Your Love Is My Drug escrita por Tatto


Capítulo 8
Capítulo 8


Notas iniciais do capítulo

Gente peço mil desculpas pela demora, mas ando sem tempo ultimamente.
Curso, Escola, lições, dormir....Ah vocês sabem né?
Bom, espero que gostem do que eu preparei =D




Eu estava deitada, pensando em qual decisão minha mãe iria tomar.

Será que ela aceitaria meu pai numa boa? Não, ela não é tão ingênua, mas acho que também não é forte o suficiente para dar adeus ao seu "amor".

Perdida nos meus pensamentos, ouvi a porta bater, não tinha dúvidas de que era ele que tinha chegado. Comecei a descer as escadas, e a cada passo ouvia os soluços da minha mãe, o efeito do calmante não durou por muito tempo.

Meu pai estava bêbado, não sei como teve condições de dirigir, deve ter cometido mil e umas multas, mas isso não vinha ao caso agora.

Sentei-me no último degrau da escada, fiz silêncio, só queria observar.

Minha mãe estava sentada, quando ele se aproximou e sentou-se ao seu lado.

- O  que aconteceu querida? - ele levou a mão até a sua face.

- O que não deveria ter acontecido - ela se afastou.

- Não estou entendendo - tentou se levantar, mas perdeu o equilíbrio e caiu sobre o sofá.

- Talvez será menos confuso se perguntar para sua mulher.

- Do que você está falando?

- Daquela que você beijou, a quem estava se entregando.

- Amor, você deve tá maluca, a única que eu beijei foi você.

- Pára de me chamar de "amor" - o choro foi aumentando.

- Não, isso não ta acontecendo, você sabe que meu coração é só seu.

- Não precisa mais fingir, você tá me traindo, ou melhor, me traía, porque a nossa relação acaba aqui.

- Espera, você deve ter se enganado, eu nunca teria feito isso com você.

- Cala a boca, pega as suas coisas e vai embora.

Ele me olhou, na verdade, me encarou, e disse:

- Filha, que bom que você tá aí, explica pra sua mãe que eu nunca faria isso com ela, que eu a amo.

Demorei pra responder, olhei para os dois, não deveria me intrometer, mas se foi  eu que descobri tudo, tinha que falar a verdade.

- Explicar o que? Que eu te vi com outra?

- Você não viu nada. - Ele pareceu ficar estressado.

- Que que é? Agora você também sabe o que eu vi e o que deixei de ver? - Eu estava chateada demais para "não responder meu pai".

Acho que isso o pegou de surpresa, porque em um segundo, ele se aproximou, aquilo doeu, meu rosto ardia, a força foi tanta que caí no chão, bati minha cabeça na quina da escada, minha mãe o puxou para longe de mim, gritava com ele, falava que aquilo já era demais, que não queria mais ver ele, ele precisava ir embora... 

- Olha o que você acabou de fazer.

- Ela merecia.

- Um tapa na cara? Só porque foi sincera o bastante?

- O que você ta falando?

Estava dificil, minha cabeça doía, mas levantei, e parei em frente a ele. 

- Você pode até bater em mim, mas deixa minha mãe em paz.

- Olha aqui sua estúpida...

E ele caiu no chão, gritava de dor, escorria sangue da sua cabeça e no chão, só os cacos do vaso.

Minha mãe chorava muito, abracei ela enquanto pegava o telefone, liguei para um hospital e eles disseram que logo haveria uma ambulância em minha casa.

[...]

Fiquei com a minha mãe o tempo todo, quando ela adormeceu, saí e segui o corredor e fui para o meu quarto. Meu rosto ainda estava muito vermelho, na minha cabeça havia um curativo, que foi colocado onde eu cortei, não iria conseguir dormir aquela noite, aquela situação foi muito complicada, nunca tinha visto como meu pai era, ele nunca tinha agido assim.

Eu precisava desabafar, e a única pessoa que sabia disso, era o Taylor.

* P.O.V. Taylor *

Eu estava arrumando minha mochila, afinal, não preciso de uma mala pra passar o fim de semana com meus amigos né?

Eu estava falando com Cameron no telefone, nada de importante, tá, ele tava me contando sobre a Larissa, cara, ele realmente gostava dela, mas não é por isso que eu tinha que ouvir sobre ela o dia inteiro e muito menos saber qual era o seu perfume favorito. 

Bom, mas eu teria que aguentar, afinal, elas iriam junto com a gente e eu ficaria de vela, mas pelo menos ia ser a "vela" embaixo da água.

O Zach só não tinha ligado ainda, porque ele estava com a Thassy, então, por enquanto era só o chatão do Cameron.

A outra linha começou a tocar.

- Cameron péra aí, tem alguém na outra linha.

- Não cara, espera, eu já falei que ela ador...

*outra linha*

- Alô.

- Alô.

- Lisa. - Minha voz demonstrou surpresa.

- Taylor, queria muito conversar com você. Claro, se eu não estiver te atrapalhando.

- Não, magina, pode falar...Quer dizer, espera só um minutinho?

- Tá.

**

- Alô Cam.

- Nossa até que enfim. Quem era?

- A Lisa, por isso tchau, a gente se fala mais tarde.

- Não, véi, ta me trocan...

TU TU TU.

* Outra Linha*

- Então, pode falar.

- Na verdade, eu gostaria de te ver.

Continua...