Dark Traces escrita por karollabele


Capítulo 41
Nova Vitima




Lisa e Donavan se olhavam sem entender. Do que aquela mulher estava falando? Lisa voltou a olhar para a mulher e a mulher se aproximou deles pegando uma foto na bolsa.

— Me desculpe, senhora. Mas aqui não é o departamento de desaparecidos. - Disse Lisa

— Eu sei. Mas acho que podem ajudar a encontra-la.

— Nós temos trabalho demais para fazer. - Resmungou Donavan

— Escute, voce está atrás do serial killer, não é mesmo?

— Como sabe disso? - Perguntou Lisa surpresa

— Eu sei que foi ele que pegou minha garota. Eu tenho certeza.

— Não estamos aqui para trabalhar com suposições. - Disse Donavan, seriamente

— Não! Quando minha garota foi levada, eu vi.. Era uma van preta. E tinha isso no chão.

A mulher pegou um saco plástico transparente com um pano verde. Lisa pegou o saco e olhou para ela confusa.

— O que é isso?

— É clorofórmio. Reconheço o cheiro.

Lisa e Donavan olharam um para o outro.

— Olha, senhora. Vamos fazer o que for possivel. Pode nos dar mais detalhes sobre a vitima?

— Ela se chama Brienne Washington. Tem 26 anos, cursa faculdade de enfermagem, gosta de ajudar e é uma boa garota. Ela tinha saído mais tarde da faculdade, e quando estava chegando em casa, ela..

— Nós vamos fazer o possivel. Qual faculdade ela estuda?

— A mesma faculdade daquela menina Mayra Simons.

Donavan e Lisa se entreolharam.

— Nós entramos em contato.

Lisa se afastou e começou a caminhar. Donavan olhou para ela.

— Voce acha que há uma ligação das vitimas? Acha que é a faculdade?

— Não sei, Donavan. Temos que investigar. Algo que me diz que estamos perto de algo.

Enquanto isso, Matt olhava para ele seriamente. Andrew permanecia calado e aquilo irritou Matt. Ele deu um soco na mesa com violência.

— Que droga, Andrew! Me fala a verdade! Por que voce fez isso?!

— Eu não sei o que te dizer, Matt. As vezes escolhemos nosso caminho.

— E o seu caminho é matar mulheres? Porque eu te conheço, voce não era assim! Me diga a verdade, por favor.

— As vezes voce não me conhecia tão bem quanto pensou que conhecia.

— Inacreditável.. -Matt colocou a mão no rosto

— Mas, Matt.. Eu sinto muito, cara, de verdade.. - Disse Andrew, tocando no braço dele, que desvencilhou

Naquele momento, Clarker entrou na sala junto com Theodore Pitterson. Clarker ficou um pouco surpreso ao ver Matt ali. Matt se levantou e Clarker sorriu para ele.

— É bom ter voce de volta com a gente, Matt.

— Obrigado, chefe. - Disse Matt, olhando para o lado

— Não sabia que voce tinha voltado. - Comentou Clarker

— É, nem eu.

— O que está fazendo aqui na sala de interrogatório? Mas tudo bem, eu entendo.

— Obrigado por entender. Agora com licença. 

Matt respondeu secamente e depois saiu. Clarker e Theodore olharam para Matt enquanto saia. Theodore olhou para Clarker.

— Vou começar a entrevista agora. Se importa em me deixar sozinho com ele?

— Claro que não. Fique a vontade, doutor.

Clarker saiu e Thedore se sentou, observando a porta se fechar. Ele colocou as mãos na mesa e sorriu para Andrew.

— Muito bem, vamos começar. Quero que me veja como um amigo aqui. Eu nao estou aqui para te julgar de forma alguma.

— E por que voce me julgaria, doutor? Voce nao teria motivos para me julgar.

— Quer me falar sobre o que aconteceu?  

— Eu fui pego. Foi o que aconteceu.

— O que te levou a fazer o que fez?

— Diversão.

— Voce fez uma coisa muito seria, Andrew. Voce tem consciência disso?

— Eu não me importo.

— Como era a relação entre voce e Matt?

— Não quero falar disso com voce. Vai se ferrar.

Theodore o observava. Andrew o olhava seriamente.

Enquanto isso, Matt caminhava pelo corredor. Lisa viu Matt caminhando e correu até ele.

— Matt! Espera!

— Não, Lisa. Eu não quero falar agora.

— Andrew não matou aquelas pessoas.

Matt parou de caminhar. Seus olhos se encheram de agua. Ele voltou e olhou para ela.

— Não. Ele matou. Ele está preso, Lisa.

— Não, Matt. Eu sei que ele não matou.

— Se ele é tão inocente como diz por que está atrás das grades e agora mesmo em uma sala de interrogatório confessando ser culpado de assassinato?

— Eu não sei os motivos que estão levando Andrew a fazer isso. Mas ele não matou aquelas pessoas, Matt.

— Como pode saber disso?

— No interrogatório, ele deu respostas vagas. Não faz perfil de serial killer. Além do mais, ele nao sabia de uma cena de crime.

— Não.. Não pode ser.. - Disse Matt colocando as mãos na cabeça

— Há uma pessoa desaparecida, Matt. Estamos achando que ela pode ser a nova vitima do serial killer. Dessa vez vamos pega-lo primeiro.

— Eu não entendo porque Andrew estaria fazendo tudo isso então.. - Disse Andrew com os olhos cheios de lagrima 

— Eu não sei. Mas acho que Andrew deve ter o rabo preso com esse serial killer. Algum motivo ele tem para estar fazendo isso. Voce irá investigar comigo e me ajudar a descobrir a verdade?

— Voce pode contar comigo.

Lisa sorriu e Matt olhou para ela.

— Vamos passar em um lugar antes.

Enquanto isso, Donavan digitava no computador, tentando achar tudo o possivel para encontrar informações sobre a nova vitima. Ele notou que havia um cartão branco misturado no meio das suas coisas. Donavan pegou o cartão e leu:

"Não acredite nele. Se voce quer saber a verdade, vá até o contêiner numero 15 desse endereço. Investigue, se não, voce e seus amigos estarão em perigo."

Donavan leu aquele bilhete com uma expressão confusa. Ele pegou seu casaco azul escuro e saiu do departamento.

Um tempo depois, Lisa parou o carro em frente a uma loja de bonecas. Matt olhou para a loja confuso. Lisa saiu do carro com Matt e entraram na loja.

— Por que estamos aqui? - Perguntou Matt

— A ligação entre as vitimas era uma boneca.

— Se voce diz..

Lisa se aproximou do balcão. Uma velha senhora de cabelos grisalhos com um coque sorriu para ela.

— No que posso ajudar?

— Eu vim fazer umas perguntas na verdade. - Disse Lisa mostrando sua identificação 

— Oh, estou com problemas?

— Não senhora, são só algumas perguntas. A senhora pode me dizer se essa garota esteve aqui na loja? - Perguntou Lisa, mostrando uma foto de Mayra Simons

— Ela esteve. Comprou uma das minhas bonecas antigas de porcelana, sao itens para colecionadores.

— E todas essas mulheres? - Perguntou Lisa mostrando fotos das outras vitimas 

— Elas estiveram aqui e levaram uma boneca dessas. Essa ultima que voce me mostrou, Camille nao é? Ela tinha comprado essa boneca para uma sobrinha.

— E esse homem? A senhora o viu por aqui?  - Perguntou Lisa, mostrando foto de Andrew

— Ele trabalhou aqui por um tempo.

Matt colocou as mãos na cabeça. Lisa olhou para ela.

— Obrigada pela sua atençao.

— Espere. Tem uma coisa.

— O que?

— Quando essa moça.. Mayra Simons esteve na loja para comprar a boneca, Andrew não trabalhava aqui. Mas vinha muito um homem de cabelos pretos e olhos castanhos aqui. Ele era muito fechado e tinha fascinação por bonecas. Ele esteve presente em todas as vezes que as vitimas compraram as bonecas.

Matt olhou para a senhora surpreso. Lisa sorriu confiante.

 

 

 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dark Traces" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.