(Nem) Todo Mundo Odeia a Emily escrita por May_Mello


Capítulo 34
Todo mundo odeia mãe intrometida.


Notas iniciais do capítulo

É, pelo visto o que eu falei no capítulo passado de não demorar a postar foi mentira, mas fazer o que... *leva pedrada*

Voltei hoje, la lala, e quero agradecer muito pelos comentários que continuam vindo mesmo eu demorando taanto pra postar. Obrigada mesmo!

Bem, e lá vamos nós ao capítulo, não é? Como sempre: tá escroto. KKKKKKK



-E ae, “E.”? Sentiu minha falta nesses dias? – E lá estava Tyler sorrindo encostado à parede em frente à porta que tinha acabado de sair. – Não vá me dizer que se esqueceu do que me pediu.

-Não esqueci. E você me fez tanta falta quanto uma perna quebrada. – Olhei bem para os lados, avaliando a situação e percebendo que estávamos sozinhos e seguros. Ok, talvez estar sozinha com Tyler não seja nem um pouco seguro, mas estou dizendo em outro sentido.

-Ah, falando assim eu fico magoado. – Fingiu uma expressão triste balançando uma pasta em mãos. – Aqui está. O básico sobre a tal Samantha. – E me estendeu a pasta amarela. Analisei bem antes de pegar, pois sendo o Tyler, podia até mesmo ser uma bomba. – Até que foi fácil, o único problema foi descobrir a Samantha certa.

-E como você soube qual era?

-Tenho minhas fontes. Você me disse que era uma líder de torcida... Dei uma pesquisada. – E deu de ombros.

-E você conseguiu tudo em um único dia de aula? – Chegamos da Semana do Verde ontem ele já cumpriu o que pedi. É, esse menino não tem mesmo coisas pra fazer.

-Tudo pra ajudar uma amiga.

-Já deixei de ser sua amiga há muito tempo, Tyler. – Simplesmente girei nos calcanhares e saí andando.

-Emily! – Ele falou mesmo o meu nome ou... – Eu sinto muito. – Ele puxou meu braço de leve, me fazendo encará-lo.

-Você sente muito pelo quê? Olha, porque são muitas coisas...

-Por tudo. – Me interrompeu. Ai que vontade de dar uma voadora na testa. – Principalmente por ter deixado que a sua pior inimiga fizesse minha cabeça.

-Ah, tá.  – Até dei uma risadinha de deboche. – E você sente muito, assim, do nada? Porque até semana passada você estava com a turminha da minha pior inimiga, sentado na mesa delas e coisa e tal.

-Só por isso? Você realmente leva a sério esse negócio de se estar em mesa de outras pessoas, não é? – É! – E eu só me sentei lá porque só haviam duas mesas e aposto que você não gostaria que eu me sentasse na sua. – Começo a suspeitar que ele também pode ler mentes. – E além do mais, não haviam só as líderes de torcida naquela mesa. – Mexeu nas sobrancelhas convencidamente.

Suspirei.

-Tá, que seja. Eu tenho que ir. – Comecei a andar apressadamente, mas a verdade é que eu queria correr, porque Tyler estava muito diferente e me botando medo.

-Ah, qual é, E.? Você não vai mesmo me desculpar? – Parei de tentar me afastar e pensei um pouquinho.

-Quando é que você vai embora de novo, hein, Tyler? – Nem me virei e comecei a andar novamente. Também nem agradeci pela ajuda. Acho que estou ficando muito má.

_X_

-E qual o seu nome, querido? – PUTEQUEPARIU! Como fui esquecer que hoje a tarde tinha marcado de sair com a minha mãe e de que ela estaria em casa e convidei todo mundo pra fazer bolo aqui?! Agora minha mãe está aí, perguntando pro Lukas qual é o nome dele! Ela vai sacar tudo, descobri que o Lukas é o... Lukas e conseguir me envergonhar mais do que eu já me auto-envergonho.

-É Lukas. – Lukas deu de ombros, todo fofo.

Minha mãe ficou olhando atordoada de mim para ele e dele para mim, até que Anthony interrompeu a cena fingindo uma tosse.

-Então, galera, vamos fazer bolo? – O choque que minha mãe teve deve ter afetado até o Gregory, já que ele até que falou calmamente.

-Lukas? – Minha mãe voltou ao normal e começou a sorrir insinuadoramente. Ferrou tudo, ferrou tudo!

-É, Lukas. Eu sou vizinho de vocês. Me mudei pra casa dos Montgomery, e é um prazer conhecê-la. – Heh. Aposto que a minha mãe nem sabia que ele era nosso vizinho. Ela nunca nem sabe de nada mesmo.

-Mas... Você não tem um irmão, querido? – Epa. Como é que ela sabe disso?

-Ai, mãe. Para de ficar importunando o Lukas e vem nos ajudar a fazer o bolo.

-Tenho sim. – Fui ignorada, beleza.

-E... Ele não veio por quê?

-Eu chamei ele, na verdade, mas ele disse que ia sair com um novo amigo. Sei lá.

Anthony deu mais uma tossinha falsa e eu revirei os olhos.

-Galera, eu meio que... ‘Tô com fome. – Gregory declarou.

-É claro que está, Gregory, seu bonitão. Vamos pra cozinha agora! – Minha mãe bateu palminhas animadas e foi marchando em direção ao melhor lugar da casa, mas não sem antes olhar do Lukas para mim de novo.

Fomos seguindo-a, eu com a maior animação do mundo.

...

Ai, que merda.

Mas tá bom, a minha mãe até que é legal...

-Mas então, Lukas, você tem muitas namoradas? Deve ter deixado um monte na Alemanha. – Tudo bem, retiro o que pensei. E não acredito que ela está fazendo... isso.

-Ah, não, não. – Ele riu sem graça.

-Sua mãe me disse que você é um menino muito legal, e parece que é verdade mesmo. – Minha mãe começou a procurar um tanto de coisa lá. Acho que sem ela nem teria lanche e muito menos bolo hoje.

-Minha mãe? – Imagina a minha cara e a dos G’s enquanto só os dois conversavam.

-É, conversei com ela esses dias. – Tá explicado por que ela sabe sobre o Thomas. Ah, é. O Thomas... Pelo menos ele não está aqui. – Emily, vai pegando os ingredientes. – O que será que vai num bolo de chocolate? Acho que farinha, é... – Mas então, Lukas, não estaria interessado em uma namorada?

NOSSASINHORA! Quase derrubei o armário quando minha mãe falou isso.

É, pelo visto vai ser uma loooonga tarde. Talvez até a última da minha curta vida.

_X_

-Hum. Ixo extá delixioxo. – Gregory falava de boca cheia, comendo o seu monstruoso pedaço de bolo, enquanto nos encontrávamos os quatro sentadinhos na varanda, comendo e apreciando a paisagem. E eu delirando, né, porque depois que o Lukas disse que está interessado em uma namorada que seja sua alma gêmea eu fiquei gamada. Tão gamada que até agora eu nem sei o gosto do bolo porque nem tive tempo de comer, estou pensando em nós dois juntinhos e... E... Suspirei.

Suspirei e Lukas riu, acho que da minha expressão abobada. Espera, ele estava olhando para mim?

-Xenti, axele num é o Tchon xindo aí?

-Quem? – Anthony espremeu os olhinhos olhando para rua.

-O Thomas! – Dessa vez o Gregory engoliu pra depois falar.

-E o ... Tyler? – Lukas completou.

-QUÊ?! – Dei um pulo, mesmo sentada, e até meu pires com bolo caiu.



Notas finais do capítulo

Tá aí. FINALMENTE!

E muito obrigada por lerem. E dessa vez vou tentar falar sério: no máximo duas semanas o próximo sai. Quero ficar mais ativa aqui.

Muitos bjos&qjos. :*