Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 88
Capítulo 88





Ninguém sabia de Débora e de Niall. Mónica e Raquel pensavam que Débora andava com Sofia. Todos os outros pensavam que ela estava com Mónica e Raquel. Já relativamente a Niall, não faziam a mínima das ideias, mas talvez andasse a beber com os do curso deles. Engenheiros! Ninguém imaginava o que realmente se passava.

- Eu não acredito que nem rede esta merda tem para podermos ligar a alguém! Estou sempre a meter-me em sarilhos por tua culpa! Eu não entendo! Deves ser amaldiçoado ou o caralho!

- Tem calma! Eu não estava à espera que isto acontecesse. Não foi de propósito.

- “Tem calma”?! Estás a gozar comigo? Como é que eu vou ter calma se eu estou presa num elevador com o gajo mais estúpido à face da terra a minutos do novo ano?

- Pronto, pronto! Mas não vale a pena estares aí a protestar. Só podemos esperar que alguém dê por nossa falta e nos venha procurar.

- O Zayn estava lá em baixo. Já passaram horas e ele ainda não quis saber… Não percebo qual é a dele. Ou melhor, às tantas até entendo. Mas ele vai-se a ver comigo!

- Conformemo-nos. Vamos ficar mesmo aqui…

- Não! Eu vou começar a gritar.

- Outra vez? Esquece! Estás farta de gritar e nada. A esta hora o pessoal está todo em festa. E o prédio deve estar praticamente deserto.

- Eu não acredito! – Desespera-se a loira batendo com os punhos nas paredes do elevador.

Niall não disse mais nada. Manteve-se sentado. A portuguesa sentou-se também cansada de protestar contra aquela situação. Ficaram algum tempo em silêncio.

- Débora, eu sei que me achas o pior gajo do planeta e tudo mais, mas tipo… é ano novo. Sei que a situação não é a melhor, mas podíamos tentar pelo menos entrar no ano novo com uma boa energia.

A loira encolheu os ombros.

Ele aproximou-se dela para a beijar, contudo no mesmo momento o elevador começou a descer.

- Aleluia! Alguém me veio salvar. – Exclama Débora.

Quando chegaram ao rés-do-chão esperava-os um morador dali que simplesmente tinha clicado no botão para “chamar” o elevador.

- Obrigada! Já estava farta de estar ali dentro. Ia começar a entrar em pânico.

- Como é que pôs o elevador a funcionar?

- Ele estava avariado?

- Foste tu que o paraste? – Pergunta Débora ao irlandês.

- Não! Juro!

A loira não quis saber mais e saiu dali disparada. Niall ia atrás dela, mas o homem parou-o e perguntou-lhe, insinuante:

- Não precisavam de inventar que o elevador tinha avariado. Às vezes faz falta um bocadinho de loucura, não acha? Claro que acha.

Niall, espantado, virou costas ao homem e ainda correu atrás de Débora, porém só a viu a entrar no táxi.

Liam, depois de Raquel o abandonar naquela sala, deixou-se ficar por ali. Já nem se lembrava que era a festa de final de ano! Sentou-se e mais uma vez pensou em tudo: em Danielle e Raquel. Depois de algumas horas, teve um impulso de coragem. Ia beijá-la e dizer-lhe finalmente o que sentia. Saiu por isso da sala à procura de Danielle por toda a universidade.

Zayn e Danielle continuavam no bar a beber enquanto a meia-noite se aproximava. O rapaz, malandro mas sem grande consciência do que estava a fazer, ia-se aproximando dela.

- Lembras-te Daniellezinha de quando nós curtimos?

- Isso foi no ano passado, ainda andávamos no 1º ano, Zayn.

- Eu sei… Eu sei que tu gostaste de mim.

Ela começou a rir-se.

- Pois foi. Tu nem imaginas o que eu, feita burra, chorei por tu não quereres namorar comigo. Por ser mais uma das coitadas que caía no teu charme de Dom Juan. Pff…

- Eu lembro-me que estive quase a chatear-me com o Liam por causa disso.

- Pois, o Liam… Ele sempre foi um rapaz espetacular.

- É. Sempre pronto a defender-te.

Por momentos não tiveram mais assunto. Zayn continuou:

- Saudades dos tempos de antes…

- É…

O rapaz aproximou-se dela de forma a ficar quase colado ao seu corpo.

- E se relembrássemos os velhos tempos?

Perguntando isto, Zayn beija Danielle intensamente.

Todo a gente do pavilhão começou a fazer a contagem decrescente. Sofia, que estava com os seus colegas de curso, deixou-os e foi procurar Zayn. A última vez que o tinha visto fora no bar. Assim, passou por tudo e por todos só para estar com ele na mudança de ano. Além disso queria perceber o porquê de ele ter falado com ela da forma que falou em frente ao prédio dele. Tinha-o sentido esquisito. Mesmo assim, precisava de passar o ano na companhia dele.

- Quatro! Três! Dois! Um! Woo hoo! Feliz 2013!

Sofia chegou ao bar mesmo à meia-noite em ponto e para sua surpresa, desagradável surpresa, viu o beijo de Zayn e Danielle. Não acreditava no que estava a ver! Ele afinal não estava diferente. Continuava a ser o mesmo mulherengo de sempre. Certamente fartara-se dela e agora andava em cima de Danielle. Só lhe apetecia enfrentá-lo, dizer-lhe umas verdades, mas, em vez disso, virou costas e procurou a pessoa em quem sabia que podia confiar para desabafar.

De longe, também Liam observara aquele beijo. Ficou destroçado. Mas não se ia deixar ficar assim. Liam tomou coragem e foi procurar Raquel, que estava com Mónica. Chegou-se à beira dela, sem que se apercebessem e puxou-a pelo braço, pedindo-lhe para falar com ela a sós. Voltaram à sala onde tinham estado no início da noite.

- O que é que tu queres Liam? Dizer-me na cara que não sou suficientemente boa para ti?

Num ímpeto, o rapaz envolveu-a nos seus braços, beijando-a loucamente. Raquel sentiu-se desejada como nos velhos tempos. Ele encostou-a à parede e por entre beijos foi despindo-a. O ambiente entre os dois fazia sentir-se quente. O inglês pegou-a pela cintura, mantendo-a encostada contra a parede e segurando-lhe as finas coxas de ex-ginasta. Pouco depois, ele pulsava o seu prazer dentro dela.