Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 145
Capítulo 145





Três semanas se tinham passado desde o assassinato de Dylan. A polícia nada descobrira e Mónica sentia-se revoltada por isso. Tinham sido três semanas de inferno! Se não fossem os amigos talvez ela também tivesse já feito uma asneira. Josh, então, tinha sido o seu maior apoio! Não a deixava sozinha, nunca! Ela sabia dos sentimentos dele e admirava-o em segredo por não se aproveitar dela naquele momento. Era sem dúvida um rapaz especial.

Mas era chegado um dia especial: Sofia fazia anos. Como só tinha aulas no final da manhã, a portuguesa deixou-se dormir. Mal sabia ela que havia quem lhe estivesse a tramar uma surpresa. Zayn e Niall, que tinham aulas bem mais cedo que ela, decidiram ir lá acordá-la antes de irem para a Universidade. Lúcia abriu-lhes a porta e depois dirigiram-se os três, pé ante pé, ao quarto da bela adormecida. Zayn ajoelhou-se para ficar ao nível dela, para que ele fosse a primeira coisa que ela visse ao abrir os olhos. Niall trazia consigo a sua guitarra. Com tudo preparado, o loiro começou a tocar a música dos parabéns cantanto bem forte para a acordar. Lúcia acompanhava-o. Ela, estremunhada, acordou de rompante, viu Zayn e os dois amigos e logo se escondeu debaixo dos lençóis por segundos, rindo-se.

- Parabéns! – Diz-lhe Zayn carinhoso dando-lhe um beijinho nos lábios.

- Uh! – Gozam Niall e Lúcia que entretanto tinham acabado de cantar.

- Obrigada. – Agradece ela aos três. – Sem dúvida uma forma muito original de acordar.

A namorada de Louis aproximou-se para lhe dar dois beijinhos e Niall fez o mesmo, ficando sentado à beira dela e fazendo-lhe cócegas.

- Agora a menina tem é de se levantar. É o teu dia de aniversário! Não é para ficares na cama.

- Ai, pára Niall… - Ria-se ela com as cócegas. – Que horas é que são? – Pergunta com um bocejo.

- Precisamente nove e dez. – Responde-lhe o namorado olhando para o relógio.

- Ui… Eu só tenho aulas às onze…

- Mas eu tenho aulas daqui a vinte minutos, menina… - Responde-lhe Zayn. – Mas não queria perder a oportunidade de ver a minha menina a acordar, pela primeira vez, com dezanove aninhos.

- Own… Que fofinho!

- Olhem lá, e um pequeno almoçozinho agora para compor a barriguinha depois disto tudo? – Propõe Niall.

As raparigas riram-se.

- Niall, tu comeste tipo, há quinze/vinte minutos atrás, lá em casa!

- Eu sei… Mas a Sofia ainda não comeu nada e eu não me importo de fazer-lhe companhia no pequeno-almoço.

- Sim Nial, sim… Eu entendo-te. – Brinca Lúcia.

- Vamos lá então comer qualquer coisa. – Decide-se a aniversariante levantando-se da cama.

-x-x-x-

Entretanto, ao acabar a sua aula de Zoologia, Gina encontrou-se com Harry. Ele queria falar com ela. Na noite anterior, a sua mãe, mais uma vez tinha-lhe falado sobre querer conhecer Gina. Já há algum tempo que ele não falava disso com a namorada porque na verdade andava esquecido disso.

- A pobre coitada anda a querer-te conhecer há tanto tempo! Como fiquei com pena dela, prometi-lhe que passávamos por lá no final dos exames, antes de irmos para Portugal de férias. – Disse-lhe ele com esperança que a namorada aceitasse.

- Hum… Tudo bem.

- A sério? – Fica ele contente.

- Claro.

- Ainda bem então. Afinal, eu também vou conhecer os teus… É, não é?

- Pois, acho que sim… Vai ser um bocado esquisito chegar lá e “olha mãe, pai, este é o meu namorado”… Mas pronto. Tem de ser.

- És tão tolinha… Tenho a certeza que eles vão gostar de mim. – Arma-se ele em convencido.

- Exato… - Ironiza ela.

- Óie… Porque não?

- Porque… Nada, esquece. Estou a brincar contigo.

- Olha, vem aí a Sofia!

A aniversariante aproximou-se do casal e eles logo lhe desejaram um feliz aniversário. Ao longe, a namorada de Niall, Mónica e Raquel, que estavam juntas, avistaram-na e não perderam a oportunidade de fazer o mesmo. Ela adorava fazer anos! Nesse dia toda a gente lhe dava uma atenção especial e ela adorava ser o centro das atenções dos amigos um dia por ano. Mas estava na hora de se ir para as aulas. Gina tinha de ir para o Jardim Zoológico e Raquel, ao sair da universidade cruzou-se com o professor, com quem trocou um olhar. Na universidade todos comentavam o que se passava entre aqueles dois. Tinham de começar a disfarçar melhor…

-x-x-x-

Depois do plano falhado, Caroline andava inquieta. Desistir nem lhe passava pela cabeça. Pelo contrário! Sabia muito bem o que fazer. Desta vez tinha plena certeza de que ia conseguir, até porque achava que tudo dera errado das outras vezes por culpa do incompetente do Derek. Só que ela tinha um problema do qual não tinha conhecimento. Gina e Harry sabiam de tudo desde que Derek lhe deixara a carta. O inglês, quando soube, ficou reticente a tudo aquilo no início, mas, depois de raciocíonar chegou à conclusão que podia ser realmente verdade. Fora de si, quase que ia tirar sarisfações com a ex-namorada, mas Gina, sempre muito racional, achou por bem fazerem de conta que nada sabiam e ficarem preparados para o próximo golpe da loira doentia para, quem sabe na próxima tentativa, a apanharem em flagrante e reverterem o jogo a favor deles. Aí seria o momento perfeito para os dois, juntos e fortalecidos pelo amor que os unia, a afastarem de vez, atirando-lhe tudo à cara, mostrando-lhe que não era assim tão esperta como se achava. Viesse o qeu viesse, sentiam-se preparados para tudo. E mal sabiam o que os esperava…

-x-x-x-

Como aniversário que era, naturalmente o namorado não quis deixar passar a data em branco por muito que a festa com os amigos fosse no dia seguinte. Assim, às oito, Sofia estava pronta, à espera do seu príncipe. Demorou um pouquinho a chegar, mas ela já sabia como ele era. Só para arranjar o cabelo... Mas o importante é que chegou e levou-a a um restaurante fenomenal de halal, comida tipicamente muçulmana. Naquele dia ele estava especial. Não só por estar bonito, porque isso era todos os dias, mas porque naquela noite queria que tudo fosse à escolha dela. Ela gostava desses miminhos.

À saída do restaurante ela agradeceu ao namorado pelo jantar romântico, estando na expectativa de irem de imediato para casa.

- Hum, ainda bem que gostaste, mas ainda não acabou a nossa noite... - Diz-lhe ele, abraçando-a pela cintura, com um tom de voz sugestivo.

- Zayn Malik... És um taradinho...

- Eu? Eu não disse nada disso que tu estás a pensar. Tu sim, és uma pervertida!

- E não era disso que estavas a falar?

- Por acaso não... Mas... É um plano a se considerar...

Ela riu-se e beijou-o.

- Mas então onde vamos agora?

- Já vais ver. - Diz-lhe ele abrindo-lhe a porta do carro para ela entrar.

O carro começou a andar. Estava uma linda noite, um pouco fria, mas linda. Ela não conseguia de todo imaginar para onde estava a ir. Só sabia que seria bom porque na companhia dele, tudo o era. Entretanto, ao olhar pela janela do carro, deu-se conta de onde estava, constatando que ele estava a parar o carro.

- Own... Zayn, a sério? Ó meu Deus!

Ele ria-se.

- Já há algum tempo que queria cá voltar contigo... Hoje foi o dia, ou melhor, a noite certa.

- Tu sabes que eu ligo muito a estas pequenas coisas. Own! Amo-te tanto! - Agarra-se ela ao pescoço dele beijando-o apaixonadamente.

- Vamos?

Ambos saíram do carro. Atravessaram a estrada e estavam novamente no parque onde tinham estado da primeira vez. Naquele parque para onde tinham ido após se conhecerem na discoteca na viagem de finalistas dela. Aquela louca noite que se viria a revelar tão decisiva na vida daqueles dois. Deram uma volta por todo o parque, namorando. Passaram novamente, como naquela noite há já tantos meses atrás, a ponte e mais uma vez puderam observar a lua. A lua que, aliás, estava sempre presente nos momentos mais importantes deles. Eles falavam exatamente sobre isso e riam-se dessa constatação. Depois foi a vez de se sentarem no mesmo banco da outra vez. Aí perderam umas horinhas a namorar coladinhos um ao outro. Mas faltava algo muito importante ainda: a verdadeira prenda de aniversário. Então ele puxou-a pela mão até ao carro.

- Entra. – Pedia-lhe ele.

- O que vai sair daí… - Desconfiava ela. – Não era preciso mais nada…

- Oh! É só mais uma coisinha.

Ele abriu o tableau do carro e tirou lá de dentro um bonito e pequenino saquinho.

- Own… Tão fofinho o saquinho! O que é?

- Abre. Vê.

Ela, com cuidado, intrigada, foi abrindo a bolsinha. Mas quando tirou o que estava lá dentro ficou sem entender, a olhar para ele. Zayn ria-se.

- O porta-chaves é realmente fofinho! Amei, mesmo… Mas a chave…? De onde é isto?

- Da nossa casa.

- Ah!?

- Queres morar comigo?

Ela riu-se de nervosismo.

- Morar contigo? Mas como assim?

- Na mesma casa que eu. Uma casa só nossa.

Ela ficou sem reação. O abalo tinha sido tão inesperado, tão emotivo que os olhos brilhavam pelas lágrimas de felicidade que ameaçavam fugir sem que ela tivesse sequer vontade de chorar.

- Então?

- Oh meu Deus… Eu… Tu estás a falar a sério?

- Claro que estou.

- Eu… quero, claro que eu quero!

O rapaz beijou-a como resposta entusiástica à determinação dela.

Depois de tudo lhe explicar, foram precisamente para a casa que iria ser deles. Já não era desconhecida a Sofia. Era a casa que o pai dele tinha lá em Londres e que agora lhe tinha dado a ele. Agora o rapaz só queria alterar algumas coisas na casa e queria que Sofia também contribuísse para transformar a casa no lar deles. Assim sendo, iam esperar para o grande passo para depois do Verão, quando voltassem de Portugal. Mas, por enquanto, podiam aproveitar a casa para acabar a noite da melhor maneira e mais à vontade, ao estilo que eles bem dominavam.



Notas finais do capítulo

Próximo capítulo terça ou quarta feira.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.