Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 119
Capítulo 119





A semana tinha passado. Louis e Lúcia continuavam em clima de lua-de-mel, Liam e Danielle encontraram-se um ou duas vezes, Niall tentava estar com Débora todas as noites, visto que naquela semana poucas vezes ela fora à universidade devido às gravações para a novela. De resto, Harry continuava perdido, sem saber o que fazer para reconsquistar Gina, e Zayn e Sofia continuavam a amar-se como no primeiro dia.

Seriam umas 10h da manhã de Sábado quando Zayn se levantou para fazer o pequeno-almoço. Não estava em casa dele, mas sentia-se como estando. Tinha dormido nessa noite em casa da namorada. A noite fora longa… Também Gina acordou a essa hora. Acordando esfomeada, dirigiu-se também à cozinha, encontrando lá Zayn.

- Ouh! Não sabes vestir qualquer coisa, não? Sempre a mesma coisa quando dormes aqui… – Reclama ela com uma voz ainda ensonada.

Ele riu-se.

- Desculpa lá. Pensei que não ias acordar tão cedo. Como és dorminhoca… Ainda só são 10h.

A campainha tocou nesse momento.

- Eish… A esta hora? – Reclama ela novamente.

- Vai lá ver quem é. Eu até ia, mas estou assim… nestes trajes.

- Pff…

Assim lá foi ela ver quem seria o visitante madrugador.

- Derek?

- Bom dia!

- Bom dia. O que é que fazes por aqui?

- Como me deixaste plantado no outro dia, e parecias tão tristinha quando te telefonei, eu pensei convidar-te para uma exposição de fotografia hoje.

- Às dez da manhã?

- Não… É só depois do almoço.

- Ah bom. Então porque é que estás aqui a esta hora?

- Para não te convidar em cima da hora… Mas já vi que estou a incomodar, desculpa.

- Ah, ok. Deixa lá. Então depois passa por aqui.

- E não queres almoçar comigo, também? Antes de irmos para a exposição?

- Se tu pagares, aceito!

Ele riu-se.

- Meio-dia passo aqui.

- Até logo!

A rapariga fechou a porta e voltou à cozinha. 

- Quem era?

- Era o Vitor.

- Ah, ah, ah… Que gracinha… Vai gozar com outro.

Ela riu-se.

- Vá lá, diz quem era.

- Era o Derek.

- O Derek? O Derek, Derek, Derek, Derek?

- Sim. O Derek, Derek, Derek, Derek.

- O que é que ele queria?

- Convidar-me para sair.

- E tu vais?

- Vou.

- E o Harry?

- O Harry que se foda. Aposto que companhia não lhe falta.

- Eu não acredito que vais sair com o Derek. - Diz Zayn a rir-se. - Isso é só para lixares o Harry. Só para lhe fazeres ciúmes.

- Não é nada!

- É, é!

- Óh boi! - Exclama Gina em português.

- O quê?

- Vai mas é fazer o pequeno-almoço.

Zayn continuou a rir-se. Enquanto acabava de preparar o pequeno-almoço, este insistia na mesma conversa com Gina.

- Não devias estar a fazer isto ao Harry. Ele gosta mesmo de ti, sabias?

- Tu sabes ao menos aquilo que aconteceu?

O muçulmano olhou-a com um olhar sujestivo, dando a entender que sabia, mas não queria dizer por respeito.

- Ok. - Aceita a morena virando-lhe costas.

- Gininha...

- Não tens de levar o pequeno-almoço à Sofia?

- Como é que sabes que eu estou a fazer o pequeno-almoço para ela?

- Óh estúpido, estás a pôr as cenas no tabuleiro...

Com tudo pronto, ele pega no tabuleiro e dirige-se à porta da cozinha, parando e insistindo novamente.

- Agora a sério: tu vais mesmo sair com o Derek? Ou estás a gozar comigo?

- Vou mesmo. Mas não penses coisas! Eu… Eu ainda gosto do Harry.

- Hum… Fico muito mais sossegado então. – Brinca o rapaz continuando o seu caminho.

-x-x-x-

À hora marcada, Derek apareceu para ir buscar Gina. Ela ficou toda entusiasmanda por andar de mota. Foram até à Pizza Hut e estavam a dar-se muito bem. Ao longo do almoço, Derek revelou-se muito divertido, uma qualidade que ela apreciava muito. Depois seguiram para a exposição, onde estariam expostas as fotos dos melhores fotógrafos britânicos. Para um estudante de fotografia, como era o caso de Derek, era uma oportunidade única para aprender. Já Gina era uma apaixonada pela mesma arte, pelo que também se revelou uma experiência única. Vendo o encanto da morena, o americano prometeu-lhe levá-la com ele na próxima vez que fosse fotografar. Ela aceitou logo.

Nesse dia a portuguesa ficou a conhecê-lo muito melhor. Viu que ele não era apenas um puto de 17 anos armado em bom, como ela pensava, mas sim um rapaz capaz de atos mais adultos que certas e determinadas pessoas. Além do mais, descobriu que ele era surfista nos Estados Unidos. Era algo que ela considerava atraente nos rapazes. Pena estarem em Londres, onde não havia mar, porque de outra forma ele também disponibilizar-se-ia para lhe dar umas umas aulas de surf... e gratuitas!

-x-x-x-

Ao longo da semana que passara, o rapaz dos caracóis andava a pensar muito na possibilidade de ser pai. A certa altura já se esquecia que isso era só uma possibilidade e tomava aquilo por certo. Esquecera o susto inicial e já se imaginava a trocar fraldas e a ser chamado de “papá”. Estava a começar a adorar a ideia de ser pai. No entanto tinha de falar com Gina. Já não falava com ela havia uma semana mas sentia que era importante fazê-lo. Tinham assuntos a tratar. No Domingo não conseguiu esperar mais. A campainha soou na casa das portuguesas e Gina era a única que estava em casa. Sofia e Zayn tinham saído com Niall e Débora, e Lúcia tinha ido ao shopping com Danielle. Então a rapariga correu à porta. Harry estava do lado de fora, mas mal ela abriu a porta, ele entrou rapidamente sem se calar. Ela nunca o vira a falar tão depressa. Na realidade ele estava nervoso porque não sabia muito bem como falar com ela, mas sentia ter essa obrigação e se não o fizesse não iria sossegar. Já desde a semana anterior que necessitava de o fazer, mas faltava a coragem.

- Eu tenho andado a pensar… Estou preocupado com a nossa situação… Como vamos resolver as coisas? Eu sei que não queres falar comigo, mas… porra! Temos um filho! Vamos ser pais! Temos de começar a preparar tudo. Sei que não era a altura certa, não foi planeado, mas será aceite com todo o amor e carinho.

Gina estagnou com cara de incompreensão e susto. Não conseguiu responder porque ele recomeçou.

- Não me olhes assim… Estás chateada comigo, eu sei… Gina, é um filho! Eu até já estive a pensar que se fosse menina gostava que lhe chamássemos Darcy, se for menino... não sei ainda. Mas, claro, tu também tens voto na matéria. Temos ainda tempo para pensar nisso. O importante agora é falarmos sobre como vamos planear o nosso futuro.

Ela não aguentou mais. Riu-se.

- Pronto, ok. Ri-te lá. Estou a fazer papel de estúpido até porque ainda nem fizemos as pazes, mas eu acho que o importante é esse filho. Demorei tanto para me habituar à ideia nestes dias! Mas agora é o que eu mais quero. Estou tão entusiasmado! – Continua, aproximando-se um pouco mais dela e abrandando o ritmo da fala. – Gina, eu amo-te e quero passar o resto da minha vida contigo e com essa criança. Vamos ser muito felizes. Eu prometo que sim. Para isso… Tens de me perdoar. Tens de acreditar que o que tu percebeste não era bem o que eu queria dizer. Acreditas em mim? Podemos voltar ao que eramos? Ou melhor, quase ao que eramos, mas com esse extra que tens aí a crescer dentro de ti?

- Harry… Eu não estou grávida!

- Mas, mas… Tu disseste…

- Eu disse que tu não tinhas usado proteção. Mais nada.

- Sim… E então?

- Então que houve sim a possibilidade de eu estar grávida, mas graças a Deus não estou.

- Já fizeste o teste?

- Harry… Já me veio… Vá tu sabes. Não me parece realmente que esteja grávida.

- Ah? Então…

Ela continuou a rir-se.

- Então fizeste figura de parvo. E acredita que teve muita graça.

- E agora?

Ela encolheu os ombros.

- É melhor eu ir embora?

Gina não respondeu.

- Ok.

- Não, espera.

- Diz.

Ela correu para ele e beijou-o. Não conseguiria ficar chateada com ele depois de tudo aquilo. Ele tinha sido tão querido! Aquilo era a prova que aquela noite tinha sido um grande mal-entendido. A única coisa que ela queria agora era tê-lo ao lado dela e gozar um pouquinho mais com todo aquele discurso de pai babado.

- Não sabes o que tenho sofrido calado este tempo todo sobre ser pai. Não sabia como reagir mas achei melhor não contar nada a ninguém… Depois mentalizo-me e tu dizes-me que não passa de um engano… Sinto-me como uma criança a quem deram um doce e agora tiraram… ´Tás a ver qual é a sensação?

Ela continuava a rir-se.

- Tão fofinho… papá.

- Pelo menos tenho-te novamente comigo. E no fundo, melhor assim, que não temos um Harryzinho ou uma Gininha a caminho. Há tempo para isso. Agora temos de tratar é da nossa vida. Nós os dois, só.

Ela sorriu-lhe.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.