Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 87
Capítulo 87





Na universidade todos se preparavam para a última festa daquele ano, talvez a melhor realizada na University College. Já havia muita gente espalhada por toda a escola, a maior concentração fazia-se sentir no pavilhão polidesportivo, que incluía uma piscina interior. Os menos tímidos atiravam-se à piscina, sem pudores, e os mais rebeldes colavam-se às bebidas. O único percalço que tinham era entrar pela entrada do refeitório. No entanto, todos sabiam que se iam divertir bastante e que por isso valia a pena.

Dylan, Mónica, Derek e Raquel foram juntos. As raparigas separaram-se para ir à casa de banho e Derek foi beber. Quando Mónica regressou, encontrou Dylan à conversa com uns tipos estranhos, que não tinham boa fama por aqueles lados. A melhor amiga de Harry, nos últimos tempos estranhava o comportamento do namorado. Ele andava distante e muito reservado.

Entretanto no bar, Louis metia conversa com o seu amigo Josh, que, sendo aluno do 3º ano, tinha, como todos os outros, por obrigação de servir nos bares daquela festa.

- Ainda estás com problemas com o pessoal da tua casa?

- Estou. Vou ter que encontrar outra urgentemente!

- Se eu souber de alguma coisa, eu aviso-te.

E por outras várias conversas, o estudante de artes dramáticas ia-se animando um pouco.

Por fim, Liam tinha chegado. Raquel, vestida com o vestido que ele lhe dera no natal, mal o viu, correu para ele e arrastou-o para uma sala de aula. Estava morta de saudades. A portuguesa beijava-o loucamente e ele ainda confuso deixava-se levar. Ela começou a tentar despi-lo. Estava com ideias de se despedir da melhor forma do ano. Contudo, Liam sabia que não era o certo. Ele não gostava dela da mesma forma que ela dele e não podia continuar a enganá-la. No entanto, faltava-lhe ainda coragem para lhe dizer tal. Com a rejeição, Raquel sentiu-se triste e saiu da sala disparada. Liam não a voltaria a ver naquele ano.

De repente, no pavilhão sente-se murmurinhos vindos de toda a parte. Algo inesperado e nunca visto estava a acontecer: um professor acabava de chegar. As raparigas mais desinibidas faziam-se notar desavergonhadamente pelo professor mais sexy que aquela universidade tinha tido: Michael Simpson. Aquelas que o tinham como professor gabavam-se de tal. A maior parte dos rapazes não gostava da ideia de estar lá o professor, achavam que ia dar problemas. No entanto, ele mostrou-se completamente à vontade no meio dos alunos, quase que exigindo ser tratado da mesma forma. Logo se virou à cerveja e dava conversa às miúdas que com ele se mentiam.

Lá mais para o meio da noite, Michael andava a apreciar o ambiente pela escola quando viu uma rapariga embrulhada em si mesma junto a uma parede do corredor.

- Ei… Tu estás bem?

Raquel surpreendeu-se ao ver o professor.

- Professor? Sim… Quer dizer, mais ou menos… - Responde ela limpando as lágrimas dos olhos.

- Raquel, certo?

- Já sabe o meu nome?

- Eu não me esqueço de uma cara bonita.

Raquel corou. O professor Michael tinha conseguido soltar-lhe um sorriso.

- Vais continuar aqui?

- Sim. Não me quero cruzar com certas pessoas…

- Mas a diversão está lá dentro.

- Eu não quero ser mal-educada, mas por favor não insista. Eu vou ficar aqui.

- Tu é que sabes. Porém, vais ter de ficar a aturar-me, porque eu também não vou sair daqui.

- Vai querer ficar aqui com uma miúda que está a chorar baba e ranho por um rapaz que não merece?

- Tu não vais conseguir chorar na minha presença, porque eu sou uma pessoa muito divertida.

- Isso já deu para notar. – Concorda Raquel com um sorriso.

- Vês? Já consegui tirar-te o segundo sorriso!

O professor e a aluna continuaram numa agradável conversa em que se conheceram melhor e simpatizaram um com o outro.

Kelly e Danielle estavam no bar, acompanhadas por Zayn, pois tinham-no encontrado à entrada um pouco cabisbaixo.

- Vá lá, confessem. Quais são os vossos objetivos para o próximo ano? – Perguntou a compositora, já um pouco alegre devido à bebida.

- O meu objetivo é esquecer uma pessoa. – Responde Zayn, afetado também pela bebida.

- Olha, já somos dois!

- Três!

- Vamos fazer um brinde à porcaria que o amor é. – Sugere Zayn.

- Charlie, mais três shots para aqui! – Pede Kelly.

As horas passavam, e cada vez mais Kelly, Danielle e Zayn bebiam. Já estavam demasiado alegres. Para os alunos que serviam no bar, aquilo até tinha uma certa piada pois aqueles três não diziam coisa com coisa.

- Eish… Eu acho que vou deixar a minha marca na sanita… Até já.

- Pobre Kelly… Não consegue aguentar umas simples bebidas. – Ironiza Zayn, rindo-se com Danielle.

Desde que Gina chegara com Lúcia, pouco estivera com o namorado. Aproveitou para contar à amiga tudo o que se tinha passado na sua ausência, principalmente sobre Harry. No entanto com o aproximar da meia-noite, Harry insistiu com Gina para estar um bocadinho com ela.

- Não quero deixar muito tempo a Lúcia sozinha…

- Ela não vai ser comida por ninguém.

- Não importa. Ela é minha amiga e precisa de mim.

Enquanto Gina falava com Harry, Lúcia decidiu visitar um lugar que há vários dias não via: a antiga entrada da universidade. Sentou-se no mesmo sítio aquando da primeira vez que esteve lá. Começou a lembrar-se da coragem que lhe invadira no momento em que se declarou a Louis e dos flocos de neve que se seguiram.

- Eu vou ter com ela, Harry. Já volto.

- Não demores muito!

Caroline observava a relação de Gina e de Harry. O seu plano tinha falhado. Tomou iniciativa e mais uma vez, foi falar com ele.

- Ainda não tiraste os olhos de mim esta noite…

- Estás parva ou quê?

- Não precisas de disfarçar, a portuguesita não está aqui.

- Mas onde é que aquela estúpida se meteu? – Perguntou Gina a si mesma não encontrando Lúcia. – Oh pá… O que é que aquela está ali a fazer?

- Caroline, acorda! Quando é que vais perceber que eu e tu nunca mais vamos ter alguma coisa?!

- Vais-me dizer que gostas dela? – Questiona Caroline apontando para a morena que se estava a dirigir a eles.

- Gosto, e muito!

E dito isto, Harry puxa Gina para si e beija-a.

Perante aquilo, Caroline ficou sem palavras e dirigiu-se ao bar, reclamando consigo própria sobre aquela relação.

Derek, que desde que chegara não mais saíra do bar, apreciava de longe Gina e Harry. Tinha visto Caroline a falar com Harry e reparou, também pela forma como ela se estava a dirigir ao bar, que não era o único a não simpatizar com aquela relação. Não pensou duas vezes em falar com ela.

- Sou o Derek.

- E eu perguntei alguma coisa?

- Já vi que és muito simpática… - Ironiza o americano. – Vou apresentar-me de outra maneira.

- O quê? Vais perguntar-me se não já nos conhecemos?

- Não. Eu vi a maneira com que deixas-te o Harry e a Gina.

- O que é que tens a ver com isso?

- Eu também não gosto de os ver juntos.

- Estás interessado na Gina? Ou é no Harry?!

- Por amor de Deus! É óbvio que é na Gina.

- Espera… Isto é uma espécie de proposta para os separarmos?

- Podemos considerar que sim…

Louis continuava magoado e triste. Nem a companhia dos seus amigos o alegrou. Só havia um sítio em que ele podia pensar em paz. Dirigiu-se para lá, contudo quando lá chegou aquilo não estava deserto como de costume. Lúcia ainda estava lá. Eles, mal se viram, olharam-se olhos nos olhos. Porém, ele não facilitou. Virou-lhe costas e voltou para dentro.