(Nem) Todo Mundo Odeia a Emily escrita por May_Mello


Capítulo 1
Todo mundo odeia chegar atrasado.


Notas iniciais do capítulo

Primeiro capítulo. Que emo.çao. *-*
Bom... Não sei o que escrever aqui, então, boa leitura. õ/ -q




"Eles eram estranhos, mas e daí? Não tenho preconceito, odeio a todos igualmente."

Meu nome é Bond, James Bond.

Ok, meu nome não é James Bond, embora eu gostaria de ter licença para matar todo mundo.

Meu nome é Emily, eu sou uma pessoa azarada e que gosta de tingir o cabelo. Só isso. Fim da minha história.

–Mãe, cadê o meu negócio?! – Ah, essa sou eu gritando enquanto procuro a maldita “gravatinha” do uniforme. Sério, uniforme? Além de nascer eu ainda sou obrigada a usar uniforme? Eu devo merecer ter que usar uma saia e ainda por cima uma gravatinha vermelha combinando com ela pra ir à linda e maravilhosa escola. Camisa branca, sapatos de boneca... Volto a repetir: Sério?

–EU NÃO SEI DO QUE VOCÊ TÁ FALANDO! CUIDA VOCÊ DAS SUAS COISAS! – E essa é minha mãe Rose gritando lá do andar de baixo. Acho que o nome dela deve significar “Fui criada para acabar com sua vida” em alguma outra língua. Ela é uma louca que não possui glândulas lacrimais e que não se importa se estou viva ou morta.

Sim, eu sou dramática, estou reclamando e odeio o universo!

Acordei atrasada, como sempre, e agora estou procurando as peças do meu uniforme pelo meu nada bagunçado quarto. E nessa árdua tarefa acabei metendo o pé na quina da cama, cambaleando e tropeçando em alguma coisa e caindo de boca no chão.

Não tenho que reclamar. Essa é até uma segunda-feira de sorte.

Finalmente achei a minha gravata jogada debaixo da cama. Calcei os meus sapatos e fui tentar pentear o meu cabelo. Ajeitei o meu meião e tive a brilhante idéia de olhar no relógio.

FERROU! Já tinha passado mais da metade do primeiro horário. É nisso que dá ficar falando para si mesma que vai dormir só mais cinco minutos e fazer isso umas dez vezes até perder o horário.

Depois de pegar a minha mochila corri como um tigre atrás de sua presa. Um tigre sedentário, com reumatismo, esclerosado e com osteoporose, é claro.

Quase fui atropelada, quase caí em um bueiro sem tampa e quase caí de boca de novo por tropeçar nos meus próprios pés. E ainda fui xingada pelo cara que quase me atropelou. É muito desaforo mesmo!

E ainda por cima, quando cheguei, o portão da escola estava fechado e o zelado mal amado me olhava com cara de peixe morto.

–Senhorita Evans, atrasada de novo? – ele me perguntou com aquele tom de deboche. Fruta que caiu! Esse zelador é mesmo um filho de uma pu... lícia.

–Pois é, né? Aconteceram uns imprevistos. Eu tive que ajudar uma velhinha a atravessar a rua, desviar do meu caminho original porque um gato preto estava no meio da estrada, levar o meu cachorro pra vacinar contra catapora... Será que dá pra abrir o portão?

–Claro. Por que, não? E vamos dar uma voltinha na diretoria também.

–Claro. Por que não? – Imitei-o, afinando a voz.

Aquele urubu do bico torto abriu o portão e fez questão de me arrastar até amada diretoria. Chegando lá ele deu umas batidinhas na porta e me jogou pra dentro.

–Ora, ora. Senhorita Evans, de novo por aqui? – minha diretora perguntou. Ela é uma bêbada pedófila com uns setenta anos de idade tentando fazer parecer que tem vinte.

Tem uma verruga do tamanho do sol no nariz e a voz dela parece com a de uma gralha rouca. Fora isso ela é uma pessoa linda e maravilhosa. Amo ela tanto quanto amo acordar cedo no domingo.

Sacomé, né? Eu até expliquei pro zelador os reais motivos do meu atrasado. Sério, gatos pretos são problemáticos. – falei convicta, observando ela mexer com as sobrancelhas. Deus, acho que terei pesadelos.

–Você se atrasou durante todos os dias de aulas, senhorita Evans. Fugiu e tentou fugir, está sempre brigando com a senhora Compball – Sr. Compball deve ser aquela outra velha chata da cantina. Eu brigo com ela mesmo, e daí? Tanta gente desperdiçando comida, por que ela não pode colocar dois hambúrgueres na minha bandeja? – , colou nas provas, zerou sua nota em Inglês, é expulsa quase toda semana de alguma aula, quase todo dia você está na detenção...

–Obrigada por me lembrar de meus méritos, diretora, mas será que dá pra andar logo com isso? – Interrompi o monólogo dela. – Já estou atrasa, se a senhora fosse mais rápida eu apreciaria. – dei ênfase no “senhora”.

–Ora, quanta insolência! – ela gritou. Ui, hoje ela está mais brava do que o normal. – Como se atreve?! Já me cansei desse seu jeito! Está em detenção três vezes por semana durante três meses! – Detenção nem é tão mal assim. Gregory e Anthony sempre estão lá também. – E ainda terá que entrar para o clube das Líderes de Torcida e pegar a média em Inglês, ou será suspensa por tempo indeterminado.

F-E-R-R-O-U!

Bem, se eu tivesse prestado atenção em alguns fatos isso não teria acontecido. Fatos como:

1º - Não tinha nenhum copo sobre a mesa dela, o que quer dizer que ela está sem bebida. Isso pode ser perigoso.

2º - Tinha dois seres estranhos sentados de frente para ela, em sua mesa, que permaneceram calados e com os olhos arregalados durante toda a nossa conversa. Eles provavelmente devem ser alunos novos e ela adora se exibir. Não perderia a chance de ferrar com a minha vida (mais um pouco, se é que isso é possível) pra mostrar quem é que manda.

3º - Acabei de perceber que uma das minhas meias está do avesso. Isso é um fato mas não vem ao caso.

Deixei a diretora falando sozinha novamente e me pus a observar os seres estranhos que me observavam. Bem, os seres estranhos eram... estranhos. Um usava maquiagem e o outro parecia que não lavava o cabelo.

Eles sorriram para mim, então fiz um movimento com as sobrancelhas, tentando parecer indiferente e logo depois voltei a olhar para a diretora.

Eles eram estranhos, mas e daí? Não tenho preconceitos, odeio a todos igualmente.



Notas finais do capítulo

AEAEAE! õ/
O primeiro capítulo é mesmo retardado. É tipo uma introdução.
Gostaram? D: Mereço reviews? /medin'
Bom, se alguém leu isso, por favor, comente e eu postarei o próximo capítulo. *-*
Bjos&Qjos ~