Better With You escrita por Holliday


Capítulo 7
Cupido em Greve


Notas iniciais do capítulo

Heey meus anjinhos lindjos e maravilhosos, como vão? Espero que gostem desse cap porque mesmo que seja meio triste foi o meu favorito até agora (e o maior também) As notinhas finais de hoje estarão maiores porque eu esqueci de falar muita coisa no capítulo passado hihi
Vai ter uma hora que eu vou pedir para vocês colocarem uma música, mas não precisam ficar repetindo a música ook? haushuash



Desci as escadas do dormitório masculino, tentando ao máximo não ser vista na Sala Comunal, que por algum milagre de Merlin não estava assim tão lotado.

Ao menos caso alguém viesse me interceptar com perguntas eu poderia facilmente responder que é algo sobre as tarefas de monitora. Claro que eu já deveria saber que não poderia responder isso para todas as pessoas.

Entrei no meu dormitório e as ditas cujas, mais conhecidas como minhas melhores amigas, estavam sentadas em suas respectivas camas, me encarando com as sobrancelhas arqueadas.

- O que foi? - perguntei inocentemente como se não soubesse o que elas queriam saber.

- Não se faça de sonsa dona Lílian! O que você ficou fazendo a noite toda no dormitório do Potter?! – Lene perguntou ríspida e meio histericamente.

- Ele estava me ajudando em Transfiguração, eu estava com sono, e acabei dormindo – respondi dando de ombros.

- Por que ele não te trouxe para a Sala Comunal? Poderíamos ter carregado você até sua cama – Alice perguntou ainda meio desconfiada, frisando a palavra “sua”.

- É do Potter que estamos falando, acha mesmo que ele iria me largar assim, sem mais nem menos? Ele apenas me colocou para dormir lá mesmo, só isso – eu respondi pegando minha toalha e entrando no banheiro, logo em seguida trancando a porta impedindo que elas fizessem mais perguntas.

- Ficamos preocupadas – ouvi a voz de Dorcas abafada contra a porta, e eu sorri, sorri agradecida por ter melhores amigas tão fiéis, tão engraçadas e dedicadas como elas.

- Ele nunca me faria mal – fiquei surpresa pelas palavras terem saído tão facilmente da minha boca.

~***~

Hoje o café da manhã parecia ter sido feito exclusivamente para mim. Havia panquecas, ovos fritos, suco de laranja além do delicioso cheiro de bacon impregnando o ar.

Eu estava faminta e comia sem medir a quantia de comida que eu colocava em meu prato.

Ouvimos gargalhadas contagiantes e nem foi necessário olhar para a grande porta de carvalho para saber que eram os Marotos que chegavam para tomar café.

- O jogo de Quadribol é amanhã Lírio – ele sussurrou próximo ao meu ouvido fazendo com que meus pelos se eriçassem.

- Você ainda tenta James? Acha mesmo que essa cabeça ruiva vai ir assistir ao jogo? - Lene perguntou mastigando de boca aberta. “Tenha bons modos” Dorcas disse exasperada dando uma cotovelada na costela da amiga.

- Eu vou – respondi dando de ombros como se não fosse nada demais, fazendo com que todos, menos James, ficassem extremamente perplexos enquanto me encaravam.

Lene até mesmo engasgou e Dorcas teve que dar tapinhas em suas costas.

- Você vai mesmo? - Alice, a primeira a sair da perplexidade, perguntou.

- Sim, é a condição por Potter estar me ajudando com Transfiguração – novamente eu dei de ombros e todos pareciam digerir a informação.

~***~

A aula de História da Magia estava demasiada entediante, tanto que até mesmo eu, sim Lílian Evans, estava dispersa da aula.

Lene estava quase roncando ao meu lado, e todos os outros alunos pareciam estar no mesmo estado hipnótico.

Eu fazia rabiscos em um pergaminho qualquer esperando a aula terminar. Por que estava fazendo rabiscos quaisquer? E por que eu tinha a impressão de que eles tinham algum significado?

A aula finalmente terminou e eu tive que ficar cutucando Lene, parecia até que estava desmaiada e não cochilando. Ela acordou meio desnorteada como se não soubesse onde estava e bocejou logo em seguida.

Ela arregalou os olhos quando os colocou no pergaminho que eu estava rabiscando e arrancou ele de minhas mãos sem pedir permissão. Nesse momento Dorquinhas já estava parada impaciente ao nosso lado esperando que fôssemos logo embora.

- Veja isso Dorcas, veja isso! – Lene gritou passando o pergaminho para as mãos de Dorcas.

Esta teve a mesma reação da amiga. Os olhos arregalaram-se tanto que eu podia jurar que por pouco eles não saltavam das órbitas. Eu não estava entendo pacas, era apenas rabiscos, o que isso tinha de tão demais?

- Qual é o problema com vocês duas? Eu estava apenas rabiscando...

- Você chama isso de rabiscos? - Lene perguntou arqueando consideravelmente as sobrancelhas.

- Quando se faz riscos quaisquer em um pergaminho, sem qualquer objetivo, eu chamo sim de rabiscos – respondi irritada.

- Não é o caso Lily. Vire o pergaminho, dê uma distância e olhe bem para os “rabiscos” – Dorcas me instruiu e assim o fiz, ficando tão assustada quanto minhas amigas.

- Impossível – eu murmurei – de qualquer forma, devo ter feito isso sem nenhum motivo em particular...

- Se desenhou isso sem nenhum motivo em particular, aposto que não irá se preocupar nenhum pouquinho caso James veja isso – Lene disse provocadora, arrancando novamente o pergaminho de minhas mãos e saindo correndo.

Certamente eu saí correndo atrás dela, não permitiria que ela entregasse aquele pergaminho para o Potter. Talvez com sorte eu conseguisse pular em cima daquela que eu costumo chamar de melhor amiga, e pegar o pergaminho de volta ateando fogo nele imediatamente.

Mas claro que com o meu azar, Potter estava parado com os seus amigos no fim do corredor.

Lene apertou o passo e eu também. Os garotos já olhavam confusos para nós duas e eu não deveria estar com uma cara muito boa.

- Não escute o que quer que ela diga! – berrei para ninguém em particular, sabendo que não conseguiria alcançar Lene a tempo.

Lene esbarrou com força no Potter sem querer parar com sua corrida até que o pergaminho já estivesse em suas mãos.

- Foi Lily quem fez – a traidora disse sorrindo.

Os olhos de Jam... Potter brilharam intensamente, destacando mais o esverdeado de seus olhos, um sorriso foi estampando seus lábios em um processo lento. Eu estava arfando, e corada, mais corada do que arfando.

Três cabeças curiosas surgiram atrás dos ombros de Potter e assim como ele, o restante dos Marotos ficaram maravilhados.

- Por que fez um desenho meu, Lírio? - ele perguntou tentando controlar sua felicidade.

- Para jogar uma praga mais tarde.

- É mentira James, ela mesma não sabia que tinha te desenhado até eu ligar os pontos do seu “rabisco” – Lene disse e o sorriso de James alargou mais ainda, isso se fosse possível.

- Droga Lene! Não era para ter dado o pergaminho para ele! – eu berrei meio emburrada, meio irritada.

- Se quisesse mesmo que James não tivesse visto o desenho, teria se esforçado mais – Sirius murmurou acusadoramente.

- Por algum acaso você não viu como eu estava correndo aqui? - perguntei apontando em direção ao corredor.

- Você poderia ter usado o accio – ele disse vitorioso e todos deram risinhos.

- É que ás vezes eu simplesmente esqueço que sou uma bruxa, ok? - eles não pareceram muito convencidos, mas eu não me importei. Fui tirar o desenho das mãos de Potter e ir para bem longe dali, mas ele segurou o desenho com força.

- Posso ficar com ele? - meio contrariada eu soltei o desenho e saí andando.

- Eu tenho uma dúvida. Por que esses dois ainda não estão casados, morando em uma casa cheia de mini ruivas e mini pontas? - aquele cachorro do Black perguntou e eu ouvi a risada de todos, mas preferi fingir que não havia escutado absolutamente nada.

Demorei para dormir aquela noite, constrangida demais por ter feito um desenho de James Potter... já até posso ver o ego dele aumentando.

- Vamos Lily, ou irá perder o café da manhã – Lene dizia tirando as cobertas de cima de mim, fazendo com que eu me levantasse.

Hoje seria o jogo de Quadribol, e dessa vez eu não ficaria trancada na biblioteca, mas estaria entre os telespectadores.

Como os dias estavam passando assim tão rapidamente? Será que era pelo fato de ser o nosso último ano de Hogwarts? O dia estava particularmente gelado, então eu resolvi ser uma telespectadora bem agasalhada.

Fomos tomar o nosso café da manhã e puxa! Estava uma algazarra daquelas. O jogo seria Corvinal contra Grifinória, e o vencedor iria para as finais contra a Sonserina, ou algo do tipo.

Havia cartazes com leões ou com águias para todos os lados, e os lufanos torceriam por nós. Os únicos que pareciam estar indiferentes eram o sonserinos, não que isso fosse alguma surpresa.

- Ansiosos? - perguntei para os garotos quando sentei-me na mesa me servindo de suco de abóbora.

- Nenhum pouco, já sabemos que vamos ganhar – Potter disse bagunçando mais ainda os cabelos, e acho que pela primeira vez o seu ato não me incomodou.

- Nunca subestime o inimigo – eu murmurei pegando uma torrada.

- Não estamos ruiva, simplesmente sabemos que vamos ganhar – Sirius disse dando de ombros.

Lene é batedora junto de Sirius no time da Grifinória, não sei o que eles fazem, mas deve ser importante. Ela estava tão alegre porque eu iria vê-la jogando pela primeira vez, mas nem chegava perto da tamanha felicidade de Potter.

Quando chegamos ao campo eu desejei boa sorte para eles e logo em seguida segui para as arquibancadas com Remus e Dorcas, Frank iria narrar o jogo.

Remus e Dorcas ainda estavam rindo da pequena vergonha que eu passei, mas fora pequena mesmo. Antes de desejar boa sorte a eles, eu estava entrando nos vestiários junto de Lene. Como eu poderia saber que as pessoas que não fazem parte do time não podiam entrar lá?

O caso é que eu acabei vendo vários garotos se vestindo, e Potter não ficou muito contente com isso, como se eu tivesse ficado.

- Parem com isso, pelo amor de Merlin! Foi só uma pequena confusão, só isso.

- Pequena confusão? James teria matado todos os garotos do time, até mesmo o Sirius se eles não tivessem jogado ainda – Remus disse e Dorcas riu junto dele, Dorcas ria de tudo que Remus dizia...

Sentamos na arquibancada que já estava particularmente lotada, e eu tenho quase certeza que o jogo estava prestes á começar, já que eu vi uns pontinhos vermelhos e azuis pelo ar.

(música aqui)

- Sejam todos bem vindos ao jogo de Quadribol, Grifinória contra Corvinal – Frank disse e uma gritaria seguida de uma salva de palmas pode ser ouvida das arquibancadas, menos claro dos sonserinos.

- Os jogadores já estão posicionados. Nem preciso dizer o nome dos excelentes jogadores da Grifinória, todos conhecem eles, mas acho melhor fazer uma cobertura sobre os da Corvinal... – Frank continuou.

Longbottom” pode ser ouvido ao fundo a voz da professora McGonagall.

- Desculpe Minnie, desculpe... A goles é lançada, e o jogo começa! – eu olhava freneticamente para todos os lados, não sabia o que seria uma goles, muito menos o que era um balaço, mas por anos tendo que aguentar o Potter eu ao menos sabia o que era um pomo de ouro, mas não havia sinal deste.

Admito que a excitação sentida no momento que alguém faz um ponto para a Grifinória é tão gratificante que eu até mesmo me senti mal por ter faltado aos outros jogos.

Eu gritava tão alto quanto as outras pessoas, e até mesmo já estava dando pulinhos. Quem não me conhecesse definitivamente pensaria que eu sou uma fanática por Quadribol. Até mesmo Remus e Dorcas estavam um pouco assustados.

Toda vez que Lene rebatia uma tal bola na cabeça de algum corvino eu fazia sinal de positivo com as mãos, mesmo sabendo que ela não veria...

- E Davies marca mais dez pontos para a Grifinória! – um grito ensurdecedor tomou as arquibancadas lufanas e grifinórias, e a minha voz estava entre eles - Isso mesmo Sirius, esmaga o crânio do Bott!!

Eu estou te avisando Longbottom...” ouvimos uma vez mais a voz da professora.

- Tudo bem Minnie, eu já entendi, me perdoe... – Frank disse fazendo voz de culpa – Vamos Leninha, use seus poderes de sedução e bata com o bastão na varinha dos corvinos! – muitas gargalhadas foram ouvidas, e quando Frank percebeu que receberia uma bronca novamente, tratou de mudar de assunto – Até que o time da Corvinal tá jogando bem, é isso que os locutores fazem não é? Amenizam a tragédia que está o outro time...

Em meio às risadas muitas pessoas não viram, mas eu vi. O pontinho dourado brilhando no alto que provavelmente pertencia ao pomo de ouro.

- JAY, JAMES! ALI, ALI EM CIMA! – não sei como ele pode me ouvir, talvez por algum milagre de Merlin quem sabe, mas logo ele estava voando pelo campo atrás do pomo, com o outro jogador da Corvinal seguindo seus passos.

- VAMOS POTTER, PEGA ESSA PORCARIA ANTES DO CHO, VAI LOGO CARAMA! – Frank recebeu um olhar repreendedor da professora – Quero dizer, seria excepcionalmente agradável caso o time da Grifinória conseguisse ganhar o jogo e ir para as finais...

Logo que Frank terminou de falar, a torcida prendeu a respiração logo em seguida explodindo em berros mais estridentes que os anteriores, em abraçados, em pulos e em palmas. James, digo, Potter, capturou o pomo e o time da Grifinória venceu, estávamos na final.

Nunca poderia ter acreditado que um joguinho de Quadribol na verdade poderia ser assim tão interessante.

Descemos correndo a arquibancada indo parabenizar o nosso time. Várias garotas histéricas estavam cercando o Potter, mas ele gentilmente as afastou seguindo em minha direção.

- O que achou do jogo? - ele estava com um sorriso estampado no rosto, e ainda segurava o pomo de ouro.

- Nunca imaginei que fosse tão divertido – respondi sincera e nós dois rimos.

- Sabe, eu ouvi os seus berros, vi você dando pulinhos, e também ouvi você me chamar de James...

- Ah, bem, é o seu nome não é mesmo? O que eu posso fazer para mudar isso? - eu perguntei dando de ombros.

- Mas você sempre me chama de Potter – ele murmurou com as sobrancelhas arqueadas.

- Se você prefere ser chamado assim, não irei fazer objeções...

- Não, não! James está ótimo pra falar a verdade. Jay também não é nada ruim se quer mesmo saber... – nós dois rimos e nem parecíamos Lílian Evans e James Potter.

Peguei o pomo de ouro da mão de James e fiquei observando o pequeno objeto. Nunca antes tinha pegado em um pomo, e ele até que é bem interessante. Tentei soltá-lo no ar e captura-lo logo em seguida, como James sempre fazia em frente ao Lago Negro, mas não fui rápida o suficiente. Mas isso não significou que James não fora rápido o suficiente para dar um pulo e novamente capturar o pomo.

Sorri envergonhado, mas James não riu da minha cara.

- Antes de querer roubar o meu posto de apanhador, aprenda a subir em uma vassoura Lírio – ele disse dando um peteleco em meu nariz.

Eu ruborizei. O que estava havendo comigo? Em circunstâncias normais eu já teria lhe respondido atravessado e talvez até mesmo tiver lhe dado um tapa.

- Bom, antes que a festa na Sala Comunal comece eu vou ir estudar um pouco antes das nossas aulas particulares – tudo bem, da forma que eu falei parecia que nós iríamos fazer outra coisa nessas aulas particulares, mas ele apenas assentiu.

Estava já um pouco distante do campo quando senti alguém segurar meu ombro. Me virei sorrindo já imaginando que fosse James, mas quando a figura se projetou em frente aos meus olhos eu notei que era apenas ele.

- O que você quer? - perguntei ríspida.

- Então quer dizer que daqui a pouco você também estará no fã clube do Potter? - Snape perguntou sarcástico e eu revirei os olhos.

- Você sabe bem que eu não sou como aquelas garotas, Snape.

- No entanto, a Lílian Evans de antigamente nem ao menos dirigia a palavra á James Potter – ele rebateu cruzando os braços.

- Não é mais da sua conta o que eu faço ou deixo de fazer. Aquele que eu imaginava ser meu amigo também não me chamaria de sangue ruim – eu murmurei tentando conter as lágrimas, mas era complicado.

Severus Snape era complicado. Ele sempre fora meu melhor amigo, antes mesmo de entrarmos em Hogwarts. Mas depois do dia em que ele me insultou daquela forma, e ainda mais na frente de todos, aquelas pequenas palavras de grande efeito ficavam batucando em meu cérebro quase como se fosse uma perseguição.

- Me desculpe – ele murmurou retirando de si aquela máscara de frieza. Mas eu não o perdoara antes, então também não o perdoaria agora.

- Desculpas não mudam o passado – virei para continuar meu caminho, mas ele novamente me puxou para si.

- Eu só quero o seu bem.

- Não fale sobre querer o meu bem quando você mesmo não está fazendo bem para si mesmo, andando com aqueles sonserinos problemáticos – eu disse tentando me libertar de seu aperto, mas querendo ou não ele sempre fora mais forte que eu.

- Você precisa me ouvir...

- Não quero ouvir nada que venha de você, me deixa ir! – eu respondi, mas ele ainda não havia me soltado.

- Ela mandou você deixa-la – alguém disse atrás de Snape, fazendo com que ele tivesse que me soltar para virar-se.

Talvez eu tenha ficado um pouco decepcionada ao ver que era Amus Diggory, e não James Potter, mas isso não mudava o fato de que eu estava contente por alguém ter vindo interromper esse momento constrangedor.

- E o que você vai fazer Diggory? - Snape perguntou. A carranca de volta em suas feições.

- Te azarar se necessário – Amus respondeu como se ter que azarar Snape não fosse nenhum esforço, e sim um grande prazer.

Ele virou contrariado seguindo em direção ao castelo, quando passou por mim sussurrou “Ele não vai te fazer bem como você imagina” e esbarrou em meu ombro seguindo seu caminho.

- Obrigada Amus – sussurrei me aproximando dele.

- Por nada Lily, você está bem? - ele perguntou preocupado.

- Sim, você chegou na hora certa!

- Que bom... você estava indo em direção ao castelo? - eu assenti e voltei a caminhar com Amus me acompanhando silenciosamente.

Quando chegamos em frente ao retrato da mulher gorda ele me segurou antes que eu pudesse atravessar.

- Sabe Lily, amanhã haverá um passeio para Hogsmead e eu gostaria de saber se você não quer ir comigo – ele parecia meio tímido, olhando para seus sapatos como se os cadarços fossem muito interessantes.

- Claro, sem problemas – eu respondi sorrindo e ele sorriu de volta. Entrei na Sala Comunal e decidi descansar um pouco antes que todos estivessem aqui dentro.

~***~

- Na maior parte do tempo eu não sabia o que você estava fazendo, mas as pessoas gritavam e eu gritava junto, mas você estava maravilhosa, sério! – eu dizia para Marlene sobre como fora o meu dia como telespectadora.

- Sua tapada! – ela deu um tapa na minha testa e eu, ela e Dorcas rimos.

- Mas eu posso certamente admitir que foi super emocionante e que eu me arrependo profundamente de não ter presenciado os outros jogos – eu falei colocando as mãos no peito.

- Eu sempre te disse! – ela apontou o dedo acusadoramente para mim, mas aquele ar divertido repentinamente fora substituído por um ar mais pesado.

Lene que antes estava rindo e se divertindo de repente ficou séria e seus olhos transpareciam certo nervosismo. Seguia sua visão e meus olhos foram parar em uma cena grotesca onde uma garota era praticamente engolida por Sirius Black no canto da Sala Comunal.

Lene levantou-se abruptamente e eu e Dorcas a seguimos.

- Eu não me importo! – ela disse sentando em sua cama e abraçando o travesseiro.

- Eu sei que se importa, e não há nada de errado nisso... – murmurei abraçando ela de lado e Dorcas fez o mesmo.

Marlene deixou algumas lágrimas escorrerem. Nunca fora do feitio dela chorar, mas todos nós temos nossos momentos vulneráveis.

Já estava de manhã e eu acordei um pouco dolorida por ter ficado curvada boa parte da noite na cama de Lene a consolando.

Estava particularmente morta de cansaço. Mas hoje era o passeio à Hogsmead e como já havia prometido ir com o Amus eu não poderia deixar de ir. Com os acontecimentos de ontem eu nem ao menos tive a oportunidade de falar sobre isso com as meninas, mas não importava, elas veriam hoje de qualquer forma.

Troquei-me apressadamente, pois já estava atrasada, e não me preocupei muito com maquiagem ou coisas do tipo.

Saí da Sala Comunal e segui em direção aos portões de Hogwarts com a minha autorização em mãos.

Amus já estava lá e sorriu a me ver.

- Olá Lily – ele me cumprimentou dando um beijo em minha bochecha.

- Olá Amus – respondi no mesmo tom de animação.

Entregamos nossas autorizações para Filch e seguimos pelo longo caminho até o povoado. Amus ofereceu o seu braço para que eu o segurasse e eu aceitei.

- Com licença Diggory, não precisa fazer companhia para a Lil’s, eu posso acompanha-la – ouvi a voz de James atrás de nós e paramos de andar.

- Na verdade, eu chamei hoje não James. Eu chamei Lily para me acompanhar e ela aceitou – Amus respondeu e pude sentir o olhar de James queimando sobre mim.

- Você o que Lily? - ele perguntou como se não tivesse escutado bem da primeira vez.

- Eu aceitei sair com o Amus, apenas isso.

- Sabe, eu sempre acho que se eu me esforçar eu posso ter uma chance com você, e eu realmente estava achando que dessa vez estávamos caminhando pelo caminho certo, mas pelo visto eu estava enganado, de novo – ele disse com um pesar nos olhos, mas eles não deixavam de ser acusadores.

- Não é a minha culpa se você é apaixonado por mim – eu respondi e logo em seguida me arrependi, vendo que as palavras atravessaram por ele como se fossem um Crucio.

- Não, não é. Mas é sua culpa se eu sou humilhado nessa escola desde o quinto ano. Sempre tentei ser o melhor pra você, fazer o melhor para você, e você sempre me desprezou não é mesmo? - era uma pergunta retórica, eu sabia disso. Via em seus olhos o esforço que ele fazia para conter as lágrimas, e nesse momento mais olhos observavam a cena.

- Nunca foi minha obrigação te corresponder, Potter – ele balançou a cabeça negativamente como se soubesse de algo que eu desconhecia.

- Não, nunca foi, mas eu já cansei de ser seu capacho sabe? Cansei de me preocupar com você quando você não se preocupa comigo ou com o que eu sinto por você.

- Então vai, segue sua vida, eu não me importo! – berrei enquanto ele andava em direção à Hogsmead.

- Eu vou, Evans! – ele berrou de volta apertando o passo, sem olhar para trás.

Senti minha garganta se comprimir, e arder tanto quanto meus olhos.

Se eu não me importava como eu mesma havia dito, por que eu estava me sentindo tão culpada por estar acompanhando Amus Diggory ao invés de James Potter?



Notas finais do capítulo

Reviews?? Recomendações?? ~lê iludida here~
Deixem eu falar algumas coisas antes que eu me esqueça... Acho que essa é a única fanfic que eu troco a capa constantemente, mas dessa vez eu gostei da capa e vou deixar essa, vocês viram como ficou? Também mudei a sinopse, acho que ficou melhor...
O que acharam desse cap? Eu gostei *O*
Se vocês não mandarem bastante reviews vou ficar brava, eu poste rápido e um capítulo grande, pronto falei u__u huashuash
Sorte de vocês que eu estou inspirada pra essa fanfic, porque pra todas as outras eu to com um bloqueio enorme, enfim...
É isso, espero que tenham gostado!!
Beijos amores ♥