Hit Ur Heart escrita por Den Falk


Capítulo 1
I


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem da introdução. Pleeeease, leiam!



10 anos antes.

A chuva caía forte lá fora. A noite turbulenta, cheia de barulhos que enchiam as pequenas de medo, deixava os pais preocupados, afinal, estar em viagens a negócios com frequência  deixava seus filhos sozinhos e os pais preocupados.

O senhor e a senhora Yoon sempre que precisavam viajar revezavam-se, mas dessa vez não puderam. Ao perceberem o crescimento na empresa eles precisaram cumprir com suas obrigações; deixaram os três filhos com a irmã da senhora Yoon e isso se repetiria por diversas vezes até que tudo se estabilizasse. Assim pensavam, claro, estavam otimistas toda vez que pensavam que poderia cuidar de DooJoon e das gêmeas, mas não era algo que estava dando muito certo nos últimos meses.

A mulher pegou o telefone, cogitando a possibilidade de ligar para as crianças, mas deteve-se quando olhou no relógio e reparou em como estava tarde. O marido a abraçou, acalmando-a e sorriu fraco pra ela. Ficaria tudo bem com as crianças, era só uma fase, eles se acostumariam.

Na casa da família, longe do local onde os adultos se encontravam, duas das três crianças dormiam. RyoWoon levantou-se e começou a se arrastar para fora do quarto abraçada a seu coelho de pelúcia. A pequena estava mais que incomodada, estava amedrontada e sabia que indo para a mesma cama que a irmã, alguns minutos mais nova, não teria a mesma segurança que teria ao se esgueirar para a cama de DooJoon, seu irmão quase dois anos mais velho.

Abriu a porta do quarto do garoto e estranhou em não acha-lo ali. Suspirou e colocou-se a caminhar para o local onde desconfiava que ele estivesse. Abriu a porta devagar, com medo de fazer barulho e ainda receosa por não achar que teria permissão para adentrar no quarto dos pais. Respirou fundo sentindo o perfume da mãe adentrar suas narinas e assentiu fraco entendendo porque o irmão ia até lá.

Um murmúrio manhoso e um movimento na cama comprovaram que DooJoon estava acordado. O mais velho ergueu a cabeça esperando que sua visão voltasse ao foco enquanto esfregava os olhos. Mais um relâmpago, mais alto e assustador que o outro, iluminou todo o cômodo.  A pequena correu, largando seu coelho de pelúcia na beira da cama, e entrando debaixo do cobertor abraçou as pernas do irmão mais velho amedrontada.

O mesmo arregalou um pouco os pequenos olhos e riu baixo ao ver que a outra gêmea aparecia na porta tão amedrontada quanto à irmã mais velha.

—RyoWoon, SooYang. – chamou o mais velho levantando a coberta e revelando a primeira abraçada em suas pernas de olhos fechados.

DooJoon riu com a irmãzinha e acariciou seus cabelos escuros e ondulados fazendo com que ela o olhasse. SooYang havia se aproximado pelo lado oposto ao que a irmã estava. O irmão mais velho lhe encarou com um sorriso carinhoso e a de cabelos cacheados sorriu-lhe de volta.

—Podemos dormir aqui, Doo? – Ryo perguntou já sentando ao lado esquerdo dele na cama de casal e puxando seu coelhinho de volta.

—É. – concordou Soo subindo na cama pelo lado direito — Esses barulhos me dão medo e a unnie me deixou sozinha no quarto... Tive que sair sozinha para procurar os dois. – murmurou com um grande bico.

DooJoon sorriu puxando a coberta para cobrir os três.

—Venham. – chamou abrindo os braços e logo sendo abraçado pelas irmãs. — O cheiro da mamãe acalma e o do papai trás segurança.

—E seu abraço aconchego. – RyoWoon falou sorrindo para o irmão fechando os olhos.

A gêmea de cabelos cacheados fez o mesmo que a mais velha, apertando seu ursinho contra si e aconchegando-se no peito do irmão mais velho. O maior beijou a testa de cada uma delas e manteve-se acariciando seus cabelos, ambos escuros como os dele, até que elas adormecessem.

Era engraçado como elas eram diferentes. DooJoon pensava que todos gêmeos eram iguais, era uma criança e esperava que as irmãs tivessem a mesma feição. Ao contrário disso acabou ganhando duas irmãzinhas: uma com os olhos mais puxados como o do próprio, mas ainda sim grandes e expressivos, com cabelos castanhos escuros e ondulados, lisos no topo da cabeça e com ondulações que pareceram indecisas sobre o fato de tornarem-se caichos no meio até as pontas dos cabelos dela, tinha também os lábios médios, não muito grandes nem pequenos, apenas desenhados, o que se somavam à uma pele quase alva; a outra com olhos mais suaves, puxados como os da mãe, aliás, SooYang era toda a mãe deles, os lábios mais avermelhados e um pouco mais grossos que os da irmã, os cabelos quase negros cacheados com ondulações perfeitas e a pele tão alva quanto a da primeira.

Eram o tesouro dele. Iria cuidar delas como pudesse já que estariam apenas os três a maior parte do tempo dali pra frente. Era novo, mas apesar da pouca idade sabia da dedicação dos pais e que tudo aquilo seria compensado em seu futuro. Os pais queriam o melhor para eles e Doo queria o melhor para suas pequenas. Prometeu aos pais que faria seu melhor e assim adormeceu: lembrando da promessa e sentindo dois pares de mãos abraçando-o. Ao que parece as irmãs, mesmo que inconscientemente, achavam melhor abraça-lo do que as pelúcias que sempre carregavam. Sonhou com biscoitos frescos e seu cheiro os acordando nos finais de semana, a mãe dando colo aos três e o pai levando-os ao parque. Tudo valeria a pena.

Tempo atual.

O maior batia na porta do banheiro já há algum tempo e suspirava impaciente ao lado de fora cada vez que ouvia a gêmea mais nova murmurar que estava terminando.

—Aigoo, SooYang. – murmurou mais uma vez. – Eu preciso tomar banho.

A porta se abriu e a menor dos três Yoon sorriu.

—Desculpe, DooJoon. Estava terminando de me arrumar.

Doo sabia como a irmã era vaidosa, sempre saía bonita para a escola e sua beleza o orgulhava em todas as vezes, menos na hora em que alguns garotos a olhavam demais. Os lábios já rosados estavam bem desenhados pelo brilho e os olhos castanhos em um tom mais mel pelo destaque preto em seu contorno. O mais velho sorriu de volta e assentiu quando ela perguntou se ele a desculpava, mas antes que pudesse entrar no banheiro RyoWoon passou correndo e o fez.

—Aigoo, RyoWoon! Não faça isso! – resmungou lá fora recostando-se a porta.

—Aish, DooJoon! Eu já saio. – respondeu a gêmea mais velha de lá de dentro ligando o chuveiro e fazendo o irmão bufar.

—Unnie foi mais esperta que você, Oppa. – Soo riu e saiu indo ao seu quarto colocar a fita vermelha no cabelo para enfeitá-lo.

DooJoon aproveitou a deixa e arrumou seu material suspirando de alívio ao ver que Ryo saía do banheiro. Agradeceu mentalmente pela outra irmã ser mais rápida, não que fosse desligada, mas se ela estivesse cheirosa e com os cabelos arrumados RyoWoon não se interessaria por maquiagem nenhuma. Apenas as usava quando SooYang segurava seu rosto e começava a maquia-la, exatamente o que aconteceu quando o rapaz estava entrando no banheiro.

—Não, não, SooYang! – resmungava a mais velha prensando os lábios para que a mais nova não passasse batom neles. – Isso é ruim! Ruim! Me aflige sentir meus lábios com esse brilho.

—Unnie! Pare de ser teimosa, ande! Tem que destacar sua boca. – repreendia a menor – Vamos!

SooYang não desistiria sem ao menos passar algo na irmã. RyoWoon suspirou e a encarou séria.

—Se eu deixar você usar blush, sombra e o lápis, sem mexer com batom, você me deixa em paz? – propôs em negociação.

A mais nova assentiu sorrindo e pegou sua bolsa de maquiagens começando a cuidar da irmã.

—Mas quero que trance meu cabelo. – pediu RyoWoon arrumando a franja de lado e sentando-se para ser maquiada.

A menor assentiu e começou a passar suas maquiagens mais leves e claras na irmã de forma que fique discreta a maquiagem feita na mais velha. Assim que terminou trançou o cabelo dela de lado e o prendeu com um lacete azul bebê que tinha em sua caixinha de enfeites.

As duas estavam prontas e com o uniforme. SooYang com o laço vermelho na camisa branca e o blaser pendurado na bolsa e RyoWoon atrapalhando-se com o laço já trajando o blaser azul marinho como a saia que tinha duas linhas vermelhas em detalhe na sua barra. SooYang fez o laço para a irmã e sorriu para a porta ao ver DooJoon arrumado colocando sua bolsa no ombro. Ele vestia o uniforme completo de um jeito charmoso: a camisa pra fora da calça, o blaser com a gola levantada e a gravata um tanto frouxa. Ela riu com a irmã. Sabiam que toda vez que o mais velho ia assim, o que era quase todos os dias, suas amigas do Segundo ano só ficavam o olhando.

—Vamos? – perguntou o rapaz abrindo a porta.

—Oto... E o Yang? – perguntou Ryo estranhando que seu melhor amigo ainda não tivesse passado lá com Lee Joon, melhor amigo da irmã e do irmão, para acompanha-los até a aula.

—Eles vão nos encontrar no meio do caminho, ao que parece vão estar levando uma maquete que a Vic ajudou a fazer, então eles vão de lá da casa dela.

A menina assentiu e olhou para a de cabelos cacheados que logo tratou de resmungar.

—Vou ver o Joonie mais tarde hoje. – murmurou em desgosto, mas logo se dirigiu a porta para ir com os irmãos para a aula.

Os três conversavam e brincavam no caminho para a escola. RyoWoon, sempre mais preguiçosa, fez com que o irmão a carregasse nas costas de sua casa até perto da casa da prima, Tiffany, que iria com eles até a escola. Tiffany era a filha dos tios que cuidaram dos irmãos Yoon às vezes durante os primeiros anos de viagens dos pais. Ela era um ano mais velha que as gêmeas e um ano mais nova que DooJoon, melhor amiga de SooYang e que tinha uma queda pelo primo, uma história longa e antiga.

—Ué, onde estão os dois cavaleiros da guarda? – perguntou Tiff enquanto era abraçada pela prima mais nova estranhando a ausência dos dois rapazes que nunca se separavam de suas primas.

—Estão esperando perto da casa da Vic, provavelmente. – comentou DooJoon sorrindo para a prima e tentando colocar RyoWoon no chão.

—Não. – murmurou a de cabelos ondulados. – Me leva mais um pouco que depois vou nas costas do Yang. – falou fazendo bico. Ela sabia como e quando mostrar seu aegyo de forma convincente.

—Ok, ok. – o irmão bufou e a ajeitou nas costas sentindo seu pescoço ser abraçado.

Logo os quatro se dirigiam juntos até a casa de Victoria, a outra prima dos Yoon, melhor amiga de RyoWoon e confidente de DooJoon, que era alguns meses mais velha que o rapaz.

Enquanto eles estavam se aproximando da rua da casa da prima puderam ver os dois rapazes, o moreno e o de cabelo castanhos um pouco mais claros que o outro abrirem grande sorriso tirando a atenção que tinham na mais velha e direcionando àquelas que chegavam. Mal se aproximaram SooYang foi girada por Lee Joon, que praticamente largou a maquete em cima de SeungHo que fez feição irritada e contrariada. O dongsaeng iria pagar mais tarde.

—Joonie! – exclamou a menor apoiando o rosto em seu pescoço e sentindo seu perfume. Eles eram todos amigos de infância, os sete ali presentes, então eram com certeza as pessoas mais próximas de SooYang.

RyoWoon desceu das costas de DooJoon sempre sorrindo para SeungHo. Pegou a maquete das mãos do amigo e ofereceu ao irmão enquanto fazia bico, deixando óbvio o fato de que ele a seguraria. Sentiu o corpo ser abraçado por trás e virou-se abraçando Victoria com força. O moreno pigarreou e ela soltou a prima e melhor amiga indo em direção do rapaz.

—Yang não me avisou que não ia me buscar. – ela resmungou tentando inutilmente fazer cara feia.

—Pedi para seu irmão avisar, mas percebi que ele não falou nada né? E para de me chamar pelo sobrenome. – ele falou abafando um riso depois de olhar de forma ameaçadora pro mais novo.

DooJoon era o mais novo dos três rapazes e o do meio entre os amigos mais próximos. Viu que as primas agora conversavam enquanto Lee Joon beijava o nariz de SooYang, fez uma careta para os dois e retribuiu o olhar ameaçador de SeungHo que riu e abraçou RyoWoon com força.

Era primeiro dia de aula depois das férias que dividiam o ano e o primeiro dia dos irmãos Yoon de volta a Seoul. Os pais aproveitaram a deixa e os levaram para Tokyo, o que explicava o humor mais que radiante do trio. Desde que começaram a morar realmente sozinhos eles têm demonstrado o quanto são unidos e responsáveis, mas sempre demonstram quando um ou todos estão mais pra baixo pela falta que os pais fazem. Só que hoje, nesse primeiro dia das aulas, completava quatro meses que eles não faziam nada além de sorrir.

—Eu gosto de chamá-lo de Yang! – protestou RyoWoon que era atacada pelas cócegas de SeungHo.

—SeungHo, não Yang, SeungHo! – falava enquanto ria junto à pequena e fazia cócegas na mesma.

Quando Ryo tentou fugir Seung a puxou pela cintura a abraçando com força e girando-a. Joon havia pegado a maquete de volta e agora a carregava com DooJoon sendo acompanhado pelas meninas. RyoWoon logo tratou de subir nas costas do amigo e foi levada de cavalinho até a escola, com o rosto apoiado no ombro do mais velho fazendo-o esboçar um singelo sorriso.

Na escola eles se dividiram: os três rapazes foram levar a maquete para a sala de artes e logo se encontraram com os seus amigos, separando-se das meninas que provavelmente em uma hora dessas estavam na sala das mais novas esperando o professor assistente da coordenação passar dando as boas vindas. Tiffany e Victoria adoravam ver a cara de RyoWoon toda vez que o Senhor Choi entrava na sala. Ele era novo demais, recém-formado e extremamente bonito e carismático. Uma combinação que deixou a pequena com uma paixão platônica pelo professor Siwon.

O homem alto e forte entrou sorrindo com aquele ar de galã na sala do segundo ano 2 enquanto todas as alunas mais pontuais, fãs do Choi, aliás, esperavam pelo comunicado costumeiro do responsável pelas turmas de segundo ano. RyoWoon soltou um pequeno suspiro ao vê-lo passar e corou de forma fraca quando ele sorriu diretamente para ela.

Siwon era professor das aulas diversificadas de literatura, a matéria preferida de Ryo, fato que só a deixou ainda mais apaixonada pelo rapaz, e, assim como o professore de história, tinha um grande apreço pela garota que se mostrava tão interessada em suas aulas. O que piorava ainda mais toda a combinação terrível que ele era. Tentador.

Victoria riu alto assim que o homem deixou a sala e SooYang a repreendeu segurando um riso. Tiffany ria baixinho, com medo de constranger a prima, mas não aguentou quando percebeu que RyoWoon fitava a folha com a mensagem de boas vindas que o professor entregou enquanto suspirava.

—Você precisa parar com isso, unnie. – comentou SooYang.

—Não fale nada. Você tem uma admiração pelo sr. Kim. – retrucou a mais velha ainda corada e olhando para a folha.

—Eu o admiro porque ele é o melhor orientador da escola, já você... Unnie, você nutre mais que uma admiração pelo professor. – concluiu a menor sentando-se na mesa ao lado de Victoria que assentia com a cabeça com feição pensativa.

—Melhor desencanar do que se iludir nutrindo esse sentimento complicado. – comentou Tiff preocupada.

—Eu sei. – Ryo murmurou mordendo os lábios e dobrando o papel. – Eu vou me dedicar a extinguir essas ilusões da minha mente, ok?

As outras assentiram e saíram da sala, indo para a própria, enquanto SooYang sentava-se em seu lugar de costume na frente da irmã esperando ansiosamente para que o seu colega chegasse. Ela tinha uma queda por seu companheiro de carteira e causava risos frequentes na irmã durante as aulas.

Sulli, a colega de carteira de RyoWoon, chegou sentando-se em seu lugar e puxando papo com as gêmeas, distraindo-as até que a sala estivesse cheia.

---

Enquanto as garotas estavam na sala do 2-2, DooJoon, SeungHo e Lee Joon andavam pelos corredores da escola a procura do quarto elemento do grupo, JunHyung, que, muito provavelmente, estaria em algum canto reservado com alguma garota qualquer mais uma vez.

Os três passaram por Siwon que os cumprimentou ouvindo respostas de dois deles enquanto SeungHo fazia uma expressão de desgosto de virava o rosto para o outro lado. Os amigos dele riram, sabiam da antipatia pelo professor, mas não sabiam a razão de tudo isso. E nem iriam descobrir tão cedo se aquilo dependesse do fato de Seung ter que admitir que gostava de Ryo e tinha muitos ciúmes do rapaz que arrancava suspiros dela, mesmo que o professor não tivesse nada com isso.

Uma voz feminina chamou atenção deles, fazendo com que os amigos parassem de rir e Lee Joon e SeungHo ficassem sem reação, algo meio indiferente. Era HyunA, atual “namorada” de DooJoon, ex de Lee Joon e um tanto quanto “rodada” na escola. A garota aproximou-se dos três, meio que ignorando os outros dois, e abraçou DooJoon dando-lhe um selinho e sorrindo.

—Bom dia, lindo. – falou recebendo um sorriso de volta.

As “fãs” de DooJoon que passavam olhavam meio contrariadas, elas o admiravam e não gostavam da ideia de terem que vê-lo justo com HyunA, que já havia desperdiçado a sorte que teve de namorar Lee Joon, ainda mais sendo os dois rapazes amigos tão íntimos.

Era de costume que Joon apenas de afastasse, acompanhado de SeungHo, toda vez que DJ iria conversar com a sua “namorada”. Aproveitaram e saíram ainda mais rápido de costume, avistando JunHyung mais a frente, descabelado e com um sorriso maroto no rosto. Eles haviam mesmo acertado em presumir que este estivesse com alguma garota.

—Joker não perde tempo. – SeungHo falou cumprimentando o amigo tão próximo, até mais que os outros dois.

—E é permitido que eu perca tempo, hyung? – perguntou o mais novo rindo.

—Não, mas é permitido ter discrição. – Joon comentou rindo.

—Como se você não fizesse o mesmo, Lee Joon. – JunHyung retrucou arqueando uma sobrancelha e arrumando a gola da camisa.

—Ele te pegou nessa, Joonie. – comentou o hyung de ambos enquanto ria.

Joker olhou para os dois hyungs a sua frente enquanto ria, mas logo interrompeu-se tratando de perguntar algo.

—O DooJoon hyung eu presumo que esteja com a HyunA-ssi, mas e as gêmeas delícia? – perguntou fazendo Joon e SeungHo fecharem o rosto. – Preciso de um pouco de beleza de manhã e senti saudade delas. Por que não estão com as meninas?

—Primeiro, olha como fala da Ryo-ssi e da Soo, Joker. – Joon repreendeu bufando.

SeungHo deu um tapa forte no pescoço de Jun, um pedala, que o fez resmungar algo para o hyung.

—Fale sem respeito de novo que eu te soco, JunHyung. – repreendeu sério.

—Não é minha culpa se são atraentes! E nem minha culpa que vocês parecem gostar até demais delas.

Lee Joon e SeungHo pareceram ficar um tanto constrangidos, mas o mais velho dos três estava mais que os outros; ele realmente gostava de RyoWoon e os comentários do tipo sempre o deixavam sem jeito. Já Joon não sabia o que era que sentia por SooYang, apenas tinha certeza de que muitas vezes sua atenção e preocupação excessiva poderiam ser interpretadas de forma confusa até por ele mesmo.

—Mas e elas? Estão na sala? Quero ver a SooYang e a RyoWoon! – Joker falou evidentemente irritado pela falta de reação dos hyungs

—No intervalo ou na troca de aula você as vê. – Doo falou ao se aproximar dos outros. – Aí eu estarei junto, só pra garantir que você não seja idiota. – falou sorrindo de canto e fazendo JunHyung rir – Agora vamos para a sala, é quase hora da aula do sr Kim.

—Ah, logo aula do sr Kim. – Lee Joon resmungou por ser essa a aula cansativa do dia, o orientador do terceiro ano iria fazer a introdução de retorno e isso iria lhe conceder bons momentos para seguir o exemplo do colega de classe, Kikwang, e dormir.

—Ele é legal, convenhamos. – Doo ponderou e os outros três assentiram.

—Ao menos não vai ser conteúdo. – SeungHo emendou e os quatro dirigiram-se para a sala do 3-2.

Na sala deles encontraram com Tiffany e Victoria, que contaram em meio a risos para SeungHo e Lee Joon a reação de RyoWoon ao professor Siwon enquanto DooJoon e JunHyung conversavam do Kikwang e HyunSeung. Na sala ao lado, da turma 3-3, HyunA conversava com algumas garotas que comentavam da entrada de dois novos alunos. Os meninos do 3-3, LeeTeuk e Yesung estavam apenas esperando a aula de educação física para poder jogar um pouco contra o 3-2, e talvez os outros dois segundos que dividiam as duas quadras com eles.

Como a escola era grande e tinha aulas desde o 5º ano elementar algumas aulas diversificadas eram feitas com outras salas de anos diferentes. Geralmente o Ensino médio que mantinha esse padrão de aulas para artes, música, educação física e dança.

 As aulas se iniciaram tranquilamente em toda a escola e logo houveram interrupções em duas salas diferentes.



Notas finais do capítulo

Não liguem, não odeio a HyunA, mas precisava de uma piriguete aqui :T kkkk Reviews?