Hit Ur Heart escrita por Den Falk


Capítulo 2
II


Notas iniciais do capítulo

Desculpem a demora, se é que alguém lê isso... Bem, aí vem drama, ponto que esquenta a história e começo a encaminhar tudo. Enjoy.



II


Na sala do 3-3, HyunA e as amigas prestaram atenção na porta quando o Sr Choi apareceu acompanhando os dois rapazes, provavelmente os novos alunos, e saiu, descendo para o andar do segundo ano acompanhado por um rapaz menor.

O professor os cumprimentou e pegou os papeis deles, ao que parece os dois eram amigos e vieram mesmo juntos para essa escola. Durante a apresentação ela reparou que os dois disseram que são amigos de infância e que o primeiro a se pronunciar, o moreno chamando DongHae, foi acompanhado pelo amigo, EunHyuk, porque havia acabado de passar por uma perda na família, e o amigo não quis deixa-lo sozinho e perdido.

As meninas sorriram ao ouvir isso, provavelmente pensando muitas besteiras e ligando a amizade deles à uma possibilidade de um romance. Elas achavam divertidas as ideias de relacionamentos gays entre alguns rapazes. DongHae era evidentemente mais atraente em suas feições do que o amigo, mas quando repararam no físico dos meninos descobriram que EunHyuk podia ser bem atraente também. Fato que só alegrou algumas mentes pervertidas.

Os dois sentaram-se e a aula foi prosseguida de forma que algumas alunas da sala não prestavam mais atenção em nenhuma orientação da introdução as aulas, apenas fitavam DongHae e EunHyuk que deram a sorte de sentarem juntos.


Na sala do andar debaixo as batidas na porta e a presença de Siwon fizeram RyoWoon voltar sua atenção totalmente para a movimentação dali, sendo a primeira a reparar no rapaz novo que entrava na sala.

—Como ele é fofo. – murmurou ao mesmo tempo em que a irmã arrancando um riso de KyuHyun.

SooYang pareceu arrependida de ter dito aquilo e virou o rosto, tentando não encarar o colega ao lado. YoSeob, que sentava com Thunder logo atrás de Ryo, murmurou algo sobre “Mas fofo que nós?” fazendo bico acompanhado pelo amigo e arrancando risos de Sulli e RyoWoon que foram repreendidas pelo professor. Siwon arqueou uma sobrancelha encarando Ryo que baixou o olhar muito sem graça por ter atrapalhado logo em um momento em que o sr Choi estava ali. O rapaz novo se despediu do sr Choi e virou-se para a sala, a pedido do professor, começando sua apresentação.

Bang Chulyong, mas que preferia ser chamado de Mir, recebeu os cumprimentos dos novos colegas de classe e foi encaminhado a um lugar à frente de SooYang e KyuHyun, ao lado de DongWoon. Mais a frente Krystal e Luna sorriram, satisfeitas em ter mais um rapaz fofo na sala. As outras meninas dos outros anos ficariam com ainda mais inveja pela coleção de rapazes graciosos que as meninas do 2-2 faziam. Thunder, KyuHyun, SungMin, YoSeob, Taemin e agora Mir. Elas só não superariam a sala do 1-4 que tinha rapazes tão fofos quanto os delas e agora estavam empatados em seis.


Algumas boas e longas aulas depois todos finalmente estavam no intervalo. Ao contrário do que JunHyung tinha dito ele resolveu ir fazer algumas coisas dele e ver as gêmeas na saída. DooJoon foi acompanhar HyunA a qualquer lugar enquanto as salas se esvaziavam. Na sala do segundo ano SooYang ficava apenas observando KyuHyun que saiu logo depois de SungMin para encontrar seus hyungs do 3-3 no pátio. Sulli havia ido com as outras meninas encontrar-se com Vic e Tiff que geralmente aproveitavam a sala de dança vazia e ficavam por lá. Os que ficavam na sala geralmente eram as gêmeas, Thunder, YoSeob e, agora, Mir.

RyoWoon, muito amigável observou o Bang sozinho e levantou-se indo até a mesa ao lado da dele, lugar de DongWoon, duas fileiras à frente da sua, e parou ali, sorrindo.

—Posso me sentar, Mir? – perguntou e ele assentiu sorrindo para ela. – De onde veio? – ela perguntou curiosa. Ele havia dito que tinha vindo de outro colégio, mas morava na cidade.

—Um colégio no bairro debaixo, mas minha mãe preferiu me transferir pra cá que é mais perto. – a menina assentiu e ele continuou – Moramos perto da praça principal.

—Sério?! Na rua de frente? – perguntou a menina curiosa e ele assentiu rindo de sua empolgação. – Eu e SooYang moramos na rua de trás! – falou chamando a atenção da outra que sorriu pra ele empolgada.

—Vocês são irmãs, né? – ele perguntou analisando a face de ambas.

—Gêmeas. – falaram em uníssono e ele fez uma expressão surpresa.

—Relaxa. – Seob comentou do fundo – Elas não se parecem mesmo, não é coisa da sua mente.

—É cara. – emendou Thunder – Elas só lembram uma à outra, como se fosse irmãs mais velha e mais nova, mas são gêmeas.

Mir riu meio sem graça e continuou a conversar com as meninas e os outros dois rapazes que agora haviam se aproximado mais ainda. Depois de um tempo que eles conversavam uma cabeça morena apareceu na porta da sala seguida pelo outro rapaz sorridente de cabelos um pouco mais claros que o hyung.

—Soo? – Joon chamou procurando-a até repousar os olhos nela e sorrir.

SeungHo já estava indo até RyoWoon e cumprimentando os outros rapazes, parando o olhar em Mir e cumprimentando-o.

—Novato aqui também? – questionou.

—Por que, Yang? Tem alguém na sala de vocês?

—Não, Ryo. Na sala da sua cunhadinha. Mas novatos. – repondeu sorrindo e sentando-se na cadeira que colocou do lado dela, já encostando a cabeça no ombro da mais nova e abraçando-a como sempre fazia.

—Argh, Yang! Não diga isso! Cunhadinha, argh. – protestou a menina fazendo careta e arrancando risos de todos na sala.

Lee Joon caminhava um tanto devagar até perto de SooYang, mas incrivelmente curioso, ao que seus olhos expressavam. Seria difícil para os outros perceberem, mas Soo reparou que ele fitava Mir o analisando minunciosamente, apesar de não saber o porque.

—Sou SeungHo – o mais velho ali presente falou estendendo a mão para o novato.

—Mir. É assim que gosto de ser chamado. – respondeu o maknae sorrindo.

—Mir... – uma voz repetiu em um murmúrio atraindo olhares. Quando Joon percebeu que era observado, já ao lado de SooYang, tratou logo de falar – Sou o Joon.

O pequeno acenou para ele com a cabeça e se colocou a conversar com RyoWoon e SeungHo, a menina já tomando bastante de sua atenção. Mir parecia feliz pelo contato que fazia, amigos eram mais que bem-vindos, e sorria com frequência, todas as vezes chamando a atenção de Joon.

—Se acha que a Soo pode ter interesse nele acho que pode ficar tranquilo. – falou Yoseob em um sussurro sendo acompanhado por Thunder.

—É, hyung. Eu acho é que o SeungHo hyung deveria fazer duas coisas: admitir que gosta da Ryo-sshi e dar um jeito de afastá-la tanto do sr Choi quanto do novato, porque ela está só sorrisos perto desses caras.

Joon meneou a cabeça rindo fraco pelo que os dongsaengs estavam pensando, mas resolveu não falar nada, só voltou a atenção para SooYang, que estava vindo sentar em seu colo, para que pudesse conversar com ela antes que o intervalo acabasse.



Uma semana depois do primeiro dia das aulas já havia um novo movimento. As salas do segundo ano foram novamente interrompidas em suas aulas. O sr Choi passava de sala em sala fazendo o anúncio da diretoria e era a vez do 2-2 ter que lhe dar atenção.

—Os jogos esportívos interclasses irão começar em breve e como as eleições para representantes de classe de todos os anos não foram realizadas no começo do ano, por vários fatores já explicados diversas vezes, achamos conveniente que o representante do ano e seu vice-presidente fossem eleitos para que o comitê esportivo do colégio seja iniciado, então teremos uma eleição rápida por indicações em todos os anos. Os indicados vão concorrer entre si, ou chegar em acordo através de diálogo para que a sala seja bem representada e organizada neste evento. Alguma indicação?


—KYUHYUN! – uma voz veio do fundo, mas de súbito pareceu desaparecer. Quem quer que tenha gritado não quis mais se manifestar da forma que fosse, talvez por vergonha.

—Ok. – Siwon anotou na lousa KyuHyun como indicado. – Mais alguém?

SooYang estava olhando para o fundo da sala até agora, procurando quem havia gritado. Era uma voz feminina, mas infelizmente ninguém soube dizer quem era. Foi algo muito rápido e que arrancou um riso nervoso de Kyu. Poderia parecer besteira, mas agora ela estava incomodada, será que mais alguém gostava do seu KyuHyun?

Ryo olhava fixamente para Siwon, quase que não percebendo o significado das palavras que saíam da boca dele, quando ouviu que era sobre o comitê esportivo se desligou do recado e se concentrou em aproveitar para admirar o professor como nunca podia fazer em suas aulas. Se fizesse isso perderia a matéria e se frustraria por diversos motivos, mas agora não precisava prestar atenção, era e sempre seria uma preguiçosa, dorminhoca e dengosa, nunca uma esportista.

—Eu quero indicar RyoWoon para presidir o conselho do 2-2.

E foi esssa frase que a tirou dos seus pensamentos. Ela olhou para atrás, onde YoSeob estava e praticamente o fuzilou com os olhos.

—Como é? – perguntou confusa e ele assentiu como se dissesse que era mesmo uma verdade.

—Se for assim eu apoio a indicação já deixando meu voto. – Thunder se pronunciou e Ryo gelou ainda mais.

A garota virou para frente a tempo de ver Siwon sorrir para ela.

—Yoon RyoWoon, indicada com um apoio. Bem, a não ser que vocês queiram indicar mais alguém, ou apoiar de forma que sejam esses dois membros do conselho, sendo presidente ou vice, eu encerro por aqui.

—Aish, se é pra decidir que seja agora. – SungMin murmurou lá do fundo e muitos concordaram fazendo com que Siwon concordasse junto.

—Então vamos votar, mas de qualquer maneira, a não ser que haja outra indicação, faremos com que esses dois sejam os representantes.

A garota olhou para KyuHyun com um olhar quase que suplicante e o mesmo soltou o ar pelos lábios com a mesma expressão aflita que ela. Era claro que nenhum dos dois estava afim de ser o presidente, mas no fim estavam juntos nessa.

SooYang olhava para ambos os nomes na lousa, pensando se deveria se pronunciar e, se fosse se pronunciar, em quem votaria já que sempre apoiaria KyuHyun pelo seu amor, mas nunca votaria contra a irmã em algo, mesmo que aparentemente ela não quisesse.

—Eu apoio a indicação de Yoon RyoWoon para a presidência. – Sulli declarou ao lado de Ryo que praticamente jogou o rosto contra o caderno na mesa.

KyuHyun suspirou de alívio até receber duas indicações uma de SungMin e outra de mais uma garota que o admirava.

—Estão empatados, se todos se pronunciarem facilita. – Siwon instigou.

Krystal e Luna cochichavam com DongWoon mais à frente enquanto Taemin resmungava algo sobre apoiar ambos, então votar nulo. Era meio engraçado imaginar o que elas aprontavam, já que Mir parecia se interessar, mas logo todos souberam.

—RYOWOON PRESIDENTE, KYUHYUN VICE-PRESIDENTE E YOON SOOYANG DE SECRETÁRIA DO COMITÊ – berraram os três ao mesmo tempo fazendo Mir rir e SooYang gelar por alguns segundos.

Antes que qualquer um dos três citados pudessem se pronunciar o resto da sala já apoiava com grande maioria falando. Kyu apenas virou-se para SooYang e sorriu.

—Se for para ajudar a Ryo e você vai ser até divertido. – falou sendo esse o momento em que SooYang viu alguma vantagem naquilo tudo e encarando a irmã como que se suplicasse por esse apoio.

—Bom, está decidido né? – Luna perguntou lá à frente e Siwon meneou a cabeça negativamente.

—Só será assim se todos os três indicados concordarem.

Todos os olhares foram voltados para RyoWoon, que nesse momento se matinha imóvel e com os lábios entreabertos.

—E-Eu não sei se posso lidar com isso... – murmurou sendo a única coisa que conseguiu falar.

—Ah, vamos lá Ryo! – Kyu falou, já subtamente animado. O que só animou mais Soo.

—É, unni! Vamos, lá. Eu topo! – ela se pronunciou sorrindo para KyuHyun e olhando de novo para a irmã, mais uma vez suplicante.

—Eu tenho certeza que você dá conta, RyoWoon.

Foi simples. A frase mais um sorriso do sr Choi é igual a uma Ryo totalmente convencida a participar. Ela nem questionou isso, ainda mais quando Siwon declarou que seria o professor que ajudaria o comitê da sala 2-2. Foi um ato perfeito para as gêmeas Yoon estarem perto de suas paixões platônicas, mesmo que não fosse algo efetivo.


–--


Na sala do 3-2 o recado era dado pelo sr Kim e todos os alunos pensavam em uma pessoa para indicar ao cargo: DooJoon. Muitos cochichavam sobre colocar o rapaz e o SeungHo no comitê, já que para esportes DooJoon se saíria bem e como SeungHo é comunicativo ele poderia lidar melhor com as reuniões do comitê, mas isso seria apenas até JunHyung fazer uma de suas brincadeiras.

—Eu indico Lee Kikwang. – Joker falou deixando todos da sala surpresos e arrancando risos gerais que acabaram acordando Kikwang que, como sempre, dormia.

—Eu? – perguntou o rapaz esfregando o rosto e colocando os óculos. Se não fosse alguma aula diversificada ele estaria dormindo. Não em todo o momento, pois precisava de notas, mas às vezes ele dormia em momentos importantes como esse.

—Sim, Kiki. Ao menos você não poderá dormir nas reuniões. – comentou Lee Joon que se sentava ao fundo como o amigo.

—Interessante, mas tudo ok. – HeeChul anotou o nome do dorminhoco na lousa. – Se quiserem ser práticos podem indicar um grupo de comitê com no máximo 3 membros e se a sala concordar podemos concluir essa etapa.

Alguns múrmurios vieram do fundo e da frente, todos pensavam em algo para dizer e fazer e vários nomes eram colocados, mas antes que mais alguém falasse JunHyung se pronunciou de novo.

—Kikwang presidente, SeungHo vice e DooJoon representante esportivo. – falou sério e atraíndo os olhares pra si. – Ao menos Kikwang vai se ocupar, SeungHo mantér as coisas em ordem e ir as reuniões e DooJoon garantir vitória para nossa sala no evento. Alguém discorda?

Todos responderam negativamente. É claro que ele estava certo, mesmo que a indicação à presidência tivesse sido uma piada.

—Eu sinceramente acho que você é quem deveria ser o presidente, Jun. Você lida tão bem com toda a sala. – Kikwang comentou um tanto contrariado.

—Só vai se quiser. E eu não tenho paciência pra cuidar de papéis. – respondeu o outro dando de ombros enquanto o sr Kim dava o assunto por encerrado.

Por fim acabou tudo se saindo, mais uma vez, conforme JunHyung disse. Ele tinha um jeito de lidar com os outros que às vezes assustava, principalmente sua sala. Todos ali gostam de JunHyung, por mais canalha e convencido que ele possa ser às vezes. E era exatamente isso que Victoria observava.

No fim das aulas os rapazes, com exceção de DooJoon, foram direto até a sala do segundo ano junto a Tiffany e Victoria, iriam todos juntos embora já que Thunder havia convidado o pessoal para ir a sua casa. Mir também foi convidado, iria para casa primeiro com as gêmeas e DooJoon, que eram quase vizinhos dele, e depois os esperaria na praça para ir até a casa do novo amigo para partidas de vídeo game e alguns outros jogos. Iriam Thunder, YoSeob, DongWoon, Mir, SeungHo, Lee Joon, DooJoon, RyoWoon, SooYang, Sulli, Tiff, Vic, JunHyung, Krystal e Luna. Na casa de Thunder, G.O e Amber apareceriam para irem todos dar uma volta como geralmente acontecia.

Mal eles chegaram à porta, e as meninas colocaram as mochilas nas costas, o auxiliar da inspeção passou correndo.

—Ei, a pessoa eleita presidente ainda está na sala?

Todos assentiram e olharam para Ryo. Assim o funcionário prosseguiu diretamente para ela.

—O sr Choi pediu para que o representante dessa sala fosse conversar com ele em breve.

—Agora? – SeungHo perguntou pela garota que havia parado sorrindo.

—Ele não disse, só estou chamando todos os representantes, parece que tem uma reunião com o diretor logo hoje depois da eleição e em seguida ele fala com a mocinha aqui.

Ryo aumentou ainda mais o sorriso entregando a mochila nas mãos de SeungHo e tirando um caderno com a capa normal de dentro dele mais uma caneta.

—Leva pra mim por favor, Yang? Eu prometo que volto logo. – e beijou a bochecha do rapaz que parecia contrariado.

Assim que a menina saiu correndo da sala Lee Joon soltou um riso abafado chamando a atenção dos outros.

—Você iria acompanhá-la, hyung. Só que o Joker indicou o Kikwang para presidencia, se fosse o DooJoon o primeiro indicado com certeza deixariam ele de vice, ou mesmo se ele fosse presidente, ele fugiria e deixaria você nas reuniões acompanhando a Ryo-sshi.

SeungHo respirou fundo controlando a irritação. Infelizmente Joon estava certo e ainda por cima teria um momento em que RyoWoon estaria na sala do Siwon, falando com ele e aquele jeitinho de galã pedófilo dele. Realmente era algo que iria tirá-lo do sério pelo resto do dia.

O rapaz entregou a mochila nas mãos de DooJoon assim que o viu passar pelo corredor com HyunA.

—Leve a bolsa da Ryo-sshi, ok? Eu vou direto pra casa e depois vejo vocês na casa do Thunder.

—Ih, ele se incomodou mesmo. – comentou Joon sorrindo de canto.

JunHyung o olhou feio e ele parou de rir.

—E ainda põe a culpa em mim. – Joker resmungou contrariado por ter sido destacado como culpado da situação. Mesmo que fosse mesmo o culpado, como adivinharia que a irmã de DooJoon iria ser eleita na sala do segundo ano? De fato não foi proposital.

SooYang parou na porta, falando algo com o irmão e entregando a mochila para ele também.

—Aonde vai, Soo? – Lee Joon perguntou surpreso indo até a menina.

—Preciso... Resolver uma coisa.

Ela havia ouvido que KyuHyun iria treinar algumas coisas para sua apresentação cultural no colégio e que ficaria no auditório até aquele horário em que estavam para sair. Depois do que havia acontecido a ela hoje, o sorriso dele e a preocupação de mais alguém estar interessada no rapaz fizeram com que a menina se decidisse a fazer algo significativo. Seria hoje que ela se confessaria para o rapaz e seja o que Deus quiser.

Assim que ela falou acabou saindo e deixando um Lee Joon confuso e desconfiado ali. Agora o não era apenas SeungHo que teria uma preocupação para a tarde toda, o outro moreno também teria, e o pior de tudo: ele nem ao menos tem certeza sobre todos os sentimentos que rondam a mente dele.

Os outros ignoraram esses fatos e começaram a andar, mas ninguém além de Joon pode reparar na confusão do pequeno Mir.

—Mas... – ele começou olhando para a porta confuso – Se elas vão ficar... Eu vou embora sozinho e o DooJoon apenas que vai me buscar?

O pequeno parecia desconfortável, na verdade tinha motivos. Ele realmente não havia conseguido falar direito com o irmão das amigas, pois o rapaz sempre estava com a namorada e DooJoon parecia tão... Melhor que alguns outros com seu jeito popular e tudo, assim como JunHyung, faziam Mir pensar que ele estava na turma errada. Isso até ver o sorriso de RYoWoon, ter conversas com SooYang, ser alvo das brincadeiras de Yoseob e Thunder e até o contato com SeungHo e Lee Joon, que só não lhe passavam a impressão que os outros mais velhos porque eles haviam falado com ele por mais tempo.

Joon pareceu pensar um pouco. Sem saber o por que sentiu-se alegre ao concluir seu pensamento e tratou de falar rapidamente para amenizar a confusão do Bang.

—Eu posso te levar junto com o DooJoon. – afirmou sorrindo – Eu fico na casa dele e depois, mesmo se as meninas não tiverem voltado, vou com ele te buscar.

O menor sorriu em resposta, estava realmente grato pelo interesse do outro em ajudar e feliz por poder contar com mais pessoas do que achava. Ele assentiu ainda sorrindo e foi indo para a porta logo à frente de Joon.

O mais velho permanecia parado, havia praticamente ficado paralisado ao ver o sorriso do mais novo dirigido diretamente a si. Era mais que confuso, era complicado demais, ainda mais por explicar a felicidade repentina quando ficava perto dele, a mesma que sentia perto de SooYang, mas é óbvio que ele nunca iria cogitar a hipotese de ser algo do tipo...Gay? Lee Joon poderia estar gostando de um garoto? Ele balançou a cabeça tentando afugentar esses pensamentos e voltou a si quando ouviu um riso fraco de Mir mais à frente o esperando.

—Anda hyung. – chamou o menor voltando a andar e Joon o seguiu escola à fora.





A reunião teria sido mais tranquila se RyoWoon soubesse que seu vice poderia ter lhe acompanhando, já que mesmo que o presidente do 3-3 fosse LeeTeuk, HyunA tinha se esgueirado para a reunião ao que parece com intuíto de perturbar a atual “cunhada”.

—Se quer olhar para o professor Siwon seja ao menos discreta, RyoWoonie. – falava a mais velha em meio a risos e Ryo meneava a cabeça negativamente. Se o sr Choi não estivesse em meio a uma explicação RyoWoon já teria berrado para que HyunA se calasse. Será que a garota não tem nenhum senso?

—Deixe-a prestar atenção HyunA-sshi. – comentou o rapaz à frente delas, da sala de DooJoon e dos outros. Kikwang na verdade. O rapaz recebeu um sorriso de agradecimento da Yoon quando HyunA silenciou-se e foi para o lado de LeeTeuk para auxilia-lo.

Assim que a reunião acabou o sr Kim acompanhou Siwon até a sua sala, ao que parece o professor mais velho tinha que resolver algumas pendências com o outro antes que ele atendesse os alunos que ele havia solicitado, que no caso era apenas RyoWoon. A menina olhou em volta, um tanto sem graça por ter sido deixada praticamente no vácuo, mas logo teve que abrir um sorriso com a aproximação de algumas pessoas. Ela era um tanto quanto popular, mas na verdade só poderia ser lido como carísma. A gêmea mais velha era muito sociável, costumava se dar bem com praticamente todos, era difícil desgostar de alguém, mas também quando o fazia acabava por não mudar de ideia.

—Aigoo, se eu soubesse que os vices poderiam vir junto eu teria chamando o SeungHo. – comentou Kikwang se espreguiçando e arrancando um riso de LeeTeuk.

—Uh? O Yang é seu vice? – a menina perguntou aproximando a cadeira do rapaz.

—Ne. – ele assentiu e sorriu pra ela. – E o seu irmão é sercretário de esportes.

—Aish, vocês querem mesmo complicar as outras salas nessa competição, né? – LeeTeuk colocou as duas mãos no rosto, estava realmente surpreso pela composição da equipe do 3-2, mas mesmo que esperasse DooJoon no conselho precisou expressar sua indignação pela desvantagem que sua sala tinha com alguém tão interessado por esportes na organização da sala que estava contra eles em maior parte dos jogos.

—Aigoo, oppa. Não é pra tanto. – RyoWoon comentou rindo. Era amiga de LeeTeuk e gostava tanto dele que chegava a considerá-lo quase tanto quanto ao irmão. Mas era só quase, ela e a irmã dizem que mesmo se LeeTeuk e DooJoon fossem seus irmãos elas ainda teriam DooJoon como favorito. Será sempre o melhor irmão.

O mais velho murmurou algo sobre ser sim e guardou seu caderno na bolsa fazendo menção de levantar.

—Já vai? – Ryo perguntou confusa.

—Vou. O sr Choi disse que terminamos por aqui não foi?

—Uh, e o coordenador não vai querer conversar com você? – ela perguntou confusa, por não saber que era a única que deveria ficar.

—Anya, Ryo-Ah. Os coordenadores só conversarão conosco semana que vem com o roteiro pronto.

—Ah. – ela murmurou baixo e apoiou a mão no rosto pensando. “Isso significa alguma coisa?”.

—Algum problema, RyoWoon? – Kikwang perguntou estranhando a concentração da menina no nada a ponto de ela nem ter percebido que LeeTeuk havia se despedido e ido para sua casa.

—Ah, anya, Kikwang. Anya. Está tudo bem. – respondeu meio afoita, balançando a cabeça de forma negativa e pegando o caderno nos braços. – Então eu já vou também. Annyeong, oppa.

—Annyeong. – ele respondeu sorrindo pelo que ouviu. Oppa.

Ela se levantou e correu para o lado do prédio onde ficava a sala do sr Choi, se era algo especial ela precisava saber logo, além de que estava ficando tarde e ela não pretendia ser a última a chegar a casa de Thunder, sabia que o Yang estaria a esperando e ficaria irritado com ela caso a menina se atrasasse.




SooYang encontrou KyuHyun ainda no palco, cantando. Ela não pode deixar de soltar um suspiro involuntário enquanto pensava em como a voz do rapaz era linda. Era incrível como ele era totalmente perfeito, não tinha como dizer o contrário e cada ato dele ainda a prendia mais do que ela pretendia desde o início. Era difícil SooYang se apaixonar, ainda mais se declarar, por isso esse momento parecia mais que complicado. Suas mãos estavam suadas, um tanto geladas e escorregadias, enquanto sua face, completamente rubra, parecia pegar mais fogo a cada passo que ela dava em direção ao palco naquele caminho escuro.

KyuHyun parou de cantar ao ouvir os passos mais próximos. Apertou os olhos para ver quem se aproximava e abriu o melhor dos sorrisos quando viu que a amiga estava lá. Riu baixinho quando ela gaguejou ao cumprimenta-lo de volta, mas pareceu perceber a tensão dela e se afetar com isso quando SooYang parou em sua frente fitando o chão e mechendo nas próprias mãos.


—Kyu oppa, eu queria... Q-queria muito falar uma coisa para você.

Ele não disse nada, apenas ficou a olhando, com uma expressão que a garota não sabia definir o que era, algo com certeza diferente do sorriso que ele havia dado há poucos minutos.

Devido ao silêncio SooYang resolveu continuar, sabia que se parasse ali nunca mais teria coragem e estava cansada de ficar parada. Não pretendia admirá-lo de longe por toda a vida sem nem saber se existia alguma possibilidade dele correspondê-la. Milagres não costumavam acontecer e KyuHyun chegar nela seria apenas isso, um milagre ou um sonho. Algo que ela tinha consciência de não ser lá o mais possível se tratando do rapaz que nunca sequer uma vez falou para a garota em que estava interessado sobre seus sentimentos.

—E-Eu... Bem... KyuHyun, eu realmente gosto de você. Você é um amigo muito bom, uma pessoa maravilhosa, inteligente, tem uma voz tão doce e... Meu coração palpita quando eu a ouço. Não sei explicar. S-Só sei que todos os dias chego cedo a aula e fico aguardando o momento em que você vai sentar ao meu lado e dizer oi com um sorriso que vai me fazer parar de respirar por uns segundos... Eu realmente gosto de você, oppa, às vezes mais do que eu poderia querer.

Para surpresa de Soo o minuto seguinte foi preenchido por apenas dois sons. A voz de KyuHyun e um síbilo de si mesma ao perceber o que havia acontecido.


—Não. – foi a única coisa que ele disse, ainda sério, antes dela sibilar de forma surpresa, mas do que deveria, e levar as mãos a boca.

Não que SooYang esperasse ser correspondida imediatamente, não que ela achasse que não havia chances de ser rejeitada, haviam grandes chances e ela tinha consciência disso, mas ela nunca havia cogitado a possibilidade de KyuHyun ser tão direto e... Seco com ela.

—Você é minha amiga. Não dá. – foram as únicas outras palavras proferidas ali antes que ela digerisse o que foi que aconteceu.

—Ne... Tudo bem, oppa. – ela falou tirando a mão da boca e sorrindo de forma forçada. Estava doendo, mas ela deveria parecer forte e compreensiva. Ele estava certo, afinal. Eles são amigos e vai ser assim pra sempre. Nada vai mudar... Nada além de o coração de SooYang agora ter sido esmagado e não haver mais palpitação quando ele olhar para ela, só uma pontada de dor que estava enchendo os olhos da pequena de lágrimas grossas que teimavam em tentar sair em sua inútil tentativa de parecer tão indiferente quanto ele. – E-Eu entendo... Tudo bem desde que continuemos amigos. – Errado. Ainda mais agora que ela o veria com mais frequência. Maldita eleição e malditas lágrimas que tentavam escapar de novo se acumulando nos cantos dos olhos onde a fuga seria mais fácil.

KyuHyun a olhou agora demonstrando algo, mas não um sentimento que agrade a qualquer um que o receba, não alguém como SooYang. Seus olhos passavam pena e ela rejeitava isso porque só a deixava ainda pior. Ser rejeitada de forma tão direta e seca e ainda ser digna de pena? Ela estava realmente em um nível ruim assim? Tudo bem que ela não imaginava algo tipo “Também te amo, SooYang, seremos felizes para sempre.” Mas ao menos ele poderia ter sido gentil, como ele sempre era, menos naquele momento.

—Desculpe. – ele falou um tanto baixo e ela sentiu outra pontada no peito. As lágrimas que tanto tentava conter haviam começado a rolar pelo seu rosto fazendo o gosto salgado impreguinar seus lábios cada vez que uma das grossas gotas d’água o humideciam.

—Não se desculpe que só é pior. Eu entendo e... Tchau Kyu. – Ela falou não aguentando ficar ali. Já estava chorando na frente dele e isso ficava pior a cada segundo, nada poderia ser mais pior do que aquele momento, nada.

Ela praticamente correu se jogando para fora do auditório enquanto KyuHyun tentava a chamar de volta. Ela ignorava ele e a todos que a olhavam e perguntavam o que ela tinha, apenas correu indo para os fundos da escola, sua irmã saíria em breve e ela poderia chorar um pouco com a outra antes de ter que ir pra casa, ao menos não seria sozinha e tão constrangedor como estava sendo. A morena recostou-se a uma grande árvore em que costumava ficar quando estava chateada e deixou as lágrimas rolarem sem nenhuma barreira agora que estava sozinha e chorava em silêncio, só não sabia que era observada. De qualquer forma ela não precisaria se preocupar, o observador não lhe mandava um olhar de pena – era na verdade preocupação – e não iria incomoda-la. Não a conhecia e sabia que ela precisava sentir-se melhor chorando sozinha, só isso já era o bastante para ele saber que deveria ficar longe e até sair dali. Assim o fez. Ele desceu da árvore pelo lado oposto ao que a menina se encontrava, tendo sucesso em sua missão de não ser percebido, e então caminhou lentamente para longe dali, mantendo na mente gravada a imagem daquela moça tão linda que alguém parecia ter ferido seriamente.




A sala do sr Choi não era longe então Ryo resolveu apertar o passo. Parou recostando-se na parede ao lado da porta e respirando fundo antes de vê-lo, provavelmente se entrasse direto pareceria uma idiota com a face de ansiedade que estava carregando. Olhou para o chão por alguns segundos sentindo algo ruim, uma pequena tristeza sem saber o porque, e até lhe passou pela cabeça de não entrar lá, pensava na irmã e mantia um pressentimento ruim que agora a corroía, não mais que a curiosidade e ansiedade de ver o sr Choi, mas a corroía.

Ela foi um pouco mais para o lado e já que não ouviu vozes vindas da sala do professor resolveu virar-se para a porta, apoiando a mão na maçaneta, e entrar após três batidas leves que havia dado.

—Sr Choi o senhor queria...

Mas eis aí o erro mais cruel da vida de Ryo. Ela não deveria entrar sem que o professor abrisse a porta. Não poderia ir contra seus pressentimentos e, acima de tudo, nunca poderia ter imaginado que um dia veria o que estava vendo.

Siwon estava na sala, sentado na cadeira habitual e de olhos fechados enquanto o sr Kim, aparentemente seu... Namorado? Algo do tipo... O sr Kim estava praticamente montado em cima do outro professor, com a camisa aberta, a gravata jogada de lado, a calça desabotoada – lugar onde Siwon mantia as mãos – e os lábios percorrendo por toda a extensão do peitoral que RyoWoon havia tantas vezes desejado ver, mas não daquela forma.

Ela soltou um síbilo de surpresa e fechou os olhos, tanto para não ver mais do que deveria quanto para conter toda a tristeza que ela sentia subir de seu peito até os lábios que soltaram um pequeno soluço antes das lágrimas descerem pelo rosto. Os dois homens pareciam supresos, mas apenas um deles preocupado com aquilo. Siwon empurrou HeeChul de leve pra que saísse de cima de si com uma rapidez incalculavel e, enquanto o outro saía de cima de si, ele tentava formular frases conexas com alguma explicação plausível para aquilo. O que pretendia falar a RyoWoon era que não pretendia magoa-la, pois já havia percebido as reações da pequena quanto a si, mas ao que parece havia falhado de forma lamentável e tentava de todo concertar aquilo agora.

—M-me... Me desculpa. – ela falava entre soluços virando de costas e arrumando os livros que deram na reunião e o caderno de capa simples nos braços, aos quais insistiam em tentar fugir enquanto suas pernas bambeavam custando a responder as ordens de seu cérebro. “Corram para longe daqui”, era o que a mente da menina queria dizer para suas membros inferiores, mas toda a vez que Siwon dizia “RyoWoon... Eu...” ela se detia tentando ouvir algo que a fizesse se sentir melhor.


—Para que tudo isso? – HeeChul questionou sentado na outra cadeira com uma expressão inalterada e abotoando a própria camisa.

—RyoWoon... – Siwon murmurou colocando a mão no ombro dela, que já estava quase saindo do local.

A menina se virou de súbito, olhando para ele totalmente perdida e com a face exarcada, sentiu uma pontada no seu peito ao mesmo tempo que Siwon fez uma expressão de dor e dessa vez, ao menos, suas pernas responderam aos comandos que sustentava na mente.

Ela desandou a correr para fora da sala enquanto ouvia o professor chamá-la e o “namorado” dele questionando-se se deveria falar com a menina para que não se espalhasse. Ryo nunca imaginou que poderia sentir dor tão grande dentro do peito e muito menos que poderia se magoar mais do que imaginava quando se tratava do rapaz. Seria mais fácil se ele fosse rude com ela, assim não haveriam motivos para ela sustentar quaisquer sentimentos, não seria plausível. Mas não. O sr Choi precisava ser tão perfeito, precisava se importar com a garota até no momento onde ele mesmo poderia ser prejudicado e perder seu emprego. Ela soube que ele queria falar com ela para acalmá-la e não pedir suplicante por si e pelo companheiro quando ele berrou para HeeChul que ele não poderia ter a machucado enquanto ela corria. Era assim, simplesmente assim, ela não conseguiria passar pelos dois sem sentir que iria cair.

Teria corrido mais e mais longe se não houvesse esbarrado em alguém e acabado com os materiais espalhados pelo corredor. Recolheu tudo com tanta pressa que acabou não vendo que pegará o caderno errado. Ela apenas correu de novo, descobrindo que havia esbarrado com Kikwang só por ter ouvido que ele havia a chamado questionativo ao ver que ela se afastava com pressa. Ela correria para o mesmo lugar que sempre ficava com a irmã quando estavam tristes e, para grande surpresa das duas, as Yoon encontraram-se ambas em prantos por sentimentos que elas imaginavam que as deixariam assim. Só para poderem chorar um pouco juntas, sem explicar uma a outra o porque disso, mas chorariam antes de ir pra casa e cada uma se trancar em um canto até ficarem prontas para compartilhar dos ocorridos.




Notas finais do capítulo

Por favor, espero reviews para saber se as pessoas estão gostando e tal.