Etapas escrita por Blue


Capítulo 2
Ser ou não ser?


Notas iniciais do capítulo

Olha eu aki!!!
Eu estou adorando escrever essa fic, é tão divertida!
Thakns a naiaracris pelo review!
Eu adorei.
Agora curtam mais um capitulo!



Ser ou não ser?

No meio de um monte de edredons, enrolado estava Uchiha Sasuke. Ele dormiu paradinho, não movia sequer um músculo do lugar. Estava Calmo, muitíssimo calmo; com certeza dormia feito um anjo.

Já era hora do jantar e Mikoto – mãe de Sasuke - acabara de pedir á Itachi para acordar o mais novo. Mas este fora o seu erro.

Itachi chegou bem de fininho no quarto do caçula. Foi como uma fuinha – lembre-se: para a sua própria segurança, nunca, nunca mesmo, chame Itachi de fuinha, doninha ou coisas do gênero. Ele fica furioso!- e abriu a porta sorrateiramente.

Observou o montinho de carne deitando e encolhidinho na cama e totalmente coberto. Chegou mais perto. Descobriu com cuidado só a cabeça de Sasuke, aproximou-se da orelha, juntou fôlego e logo deu um sopro no ouvido do pequeno.

Com o susto, o moreno menor, acabou caindo da cama. O de cabelos longos deu um sorriso cínico. Claro! Não era de o seu feitio dar gargalhadas altas. Ele era um Uchiha, não uma hiena com gastrite.

- Itachi!!!! – O mais novo levantou do chão frio com a cara toda marcada (Jamais durma de bruços com a cabeça do travesseiro, você vai ficar parecendo um Frankenstein, com a cara toda deformada) com os olhos fechados e com os batimentos cardíacos acelerados. – Por que fez isso?!

- Por que me deu vontade. Só por isso. – Falou descaradamente, enquanto esperava por um ataque de nervos do irmão brigão, chato, depravado, criança, chorão (esta parte é mentira) e mais um monte de adjetivos negativos.

- Ora!!! Eu te mato! –Avançou para cima do nii-san, pois ele deixou a guarda baixa.

Conseguiu derruba-lo no chão.

- Você não vai fazer nada. É um bunda-mole mesmo. – O mais velho falou calmamente, em um tom de alegria.

- Hmph. – Grunhiu Sasuke, empinando o seu nariz e saindo de cima do irmão.

- Chega de brincadeiras, agora vamos descer. Papai e a Mamãe já estão á nossa espera, e também tenho algo muito importante para contar. – Falou deixando o seu semblante totalmente sério, ignorando o fato de que á minutos atrás estava brincando com o seu irmão mais novo.

O que será que Itachi tinha que contar? Isso definitivamente era estranho, era como se os irmãos Uchihas tivessem trocados de corpo, pois esta era uma situação totalmente a cara de Sasuke.

                                   o0o

Todos já estavam reunidos á mesa. Fugaku tinha em mãos um pequeno copo de sakê que degusta aos poucos. Aquele aspecto calmo era pura fachada, o seu dia na empresa fora horrível. Se mostrasse o que realmente estava sentindo queimaria um dos filhos somente com um olhar maligno. Hoje definitivamente não estava para brincadeiras...

Itachi limpou a garganta tentando chamar a atenção dos presentes. E conseguiu. Por dentro estava como um vulcão e erupção, nervoso demais. Já por fora parecia gelo... Vai entender esses Uchihas malucos, frios e calculistas...

E os presentes o encaravam. Sasuke estava sentado praticamente em frente ao seu pai – lugar que normalmente era ocupado pela mãe, mas hoje resolveu sentar-se lá -, sentiu um frio na espinha... Como se algo muito ruim fosse acontecer. Talvez não fosse tão ruim assim, só a ponto de perceber que não fosse algo legal.

- Diga Itachi... É sobre a empresa? – Fugaku perguntou, sem ao menos olhar para o filho.

-Bem... Não é... – Suspirou fundo, ainda mantendo a sua imparcialidade – Mas posso garantir que é algo que fará uma pequena diferença...

- Você vai se mudar? – Um sorriso cínico de formou nos lábios de Sasuke, quem disse que ele perderia a chance de atormentar o mais velho? De maneira nenhuma!

- Não... Outouto... – Falou entre os dentes, como se estivesse mostrando silenciosamente que o próximo que interrompe-lo iria perde a língua.

- É sobre alguma garota?... – Agora foi a vez da matriarca da família Uchiha pronunciar-se...

Pobre Mikoto, como uma mulher calma, gentil e amável estava tendo pensamentos sanguinários para com uma garota que nem sabia se existia...?

O fato é que, nos irmãos Uchihas ninguém põe ás mãos! Eles eram dela, dela e de mais ninguém... Nenhuma vadiazinha pegaria os seus filhos, levar-nos-iam embora e sairia ilesa...

Se dependesse disso iria para cadeia, mas com certeza, feliz... E muito feliz...

- Mais ou menos, kaa-san. – Respondeu o de cabelos longos empurrando a comida para frente. Um sinal mudo que havia perdido a fome... – Bem, espero que me entendam... E que me apoiem... Pois não fui eu que escolhi ser assim.

- Não acredito! Quer dizer que vai se casar?! – O primogênito falou, arreganhando os olhos, muito surpreso e confuso.

- Não... Quer saber eu vou falar logo para vocês não ficarem imaginando coisas... – Itachi tomou fôlego e se preparou para ser jogado pela janela do 3º andar da casa. – Eu. Sou. Gay. – Disse pausadamente com a maior cara de tédio que possuía...

A esta altura, se ele fosse alguém normal, estaria roendo todas as unhas que possuía e rezando por misericórdia para a nossa Senhora da Purpurina.

Mikoto ficou paralisada olhando para o filho perplexo. Não que ela tivesse preconceito ou coisas parecidas, mas isso nunca imaginou! Talvez fosse mais fácil acontecer uma chova de tijolos e ela ter que sair para comprar um guarda-chuva e aço.

Mas tinha que admitir que não odiou totalmente a noticia... Pois quando era adolescente – e mais pervertida do que nunca -, adorava ler romances gays.

Começou pelo inocente Shounen-ai, passou pelo yaoi, e por ultimo, mas o mais divertido e importante; o lemon.

Até hoje mantinha um baú no sótão com os seus velhos mangás. E vocês sabem que o sonho de toda “yaoista” é ter um filho, primo, irmão, amigo, tio, pai... Gay.

De todos os presentes, o que mais surpreendeu-se foi Fugaku... E o pior que Itachi contou-lhe sobre isso logo no momento que estava sorvendo um bom gole do seu sakê. O resultado disso foi Sasuke ganhar uma grande cuspida da cachaça em seu rosto.

- O que você disse?! – O Uchiha mais velho levantou-se da mesa, derrubando a cadeira que estava sentado.

Caminhou lentamente até o primogênito e o encarou dentro dos olhos negros. Cerrou os punhos de tanta raiva e confusão que estava sentindo e segurou-se para não arrebentar o rosto do hipócrita á sua frente.

- Por quê?! – Gritou fazendo o outro assustar-se e retrair-se um pouco... – No que foi que eu errei? Diga-me Itachi!

- Pai... Eu não sei... Quando eu notei já estava tendo atração por garotos... Desculpe-me se o decepcionei... E se quiser me botar para fora de casa, tudo bem... – Falou o jovem de cabelos compridos.

Ao perceber que o garoto estava sendo sincero o homem sentiu sua boca amargar. Não era certo fazer aquilo com o filho.

Itachi sempre fora um aluno exemplar, carinhoso até certo ponto com o irmão, amável com a mãe, e obediente com o pai.

Com certeza o filho que todos os pais desejavam... Talvez nada mudasse com o filho assumindo-se ser homossexual, afinal ele não podia negar que estava sentindo uma pontinha de orgulho ao notar que o garoto foi corajoso o suficiente para dizer a verdade, por mais difícil que ela fosse de se revelar.

- Depois conversamos...

E assim o homem subia as escadas da casa, provavelmente iria para o seu escritório agora.

- Ufa... – Itachi suspirou e permitiu-se relaxar na cadeira.

- Nii-San... Eu nem sabia que você é gay... – Sasuke sussurrou com medo de o pai voltar e castiga-lo com um soquinho na cabeça.

- Ora, se nem eu sabia, como um pirralho como você iria saber... – Itachi falou, pendeu a cabeça para trás e fechou os olhos.

- Eu não sou um pirralho! Você só é mais velho que eu cinco anos! – Sasuke bufou fazendo bico e virando a cara para o lado.

- Mas mentalmente você tem menos... – Itachi deu um sorriso cínico, para logo depois envolver-se em um semblante tristonho... – Kaa-san... E o que a senhora tem a dizer...?

Perguntou um pouco receoso. Amava Mikoto demais para que acabasse a desonrando... Ele nunca discutiu um assunto desse tipo com ela, então não sabia o que esperar.

- Meu amor, não precisa se atentar. Não vejo nada de ruim... Não estou preocupada com netos, pois vocês poderão adotar... Sendo o que for, acima de tudo, você é o meu miudinho frágil.

- Mãe... – Itachi sussurrou. – Obrigada...

- Não há de que. Quando você irá nos apresentar o seu namorado? – Perguntou exibindo um lindo e cativante sorriso, mostrando o quanto se importava com o bem do seu filho.

- C-Como a senhora sabe? – Indagou um pouco surpreso.

De fato Mikoto sempre sabia de tudo... Quando ainda era adolescente e adorava cabular as aulas, a mãe sempre sabia. Não descobriu como até hoje.

Teria que verificar se a mãe tinha pacto ou fazia dupla com algum super-herói por ai, pois essa seria a única explicação plausível...

- É que eu notei que estes últimos meses você estava com um humor melhor. Então eu achei que teria algo de bom acontecendo. – Falou dando uma pequena risadinha.

- Ou seja, Itachi não estava com a sua típica TPM, sem o seu típico capeta nos couros... – Sasuke completou a frase da mãe, fazendo o mais velho lançar-lhe um olhar mortal.  – Poupe esse seu olhar mano, não dá certo comigo...

                              o0o

Depois do jantar o caçula arrastou-se até o quarto, e jogou-se na cama. Nem preocupou-se em bagunçar algo, pois não poderia ficar pior.

Escutou o seu celular chamar e então com muita dificuldade levou os seus dedos até o criado mudo. Olhou no visor e percebeu que era Naruto. Franziu o cenho, perguntando-se mentalmente o que o dobe queria...

- Moshi, moshi...? – Disse com uma voz arrastada, estava quase desmaiando de sono.

- Ei, teme... Tem algo para fazer? –Naruto perguntou animado.

- Não, por que desgraçado? –Sasuke perguntou bravo, sentando-se na cama.

- Vejo que o seu humor não está dos melhores... Que tal vim á praça comigo para tirar o estresse? – Disse com uma voz até sensual demais... Mas Sasuke não percebeu, e se percebeu ignorou.

- Uma hora dessas? Você não tem mais o que fazer vagabundo? – Franziu o cenho em desaprovação.

Ele gostava de sair com Naruto, afinal, eles já se conheciam desde pequenos. As suas mães eram amigas. Mas o que talvez estivesse atrapalhando a relação dos dois era Sakura.

Ela é bonita e tal, mas vivia tentando flertar com o Uchiha. O pior, é que Naruto era apaixonadíssimo por ela.

O loiro era tão burro que não percebia que o máximo que conseguiria de Sakura era uma amizade.

Já estava de saco cheio, sempre que ele e Naruto inventavam de sair o galego convidava a rosada, e acabava dando a maior parte da sua atenção para ela. E Sakura insistia na ideia que eles eram um casal perfeito...

Estava na hora de mandar a real para ela. Ele não a amava... Ele queria que ela deixasse Naruto na dele...

 - Chato, são sete da noite... Vamos por favor... Eu juro que a Sakura na vai ir. – Naruto disse fazendo a voz mais convencível da face da Terra.

Ele queria muito que Sasuke fosse, então por que não usar os seus encantos para conseguir o que quisesse? Ele podia ser burro, mas não era idiota.

Demorando uns segundos Sasuke respondeu desconfiado:

- Tudo bem... Eu encontro você lá?

- Sim!

E sem aguardar por respostas o Uchiha desligou.

 Tomou um banho rapidamente, trocou de roupa, perfumou-se e saiu para a rua sem nada dizer á Itachi e a mãe... Se não se enganava, os dois estavam assistindo um filme.

Algo lhe dizia que essa noite iria prometer!

                                  o0o

O coração de Naruto estava batendo rapidamente, parecia até que iria pular para fora do peito. Já estava arrumado, então ficou esperando um pouco no sofá da sala. O loiro estalava os dedos nervosamente e fitava a TV desligada.

Á mais ou menos três meses percebeu que amava Sasuke. Ele nunca havia reparado que sentia atração por garotos. E também nunca desconfiara... Sempre foi daqueles brutos da escola...

Acabou descobrindo numa época que havia brigado com Sasuke.

Ele foi muito rude com Sakura, praticamente amassou o seu coração e o jogou na lixeira... Ele podia ter sido muito mais delicado.

Eles ficaram sem se falar por uma semana. Fato que nunca acontecera em anos de amizade. Naruto ficou para baixo e tristonho. Não comia e nem sentia vontade de ir á escola.

A partir daí as suspeitas de Kushina se tornaram completas. Ela sempre desconfiou de algo mais entre os meninos, mas nunca comentara. Mas dessa vez seria diferente, ela iria conversar com o filho e perguntar.

Depois de uma longa conversa o miúdo percebeu duas coisas:

1º Que era gay...

2º Que era extremamente apaixonado pelo seu melhor amigo.

Armou vários planos mirabolantes com a sua mãe... Como por exemplo: sempre levar Sakura para sair com eles, pois queria que Sasuke ficasse com ciúmes.

O pior é que o feitiço sempre virava contra o seu feiticeiro, e que acabava com ciúmes era ele; pois a amiga ficava flertando com o moreno.

Foi hoje que decidira dar um passo á frente.

Afirmou que Sasuke era gay e apreciou a confusão do outro. Agora que a primeira parte do novo plano já havia sido concluída, só faltava a segunda: Dar um beijo no moreno.

Tudo bem se ele ficasse com nojo, ou coisa parecida, mas se ele recusasse o beijo e parasse de falar com Naruto, o loiro já tinha algo para dizer a si mesmo:

Pelo menos eu tentei.

Seguiu para o parque determinado, era hoje ou nunca....



Notas finais do capítulo

Confesso que não ficou tão bom... eu broxei no fim...
Deixando isso de lado, por favor, se você leu e gostou, mande um review... Por der até me xingando...
Não deixe de comentar, pois se você escreve sabe o quão gratificante é ler uma avaliação, uma critica...
Se você é leitor sabe que é legal ler o capitulo, colabore com o próximos capitulo incentivando o autor...
Beijos!