Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 73
Capítulo 73





Liam e Harry estavam sentados no sofá a ver um filme. De repente, tocam à campainha.

- Vai tu.

- Não, vai tu.

A campainha não parava de tocar.

- Anda lá Liam, vai tu!

O estudante de engenharia mecânica foi abrir a porta e surpreendeu-se.

- Gina?! Nunca te tinha visto por aqui!

- Pois. O Harry? Preciso de falar com ele.

- Sobre a tua tampa?

- Exato. Onde é que ele está?

- Na sala. Entra.

- O que é que estás a fazer aqui?- Pergunta Harry desviando o olhar.

- Comprar batatas é que não é de certeza... - Murmurou ela.

- Eu vou... Fazer um lanche! - Avisa Liam.

A morena sentou-se à beira de Harry sem dizer uma palavra. Estava receosa.

- Não percebo porque é que vieste aqui. Eu percebi pela tua mensagem que...

- Eu não mandei mensagem nenhuma.

- Vinha assinada com o teu nome!

- E como é que isso prova que era eu? Tu tens o meu número, vias perfeitamente a mensagem não tinha vindo do meu telemóvel. Qualquer um podia ter assinado o meu nome! 

- Quem mais podia ter sido?

- Hum... Que tal a Caroline?

- O quê? Como é que ela sabia? Agora quem está a ficar paranoica com ela, és tu.

- Caso não sabias, ontem fiquei fechada numa casa-de-banho no meio do monte.

Harry riu-se, provocando um olhar não muito amigável por parte de Gina.

- Eu disse-lhe que nós íamos sair e ela aproveitou-se que eu fui à casa-de-banho e PUMBAS! - Continuou ela. - E depois deve ter-te mandado a mensagem... Assinando o meu nome.

- Mas porque é que lhe contaste?

- Queria esfregar-lhe a minha felicidade na cara!

- Estavas assim tão feliz por sair com o 'je' ? - Brinca o inglês.

- Ah? Não...

Ele aproximou-se dela. Ela afastou-se dele.

- Estás a fugir de mim?

- Não. Esta parte do sofá estava com frio.

Ele riu-se e voltou a aproximar-se dela.

- Bem! Tenho de ir... comprar... comprar batatas! É. - Desculpou-se Gina encaminhando-se para a porta de saída.

- Nem tenho direito a uma recompensa por teres faltado ao nosso encontro?

- Se sobrar alguma batata eu dou-ta. - Goza a morena entrando no elevador.

Oxford Street é uma importante avenida na área de Westminster, em Londres, Inglaterra. Com mais de 300 lojas, é a rua comercial mais movimentada de toda a Europa. Louis e Lúcia, iriam ter o prazer de fazer compras de Natal nesta mesma rua. Ela estava ansiosa e ao mesmo tempo preocupada. Iria passar a época natalícia com a família do seu namorado, tinha que ir bem arranjada, e comprar alguma recordação para a mãe de Louis.

- Que tal esta?

- Não.

- E esta?

- Não.

- Oh, olha esta.

- Não.

- Lúcia, decide-te mulher!

- Tem calma.

- É preciso paciência...

- Nunca vieste às compras com mulheres?

- Tenho 5 mulheres em casa, elas nunca precisavam de mim para estas coisas.

- É esta!

- Aleluia!

Lúcia riu-se.

- Agora tens de me ajudar a escolher o que vou dar à Mónica. É que eu não faço a mínima do que lhe dar.

- Oh fofo, não te preocupes que eu ajudo-te.

Desde que Niall saíra da casa de Kelly naquela trágica noite, nunca mais tinham falado sobre a ida dela para os Estados Unidos. O rapaz, como amigo dela, preocupava-se com ela e por isso ali estava a tocar-lhe à campainha.

- Olá Niall.

- Olá Danielle. Posso falar com a Kelly?

- Claro! Entra. Ela está no quarto, mas eu vou chama-la.

Niall sentou-se e algum tempo depois a loira dos caracóis entrou na sala.

- Niall?

Cumprimentaram-se com dois beijinhos e sentaram-se.

- Diz-me lá a que devo a honra da tua visita. – Goza ela.

- Vim saber como estavas.

- Como eu estou? Ora essa! Tu é que saíste do hospital há dias e é a mim que me perguntas se estou bem.

Ele riu-se. Era irónico realmente. Mas ele sabia bem do que estava a falar… e ela também.

- Estou bem. Estou a lutar contra o coração. É difícil mas tenho conseguido, penso eu. Tenho que seguir a minha vida, não é?

- E a ideia de ires para os Estados Unidos?

- Só estou à espera do telefonema do produtor musical. Deve telefonar-me agora depois das festas. Vou aproveitar a ida até casa, agora no natal, para falar com os meus pais.

- E os estudos? A medicina com que tanto sonhaste?

- Posso ter sonhado com a medicina, mas a música sempre foi mais importante. Por isso, não vou deixar escapar a oportunidade. Se for a escolha errada volto atrás e tento consertar. Afinal, ainda sou nova e tenho de deixar o medo de lado. Ou melhor, a maior parte dos medos, porque de um deles não me quero esquecer tão cedo: o medo de amar alguém que me não ame.

Niall ficou sem palavras. Sabia que era a causa para Kelly estar a falar daquela forma.

- Niall, não quero que te sintas culpado. A sério. Eu estou realmente bem e preparada para seguir com a minha vida em frente. E quero que me prometas uma coisa.

- O quê?

- Quero que sejas feliz. Se achas que a tua felicidade está com a Débora, então corre atrás, não a deixes escapar. Acredita que é tudo o que eu mais quero.

Niall não conseguiu conter as lágrimas e também ela se emocionou. Abraçaram-se.

- És uma miúda espetacular! Eu só te desejo a mesma felicidade. Mas não te feches ao amor. Gostaria imenso que quando viesses aqui visitar os velhos amigos trouxesses uma pessoa especial contigo. A pessoa que te der aquilo que eu não te posso dar. Aquilo que tu mereces.

- Vá! Chega de lamechice! Temos o Natal à porta. Temos de estar alegres!

Niall limpou as suas lágrimas e mudaram de assunto.

Antes de se ir embora Niall não quis deixar de ir dar um beijinho à sua melhor amiga. Tocou à campainha e ficou surpreendido ao ver Zayn abrir-lhe a porta.

- Tu, aqui?

- Entra, entra! – Puxa-o Zayn. – É que se não te despachas aquela gaja ainda faz batota.

Zayn correu para a sala. Niall seguiu-o em paço normal. Chegou à sala e viu os dois a jogar Wii.

- Olha que eu ouvi! – Avisa Sofia o muçulmano. – Eu não sou batoteira como tu. Até deves pensar!

- Pronto, pronto! Não queria ferir suscetibilidades.

- Olá! – Faz-se ver Niall.

Sofia pausou o jogo mais uma vez.

- Anda cá irlandês! – Corre ela para ele para lhe dar um abraço.

- Já vi que hoje estás muito bem-disposta!

- Pois claro! Está bem acompanhada! – Gaba-se o moreno.

- Já vi que sim.

- Olha, estou tão bem disposta que vos vou convidar aos dois para jantar cá.

- Eh pá! Assim gosto ainda mais! – Exclama Zayn.

- Já sabes que esse é o meu ponto fraco… Comidinha...

- Pronto. Então vai tu jogar contra o Zayn que eu vou tratar das coisas. Mas não me deixes ficar mal. É que eu estou a ganhar-lhe! – Avisa ela deitando a língua de fora ao outro amigo.

- Não precisas de ajuda? – Oferece-se o estudante de artes dramáticas.

- Não, obrigada. – Agradece ela, dando um gole na cerveja que ela estava a dividir com Zayn, que estava em cima da mesinha da sala. Niall aproveitou para pedir uma para ele também.