Uma Casa de Estrelas escrita por Lyn Black


Capítulo 14
perversão


Notas iniciais do capítulo

QUE TIRO FOI ESSE FILME DO GRINDEWALD GNT TO MORTA DERRUBADA
Agora, vamos ao capítulo (pq depois de sair desse cinema eu tinha um dever moral de escrever).
Boa leitura!



 

perversão - décimo quarto capítulo 

uma casa de estrelas, lyn black

 

 

A little wicked, that's what he calls me
Cause that's what I am, that's what I am

No one calls you honey
 When you're sitting on a throne

— A Little Wicked, Valerie Broussard

 

A água gelada do chuveiro entra em contato com a sua pele. Ela fecha os olhos, sente seus músculos relaxarem levemente diante do inóspito. Bellatrix passa as mãos pelos cabelos emaranhados, sentindo os nós e cachos entrelaçados. A água não parece acalmar a besta que mora agora no lugar de seu coração. Ela sente sua magia pulsando com tanto força que dói. 

Ela quer vomitar, mas parece que há tanto condensado dentro dela que é impossível expelir algo senão feitiçaria. Um dia, será lembrada como a serva mais fiel de Voldemort, e ninguém nunca vai entender. Bella se recolhe no chão, vulnerável diante do tanto que sente de uma vez. Ela é jovem e há uma potência até então adormecida dentro dela. Agora, está desperta. Desperta pelo toque do Lorde Voldemort. 

Bellatrix cresceu entre nobres, lordes e poderosos. Ela se criou sem raízes a não ser a busca por propósito. Voldemort não lhe dá propósito, ele mostra àquela descreditada rebelde de 19 anos que ela já tem propósito. 

"Venha comigo por esse fim de semana para o castelo de uma velha amiga, Srta. Black. Venha aventurar-se pela magia.", ela se lembra do gosto das palavras. Sua surpresa disfarçada, sua dúvida soterrada ao aparatar com um homem poderoso. E desconhecido. Ela aprendera a nunca confiar em homens poderosos, mas o poder de Voldemort a atrai e seduz de uma forma única.

A questão é que Bellatrix cresceu entre homens poderosos que a encaravam como enfeite. Homens que achavam que ela devia beijar suas mãos só porque eles detinham virilidade e títulos. Ela foi ensinada a se conter. Reprimir-se. Não deixar seu espírito correr pelos seus impulsos mais vorazes. Ser dócil, condescendente e seu próprio contrário. 

Embora ela não fosse o que deveria ser por completo, Bella sentia as amarras torcendo seu pescoço quando explorava magia das trevas para seu prazer. Algo sempre a retinha um pouco. Até aquela viagem com Lorde Voldemort. Aquele homem é mais do que alguém impiedoso e indiferente quanto ao que ela deveria ser. Ele quer enxerga tudo de mais perverso que reside em Bellatrix Black. 

Ele mostra que ela não deve seguir homens cegamente pelas posições que eles não batalharam para conseguir. Ela vê os traços de dor e profundidade no Lorde, um lorde verdadeiro. Ela escolhe se ajoelhar perante às ordens de Voldemort não por ordens familiares, mas pelo desejo dantesco de segui-lo. 

Voldemort trouxe a tona o que há de mais sagrado dentro de Bellatrix, a consciência irrefreável de que se sua natureza é levemente pútrida, não há problemas. No fundo, eles dois sabem a verdade: ela gosta assim. 

 

 



Notas finais do capítulo

Depois da obscuridade de hoje, só poderia falar dessa mulher das trevas, Bellatrix.
Amei esse capítulo, tenho que confessar. E vocês, o que acharam?
Beijos e até o próximo!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Uma Casa de Estrelas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.