Your Love Is My Drug escrita por Tatto


Capítulo 3
Capítulo 3





Acho que seria uma boa hora para estudar.

Limpei meu sangue e entrei, ela estava na recepção, mostrando o seu cartão e sorrindo, como sempre. Bom, eu nunca tinha entrado ali, então criei um cartão, bem rapidinho e fui atrás dela.

– Hum, oi de novo.

Ela parou e deu meia volta, quando me viu, sorriu, não entendi o porquê, mas gostei.

– Oi. - Ela fez uma cara de preocupação. - O que aconteceu com sua boca?

Puta merda, começou a sangrar de novo.

– Me envolvi em uma briga. - Falei abaixando a cabeça.

– Nossa, deixa eu limpar isso aqui. - Ela pegou alguns lenços na sua bolsa e com todo cuidado, foi tratando daquele ferimento.

– Obrigada, já to bem melhor agora. - Dei um sorriso.

– Mas então, por que que você passa em uma biblioteca depois de uma briga?

Putz, o que eu falo?

–Han, é que eu lembrei que tinha que pegar um livro aqui, aproveitei o caminho, foi isso? É, foi isso. - ok, eu sou péssimo com mentiras, ela riu, acho que não acreditou muito, depois continuou a procurar.

– Tá procurando que livro?

– "Silêncio" da Becca Fitzpatrick, mas a recepcionista disse que tá emprestado, vou ter que esperar pra pegar semana que vem - ela fez uma cara de dexepção.

Eu já tinha ouvido falar desse livro, não sei aonde, mas tinha. Se eu não me engano, sei aonde conseguir.

– Bom, eu vou indo nessa tá?

– Ah claro, e ve se coloca um curativo e não se mete mais em brigas.

– Pode deixar - dei uma piscadinha.

Sim, eu sei que eu devia ter ficado lá com ela, mas ela queria estudar e afinal, eu tenho uma outra coisa pra fazer neste exato momento.

[...]

Tomei um banho muito rápido, me joguei na cama, queria dormir um pouco mas não consegui. Então, fui procurar o livro.

– Mãe, onde tá aquele livro...Chamado Silêncio?

– Deve tá na estante...Por que?

– Ah, quero emprestar pra uma amiga.

– Amiga né?

– Mãe, para com isso.

– Tá bom, já parei.

Peguei o livro e coloquei na bolsa. Makena tinha acabado de chegar da escola, ela é minha irmã, adorava ela.

– E aí mané?

– Oi sua chata.

– Apanhou de novo foi?

– Não é da sua conta irritante.

Assim, era o nosso amor. Fui até a garagem, conversei com meu pai sobre a Lisa, ele me deu alguns conselhos, falou que eu tinha que virar amigo primeiro e com o tempo, ir me aproximando mais.

– Mas pai, e se ela não quiser ser minha amiga?

– Olha, pelo o que você falou, acho que ela não seria tão estúpida a ponto de ignorar meu filhote.

– PAIIÊ.

[...]

Me joguei na cama, fiquei pensando naquele rostinho, em como ela era especial para mim. Foi tantos pensamentos, tantas cenas inventadas que acabei pegando no sono....



Continua...



Notas finais do capítulo

Gente, tá ficando legal? A opinião de vocês é muito importante!
Comentem ;D