Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 101
Capítulo 101





Harry e Zayn foram juntos para a casa das namoradas. Era sábado e não havia forma melhor de passa-lo senão a namorar.

- Lembras-te da conversa de ontem? Vê se aproveitas hoje… A Sofia vai sair comigo, a Lúcia deve arranjar algo para fazer… Ficas com o caminho livre. - Insinua o muçulmano.

- Vais começar outra vez?

Zayn ria-se.

- Estou no gozo contigo. Olha, chegamos. Vamos lá subir?

Ao chegar ao andar do apartamento delas, os rapazes repararam que havia uma certa movimentação na casa de Danielle, que, aliás, tinha a porta aberta. No entanto, não quiseram interferir. Tocaram à campainha do apartamento das namoradas. Sofia abriu a porta e logo de seguida Gina apareceu também. Elas cumprimentaram-nos e, quando eles iam a entrar, veem a sair da porta da frente Danielle acompanhada por aquele que seria de certeza o novo vizinho delas. Vinham bastante animados e pareciam estafados pela mudança.

- Meu Deus, belisca-me... Acho que estou a sonhar. - Comenta a rapariga dos cabelos lisos com a amiga.

- Então acho que estamos no mesmo sonho...

- O que é que vocês estão para aí a sussurrar? - Pergunta Harry.

- Ah?! Nada, nada...

- Estávamos só a comentar que tivemos o mesmo sonho.

Zayn e Harry entreolharam-se desconfiados.

- Olá pessoal! – Cumprimenta Danielle.

- Olá! – Respondem todos.

- Bem, tenho de vos apresentar o Josh. É ele que vem morar comigo.

- Olá! – Cumprimenta também o rapaz.

Danielle aponta-lhe os nomes dos amigos e os outros dois rapazes, acabando por esquecer a desconfiança inicial, cumprimentaram logo Josh. As namoradas depois de "acordarem" também deram as boas-vindas ao novo vizinho.

- Já sabes: se precisares de alguma coisa e a Danielle não estiver em casa, nós moramos mesmo em frente! - Disponibiliza-se Sofia.

- É. Mas não abuses! - Avisa o muçulmano.

- Fiquem descansados. - Tranquiliza Josh rindo-se. - Não tenciono roubar namoradas a ninguém.

- Continua assim, então meu. - Avisa Harry.

- Nós também não tencionamos trocar de namorados, pois não, Gina?

- Gina? - Insiste o colega de turma de Sofia.

- Ahm... - Brinca a estudante de biologia. - Claro que não. Respira um bocado!

- Bem, nós temos ainda de ir lá baixo buscar umas coisas ao carro do Josh, que ainda faltam trazer para cima. Vocês não imaginam o meu susto quando o vi a chegar aqui com peças de bateria.

- Ah… pois é… espero que não seja problema para vocês. Sei que é um bocadinho chato ser-se vizinho de um baterista, mas eu prometo não tocar a horas indecentes.

- És baterista? – Entusiasma-se a rapariga de ascendência peruana.

- Sou. – Sorri-lhe ele docemente.

Harry, que não gostou do entusiasmo da namorada logo interferiu com alguma ironia.

- Já vi que és um rapaz de muitas qualidades.

- É para verem a minha sorte! Livro-me de uma guitarrista e aparece-me um baterista. – Brinca a inglesa.

Josh riu-se.

- Bem é melhor irmos que eu ainda tenho muito que fazer.

- É, vamos.

- Se precisarem de ajuda… - Dispõe-se Sofia.

- É, se precisarem podem contar de certeza com o Harry e a Gina, porque eu e a Sofia tínhamos muito gosto em ajudar-vos se não tivéssemos coisas marcadas. – Interrompe o namorado.

O casal amigo olhou-o não muito contente.

- Ah, não, não é preciso. Obrigado.

- É. Eu e ele damos conta do assunto.

-x-x-x-

Sofia e Zayn acabaram por sair e Gina e Harry foram para o quarto onde poderiam estar mais à vontade. Só que, mais uma vez, Harry recebeu uma daquelas mensagens desconhecidas. E, mais uma vez, Gina estava com ele quando a recebeu.

- Outra vez isso? Estás mesmo a gozar com a minha cara... Desta vez diz o quê? Vamos enganar a tua namorada outra vez?

- Não sejas parva. Eu já te disse que não sei de quem são estas mensagens.

- Eu vou descobrir de quem são. Dá-me o número.

- Não queres ligar do meu?

- Da última vez não resultou muito bem ligar do teu.

- Pronto... Tu lá sabes.

Ela marcou o número no seu telemóvel e telefonou. Estava a seguir o conselho da amiga. Tinha quase a certeza de que não era realmente nada, mas era melhor conferir.

- Estou?

- Sim? Quem fala? - Responderam do outro lado da linha.

Gina após a outra pessoa ter respondido, desligou.

- Então? - Interessa-se ele.

- Harry... Tu és gay?

- O quê?! Donde é que surgiu isso?

- Foi um gajo que me atendeu... - Responde-lhe ela deixando escapar um risinho.

- Como? Primeiro eu não sou gay e segundo isto é a prova como as mensagens não eram para mim!

- Tens a certeza? - Pergunta-lhe Gina num tom de gozo.

- Achas mesmo que eu... Eu! Por amor de Deus, eu namoro contigo!

- Tem calma! Mas olha, se algum dia te sentires virado para o outro lado, não tenhas problemas em assumir... Ao menos servi para alguma coisa.

- Gina! 'Tás a brincar comigo? Porra... A sério?

Ela começou a rir-se e abraçou-o.

- Gosto muito de ti, não vires gay. Eu sei que tens tendência para isso. Vives com quatro rapazes, num só quarto, todos juntinhos...

- Vou ter que te mostrar o macho que sou?

- Vais começar por quê? Pelos boxers cor-de-rosa ou pela tatuagem da estrela? - Continua ela a brincar.

- Estás mesmo a pedi-las! - Diz o inglês, atirando-se de repente para cima dela, beijando-a intensamente.

- Ok. Já percebi. És um completo macho latino! Ou não...

-x-x-x-

Enquanto isso, Sofia e Zayn foram a um pub bastante acolhedor. Sentaram-se, tomaram um chocolate quente e ficaram a conversar. Dali a bocado o telemóvel de Zayn tocou. Ele olhou para o telemóvel e largou-o em cima da mesa a tocar, com uma expressão aborrecida na face.

- Quem é?

- Ninguém que interesse.

Ela pegou no telemóvel.

- Não atendas! – Pediu ele.

- Tem calma! Eu não atendo.

Ela olhou para o ecrã e viu que se tratava do pai dele.

- Zayn, devias atender. É teu pai, porra!

- Para quê? Para me enervar e trata-lo mal? Não quero fazer nada de que me venha a arrepender. É melhor assim.

O telemóvel voltou a tocar.

- Foda-se! Tem sido isto desde quinta-feira!

- O teu pai ainda vai pensar que sou eu que te ando a encher a cabeça para não falares com ele.

- Não te importes com isso. O que importa é o que eu penso de ti e não ele. – Acalma-a com um sorriso, acariciando-lhe as mãos. – Vamos dar uma voltinha a pé por aí, à beira rio, aproveitando que não neva hoje?

- Vamos!

Os dois apaixonados saíram de mão dada do pub, depois de pagar, e caminharam alguns metros. Pouco depois sentaram-se num banco de jardim de frente para o rio. Zayn, abusador, deitou-se no banco, com a cabeça no colo dela. Ela riu-se mas deixou-o ficar, massajando-lhe a cabeça. Ele fechava os olhos como um gato que recebe festinhas da dona. Ela olhava-o deliciada. Depois disso, ele, repentinamente, abriu um olho apenas, fazendo-a soltar uma gargalhada.

- Sabes no que estava a pensar?

- Hum… Em mim, claro. – Sugere ela, fingindo-se de convencida.

- Podia ter sido, mas por acaso desta vez não foi.

- Hum… Em quem estavas tu a pensar então?

- No Harry.

- No Harry? Tu vê lá o que andas a fazer com o Harry… Coitadinha da Gina! – Brinca ela.

- Trenguinha… Não é nada disso. Ele faz anos sexta-feira.

- Ah, eu sei. Até já pensei no que lhe poderíamos dar.

- Hum… Uma prenda em conjunto… Agrada-me.

Ela sorriu e explicou ao namorado a sua ideia.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.