Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 62
Capítulo 62





As horas passavam e cada vez mais nervosos ficavam. Débora já reclamava. Queria ver Niall. Falava com todos os enfermeiros e médicos que via passar. Sentava-se, levanta-se, andava para trás e para a frente enquanto Zayn se conservava sentado e cabisbaixo.

- Familiares de Niall Horan? – Pergunta uma médica ao aproximar-se deles.

- Sim, quer dizer, amigos. – Explica Débora ansiosa por notícias.

- Pois bem… - Continua a médica a olhar para os papéis. – Foram vocês que preencheram os papéis dele, não foram?

- Fomos sim senhora doutora. Há problemas? – Questiona Zayn.

- Não. – A médica fez uma breve pausa para continuar a ler os papéis. – Pois bem. O vosso amigo está a melhorar lentamente. Ainda está nos cuidados intensivos e penso que a estadia dele lá ainda se vai perlongar.

- Oh não! – Lamenta-se Débora agarrando-se a Zayn.

- Mas doutora não podemos vê-lo ainda? – Pergunta o rapaz.

- Podem sim. Eu acompanho-vos.

A loira mal viu Niall começou a chorar. Nem parecia o mesmo irlandês de sempre. Sempre tivera pele branquinha, mas ali estava especialmente pálido. A médica deu-lhes 20 minutos no máximo para estarem ali e deixou-os a sós. Zayn ali também não conseguiu conter as lágrimas. Não conseguia vê-lo assim. Virou-se de costas para Niall com os braços na cabeça mostrando a sua revolta de o ver naquele estado. Só pensava que ele devia tê-lo protegido, devia ter estado lá naquele momento para o apoiar.

A loira aproximou-se de Niall, pegou-lhe na mão e ficou a olhá-lo. Pediu-lhe desculpa, aconchegou-o com os lençóis e acariciou-lhe o rosto sem conseguir conter as lágrimas.

Os 20 minutos tinham já passado e Débora e Zayn tiveram de abandonar Niall. Ainda assim a loira rejeitava ir embora e Zayn teve enfim de a confrontar enquanto estavam no bar a comer qualquer coisa e ela falava de Niall.

- Tu gostas do Niall.

- Ah? Eu?

- Eu não estou a perguntar Débora. Estou a afirmar.

- Pff… Não!

- Débora…

A loira virou a cara e Zayn ficou à espera que ela abrisse o jogo com ele.

- Vais-me mentir? A mim? Sabes que não vale a pena, não sabes?

- Pronto…

- Não tens de ter vergonha disso. Ainda por cima ele é um rapaz cinco estrelas. Por mim está aprovado.

- Sim, como se a tua aprovação valesse de muito.

- Pois claro que vale! Achas que a minha irmãzinha pode ficar com qualquer um?

- Só tu para me fazeres rir num momento destes.

- Ri-te linda. Ele vai ficar bem.

- Espero que tenhas razão.

- Tenho pois. E vais-lhe poder dizer que o amas e ele vai ficar muito feliz. Sabes que ele também te ama e que tem sofrido muito por isso. É que a menina é uma complicada!

Débora escondeu o olhar como se envergonhada. Sentia que isso é que o tinha levado àquela cama de hospital.

- E nisto já são seis da manhã. Não queres ir até casa descansar um bocado?

- Não Zayn. Vai tu. Eu fico bem aqui. Na boa.

- Nem penses! Não te vou deixar sozinha.

- Mas tens noção de que eu não vou sair daqui?

- Eu fico contigo e acabou!

Já tinha passado quase uma hora. Sabiam que alguns amigos deviam estar já a pé e era a altura de começar a dar a notícia. Zayn preferia ir até casa falar com os amigos pessoalmente mas não queria deixar Débora sozinha e por isso só viu uma solução.

- Diz Zayn.

- Bom dia Sofia. Desculpa mas não tenho boas notícias para te dar.

- Sim, ok Zayn. Vais começar o dia a gozar comigo?

- Eu não estou a gozar. Estou a telefonar-te porque sei que posso contar contigo… e a Débora também.

- Como assim?

- Sofia, o Niall está hospitalizado. Eu e a Débora passamos cá a noite e eu agora queria ir até casa avisar o pessoal porque eles ainda não sabem de nada também mas não queria deixar a Débora aqui sozinha e ela rejeita-se a sair daqui.

- Meu Deus! Claro que eu vou para aí. Mas o que se passou com ele?

- Anda e depois explicamos-te tudo. Estou a ficar sem bateria no telemóvel. É no hospital de Chelsea e Westminster.

- Até já então. Beijinhos.

- Beijinhos.

- Sofia! – Gritou Débora ao vê-la.

Sofia chegou à beira dos amigos e logo abraçou Débora perguntando ao Zayn o que se tinha passado afinal.

- A Débora já te explica tudo. Agora tenho de ir antes que algum deles vá para a universidade.

O rapaz despede-se com um beijo na testa a cada uma, ficando a loira a explicar a Sofia tudo o que se tinha passado.

- Ó loira, devias ir para casa descansar um bocadinho. Tens os olhos inchados! Nota-se que tiveste a noite toda a chorar.

- Não posso Sofia, não consigo! – Explica-lhe ela.

- Eu não acredito! Tu gostas dele, Débora?

- Tu também?

- Ah?

- O Zayn também me disse isso.

- Se calhar porque temos razão.

Débora não protestou.

- Não precisas de ter vergonha de gostar dele. Ainda por cima ele gosta tanto de ti!

- Olha! Tu e o Zayn combinaram, foi? Estão bem um para o outro.

- Óie… - Riu-se a morena.

- A sério. As mesmas palavras e tudo!

- Pronto! Eu não insisto mais. Mas tens de admitir. Vá lá senhora dona rabugenta.

- Rabugenta, eu?

- Débora?

- Sou assim tão óbvia?

- Pela tua reação e pela forma como tens falado dele… Sim.

A loira encolheu os ombros!

- Tão lindos!

- Oh! – Ri-se Débora. – Eu quero é que ele fique bem…

- Para lhe poderes dizer o que sentes, certo? – Interrompe Sofia.

- Isso logo se vê.

- És mesmo… Débora.

A loira riu-se mais uma vez e assim as duas ali ficaram um pouco distraídas do sofrimento por ver um amigo tão mal.

- Aleluia que atendes Débora! Que se passou? Saíste de casa àquela hora, depois desligas o telemóvel, fiquei preocupada, sabes?

- Desculpa Mónica.

- Mas onde estás tu?

- Estou no hospital.

- No hospital?! Que se passou?

- O Niall está em coma.

- Em coma? Mas como?

- Coma alcoólico.

- Esse rapaz não apanha jeito! Ainda há dias… Enfim. E tu, como estás?

- Eu? Eu não estou em coma.

- Sim, trenga. Estou a perguntar como estás porque sei que ele é especial para ti.

- Outra? Hoje toda a gente me atira isso à cara! Será que só eu é que não dei disso!

- Calma! Eu já te tinha confrontado com isso no outro dia. Tu podes-te fazer de durona mas eu já te conheço há muitos anos!

- Mas deixa lá porque há quem me conheça há muito menos tempo e tenha descoberto na boa. Acho que não sou assim tão durona afinal.

- Foi a Sofia?

- E o Zayn.

- É natural. Passam muito tempo contigo.

- Mas pronto. Vai às aulas normalmente. Eu vou ficar aqui.

- Não queres que eu te vá fazer companhia.

- Não. Eu tenho aqui a Sofia.

- Está bem. Mas depois das aulas eu vou aí.

- Está bem. Obrigada.

- Sê forte! Fica bem. Beijinhos.