Etapas escrita por Blue


Capítulo 1
Descoberta


Notas iniciais do capítulo

Não tenho muita coisa a declarar... Crie isso na aula de física, quando já tinha acabado a tarefa.
Foi apenas uma tentativa de comédia...



Ninguém nasceu sabendo ser gay. Há etapas por qual devemos passar até aceitarmo-nos totalmente, para não termos medo de ser feliz. Para Uchiha Sasuke este momento de descoberta não foi muito diferente.

Lembre-se, sempre há uma ocasião de descobrimento, seja ela na infância ou na adolescência. Com o garoto Uchiha de 15 anos não foi dessemelhante.

Presenciem a sua descoberta:

Era um quarto bem adornado e simples. As cores que se destacavam mais eram o branco e o vermelho, correspondentes ao emblema da empresa Uchiha.

Encostado á parede havia uma cama de solteiro, com a colcha vermelha, a sua direita uma janela simples que deixava o ambiente mais arejado. Também possuía uma televisão fixada na parede, sendo acompanhada por um console Nintendo.

Em um canto tinha uma escrivaninha com um Mac book disponível.

Dois garotos encontravam-se no quarto, um loiro e o outro moreno, ambos opostos. Não só de aparência, mas de personalidade. Geralmente o galego era extrovertido e alegre; sempre carregava um sorriso de cegar qualquer um. Esse era Uzumaki Naruto.

Já o outro –o moreno-, era antissocial, careta e sem senso de humor algum (talvez não totalmente, pois sabia ser sarcástico quando desejava). E esse era conhecido como Sasuke Uchiha.

- Cara, eu ‘to dizendo, você é gay. –Disse o loiro rodeando o amigo, que estava sentado na cadeira da escrivaninha.

 - Como assim? Gay? -Sasuke fechou o Mac Book e olhou incrédulo para o amigo.

- Você gosta de garotos, oras! – Naruto soltou uma gargalhada gostosa ao ver o semblante surpreso do amigo. - Pensei que o senhor-sabe-tudo soubesse o significado disso.

O moreno girou na cadeira, ficando de frente para o menor.

- Como pode ter certeza dobe? –Indagou com uma expressão beirando de surpresa á irritação.

- Pelo seu estilo. –Falou o loiro sentando-se na cama macia do amigo, e encostando-se ao travesseiro.

- O que há de errado com o meu estilo? –perguntou o adolescente de 15 anos ofendido.

- Olha esse seu cabelo, essas suas mãos macias, as suas canelas brancas e além do mais, você calça nº 35. –Falou contando nos dedos os dotes afeminados do outro.

Mas o loiro esquecera que Sasuke calçava 35 sim, porém a dois anos atrás.

Naruto ainda lembrava-se de quando conheceu Sasuke. Ambos tinham 6 para 7 anos. O pequeno loiro corria de um lado para o outro, quando esbarrou em algo mole e caiu em cima deste.

- Ai! Você não olha por onde anda?! –Gritou o miúdo que foi “amassado” pelo corpo do maior.

- Desculpe, eu não te vi. –Falou o de pele bronzeada, levantando o branquinho.

- Tsc. Tudo bem. –Colocou-se de pé e bateu as mãos na roupa, a fim de tirar a terra impregnada.

- O meu nome é Naruto, qual é o seu? –Perguntou alegre, sorrindo radiante.

- Sasuke. -Falou decidido.

- O seu nome é Sasuke? –Perguntou o loiro incrédulo, franzindo as sobrancelhas douradas.

- Sim, qual é o problema com o meu nome? –O moreno disse, cruzando os braços diante o corpo, um claro sinal de irritação.

- Nenhum... –Respondeu pondo as mãos á frente do rosto, balançando-as, pedindo calma. –Só é um nome incomum para uma garota. –Completou fazendo um bico pensativo e inflando as bochechas rosadas.

Viu o rosto da criança á frente ficar vermelho de raiva, para logo depois sentir um soco na cabeça. Está certo que dizer que o nome de uma garota não era feminino não foi legal, mas também não era para tanto!

- Eu sou um garoto! –O moreninho gritou estressado.

- Um garoto? –o loiro perguntou, querendo ter certeza.

- Sim! –Gritou.

- Naruto! –A voz de Sasuke despertou-o do transe que se encontrava. De agora em diante, era melhor ter cuidado. Quem sabe até onde os devaneios de Naruto podem leva-lo? Disso nem ele mesmo sabia.

- Anh? –Gemeu baixo, deixando o moreno á sua frente irritado.

- Qual o problema de calçar 35? –Perguntou franzindo o cenho, esperando respostas do amigo acusador.

- 35 é pé de moça. –Naruto falou convencido, mostrando um sorrisinho de lado para a Uchiha.

- Isso é bobeira... Mulheres podem calçar mais ou menos do que 35. – Falou dentre os dentes, segurando-se para não levantar do assento e as mãos escaparem para ir de encontro ao pescoço do loiro atrevido, insinuador e ainda por cima depravado.

Não houve tempo para replica, pois pela porta do quarto, entrou Itachi, o irmão mais velho de Sasuke.

- Oi! Nii-san! Não bate mais na porta não é? –Perguntou o Uchiha menor ao irmão.

- A porta estava aberta, ainda por cima escancarada. –Disse caminhando até o centro do quarto.

- Fecha e depois bate. - O pequeno respondeu em tom brincalhão.

- Ora Sasuke... –Deu um curto sorriso, deslizando os olhos pelo quanto encontrando o amigo do irmão. –Naruto, a sua mãe acabou de ligar e me disse para dizer á você que voltasse para casa imediatamente, se não, ela vai arrancar a sua língua. E você sabe por onde. –Disse agora transmitindo um olhar sério.

- Kami-sama!

E assim o loiro saiu quase voando do quarto do amigo, mas não sem antes dar uma piscadela; e dizer algo como:

-“Pense no que eu te disse, o meu pai falou que era normal acontecer com garotos, afinal, somos adolescentes...”.

Agora vocês podem imaginar a cara que Itachi fez. Era difícil o mais velho tirar aquele semblante fixo de entediado, mas dessa vez, mesmo que sem querer, acabou erguendo uma das suas finas sobrancelhas.

“Yare, Yare... Parece que o meu otouto tem um relacionamento mais sério com esse loiro... Sabia Sasuke, você é um grande pervertido; eu disse para mamãe não tem falar nada sobre shounen-ai, mas ela não me ouviu.” - Pensou. Mas não disse nada. Ora, Itachi era um Uchiha, e Uchihas não possuem curiosidade. Iria passar a observar o irmão e o amigo dele, para ver se iria ter alguma cena mais quente, assim saberia quando olhar pela fechadura.

Não que Itachi fosse do tipo imoral, só que já fazia três dias sem nenhuma relação sexual; e acreditem, isso para ele estava sendo doloroso. O pior de tudo que para ele masturbação não adiantava, de maneira nenhuma!

Deidara, aquele loiro sacana, iria pagar... Ah se ia. Do que moreno tinha culpa? Esquecer o aniversário do “nomorolo” (junção de namorado mais rolo) era grave?

Devia ser.

De qualquer modo, ligaria para ele depois.

-Unnnn... Nii-san? Posse ter perguntar algo? –Sasuke falou, já sentindo o seu rosto ferver, com certeza já estava todo vermelho.

-Hn. –Foi monossilábico, mas a ansiedade de saber da pergunta do mais novo era tanta, que até estava mordendo as bochechas internamente. “O que será que ele vai perguntar?!”

Sasuke sentou na cama, no mesmo lugar que Naruto havia sentando há minutos atrás, e cedeu um pouco de espaço para o irmão.

O mais velho iria sentar, mas a sua mente extremamente poluída, diga-se de passagem, imaginou que os dois garotos estariam fazendo naquela cama.

Com certeza estavam aprontando, era a única resposta plausível em relação á piscadela.

“Já sei! Os dois estavam fazendo sexo selvagem e depois quando acabaram limparam tudo, Naruto usou a desculpa da ligação da mãe para sair de fininho... Isso explica... Sasuke não sabia que era gay, por isso ficou surpreso...”.

Pobre Itachi, sua mente já estava assemelhando-se á um aterro sanitário de tão podre. Olhem pelo ponto positivo, pelo menos á sua imaginação estava fértil.

“Isso explica a cheiro de transa no ar”. –Concluiu.

Quem disse que ele reparou no pacote de bolinhas de queijo que estava aberto, ao seu lado, em cima da escrivaninha? O fato é que nem o seu nariz estava escapando da sua perversão mental.

-Sabe... Eu prefiro ficar em pé... Fiquei o dia todo sentado no trabalho. - Afirmou sem mover-se do lugar.

- Ok... Se você diz... – Falou erguendo uma das sobrancelhas, em tom desconfiado.

- Vamos, me diga o que você quer... –Itachi falou, já ficando impaciente com a demora do irmão em contar o que estava acontecendo.

-Claro. Err... Alguma vez... Já lhe disseram que você assemelha-se a uma garota? –Perguntou nervoso, deixando gotas de suor escaparem pela face...

Ora, vocês queriam o que? Acham que é fácil fazer uma pergunta destas? A ainda por cima para o seu irmão-mais-velho-pegador?

Não. Não é fácil.

E ainda mais difícil para um Uchiha, que tinha um ego maior do que um balão.

-Unnn... –O maior colocou uma das mãos no queixo, esfregando, adquirindo assim uma pose pensativa.

“Ora... A situação está pior do que eu pensei... Moleque sem vergonha!”

-Sasuke... Vou lhe perguntar algo antes, para mim ter certeza da minha resposta... Ok? –Perguntou com uma expressão indecifrável. O comum para ele.

O menor não respondeu, apenas assentiu com a cabeça, dando a impressão para o irmão que poderia continuar.

-Bem... Você é Seme ou Uke? –Indagou o Uchiha mais velho, possuindo agora um sorriso depravado nos lábios, e por que não dize um tanto... Parvo?

Hã????

Seme ou Uke? Meu deus! era pior do que o moreno mais novo pensara. Como assim? Qual é a diferença em ser Seme ou Uke? O que isso importa?

Antes de Sasuke responder algo, o celular de Itachi tocou. Sem delongas o maior olhou no visor eletrônico do aparelho e ao ver a foto do namorado, que por sinal era o loiro aguado Deidara, franziu o cenho em desgosto.

Nem se importou em sair do local. Ficou no quarto do irmão mesmo, deixando-o, sem querer ouvir a conversa dos dois. Mas o que Itachi esquecera foi de que ninguém da família sabia que ele era gay.

- O que você quer? –Itachi perguntou diretamente, mostrando todo o seu mal humor.

- Ora, três dias sem transa já rendeu-lhe efeitos? – Perguntou o loirinho debochadamente. – Mas eu tenho uma boa noticia para você... Amor.

- Mesmo... ? – Perguntou incrédulo, sabendo o quanto o consorte adorava uma boa embolação.

-Sim é verdade, nós vamos voltar a termos os nossos amassos normalmente. – Ao ter o pressentimento do sorrisinho sínico do outro, continuou. – Mas antes você vai ter que me apresentar para a sua família.

Mas Deidara tinha definitivamente enlouquecido?! Ser apresentado para a família Uchiha? Mas que loirinho prepotente...

-Não. –Disse o moreno de cabelos longos. Afinal, no relacionamento deles era ele que daria a ultima palavra.

-Ah é? Então é assim? Bem, então pode esquecer que eu sou seu namorado querido. –Declarou um pouco abalado, ou no seu caso fingindo estar abalado. –Já sei, é vergonha de mim que você tem não é?

Agora imaginem esta cena na cabecinha devassa de vocês... O loiro até fingira chorar. Talvez tenha esquecido que ele estava conversando com Itachi no telefone celular, mas temos que concordar que assim o “troço” fica mais realista.

- Yare, não seja tão dramático. Você nunca se importou com isso. – Falou massageando as temporãs, cansado da maneira melosa e teatral do ficante-sério.

- Não me importei sabe por quê?! Por que você sempre se lembrou do meu aniversário... Você está muito distante FUINHA! Vai de fuder! –E desligou o celular sem esperar resposta.

Itachi desligou a aparelho e guardou no bolso. Tinha um semblante preocupado, afinal Deidara estava certo em parte.

Os dois se conheciam á uns oito meses e namoravam á seis. Foi tudo muito rápido, mas se amavam verdadeiramente. Se fosse uma garota talvez já tivesse apresentado aos pais, mas como era um menino, que por sinal tinha apenas 17 anos, ficara meio encabulado com apresentações.

Talvez já estivesse na hora certa de contar a sua preferência sexual. Não devia nada para ninguém, tinha um emprego fixo e morava na casa dos pais ainda somente por pedido da mãe.

“Eu vou contar á eles. Marcarei um jantar em família e contarei á eles.”

Saiu do quarto esquecendo-se do irmão mais novo, que ficara curioso em relação aquela conversa. Itachi não tinha muito amigos, era um homem pegador e com certeza não daria o seu numero de celular para qualquer uma. E pelo tom de conversa, era alguém bastante íntimo.

O que Sasuke não sabia, e nem deveria, era que a pessoa que o irmão mais velho conversava era mais intimo do que poderia imaginar.

Sem as respostas que queria por parte do irmão, tento lembrar-se de acontecimentos que provaria que ele era gay.

Sentou na frente do computador e começou a escrever um e-mail para Naruto, com uma pequena lista de acontecimentos e fatos que provavam que ele NÃO era gay.

“Motivo Nº 1:

Sempre quando abro o armário da escola, acabam caindo sobre mim uma montanha de cartas femininas e perfumadas.

Motivo Nº 2:

Tenho uma revista Play Boy escondida em baixo do meu coxão.

Motivo Nº 3:

Sou responsável por 70 por cento dos sonhos quentes das pessoas da escola.

Motivo Nº 4:

Sakura é totalmente apaixonada por mim.

Motivo Nº 5:

Eu poderia ter relações sexuais com qualquer uma daquela escola.

Motivo Nº 6:

Gosto de peitos.

Motivo Nº 7:

Não acho homens atraentes (o que era mentira, por que quase babou ao ver Naruto de sunga, mas isso NUNCA ele iria admitir).

Motivo Nº 8:

Não sou gay (quem disse que isso era um motivo? Mas na hora do aperto, dar-se um jeito).

Motivo Nº 9 e 10:

Não há motivos”

Salvou em rascunhos, em desligou o Mac. Amanhã ou outra hora mandaria aquela lista para o Dobe. Dormiria um pouco, mesmo sendo 3 da tarde.

Deitou-se na cama, e dormiu. Dormiu tão profundamente que se o teto da casa desabasse, com certeza não acordaria. 



Notas finais do capítulo

E ai? gostaram?
Mereço um reviewzinho minna?
diz que sim?
Se vc leu e gostou avalie, se vc é escritor sabe do que estou falando, assim temos mais animo para escrever!
Beijos!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Etapas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.