobre isso...

Naruto a olhou, e no mesmo instante se imaginou em qualquer outro lugar que fosse longe daquela situação. Não se tratava do invasor de Konoha, dos relatórios bagunçados sobre a sua mesa, e muito menos sobre a movimentação lá fora. Ele só não entendia essa insistência, essa relação que tinha que manter com o Clã Hyuuga. Havia outros ninjas em Konoha tão qualificados quanto os aqueles que dominavam o Byakugan.

— Eu sei, dattebayo.

—/-

No quarto mal iluminado e de janelas fechadas, Sakura continuava no canto, com os olhos ao longe. O papel amarelado que suas mãos seguravam, agora eram úmidos devido as suas lágrimas que não paravam de escorrer de seus olhos. Era surreal. Só podia ser. De todos os pesadelos que tivera, aquele era o que mais se prolongava, como se o sono fosse uma vida em si. E na verdade, não havia nada de sonhos ou ilusões em tudo aquilo. Sasuke era um pesadelo real, tanto um pesadelo quanto desejo, que se instalara há muito nela. E esse desejo, pesadelo, encheu seu coração de angústia, quando descobriu que agora carregava o último Uchiha vivo, além de Sasuke, no ventre. Já havia chorado demais, e se aprofundado naquela tristeza. Devia sair dali, e procurar uma solução para tudo aquilo, alguma coisa que a amparasse, ela e o seu futuro filho. Ela via a si mesma, dizendo uma loucura, recheada de verdades, a aqueles que a amavam e que a conheciam. O último Uchiha, filho de Sasuke e dela. Era anormal e mais surreal ainda, viver e conviver com aquilo. Não seria um período, seria uma vida inteira!

Continuou a chorar, a sentir seus olhos arderem. Sua respiração foi ficando um pouco mais leve, à medida que se levantava. Chorar e lamentar não seriam o suficiente, e muito menos mudaria a realidade. Olhou para si mesma no espelho, e passou as mãos sobre o cabelo, deixando os fios arrumados. Respirou fundo antes que saísse do quarto e fosse para a rua.

Já sabia o que devia fazer, ou pelo menos tinha uma idéia. Não deveria ficar ali, deveria sair e ir até ele, tomar conta de si mesma e do futuro que carregava! O sofrimento não era pouco, mas confortar-se dele era pior ainda, agora mais que nunca que não se tratava apenas dela. Ia em direção à vila Uchiha, com passos rápidos e curtos.

— Sakura! – uma voz masculina gritava seu nome, antes virasse a esquina em direção ao seu destino.

Quando olhou para trás, viu que era Rock Lee. Estava com seu sorriso largo em exagero, e diferentemente do que costumava vê-lo, parecia um pouco mais elegante.

— Oi Lee-san...- disse, pedindo internamente que o jounnin não desconfiasse para onde a rosada estaria indo.

— Eu estava te procurando! Fui ao hospital e fiquei sabendo que você não foi trabalhar hoje... Está tudo bem?

Sakura permaneceu calada, até pensar em alguma desculpa que pudesse dar a ele, sem que desconfiasse da situação. Ele a observava atento, e por esse motivo, tinha medo que talvez ele percebesse qualquer deslize.

— Estou sim, arigatou – disse, fingindo um sorriso - só estava indisposta.

— Então, já que não está mais – Rock Lee a pegou pela mão e saiu arrastando, daquele seu jeito espalhafatoso, a frágil Haruno. – vem almoçar comigo!

Sakura não teve tempo de argumentar, ou de pensar em alguma coisa que pudesse dizer a ele, tentando fugir daquela situação. Mas sabia que cedo ou tarde, iria ter que tratar desse assunto, antes que visse a si mesma angustiada no canto escuro do quarto.

Mal sabiam os dois, que acabavam de sair em direção ao Ichiraku Ramen, que Sasuke estava prestes a virar a esquina. Mas isso não tinha impedido que o mesmo assistisse à curiosa cena, em que Sakura saia de mãos dadas ao aprendiz de Gai-sensei. Ele olhou, e viu uma menina que parecia frágil sendo levada por aquele rapaz, como se fossem íntimos demais para aquele tipo de atitude. Assim seria melhor. Era estúpido poder viver uma mentira que ele próprio havia criado.

—/-

Seus passos chegaram rápido até aquela sala. Estava não muito clara, mas Naruto sabia muito bem que estava habitada, por mais que o clima não estava lá dos melhores. Ele entrou, disse "Ohayou Gozaimasu" com uma formosa reverência. Logo após, ouviu algum sussurro, mas nenhuma resposta ao seu "Bom Dia". Sentou-se na mesa, onde tantos outros estavam sentados. Os seus olhos percorreram a sala, e ele pôde constatar que estavam todos os integrantes do conselho ali, sem exceção. O dia lá fora continuava o mesmo, enquanto naquela sala, os assuntos de maior importância seriam tratados. Aquela era a Reunião do Conselho.

Cada qual ali estava não só o avaliando, como também prontos para consertar, senão todos, a maioria dos defeitos e das frestas deixadas sobre o modo de governar do Hokage. Era incrível. Cada vez que ele entrava naquela sala, mesmo que garantissem que era o melhor de todos que haviam sido governantes de Konoha, um arrepio percorria sua espinha, involuntariamente. Ele se sentou sobre uma das cadeiras até que os outros começassem a tratar dos urgentes assuntos que ali o traziam.

Um homem de idade já avançada, de olhos fundos e aparência não muito amigável, moveu-se na cadeira.

— Hokage-sama, antes de qualquer coisa – disse o velho Satoshi com seus olhos expressivos e fundos – gostaria que nos explicasse essas invasões.

Naruto inquietou-se por um momento e observou a feição de cada um. Parecia até que não estava ali como um membro importante do parlamento, mas sim, só mais um para ser avaliado. Ele respirou fundo, e disse calmamente:

— A segurança está sendo redobrada, Satoshi-senpai. Estamos...

— Não é disso que ficamos sabendo, Hokage. – ao canto, outro senhor, de aparência mais rude e rústica, deixava sua voz grossa encher a sala – que ninjas você está enviando para a segurança? Eles possuem algum diferencial?

— Estão em alto nível de treinamento.

— Hokage-sama – o senhor saiu da escuridão e olhou nos olhos de Naruto, que o encarava – não estamos precisando de alto nível de treinamento. O conselho veio hoje, quase que exclusivamente, informar que um novo chefe de segurança será implantado.

— Se assim quiserem, Akio-senpai, tenho ótimos Jounnis que estão preparados para o cargo. – Naruto respirou, soltando o ar pesado que se instalara no seu pulmão. Cada vez o clima parecia dificultar a sua respiração.

— Não pedidos a sua indicação, Hokage. Temos experiência com isso, e você é novo aqui. O clã Hyuuga será o responsável pelo novo departamento de segurança de Konoha. Como você já deve saber - Satoshi-senpai tomou a palavra, calmamente – pelos últimos resultados, o clã Hyuuga parece estar ainda mais forte, principalmente os da Bouke. Está certo?

Um silêncio de poucos segundos encheu a sala, e Naruto pensava rapidamente em alguma resposta. Tinha que concordar. Não havia outra maneira. E, respondendo friamente, respirou mais uma vez, e soltou de imediato:

— Está certo.

—/-

Hinata havia visto o sol nascer naquela manhã. Passou uma noite em claro, e já estava se acostumando a isso. Até porque, quando dormia, sonhava. E preferia se apegar a seus pensamentos, do que ao que sonhava. Era bem melhor.

Enquanto olhava o espelho e via sua imagem cansada, lembrava-se das diversas tarefas que o dia estava disposto a lhe oferecer. Não que quisesse fazer, mas preferia ocupar sua cabeça, a se distrair com outras coisas. Os seus cabelos agora sempre estavam presos. Fazia tempo que não saia do seu quarto com ele solto, cobrindo as costas, como costumava usar antes. Seu pai havia lhe dito que o feminismo exagerado não caia bem a herdeira Hyuuga, e que daí em diante que andasse sempre com cabelos presos. Fez um coque rápido e continuou se olhando ao espelho. Seu pai não sabia, mas já fazia um bom tempo que não se sentia uma mulher em si, sentia apenas que era uma Hyuuga.

— Hinata-sama? – uma voz feminina vinha do lado de fora de sua porta, seguido de uma batida – chegou uma coisa para você esta manhã.

Hinata abriu rapidamente a porta e Akami, uma fiel moça que trabalhava na mansão Hyuuga, apresentou-se com uma reverência. Hinata lhe retribuiu a reverência, antes que Akami desse a ela um pergaminho.

— Isso é para você Hinata-sama. Com licença.

Akami saiu rapidamente, e Hinata fechou a porta atrás de si. O pergaminho era de uma cor diferente e estava lacrado. Era algo que estava em sigilo. Hinata se sentou na cama e olhou curiosa, antes de abrir.

O pergaminho continha algumas palavras, e uma assinatura que causou um pouco mais de espanto na herdeira Hyuuga.

Senhora Hyuuga,

É de maneira respeitosa e, acima de tudo, honrosa, que lhe venho solicitar a uma reunião de extrema urgência. O assunto é confidencial, mas posso adiantar que é sobre a importância e influência do clã Hyuuga sobre Konoha. A reunião será amanhã, às 10h30 da manhã.

Atenciosamente o Hokage de Konoha,

Naruto Uzumaki.





Notas finais do capítulo

Próximo capítulo vou tentar postar na semana que vem já!
Até a próxima! ;D