Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 63
Capítulo 63


Notas iniciais do capítulo

Desculpa Raquel...




– Não! Não pode ser! Mas como é que ele está? – Pergunta Harry.

– Estás nos cuidados intensivos ainda. É tudo o que vos posso dizer.

– Temos de ir para lá. – Decide-se Louis.

– Mas vocês não o vão poder ver.

– Não quero saber. Eu aqui parado é que não posso estar. E nas aulas muito menos. – Acrescenta ele.

Liam estava em choque. Não conseguiu dizer absolutamente nada.

– Eu vou contigo Louis. – Informa Harry.

– Eu logo vou lá ter. Agora preciso mesmo de dormir um bocadinho. Passei a noite em claro!

– Claro, claro. – Consente o caracolinhos. – E tu Liam?

– Liam? – Chama Louis.

– Desculpem. Eu preciso ficar um bocadinho a sós.

– Bom nós vamos então. – Avisa Louis.

– Tem calma Liam…

– Vai dormir Zayn. A sério. – Interrompe Liam sem sequer olhar para o amigo.

O ambiente que rodeava Zayn desde aquela noite era realmente pesado. Já estava a sentir-se totalmente desgastado. Precisava também ele de alguma atenção.

Já Liam, mais do que triste e preocupado, sentia-se inconformado com tudo aquilo.



Bateram à porta e Liam foi abrir. Era Raquel.

– És tu! – Constata Liam abraçando-a. – Já soubeste?

– Já. Como estás fofinho?

Liam esboçou um leve sorriso.

– Melhor do que ele.

– Vá, não fiques assim.

– É bom ter-te aqui um bocadinho.

– Sabes que eu estou sempre aqui contigo.

Liam beijou-a de leve nos lábios.

– Eu sei que devia ir até ao hospital mas…

– E porque não vais?

– Não sei, sinto-me vazio de iniciativa…

– Tens-me a mim aqui contigo. Está tudo bem.

– Mas e as tuas aulas?

– Não te preocupes com isso.

– Claro que tenho de me preocupar. Não quero que faltes às aulas por minha culpa! Nem penses!

– Tudo bem. Eu vou então porque tenho aula já daqui a bocadinho. Mas eu logo venho ter contigo!

– Combinado. – Concorda ele com um sorriso levemente forçado.

– Adoro-te Liam.

– E eu a ti aboborazinha.



– Liam, fiquei preocupada contigo pela forma como falaste comigo ao telemóvel. Que se passou? – Pergunta Danielle ao vê-lo à porta à espera dela como combinado por telemóvel quando ele lhe ligou.

Ele pediu-lhe para falar quando chegassem ao apartamento. Ela concordou.

Depois de tudo lhe contar ela consolou-o. Sabia como o fazer e ele também sabia que só ela tinha esse poder mágico. No fundo ela sofria tanto quanto ele só por vê-lo assim. Era como se lhe rasgassem o coração. Custava-lhe tanto! Ela amava-o, porém em segredo. E tê-lo ali nos seus braços, tão frágil…

Ele acarinhou-lhe o braço até chegar ao rosto dela, pôs-lhe as mãos no rosto e ela ainda exclamou um leve:

– Não faças isso Liam…

O rapaz não parou e beijou-a. Era impossível para ela rejeitá-lo. E a partir daí as coisas foram-se desenrolando. Ela despiu-lhe a camisola, ele acariciava-lhe todo o corpo, ela beijava-lhe os abdominais definidos, ele deitava-a delicadamente no sofá… Os corpos dos dois conheceram-se como nunca antes.

– Desculpa Danielle… Nós… Nós…

– Desculpa eu, Liam. Tu estás frágil eu é que devia ter parado.

– É melhor esquecermos.

– Não vai voltar a acontecer.

– É. Eu vou indo. É melhor.

E assim o rapaz saiu do apartamento, ainda sem camisola, completamente confuso.



Lúcia estava preocupada com Louis porque tinha ficado a saber, por parte de Gina, ao almoço que Niall estava em coma alcoólico. Durante o almoço tentou ligar para Louis para saber como é que estavam as coisas. Porém ele não atendeu. Kelly, que também almoçou com Gina e Lúcia, ficou de rastos ao saber daquela notícia. Não queria esperar que Louis atendesse à sua namorada, queria ir de imediato para o hospital. Depois de 3 tentativas por parte de Lúcia, a loira e a amiga de cabelos ondulados foram para lá.

No hospital, o ambiente era pesado e silencioso. Até Kelly chegar.

– O Niall? O Niall? O Niall? Onde é que ele está?

– Calma loirinha… Ele está a recuperar, mas não podemos ver agora.- Diz Louis.

– E tu amor, como é que estás?- Pergunta Lúcia ao seu namorado, abraçando-o de imediato.

– Bem…

- Desculpa só vir agora, mas só soube ao almoço pela Gina.

Sofia tentou consolar Kelly que parecia realmente muito nervosa, enquanto Harry falava com Débora, que estava sozinha.



Gina estava a chegar a casa quando é intersetada por Danielle.

– Vais fazer alguma coisa? Preciso de desabafar…

– O que é que se passa?

A morena dos caracóis convidou-a a entrar na sua casa.

– Antes de mais queria pedir-te para não contares nada a ninguém. Eu sei que posso confiar em ti, mas isto é realmente muito importante.

– Podes confiar, eu não conto a ninguém.

E assim, Danielle começa a relatar-lhe o sucedido entre ela e Liam. Incluindo o facto de ter muito ciúmes de Raquel, do seu afastamento por causa dela, e até de outras vezes em que se beijaram.

– O que é que eu faço, Gina?

– Sabes? Eu não sou muito boa a dar conselhos, mas... No teu caso, eu acho que devias deixar ser ele a vir falar contigo. Ele é que saiu disparado da tua casa sem dar justificação!

– Pois... Tens razão. - Diz ela limpando as lágrimas da cara.

– Vá, não podes ficar assim!

Depois de um abraço, e de ter mostrado um sorriso, Danielle convida Gina a ficar por lá, visto que eram as únicas que não estavam no hospital.



Liam chegou ao hospital ainda meio desorientado. Tinha andado por horas às voltas de carro por Londres, acabando por ir ao hospital.

– Liam! Até que enfim! Estou farta de te ligar e tu tens o telemóvel desligado. Pensava que estavas aqui no hospital e afinal… - Interseta-o Raquel mal o viu chegar.

Liam sorriu-lhe acariciou-lhe o cabelo, dirigindo-se a todos os outros amigos que lá estavam:

– Novidades?

– Nada! – Responde-lhe Harry.

– Há horas e horas que cá estamos e ninguém nos diz nada. – Acrescenta Lúcia.

– Temos de ter calma e paciência. Estou certa de que o Niall vai ficar bem. – Acalma-os Sofia.

– Tu é que podias falar com os médicos. Eras capaz de os entenderes melhor. Afinal, tu estudas medicina… - Diz Liam a Kelly.

– Liam, eu só fiz um trimestre de medicina. Achas que já pesco assim tanto disto? – Pergunta-lhe ela um pouco revoltada.

– Pronto! Já cá não está quem falou.

Fez-se silêncio. Por muito tempo ninguém disse palavra.

– Que tens Liam? Pareces meio agitado. – Questiona Raquel.

– Eu? Eu nada. Que teria eu? Nada, nada.

– Hum…

Liam beijou-lhe a testa e dirigiu-se à janela com um ar pensativo.






Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.