Um Amor Inesperado escrita por Raquel-Reh


Capítulo 6
6– Reencontro e... Uma nova paixão?


Notas iniciais do capítulo

Oláá!
Mais um capítulo pronto õ/
Pessoal, nesse capítulo o foco será outro casal, e não Sakura e Shaoran...
Outra coisa, não sei o que deu nesse cap, mas no final, as letras estão gigantes ¬¬... já tentei consertar, mas não obtive sucesso... espero que isso não atrapalhe a leitura ^^'

Aviso: O que estiver entre: " " é pensamento.

Lembrando que:
* Foram mudadas algumas informações de CCS e as personagens pertencem ao Grupo Clamp =/...

Boa leitura!



            Numa quinta-feira, Sakura esperava Shaoran na porta do curso dele.

            - Sakura? O que faz aqui? – ele disse dando um beijo na bochecha dela.

            - Vim porque precisava te contar o que andei pensando...

            - Tudo bem, vamos para casa juntos...

- Mas e se sua mãe ou outra pessoa nos vir?

- Qual o problema? Dois “irmãos” não podem se encontrar na rua? Para minha mãe, podemos dizer que nos encontramos no portão.

            - Certo.

            Andaram por um tempinho calados, apenas observando a paisagem.

            - E então, o que você andou pensando?

            - Sabe, acho que seria uma boa ideia, nos encontrarmos de vez em quando no parque...

            - Mas lá alguém pode nos ver, não é tão longe daqui.

            - Eu sei, mas tem aquela floresta que fica na parte de trás. Mesmo tendo trilha, ninguém vai lá.

            - Hum... É verdade. Acho que pode dar certo.

            - Então fica combinado.

- Sim. Posso chegar alguns dias depois do horário no trabalho, se minha mãe perguntar, direi que a aula do curso se estendeu por causa da proximidade das provas...

- Eu posso falar que vou para casa de Tomoyo. Amanhã falo com ela no colégio, ela vai nos ajudar. O horário a gente combina depois, te mando uma mensagem pelo celular.

Combinaram tudo e continuaram o caminho para casa.

No dia seguinte, os dois se encontraram no parque. Sem que ninguém visse, foram até a pequena floresta, primeiro Sakura e uns minutinhos depois, Shaoran. Ele ficou sentado na grama, recostado numa árvore e ela encostava a cabeça em seu peito. Rolou beijo, abraço e conversa. Parecia um sonho. Tudo estava tão bom, tão perfeito. Eles combinavam em tudo. Ficaram por lá, mais de meia hora. Então voltaram para casa. Primeiro Shaoran e uns minutos depois, Sakura. Yelan já havia ido trabalhar.

-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-

O sábado chegou. Sakura e Shaoran combinaram de ir ao shopping.  Ela ia encontrar com Tomoyo e depois encontrar com Shaoran, mas omitiu a 2ª parte de seu pai e Yelan. Já o jovem de cabelos rebeldes, disse que iria encontrar seu amigo da Inglaterra que havia se mudado para o Japão há algum tempo, o que não era mentira.

Flashback Shaoran ON

Era uma quinta-feira nublada. O jovem de olhos âmbares estava deitado em sua cama estudando, quando seu celular toca.

- Alô, Shaoran falando.

- Meu caro amigo Shaoran, como vai?

- Eriol?

- Pelo visto não se esqueceu do seu velho amigo. E como está sua estadia no Japão? Matou a saudade de sua família.

- Como esquecer meu melhor amigo? Afinal, que espécie de pessoa acha que eu sou – e soltou uma leve risada – Foi muito bom rever a todos sim. Mas e você, como está? Muito agitada sua vida na Inglaterra?

- De certa forma, meu caro amigo. Até algum tempo diria que estava mais do que agitada... – deixou um suspense no ar.

- Deixe-me adivinhar, algumas de suas admiradoras lhe perseguindo?

- Há-há, não Li, com a sua ida do país, o número de fãs caiu mais do que a metade.

Ambos riram com a afirmação do inglês.

- Mas então, qual o motivo da agitação?

- Diga-me uma coisa, sua família ainda mora em Tomoeda?

- Sim, nunca mudamos daqui.

- Então presumo que você esteja morando com eles ainda, não é verdade?

- É... Aonde você quer chegar com isso, Eriol Hiiragizawa?

- Acalme-se, meu amigo. Estou apenas constatando os fatos antes de lhe dar a notícia.

- Que notícia? Fale logo.

- Você não muda, Shaoran... – solta uma gentil risada – Bom, devo-lhe informar então que nos veremos com frequência.

- Você vai viajar para Tomoeda?

- Não, estou morando – enfatizou bem a última palavra - em Tomoeda.

- Quem diria! Eriol Hiiragizawa morando no Japão.

- Fará algo neste sábado, gostaria de conversar com meu melhor amigo.

- Mas é claro. Preciso mesmo falar contigo algumas coisas.

- Ótimo, pode ser no shopping? Preciso comprar algumas coisas que faltam aqui em casa.

- Ok. À tarde nos vemos.

- Até breve, caro amigo.

- Até.

Flashback Shaoran OFF

Logo após o almoço, Sakura saiu primeiro e foi encontra-se com Tomoyo. Passearam, comprar algumas coisas e esperaram por Shaoran. Este chegou uma hora depois de Sakura e logo avistou Eriol perto da entrada. Conversaram bastante, Li havia lhe contado tudo o que acontecera desde sua chegada, dos sentimentos transformados, das preocupações, das alegrias. O amigo escutava tudo com muita atenção, mas não muito surpreso com as notícias. Passado quase duas horas, Sakura liga para Shaoran.

- Onde você está, Shaoran? Já chegou no shopping?

- Oi Sakura, já sim. Onde você está?

- No 2º piso perto da Mr. Charly e Fitte.

- Ok, estamos indo para aí. Beijo – e desliga.

- Ahn?? Estamos? – ela perguntava-se após desligar o aparelho automaticamente.

Levaram alguns minutinhos para se encontrarem. Shaoran apresentou Eriol para as duas e contou toda a história.

- E então, Eriol, está gostando daqui? – Sakura puxava assunto enquanto se sentavam em uma mesinha na praça de alimentação.

- Muito, o Japão é mais interessante do que eu pensei. – Eriol sorriu gentilmente e olhou de esguelha para Tomoyo que corou levemente.

- Vamos lanchar? Depois a gente pode assistir um filme, essa semana estrearam alguns muito bons. O que acham? – Shaoran estava animado.

- Ótima ideia. Deixa-me ver o que vou comer... – Sakura olhava ao redor as lojinhas de comida.

- Ah, Eriol, eu acho que não comentei contigo, mas a Tomoyo também leu aquele livro que você ficou meses procurando... – Shaoran lembrou-se ao falar em filmes - Como é que era o nome mesmo? “The Has.. alguma coisa”

- The Eagle Has Landed, de Jack Higgins. – Tomoyo respondeu de imediato.

- Isso. Nossa, nunca vi meu amigo tão interessado em um livro como esse.

- É inevitável, meu caro Shaoran. É um bestsellers e estava em falta nas livrarias de lá. Sem dúvida um dos meus preferidos.

- Sério, Eriol? – Tomoyo se empolgava – É um dos meu preferidos também. Esse livro é incrível, Harry Patterson conseguia colocar características endurecidas como vários heróis, vilões impiedosos...

- Locais perigosos... – Eriol completava.

- Simplesmente demais.

- Alguns se destacam no meio de tantos autores ingleses bons. Maurice Baring, G. K. Chesterton, Thomas Hobbes... – Eriol se animava conversando com a bela menina que estava à sua frente.

            - Sim. Outro autor que gosto é Charles Lutwidge Dodgson, mas acho que você não deve gostar muito.

            - Lewis Carroll... Como não gostar do autor do clássico livro Alice no País das Maravilhas?

- Uau! Você é o primeiro garoto que gosta, se bem que eu não conheço muitos...

- Gosto sim, os poemas escritos em estilo nonsense são um dos melhores. Um dos poucos autores com precursores da poesia de vanguarda.

- Sabe o que eu mais gosto?

- Dos inúmeros problemas de matemática e lógica ocultos no seu texto?

- Ta brincando comigo, né, Eriol? Como você adivinha meus pensamentos?

- É o que eu mais gosto em suas obras, então... – ajeitava seus óculos e reparava na garota de olhos encantadoramente violetas - Só arrisquei.

- Nossa, é incrível como temos gostos iguais... – Tomoyo se fascinava com o rapaz a cada minuto, a cada palavra, a cada gesto, nunca havia se sentindo assim.

- Gosta de música também, Tomoyo?

- Claro. Inclusive canto no coral da escola.

- Que interessante, eu toco piano. – ela sorria e ele retribuía.

- Você poderia tocar uma música para mim algum dia desses? – Tomoyo pediu um pouco envergonhada.

- Com prazer. E você me daria à honra de acompanhar com sua voz? – Eriol pediu em um tom um pouco galanteador.

- Sim. É só marcarmos. – “Como resistir a esse garoto tão gentil e bonito?” ela quase suspirava.

- Me passe seu telefone depois, Tomoyo. – “Tão bela, inteligente... Acho que não me equivoquei de vir para o Japão.” mais uma vez ajeitava seus óculos. - Encantadora. – Eriol sussurrou, o que passou despercebido por ela e pelo casal que havia ali.

- Ooii! – Sakura falava já cansada.

- O que foi, Saki? – Tomoyo perguntava sem se dar conta.

- O que foi?? Eu estou à meia hora perguntando pra vocês onde querem comer. E vocês só sabem falar de livro pra lá, autores pra cá, música... Eu adoro literatura, mas depois da conversa de vocês, não quero ver um livro literário por pelo menos um ano...

- Que exagero, Saki. – Tomoyo corava um pouco – É que estava tão interessante a conversa que nem reparei que você falava comigo. Não fique chateada, "O bom humor é um dos melhores artigos de vestuário que se deve usar em sociedade".

- William Makepeace Thackeray. – Eriol completou.

- Tudo bem, eu desisto, - ela recostava seu corpo sobre a cadeira - podem continuar a conversar sobre Alice no País das Maravilhas e companhia...

- Sakura, por que não vamos comprar nosso lanche e deixamos os dois terminarem de conversar? Depois se quiserem, eles vão comprar quando voltarmos.

- Boa ideia, estou com fome já e preciso conversar sobre algo que não seja esse assunto. – os três amigos riram – O que foi?

- Nada, Saki. Vamos.

Shaoran e Sakura se afastaram, deixando Eriol e Tomoyo sozinhos na mesa.

- Você não percebeu, minha flor? – disse quando já estavam longe dos amigos.

- Percebi o que?

- Que Eriol e Tomoyo... Digamos que estão se entendendo.

- Isso eu já sei, até um surdo perceberia que os dois se entendem.

- Mas um surdo também perceberia que não é só desse jeito que eles estão se entendendo.

- Ué, que outro jeito?

- Ai, Sakura, você é tão distraída. Está rolando um clima entre os dois...

- O queeee? – Shaoran da uma risada com a cara de espanto dela.

- Que tal comermos aqui?

- Ótimo.

- O que vai querer?

E o resto do sábado foi muito agradável para os quatro amigos. Lancharam, foram ao cinema e conversaram mais um pouco, só que dessa vez, sem falar em literatura...

-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-xXx-

Após alguns dias, os quatros saiam juntos algumas vezes e ocorreu em um desses dias, o beijo entre Eriol e Tomoyo. Desde então, os dois estão sempre juntos, seja com ou sem Sakura e Shaoran. É, parece que mais um casal está se formando nessa estória...



Notas finais do capítulo

Etapa cumprida! Não fui tão rápida para colocar esse capítulo quanto os outros, mas aqui está!

Obrigada a todos que leram e comentaram! =D

Beijinhoss