Opposite Attraction escrita por Giu, Bloody Mari


Capítulo 3
Capítulo 2


Notas iniciais do capítulo

Viu, fui rapida e já to postando o segundo capítulo. Estavam curiosas para saber quem é o salvador da Nessie? hahahah
Agradecimentos no final.




Capítulo 2


– Me solta! Ta me machucando. – Falei já mais alto, virando de um lado pro outro, tentando sair. Estava numa parte escura e onde não tinha ninguém por perto. E também não queria que fosse esse o primeiro garoto que eu beijasse. Quando estava me preparando para gritar, e ele aproximava mais o rosto do meu ouvi alguém falar.

– Solta ela. Agora. – Disse a voz sombria e deu um soco nele, fazendo-o cair.

Eu estava tremendo de medo. Continuei parada no mesmo lugar, olhando de olhos arregalados para o chão, onde o garoto bêbado estava, tentando se levantar, saindo sangue do nariz e da boca.

– Venha – Ele disse e me puxou para algum lugar. Me colocou sentada numa cadeira, acho que estávamos numa espécie de varanda nos fundos da casa.

– Está tudo bem? Ele te machucou? – Jacob perguntou.

– S..sim – Tentava me acalmar enquanto falava com ele. – Não. Ele não me machucou.

– Hm. Quer que eu te leve para casa? – Perguntou. Eu devia estar delirando. Ele se importando comigo? Não. Esse não deveria ser ele.

– Não precisa. Vou esperar a Alice. – Falei.

– Deixa de ser boba, vamos lá. Eu não mordo. – Ele disse, sorrindo.

Aquele sorriso. Ai meu deus. Eu nunca conseguiria resistir.

– Ok.. eu vou com você. – Falei e ele pareceu sorrir. – Mas primeiro eu tenho que procurar a Ali e avisar que já estou indo.

– Está bem. To esperando lá no carro. – Ele respondeu, caminhando na direção que ia para a frente da casa. Entrei novamente na cozinha, tremendo quando passei correndo pelo corredor, e passei a procurar a Alice. A encontrei em em um canto, perto da escada, onde tinha dois casais. E ela não estava sozinha.

– Alice? – Falei bobamente, parando perto dela e do menino de cabelos loiros que estava a abraçando.

– O que foi Nessie? – Ela falou irritada, me fuzilando com os olhos. Enquanto o garoto virava e me olhava espantado.

– Só queria avisar que já estou indo embora. Desculpa. – Falei, saindo rapidamente dali antes que ela me estrangulasse.

Passei de volta pela sala, e quando estava perto da porta Rosalie entra na minha frente, prontificada à me zuar.

– O que você esta fazendo aqui? Isso aqui é lugar para pessoas. – Disse ela me olhando com nojo.

– E eu não sou uma pessoa? – Perguntei.

– Você é uma esquisitona. E nem foi convidada para essa festa. – Ela falou.

– Você por acaso é a dona da festa? – Perguntei, confiante a confronta-la. Não sabia de onde estava tirando tanta coragem.

Ela me olhou com raiva. E em um segundo pegou um copo da mão de uma pessoa que estava passando ali, e tacou em mim, manchando meu vestido todo, e me fazendo pagar um mico na frente de todos.

– Ops – Disse ela com um sorrisinho no rosto, enquanto as pessoas a nossa volta riam de mim. Abaixei a cabeça e passei por ela, minha vontade era de chorar ali mesmo, eu sempre era humilhada por ela e já não agüentava mais. Saí correndo dali, ouvindo os risos das pessoas quando eu passava pelo quintal cheio.

Caminhei até o carro dele, que estava parado ali perto. Parte de mim já pensava que ele também não estaria ali, e eu novamente ia ficar igual um idiota esperando. Mas quando cheguei na porta, ele abriu o vidro e falou:

– Demorou ein..

– Hm – Entrei no carro e coloquei o cinto. E me abracei. Estava com frio. E toda molhada.

– Você se molhou? Como isso? – Ele perguntou quando reparou no meu estado.

– Sua namorada jogou um copo com água em mim. – Falei baixo.

Vi que ele balançou a cabeça e bufou. Depois perguntou:

– Ta com frio? Toma o meu casaco. – Ele tirou o casaco e me entregou. Vesti e fiquei sentindo o cheiro.

Ele ligou o carro, e fomos em silêncio até minha casa. Foi constrangedor todo aquele silêncio, em um momento ele ligou o rádio, mas logo depois desligou. Eu me remexia no banco, incomodada com o clima.

– Bom ta entregue. Se cuide, o Emmett não vai gostar nada de saber o que estava acontecendo lá. – Ele disse quando desligou o carro, olhei pela janela e vi que já tínhamos chegado.

– Não conte para ele. Não quero ele se metendo em confusão. – Falei abrindo a porta e saindo. - E obrigada.

– Disponha. – Disse piscando, e disparou com o carro. Me deixando feito boba ali na porta de casa, não acreditando em tudo que tinha acontecido.

Entrei em casa, rapidamente, já com vontade de chorar, mas agüentei até subir e corri para tomar um banho, deixei a água cair quente em mim, enquanto chorava alto. Com o barulho da água não dava para perceber que eu estava chorando. Não queria preocupar meus pais. Quando consegui diminuir um pouco o choro, sai do chuveiro, e coloquei um pijama de algodão confortável, e quando estava me preparando para deitar, vi o casaco dele na minha poltrona. Peguei e deitei colocando o casado para poder sentir seu cheiro. Não conseguia dormir, pensando como tudo sempre dava errado. Eu estava cansando de ser humilhada por todos, e cansada de não poder mostrar para ele o quanto o amo. Chorei mais, até pegar no sono. Dormi sentindo o cheiro dele.


[...]

Acordei com os olhos inchados, e fiz a mesma rotina de sempre. Fui tomar banho, mesmo que nesse eu tenha demorado mais, querendo ganhar forças para enfrentar mais um dia de humilhação. Depois coloquei minha roupa de sempre: Blusa preta de mangas compridas, calça jeans, meu all star surrado e o meu moletom amarelo. Depois desci, tomei meu café, mas acho que meus pais perceberam que eu não estava bem, porque não falei nada, nem os cumprimentei. Depois subi peguei minha mochila, mas não quis parar para conferir nada, e fui andando pro colégio. Cheguei um pouco mais cedo, e fui logo pegar minhas coisas no armário e fui para sala, sem dar o prazer à Rosalie para ela me zuar, ou o Jacob. Sentei na minha mesa na primeira fileira e peguei o livro que estávamos lendo na aula de Ingles, lendo-o pela décima vez.

Alice entrou na sala e se sentou ao meu lado, ela parecia feliz. Que bom.

– Nessieeee, você não vai acreditar no que aconteceu na festa ontem... – Ela veio falando, mas quando percebeu que saia lagrimas dos meus olhos, parou de falar, e me olhou preocupada – Aconteceu alguma coisa? Porque voce esta chorando? – Perguntou.

Então eu contei tudo para ela, do garoto que havia me agarrado, no Jacob me salvando dele, da Rosalie me humilhando e da carona que o Jacob me deu e como foi atencioso comigo.

– Nessie, você já pensou, se o Jacob não gosta de você? – Ela falou.

– É claro que não Alice. Que viajem. Ele ta com a broaca da Rosalie, e nem sabe que eu existo. – Queria tanto que tudo o que eu falei fosse mentira. Mas nunca. Ele nunca me amaria e eu tinha que aceitar a verdade.

Passou-se dois dias, e minha rotina continuou. Ainda era zuada na escola, principalmente por Jacob. Era como se ele nunca tivesse feito aquilo por mim. Ele agia como se eu nem existisse. Alice ainda me perguntava o que aconteceu na festa, por que fui embora antes. E eu apenas dizia que não tinha nada para fazer e peguei um carona. De noite, eu dormia abraçada com o casaco dele, sentindo seu cheiro, e as vezes chorava.

– To indo Ness. Quer carona? – Perguntou Alice, quando a última aula terminou.

– Brigada Lice. Mas vou ficar até mais tarde na biblioteca, tenho que ver uns livros pro trabalho de Historia.. – Ela revirou os olhos e se despediu.

Fui para a biblioteca e fiquei uma hora lá, procurando livros bons pro meu trabalho. Quando acabei, fui caminhando até em casa. Tinha começado a chover. Só para piorar minha situação.

Acho que tenho mesmo que pedir um carro pros meus pais. Não dá para andar a pé por Forks.

Vi um carro parando perto de mim e abrindo o vidro.

– Quer carona? – Perguntou aquela voz roupa, que me fazia suspirar e tremer sempre que ouvia.

– Qual é. Vai andando na chuva? – Perguntou arqueando uma sobramcelha.

– Não me importo. – Falei, e continuei andando. Porque eu ia querer ir uma carona com Jacob Black?

– Entra logo ai Renesmee, Emmett ia ficar chateado de saber que deixei a irmãzinha dele ir andando na chuva. – OMG dancinhaaaa da vitória. Ele disse meu nome?! Ele sabe meu nome?! UUULLL

– Ok. – Falei enquanto ele abrir a porta.

A chuva parecia estar aumentando cada vez mais. Em cinco minutinhos chegamos. Vi ele desligar o carro e tirar o cinto. Será que ele ia entrar também?

– Vai ficar ai? – Perguntou. Foi ai que percebi que olhava para ele, quase babando. E ainda nem tinha tirado meu cinto e estávamos parado em frente a minha casa. Tirei meu cinto, e abri a porta, ele também saiu e corremos até a porta, estávamos ensopados. A chuva tava bem forte e tava frio. Quando entrei estava tremendo.

– Vou pegar uma toalha. Já volto. – Falei deixando ele no Hall de Entrada.

Me sequei, troquei de roupa, colocando um moletom velho de usar em casa, e fui até o quarto do Emmett avisá-lo que tinha visita. Mas ele não estava em casa. Agora é sua chance Renesmee, vai lá e não faça besteiras. Pensei enquanto descia as escadas.

– Éerr.. o Emm não ta ai – Falei, tentando ser educada.

Ele virou para mim e sorriu.

– Vou preparar um chocolate quente. Só um minuto.– Falei apressadamente e sai da sala.

Quando voltei com as duas chícaras na mão ele continuava lá, todo molhada.

– Vou pegar uma toalha para você, só um minuto. – Falei, indo lá em cima pegar um toalha.

Voltei e entregue para ele.

– Quer que eu coloque sua roupa na secadora? – Perguntei.

– Ok. – Disse enquanto tirava a blusa. OMG NÃO DESMAIA RENESMEE . NÃO AGORA. NÃO PERCA ESSA CENA. – Toma. – Disse me entregando a blusa.

– E a calça? – Perguntei sem pensar. Ele riu e arqueou uma sombrancelha, fiquei vermelha igual um pimentão quando percebi o que tinha falado. – Ai tem roupa do Emm, se você quiser.. – Falei tentando mudar a situação.

– Pode ser.

Fui no quarto do Emmett e peguei uma blusa e uma calça Jeans para ele.

– Aí. – Falei entragando-o.

– Valeu. – Disse. E foi tirando a calça que estava molhada. OMG ele não ia tirar aqui né?!

– ér... o banheiro é ali. – Falei apontando para a direita, abaixando a cabeça.

Dois minutos depois ele voltou, mais deuso do que já é, com aquela roupa do Emm.

Peguei sua roupa molhada e levei para secadora. Quando voltei a sala ele estava todo jogado no sofá, assistindo Tv. Muito folgado...

– ér.. acho que vai demorar um pouco para secar. – Falei, indo me sentar para acabar de tomar meu chocolate quente.

– Ok. Eu espero. – Respondei olhando para mim e sorrindo.

– Eu acho que o Emmett vai demorar, ele nunca volta cedo. – Falei.

– Qual é? Ta me expulsando? – Ele perguntou, se fingindo de ofendido.

– N..n...não é isso.. – Gaguejei.

– Po, eu já vou. Mas posso esperar a chuva passar? - Disse ele, fazendo uma cara tão fofa, que eu aceitaria de qualquer jeito.

– Ok. – Falei.

Fiquei uns cinco minutos ali, tentando fazer sala para ele. Mas não estava agradável. Lembrei do meu trabalho de historia, e subi para pegar os livros. Passaria o tempo lá com ele fazendo o que eu mais amo: estudar.

Desci com os três livros pesadíssimos e meu laptop. Ele me olhou arquendo uma sobrancelha quando sentei no tapete da sala, próxima a ele e a lareira e comecei a abrir meus livros.

– Vai estudar? – Perguntou irônico.

Não, vou rabiscar meus livros. – Vou – Falei sorrindo.

– Hm. – Ele respondeu, e parecia que estava me olhando enquanto eu fazia as coisas.

– Esse é o tal trabalho que o idiota do Tunner passou hoje cedo? – Ele perguntou depois de um tempo.

– É. – Respondi concentrada no que estava escrevendo.

– Po, acho que vai ser mais um sem fazer.. - Ele disse – Eu sinto que vou acabar sendo expulso do time por causa das minhas notas. – Falou fazendo cara de trsite

– Ué, faz o trabalho comigo então. – Falei sem nem pensar. E depois me arrependi. Ele me olhou supreso. Abaixei a cabeça e fiquei esperando o momento que ele começaria a me chamar de Nerd, dizendo que nunca faria nada comigo e que eu dava nojo a ele...

– Você tem certeza? – Ele perguntou, meio sem jeito.

– T...t...enho – Gaguejei, e olhei para ele. Que me fitava com um sorriso lindo na boca.

– Então já podemos começar? – Falou, parecendo animado. E se sentou junto comigo no chão.

– Éer.. toma aqui – Entreguei um dos livros para ele – Lê o capitulo 8, nele diz tudo que voce precisa gravar para poder apresentar lá..

Ele sorriu e pegou o livro. Continuei a digitar o trabalho enquanto ele lia, ficamos o tempo quase todo em silencio, somente algumas vezes ele interrompia perguntando alguma coisa sobre o que ele lia.

Quando conseguimos terminar, já tinha escurecido e logo meus pais chegariam.

– É, já vou indo. Valeu mesmo Renesmee. – Ele disse se levantando do chão.

– Ah sim. Eu te acompanho até a porta. – Falei baixo e fui até a porta, abrindo para ele e esperando- o passar.

– Tchau. – Ele falou e me deu um beijo na bochecha.

– T..t..tchau. – Falei meio zonza.

Quando ele entrou no carro e foi, fechei a porta e corri pro meu quarto. Minha vontade era começar a cantar e pular de alegria. Mas em vez disso fiquei na minha, sorrindo durante o jantar e indo dormir sorrindo. De vez em quando me pegava passando a mão no lugar onde ele me beijou. Eu ainda estava muito receosa com esse aproximamento dele, era completamente estranho ele me tratar bem. Eu nunca esperaria ser tratada tão bem por ele. E nem esperava um Jacob assim, sempre achei ele durão, mas perto de mim ele não parecia assim...



Notas finais do capítulo

Não tenho nem como expressar como fiquei grata pelos 7 reviews, isso só me faz querer escrever mais e mais, muito obrigada mesmo a PatyCamargo, Nyah_kira, Bruna Lautner, Jeh Fonti, Rafaela Dourado e a Cacau54, esse capítulo é para vocês!
E continuo pedindo para comentarem. Esse capítulo acabou sem nenhum mistério né? Eu vou postar dia sim, dia não, então o proximo capítulo sai na sexta, e não percam, ele está cheio de emoçoes hahaha #spoiler
bjjjs