Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 39
Capítulo 39


Notas iniciais do capítulo

Dedicado à maluca da Raquel!! xD ly ♥




Com o seus típicos calores, Raquel decidiu ir até à varanda apanhar um pouco de ar. Nunca ninguém entendia o porquê de ela ser tão calorenta. Ainda por cima num país como a Inglaterra…

Liam que tinha ido à cozinha, reparou que a porta da varanda estava aberta e que estava a entrar uma aragem fria de Inverno e foi ver quem era o maluco que lá estava fora.

- Que fazes aqui a olhar para o nada? – Pergunta Liam surpreendido por vê-la debruçada no parapeito da varanda naquele frio.

- Liam! – Os olhos dela iluminaram-se ao vê-lo – Não te tinha visto. Vim refrescar-me um pouco. Estava muito calor lá dentro.

- Ah! Pois. Já me tinha esquecido que és a rainha dos calorentos. – Goza-a ele debruçando-se no parapeito, bem perto dela.

E ali ficaram um pouco sem nada dizerem um ao outro.

- Adoro a neve! – Exclamou ela de repente.

- Eu prefiro o sol. – Riposta o rapaz a tremer.

- Eu também. Mas no inverno a neve sabe bem.

- Não sei como.

Ela olha para ele e repara que ele estava todo a tremer, e então ri-se.

- Se estás assim com tanto frio porque não entras?

- Ai não me queres aqui à tua beira? Pronto. Eu vou-me embora.

Com aquela resposta divertida de Liam, Raquel apercebeu-se de que ele estava diferente para consigo em comparação às outras vezes que tinha estado com ele. Era como se ele tivesse esquecido o passado. Ela ficou mesmo feliz.

- Não, espera! – Pediu-lhe ela puxando-lhe pelo braço para si. Ele deixou-se levar pelo puxão e viu-se coladinho a ela. Ela abraçou-o, pondo a cabeça no peito dele.

- Que estás a fazer? – Perguntou-lhe ele baixinho, com dificuldade. Aquele abraço levara-o a outra dimensão. Sentiu o seu coração disparar, ficou sem forças.

- A proteger-te do frio com o calor do meu corpo. – Responde-lhe ela de olhos fechados, gozando aquele momento há tanto desejado.

Ele desviou suavemente o rosto dela do seu peito com a mão direita, pondo-a olhos nos olhos, deixando por fim, a sua mão deslizar ao longo do rosto dela. Raquel não podia mais. Beijou-o de uma forma arrebatadora a que ele não ficou indiferente. Ele encostou-a à parede e não se largaram ao longo de muito tempo; as suas bocas, depois de anos sem se encontrarem, não queriam perder um segundo do prazer de se tocarem. Tudo parecia o que era antes. Parecia que aqueles anos que estiveram separados não tinham acontecido; o sofrimento não era verdadeiro, tudo não passava de uma ilusão, de um pesadelo. Aquilo sim era a realidade; aquela chama que os envolvia e que o levava a acariciar-lhe a forma do corpo que aquele vestido branco acentuava na perfeição.

- Liam, eu amo-te! – Disse-lhe ela por fim.

- Deixemos rolar. Não quero apressar as coisas. Não quero já um compromisso. Estou a dar-te a oportunidade de me mostrares quem és tu agora.

Claro que ela preferia ter ouvido da boca dele uma resposta igual ao que ela tinha dito, mas já não era mau. Ele estava a dar-lhe uma oportunidade de ela lhe mostrar o seu amor.

Débora não suportava Niall!

- Mas ele é tão querido! Não entendo… - Insistia Sofia.

- Só podes estar a gozar. – Teimava Débora. – Aquele loiro oxigenado começou por fazer aquelas cenas todas que eu já te contei e agora cada vez que olha para mim parece que me come com os olhos. Não suporto isso!

- Talvez ele queira ser teu amigo. Essas coisas que se passaram de certeza que foram coincidências.

- Não importa. Não vou com a cara dele na mesma.

- Quando encasquetas… Débora, Débora…

Gina entretanto aproxima-se.

- Não querem comer nada? O Niall já está cheio de fome e eu por acaso também já comia…

- Por acaso… - Concorda Débora.

- Vocês os três juntos levavam uma casa à ruina! – Diz Sofia a rir-se.

- Óie… Eu não tenho culpa. – Exclamam as outras duas ao mesmo tempo fazendo a outra rir-se novamente.

- Estais combinadas é?

As outras entreolhavam-se.

- Sabes como é… Verdadeira amizade é assim. Comunica-se por telepatia. – Brinca Débora.

Niall chega-se ao grupinho por entre Débora e Gina, abraçando as duas.

- Então que se vai comer?

Débora sentiu aquela mão no seu ombro e deu um salto.

- Calma! Até posso ser feio mas não faço mal! – Replicou Niall.

Débora ia responder mas Sofia, prevendo uma resposta seca da amiga que iria deixar Niall triste como a outra durante o jogo, interrompeu:

- Tens nachos? A Gina adora e eu por acaso também gosto.

- Boa! Com queijo derretido por cima! Hum… - Concorda a morena de ascendência peruana.

- Yeah! Acho que há! – Afirma o loiro.

- Eu e a Gina vamos tratar disso. Mas eu dispenso o queijo por cima. Sabes, ela tem uma forma especial de os preparar: pai peruano…

- Fantástico! Sem trabalho, só comer… Mas despachem-se! – Pede Niall.

- Eu vou convo… - Tenta Débora escapar-se do loiro que acaba por a interromper:

- Não Débora. Eu gostava de falar contigo.

Mais uma vez Sofia interrompe o que a loira ia dizer.

- É Débora. Nós não precisamos de ajuda. E… eu acho que vocês precisam de falar.

Sofia sabia que era muito importante para Niall falar com ela. Ela notara um brilho nos olhos do amigo ao falar daquela “loira complicada”. Tinha razões para não gostar dela, mas a verdade é que lhe achava mesmo muita graça e desde a quinta feira anterior que não a conseguia tirar da cabeça.

A atriz não queria ceder, mas Zayn, acabado de entrar na sala, também ele insistiu, abraçando a amiga.

- Fala lá com o moço! Ele é porreirinho. Vais ver que quando o conheceres melhor vais ser uma grande amiga dele.

- Conhecê-lo melhor? Pff… Exato. – Reclama Débora para com os seus botões. No entanto acaba por aceitar. – Diz lá então!

Os restantes dirigiram-se à cozinha.

- Ainda bem que vieste. Assim podes dizer-nos onde estão os nachos. – Diz Sofia a Zayn com um ar sugestivo como se quisesse comunicar-lhe algo com o olhar.

- É. Mas depois podes ir. Não te quero a atrapalhar. – Conclui Gina.

- És tão insensível Gina! – Reclama Sofia a rir-se.

- Eu? O que é que eu fiz? Eu não sou é fácil. Tu é que és fácil, Sofia.

- E tu difícil!

Enquanto as amigas tinham a pequena discussão do costume, sempre entre risos, Zayn procurava os nachos.

- Obrigadinha Zayn. – Agradece Gina com o seu típico sorriso irónico.

A amiga de Sofia não desgostava de Zayn, mas também não tinha uma grande confiança nele. Era mulherengo e ela detestava isso! Era o suficiente para lhe reduzir na conversa.

Quando ela começou a preparar os nachos, Zayn tentou sempre “meter o nariz”, tentando irritar Gina.

- Olha, eu tinha-te dito para ires embora depois de nos dizeres onde estavam os nachos, sabes?

- Mas para onde queres que eu vá se os loiros estão na sala a falar e se o Louis e a Lúcia estão no quarto?

- Tens o corredor, a casa de banho, a varanda… - Sugere a morena dos caracóis em tom de gozo.

- Também tu queres que me vá embora?

Ela riu-se.

- Por mim é-me igual.

- Mas por mim não! Podes sair de cima de mim, Zayn? A sério!

- A falar assim até parece outra coisa! – Ri-se Sofia.

- Sofia! Se estivesse aqui a Débora já te estava a chamar tarada! – Replica a outra. – Tira o queixo de cima do meu ombro, Zayn! Assim não me consigo mexer!

O rapaz ria-se por estar a conseguir irritá-la ao mesmo tempo que piscava o olho a Sofia.

- Vai chatear a Sofia ao menos! Vai, vai! Se não, não comes hoje.

- Pronto, pronto! Vou ficar aqui quietinho, encostado ao frigórico.

Entretanto Gina pede ajuda a Sofia, que se aproxima da amiga. Zayn, malandro, aproxima-se também, pelo lado de Sofia, fazendo de conta que estava a tomar atenção ao que elas estavam a fazer. Sem que Gina notasse, pôs a mão nas costas da Sofia, sentindo os caracóis dela, fazendo a mão descer até ao rabo, que agarrou fortemente. Ela não quis ser indiscreta e, contendo-se, apenas olhou para ele com os olhos arregalados, rindo-se pelo sorriso maroto dele, acompanhado pelo arquear das sobrancelhas. Os dois estavam mesmo dispostos a umas brincadeiras de vez em quando. Com aquilo que Zayn fez, e com a resposta de Sofia, percebia-se que eles encaravam já a relação deles com naturalidade, dispondo até dos corpos um do outro como se fossem um casal. No entanto, tudo se passava por detrás dos olhares dos outros. Acabava por ser divertido. Gina em nada reparou, estando ocupada a preparar os nachos.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.