Opposite Attraction escrita por Giu, Bloody Mari


Capítulo 20
Capítulo 17


Notas iniciais do capítulo

Um capítulo para animar o sábado de vocês! õ/




Acordei no sábado e já passava das quatro horas da tarde. Jacob acordou junto comigo. Tomamos um banho e descemos para comer, Sue tinha deixado comida pronta. Depois que comemos fomos dar uma volta na praia, e ficamos vendo o pôr do sol. Voltamos para a casa e Seth nos chamou para um luau que logo começaria. Passamos o resto da noite sentados em volta de uma fogueira, rindo e conversando com o pessoal de La Push.

Domingo chegou rápido, Jacob que tinha dormido aqui foi passar em casa para trocar de roupa, e fiquei sozinha até a hora do almoço. Quando terminei de almoçar sentei no sofá com a Leah e ficamos assistindo bobagens na TV. Já estava escurecendo quando a campainha tocou e Seth foi abrir a porta.

Ouvi ele murmurando algumas coisas com quem quer que fosse e depois voltou para a sala.

- Nessie, seus pais estão aqui e querem falar com você.  - Ele anunciou.

- Fala sério! O que eles querem?! - Reclamei me levantando do sofá.

- Eles falaram que querem conversar com você. - Ele respondeu dando de ombros e se jogando no sofá.

Fui até a entrada onde eles estavam. Pareciam olhar o lugar para ver a índole.

- O que vocês fazem aqui? - Perguntei secamente, parando a alguns metros deles. 

- Queremos conversar. - Falou meu pai. - Troque de roupa, vamos a outro lugar. - Completou autoritário.

- E se eu não quiser ir? Não sou obrigada a te obedecer, esqueceu? Você não manda mais em mim. - Falei, debochadamente.

- Você VAI. E sim, você tem que me obedecer, pois é menor de idade, e eu ainda mando em você, independente de você querer sair de casa ou não. Ainda sou eu que pago todas as suas contas. - Ele disse, me fazendo ficar irritada.

- Eu não vou sair daqui. - Falei decidida. Irritada com o modo como ele me tratou.

- Edward, Renesmee. Por favor, se acalmem, estamos na casa dos outros. - Minha mãe falou calmamente para nós dois. - Ness... não complique mais as coisas, vamos em algum lugar, para conversarmos? - Ela disse se virando para mim, com olhos suplicantes.

- Ok. - Falei bufando. Voltei para a sala onde Seth e Leah me olhavam preocupados, dei um sorriso e subi as escadas. Entrei no meu quarto, tomei um banho rápido, vesti uma calça jeans e uma malha. Prendi meu cabelo num rabo de cavalo, peguei minha bolsa e desci. [look ness]

- Vamos. - Falei, passando por eles e indo direto lá para fora. Entrei no carro do meu pai e eles me seguiram.

Ele dirigiu para fora de La Push, e pegou a estrada para Port Angeles. Fui impaciente no banco de trás, eles nada falavam e eu ainda tinha que ouvir Debussy. O inferno. Coloquei meu fone de ouvido e só tirei quando meu pai estacionou o carro num restaurante.

Entramos e ele rapidamente conseguiu uma mesa para a gente, bem nos fundos. Sentamos os três na mesa, meus pais de frente para mim, eu já irritada com aquele silêncio, resolvi falar:

- E ae? Vocês me trouxeram até aqui. Agora falem alguma coisa!

- Renesmee queremos que você volte para casa. - Disse meu pai. Minha mãe me olhava suplicante.

- Por que eu faria isso? To cansada da forma como vocês me tratam. Eu faço 17 anos daqui a seis dias e vocês me tratam como se eu tivesse 5 anos! - Falei, tentando não gritar.

- Só queremos o seu bem. - Falou minha mãe.

- Volta para casa. Você sabe que não pode ficar direto lá onde você está. - Falou meu pai.

- O que você quer para voltar para casa? - Disse minha mãe. Dei um sorrisinho e meu pai olhou cético para ela. Ela por sua vez apertou a mão dele com mais força, como se para acalmá-lo.

- Eu só quero que vocês parem de me tratar como uma criança. E será que vocês podem me dar um aumento de mesada? Pode ser?

- Te daremos isso. Mas você terá que cumprir algumas regras, como nada de festas, e horário para chegar em casa. - Meu pai disse sério.

- Tudo bem - Falei dando um sorriso pros dois. - Só quero que você pare de ser tão sério. Poxa, confie um pouco em mim. - Completei, dando meu melhor sorriso ao meu pai. Ele retribui.

- Oh Renesmee! Que saudades que eu estava de você - Disse minha mãe, indo me abraçar. Chorando.

- Também senti mãe. - Falei.

O resto do nosso jantar passou depressa. Eu estava feliz, só estava esperando eles virem me procurar para voltar para casa. Não conseguia me acostumar a morar em um mini quarto, com apenas uma cômoda para guardar minhas coisas, água do chuveiro gelada, nem uma banheira para eu poder relaxar tinha lá. Mesmo ficando lá uma semana, eu não consegui me adaptar muito bem.

Tudo bem que eu poderia ter ficado chateada com os meus pais, e não ter aceitado a proposta de voltar para casa. Mas era o que eu queria, sentia muita falta de todos lá. E eu sei que também errei, mesmo achando que meu pai poderia ter pegado mais leve comigo, mas tudo bem, eu entendo, só que, como falei para ele, não queria que ele fizesse aquilo comigo novamente. Todo adolescente já deu uma festa.

Minha mãe era outra que eu sentia muita falta, nossa, era tão bom poder contar com ela... Me fazia muita falta. E até de acordar todo dia, e quando descer as escadas encontrar minha família toda já reunida na mesa, Emmett com suas palhaçadas...

No caminho de volta para La Push eu fui sorrindo o tempo todo. Acho que esse tempo que fiquei fora me fez pensar um pouco o quanto é difícil viver sem meus pais, e com certeza eles também receberam uma lição, meu pai me tratava meio diferente, e estávamos com a relação bem melhor do que de um mês atrás.

Paramos em frente a casa de Sue, e eu pedi para eles esperarem, iria pegar minhas coisas e me despedir do pessoal.

Entrei na casa, e todos estavam reunidos na mesa de jantar terminando de comerem a janta.

- Nessie! - Gritou Sue quando me viu. - Seth falou que seus pais estiveram aqui, está tudo bem? - Falou preocupada.

- Sim, nós conversamos e... eu vou voltar para casa. - Falei dando um sorriso para ela.

- Oh sério?! - Ela disse se levantando. - Que bom! Eu sei que você estava doida para voltar para casa. - Completou, me abraçando.

- Sim. E muito obrigada por ter me abrigado aqui quando tava precisando. Você foi muito gentil - Falei, olhando para ela. Seus olhos já tinham lágrimas.

- Que isso Nessie. Você é um amor de pessoa. Não deixe de aparecer, viu? - Falou, e já estava chorando um pouco.

- É Ness, venha sempre nos visitar! - Completou Seth, com Leah concordando.

- Claro que vou vir, vou pedir pro Jake me trazer sempre aqui. - Falei. - Vou arrumar minhas coisas, meus pais estão esperando ali fora.

Subi as escadas e fui direto ao quarto, tirei as coisas da cômoda, e fui arrumando tudo dentro da minha mala. Fui no banheiro, peguei as minhas coisas que estavam lá, juntei as coisas que estavam espalhadas pelo quarto, e dei uma olhada nos cantos para ver se não tinha esquecido nada. Demorei uns 25 minutos para fazer isso, e sai do quarto feliz por estar voltando para casa.

Quando desci as escadas encontrei todos os amigos que eu tinha feito ali me esperando para se despedir. Me despedi de todos, eles pareciam tristes, repeti várias vezes que não estava indo embora para nenhum lugar tão longe assim, e que sempre iria lá. O povo de La Push era muito amigável, eu gostava de todos ali, como eles de mim.

Quando consegui acabar de me despedir saí da casa, agradecendo a Sue pela hospitalidade e entrei no carro dos meus pais, eles ficaram quase uma hora me esperando ali.

- Desculpem a demora. Tive que me despedir do pessoal - Me desculpei entrando no carro.

- Sem problemas. - Falou meu pai. Ligou o carro e saímos de La Push, uns vinte minutos depois chegamos em casa. Pareciam anos que não ia ali, fui direto pro meu quarto, que estava incrivelmente arrumado. Me joguei na minha cama, como tinha sentido saudades da minha cama grande e macia.

Fui até o banheiro, quase dando pulinho a La Alice, e coloquei a banheira para encher, precisava tomar um banho digno. Abri as portas do meu closet, e suspirei, que falta fazia, minhas coisinhas tudo organizadas...

Depois desse momento cheio de futilidade, tirei a roupa e entrei na banheira, tomei um banho que há muito tempo não tomava, saindo de lá revigorada. Coloquei uma roupa confortável e sai do quarto. Fui em direção ao quarto do Emmett, ele não deveria estar sabendo que voltei, iria lhe fazer uma surpresa.

A porta do quarto dele estava entreaberta, e sem hesitar abri e entrei, tentando não fazer barulho. Ele estava sentado no pufe, vidrado na TV, enquanto jogava videogame. Dei um pulo em suas costas.

- BU! - Gritei, abraçando ele.

- AAAAAAAAAAH - Ele gritou. Levantou correndo, me fazendo cair no chão. E me olhou de olhos esbugalhados.

- Calma Emmett, sou só eu... - Falei quando consegui parar de rir de sua cara.

- Ness!!!!!!!! Você voltou!!!!!!!! - Ele gritou, agora feliz. Me puxou em um abraço de urso, e começou a me rodopiar no ar.

- Me soooolta! - Falei, e ele logo me pôs no chão.

- Você conversou com nossos pais, ficou tudo bem? - Ele perguntou quando já estava menos eufórico.

- Sim, conversamos bastante, e resolvi voltar para casa. - Respondi e lhe dei um sorriso.

- Ai que falta você estava fazendo baixinha! - Disse bagunçando meu cabelo. Rimos juntos. Fiquei no quarto dele jogando videogame até me dar sono, me despedi do meu irmão, que eu estava sentindo muitas saudades e fui pro meu quarto. A primeira coisa que fiz foi ligar para o Jacob. Tinha que avisá-lo que estava de volta a minha casa.

Conclusão: fiquei quase duas horas no telefone, até que já estava com muito sono para não conseguir falar. O bom era que nossos assuntos não tinham fim, na maioria das vezes nos pegávamos falando sobre nosso relacionamento, e o futuro, a faculdade...

Como essa semana passou depressa. Só de imaginar que hoje era sábado, o dia do meu aniversário de 17 anos, já tinha vontade de pular dessa cama, e começar a cantar músicas animadas.

Aleluuuuuuuuuuuuia! Agora eu tenho oficialmente 17 anos. Só mais um ano e serei maior de idade. Que chegue depressa.

Essa semana eu passei toda feliz, na verdade, minha vida parecia perfeita, na segunda eu cheguei à escola com Jacob, e todos nos olhavam, claro que tinham invejosos que falavam mentirinhas, mas não me deixei abalar em momento algum.

Na sexta feira quase ninguém ligava para nós dois, apenas Rosalie, que estava sempre pelos cantos com suas amigas, me olhando de olhos afiados. Eu tinha certeza que ela não tinha acabado. Com certeza estava aprontando uma para mim.

Tudo estava tão feliz, eu estava feliz como nunca tinha sido, não estava tendo nenhum problema, tanto em casa quanto na escola, exceto por Rosalie, que vivia me perturbando.

Além dos olhares, ela mandou um envelope aqui para minha casa. Eu abri e tinha um vídeo de uma pegação minha com o Jacob, e ela ainda tinha mandado um bilhete, falando para terminar tudo com ele enquanto ainda tinha tempo, antes que aquilo chegasse às mãos do diretor e dos meus pais. Claro que não me deixei abalar, Jacob já tinha me contado a história, e não era isso que o faria se separar de mim.

Eu pouco me importava se ela entregasse aquilo a alguém, eu já ótimas desculpas prontas. E essa idiotice que ela fez, só me fez ter mais vontade de destruir a vida dela. Mas ainda não tinha pensado em nada, na verdade, resolvi deixar para ver isso depois do meu aniversário, ai sim, me dedicaria totalmente a destruir Rosalie Hale.

Ta bom, voltando ao melhor do dia: hoje era meu aniversário. Levantei-me da cama com a animação mais esperada, e já fui tomar um banho. Liguei o som em músicas animadas, que contagiou todo o quarto.

Acabei meu banho e vesti uma roupa arrumadinha para ficar em casa.

Quando estava pronta desci, para tomar café, com certeza mamãe mandou preparar uma super mesa de café da manhã para mim.

- Uaaaal - Falei quando cheguei na sala de jantar. Ela tinha se superado. Era uma das mesas de café da manhã mais bonitas que já vi, com tudo que eu mais gostava de comer.

- Parabéeeeens meu bebê - Minha mãe gritou, indo me abraçar. Meu pai fez o mesmo. Emm pelo contrário, me pegou e rodopiou no ar.

- Parabéns pirralha! - Ele zuou. Dei um tapa nele e fiz bico.

- Tenho 17, e você é só um ano mais velho, e então nem vale me zuar. - Ri, indo me sentar na mesa.

Tomamos um café recheado de risos e conversas felizes. Como uma típica família cheia de harmonia. Quando acabei ia me levantar para subir, mas meu pai me chamou.

- Renesmee. Seu presente tá te esperando, você não quer? - Ele perguntou, com um sorriso no rosto.

- Presente??? O que é?? - Falei curiosa.

- Vem. Vamos te mostrar. - Minha mãe disse se levantando. Ela se posicionou atrás de mim, e tapou meus olhos.

Ela foi me guiando, não sabia para onde estava indo até que ela destapou meus olhos e eu vi que estava na garagem aqui de casa. Tudo normal, exceto por um lindo carro vermelho vibrante. Mas exatamente, o carro dos meus sonhos: New Beetle Conversível.

N/A: Ignorem o banco da Barbie.

- O.M.G. - Falei atônica, com os olhos vidrados no carro. 

- É todo seu. Não quer ir dar uma volta? - Disse meu pai, colocando a chave na minha frente. Peguei a chave, e ainda meio lerda, com a emoção que estava sentindo, fui até o carro, entrei e coloquei a chave na ignição. Passei a mão pelo banco do carro, que por sinal era lindo, de couro claro.

Liguei o carro, e ele fez aquele barulhinho suave, o portão da garagem já estava aberto. Com cuidado, acelerei o carro, saindo da garagem, o teto estava rebaixado, e quando cheguei ao lado de fora já batia aquele vento em mim.

A sensação de ter um carro lindo, com cheirinho de novo, e dirigindo ele, é tudo de bom. Mantinha um sorriso imenso no rosto.

Agradeci por assim que fiz 16 anos ter aprendido a dirigir e ter tirado minha carteira. Acho que deveria ter carro desde aquela época, mas eu não fazia muita questão, e meu pai falava que não ia me dar e que tinha medo de eu me machucar.

Dei uma voltar com o carro pelo quarteirão, e depois voltei, meus pais estavam na frente de casa, com sorrisos satisfeitos no rosto. Parei o carro no meio fio, já iria usa-lo e não queria guardar e tirar de novo.

- Obrigada! Obrigada! Obrigada! - Gritei dando pulinhos e abraçando meus pais.

- Esse é o nosso presente. - Falou meu pai.

- Mas tem mais uma coisa que te daremos depois - Completou minha mãe.

- Ooook - Falei, tentando não demonstrar muita curiosidade.

Depois de agradecer mais um pouco a eles subi e liguei para Alice, nós almoçaríamos juntas, com nossos respectivos namorados. Liguei pro Jacob e falei que não precisava passar para me buscar, e nos encontraríamos no restaurante lá em Seattle.

Tomei outro banho, e coloquei a roupa que tinha deixado separada. Queria ir mais arrumadinha. Ajeitei meu cabelo num coque bem alto. Fiz uma maquiagem clara, mas bem caprichada. Peguei minha bolsa e desci.

Despedi-me dos meus pais, dizendo que voltaria até de noite. Peguei a chave do MEU carro, e entrei nele, liguei e sai da rua, logo já na via mais minha casa. Nossa, era muito bom dirigir um carro que era seu. Sentia-me super feliz.

O caminho para Seattle foi longo, primeiro eu fiquei com um receio, de ir de carro para um lugar longe, mas logo me acostumei, e em uma hora estava estacionando o carro.

Pedi para Alice me esperar perto do restaurante, e ela já estava com Jasper.

- Parabéns amiga! - Alice gritou, e se jogou em cima de mim, me dando um abraço, quase me fazendo cair no chão.

- Parabéns Ness - Falou Jasper, também me dando um abraço, depois que Alice me soltou.

- Obrigada - Respondi dando um sorriso. - Cadê Jake? Ainda não chegou? - Perguntei no mesmo momento que alguém me abraçava por trás.

- Parabéns meu anjo. - A voz rouca que me fazia delirar falou no meu ouvido. E ainda deu uma mordida no lóbulo da minha orelha, antes de eu me virar para ele, e pegá-lo de surpresa num beijo cheio de paixão.

- Ta bom, vocês podem deixar isso para mais tarde. - Comentou Alice, rindo na nossa pegação ali no meio das pessoas.

Me separei dele com as bochechas quentes, e sem fôlego. Ele continuou me abraçando por trás.

- Nossa.. o aniversário é seu e eu ganho o presente? - Sussurrou no meu ouvido, me fazendo corar mais.

- Então, vamos para almoçar aqui mesmo né? Eu fiz reservas. - Falou Alice, apontando para o restaurante do outro lado da rua.

- Vamos. - Falei, segurando a mão do Jacob e caminhamos até o restaurante luxuoso, onde Alice tinha feito reserva.

Sentamos numa mesa mais ao fundo, onde poderíamos ter privacidade para conversar a vontade. O restaurante era de comida italiana, a minha favorita.

O almoço foi delicioso, conversamos, rimos e brincamos. Jacob toda hora sussurrava alguma coisa como: você está linda hoje, você é maravilhosa, no meu ouvido que me deixava toda boba. Eu contei a novidade a eles, e s três queriam muito ver meu carro novo.

Quando acabamos de almoçar, e comer o mini bolo que Alice tinha pedido, nós fomos ao shopping de Seattle. Alice e eu iríamos para um SPA, um dos presentes dela, e os meninos ficariam esperando lá por fora.

- Sério Alice que vamos passar o dia do meu aniversário num SPA? - Perguntei quando ela falou para onde iríamos.

- Sim vamos. É um dos meus presentes. E você precisa ficar linda, a noite vamos numa boate, tipo, super vip.

- Boate?! Perae, o aniversário é meu, mas quem escolhe o que vou fazer é você?! - Falei cética com Alice. Como se eu já não estivesse acostumada.

- Claro. Do jeito que você é, sabia que não ia ter pensado em nada para fazer, então tomei a liberdade convidar o povo todo para comemorar seu aniversário numa baladinha aqui de Seattle. - Ela disse dando de ombros. Revirei os olhos, mas depois ri. Como eu podia arranjar amigas tão doidinhas.

- Oooook! - Resmunguei enquanto ela me empurrava para dentro do SPA.

Ta bom, posso dizer que adorei a ideia de Alice, fui tratada como princesa, principalmente por ser meu aniversário, foi feito tratamento no meu cabelo, milhões de mascaras do meu rosto, banho de lama e de hidromassagem, ainda fiz as unhas e o baby liss no cabelo todo. Sai de lá renovada. Já passava das 5 da tarde, e os meninos foram embora, eles não acharam que íamos demorar tanto, mas quando começou a entardecer eles mandaram mensagem, falando que não iam esperar mais.

Como Alice tinha ido com Jasper, ela voltou comigo. Fui o caminho inteiro a ouvindo falar que amou meu carro, que era lindo, só não era mais lindo que o porsche dela... Tá, eu estava quase mandando ela calar a boca quando estacionei na porta da casa dela.

- Você, espera aqui que vou só pegar minhas coisas, ai eu vou para sua casa, fazer sua make, e eu me arrumo lá. Temos que estar oito horas lá. - Ela disparou do carro, entrando rapidamente na sua casa e voltando uns 10 minutos depois com uma pequena malinha.

- Anda logo Alie, você não disse que tínhamos que estar lá as oito! Olha a hora! - Eu gritei para Alice, que ainda acabava de se maquiar em frente ao meu espelho.

- Pronto vamos. - Ela falou pegando a bolsa e saindo apressada do meu quarto. Me despedi dos meus pais e fomos para Seattle. Pelo que Alice falava, essa noite estava prometendo...



Notas finais do capítulo

Gente, desculpem pelo capítulo horrível. Eu sinceramente não gostei nada do que escrevi, mas tudo bem.
.
.
Deixa eu avisar logo, semana que vem eu tenho prova, tipo todos os dias, então vou evitar entrar na internet, e não sei se vou conseguir postar, então, talvez eu só volte a fic daqui a umas duas semanas. Não me matem, ok?
.
.
De novo, me desculpem pelo capítulo, mas sabe quando você não consegue escrever cenas românticas? Sabe, junta tpm com a falta de amor e dá nisso. Pulei uma semana linda da vida dela, só para não escrever fofurices. Êê, agora deixa eu afundar minhas magoas no chocolate, ficar bem gordinhahhh.
.
.
Bjs, bjs, bjs.