O Garoto da Porta ao Lado escrita por G a b i


Capítulo 1
Encontrando-se com o garoto da porta ao lado


Notas iniciais do capítulo

Annyeong~~
Estou de volta, dessa vez com uma longfic :)
Nunca pensei que algum dia escreveria uma fanfic Taegi, mas aqui estou, postando o primeiro capítulo.
Eu percebo que não tenho mais controle sobre a minha própria pessoa quando o ultimate e o wrecker me fazem criar uma fanfic inteirinha só para eles. Pied Piper total. Eles 'tão cantando "you can't stop" e rindo da minha cara e eu estou apenas concordando, porque é realmente isso mesmo, eu não consigo parar *risos*
Meu cérebro é meio doido, ele funciona basicamente assim: eu shippo Yoonseok, Taekookmin (e qualquer variação entre esse ship) e Namjin. Mas aí existe um ponto estranho no meu cérebro que me faz shippar Taegi mesmo que prefira eles com outros membros? Sim. Eu levava esse ship mais pelo lado do bromance, até que aquele ponto estranho no meu cérebro me disse "olha como seria lindo o ultimate e o wrecker se beijando!". E aí eu concordei, quase infartando, "seria lindo!", porque quando o assunto é Taehyung e Yoongi eu não tenho mais controle sobre a minha vida. Então, resumindo: Taegi é um ship que eu apoio também. Acho que a essa altura vocês já entenderam o porquê *risos*

Depois dessa explicação, que ninguém pediu, por sinal, vou deixar vocês lerem.
Espero que gostem da fanfic! Juro que daqui pra frente não terá mais notas iniciais gigantes como essa.

Boa leitura!



"Não se aproxime." 

"Não se preocupe. Será rápido." 

  

Os apartamentos eram minúsculos. Banheiro, um pequeno espaço para o que seria uma minilavanderia e um cômodo um pouquinho maior que servia como quarto, sala e cozinha integrados. 

As paredes eram finas e permitiam que até a respiração de um vizinho fosse ouvida pelo outro. Foi assim que Kim Taehyung descobriu que seu vizinho do apartamento 302 tocava piano. Foi assim que Min Yoongi descobriu que seu vizinho do apartamento 301 era muito barulhento e fazia sons estranhos quando jogava videogame. 

Eles eram vizinhos há dois meses e nunca trocaram uma palavra sequer. Mesmo que dividissem a mesma sacada em todas as noites de sexta-feira, nem ao menos sabiam o nome um do outro. Yoongi fumava em silêncio e sempre mantinha a mesma expressão séria no rosto. Taehyung observava as estrelas com seu telescópio, também em silêncio. Algo naquele garoto loiro o intimidava, mesmo que ele sempre ficasse tentado a iniciar uma conversa, não sabia como fazer isso.  

Foi em uma sexta-feira fria, quando fazia três meses que eram vizinhos, que algo mudou. 

Os garotos abriram as portas que davam para a sacada ao mesmo tempo. Ambos se olharam; vestiam o mesmo sobretudo azul-marinho da marca Puma.  

Taehyung esboçou um breve sorriso. Yoongi franziu o cenho e voltou para dentro do seu apartamento. Minutos depois, voltou vestindo outro casaco. Acendeu um cigarro e se escorou no parapeito da sacada. 

Enquanto ajeitava seu telescópio, Taehyung cogitou a ideia do garoto da porta ao lado se mudar apenas por causa de um casaco igual. Ele riu com esse pensamento e resolveu que era agora ou nunca, ele precisava iniciar uma conversa. 

Taehyung largou o telescópio e encarou o garoto loiro: 

— Então, você mora aqui ao lado, certo?  

— Sim. — Foi tudo o que ele respondeu enquanto apagava o cigarro no parapeito. 

— Eu moro no 301. — Taehyung sorriu. — Somos vizinhos. Deveríamos sair para comer juntos? 

— Um dia desses, quem sabe. — Yoongi jogou o cigarro fora e adentrou o apartamento. 

Taehyung abriu um breve sorriso e voltou a observar as estrelas. 

Durante mais três semanas, os vizinhos se encontram mais cinco vezes naquela sacada à noite. Taehyung sempre insistindo que eles deveriam comer juntos no restaurante próximo dali; Yoongi sempre respondendo "um dia desses, quem sabe".  

Até que o "um dia" finalmente chegou. O loiro pensou que era melhor finalmente aceitar o convite para comer uma única vez junto com aquele garoto do que tê-lo para sempre fazendo a mesma pergunta a si. 

Eles chegaram no tal restaurante ainda sem saber o nome um do outro. Yoongi fritava a carne enquanto bebia soju. Taehyung, que não gostava muito de bebidas alcoólicas, bebia seu refrigerante sabor limão. 

Era visível o desconforto de ambos; nenhum dos garotos sabia ao certo sobre o que falar e de repente aquilo tudo começou a parecer a pior ideia que já tiveram em suas vidas. 

Comeram a carne em silêncio até restar apenas um pedaço; eles mexiam no celular, ninguém queria ser o último a comer aquilo. Um esperava pelo outro. 

Até que uma voz mais alta, nada discreta, chamou a atenção dos garotos. 

— Yoongi? Taehyung? O que vocês...? 

— Jin hyung? — Eles falaram ao mesmo tempo. 

Jin olhava de Taehyung para Yoongi, que também se olhavam sem entender nada. 

— Às vezes ele trabalha junto com o Namjoon. — Jin apontou para Yoongi, explicando para Taehyung como conhecia o loiro. — E a mãe dele — apontou para Taehyung — fez o mesmo curso de gastronomia que a minha. — Explicou para Yoongi. — Mas e vocês, por que estão juntos aqui? 

— Somos vizinhos. — Yoongi se apressou em explicar. Não queria correr o risco de Taehyung dizer qualquer outra coisa estranha. 

— Ah — Jin assentiu. 

— Hyung, se junte a nós! — Taehyung praticamente implorou. 

Yoongi já estava puxando uma cadeira para o mais velho sentar. 

— Não posso. Meu expediente já acabou, mas vou sair com o Namjoon. — Jin sorriu. 

— Hyung... — Taehyung murmurou. 

— Ele não pode esperar? — Yoongi perguntou. 

— Não mesmo. — Jin riu. — Então, bom encontro pra vocês. Estou indo! — Ele virou as costas e simplesmente deixou o restaurante. 

Yoongi ficou tentado a gritar "isso não é um encontro", mas chamaria muita atenção das pessoas ao redor. 

— Então... Seu nome é Yoongi? — Taehyung resolveu, finalmente, perguntar. 

— Min Yoongi. 25. Produtor musical. — Deu um último gole na garrafa de soju e a colocou de volta sobre a mesa. 

— Kim Taehyung. 22. Programador de jogos. Devo chamá-lo de hyung, certo? — Ele sorriu. 

— Deve. Agora será que podemos ir embora? 

Taehyung assentiu. 

Eles dividiram a conta. E o último pedaço de carne continuou intacto na grelha. 

— Então, te vejo por aí. — Yoongi colocou o capuz do casaco sobre a cabeça. Já passava das onze horas da noite. Estava frio demais e alguns flocos de neve já haviam começado a cair. 

— Hm, nós somos vizinhos... Deveríamos ir juntos? 

— Ah, é. — Yoongi franziu o cenho, por um momento esquecera que Taehyung morava no apartamento ao lado do seu. 

Seguiram pelas ruas a pé. Ambos com os capuzes sobre as cabeças e as mãos nos bolsos dos casacos de inverno que vestiam. 

Quando estavam quase em frente ao prédio no qual moravam, foram surpreendidos por fogos de artifício explodindo no céu. Não sabiam o motivo daquilo, mas ambos pararam para assistir à explosão brilhante e colorida dos fogos. 

— É tão bonito! — Taehyung sorria, animado. A cabeça totalmente inclinada para cima, a boca aberta expressando admiração. 

— Sim, é realmente bonito. — O loiro concordou. A cabeça também inclinada para o céu contemplando a explosão de fogos coloridos.  

A neve caía mais forte naquele momento, e Yoongi não conseguiu evitar murmurar um "ai, meu olho" não tão baixo como gostaria quando um floquinho de neve caiu dentro do seu olho direito. 

— Hyung, tudo bem? — Taehyung questionou enquanto o outro piscava sem parar. 

— Não foi nada. 

— Deixa eu ver. — Taehyung se aproximou, ficando de frente para o loiro. 

— Não se aproxime. 

— Não se preocupe. Será rápido. — Garantiu. 

Assim, Taehyung, que mesmo sendo mais novo era pelo menos uns cinco centímetros mais alto que Yoongi, segurou o rosto dele entre suas mãos e assoprou delicadamente o olho do garoto. 

— Aigoo, esses garotos de hoje em dia... — Um senhor, que também observava a queima de fogos, murmurou consigo mesmo da janela de seu apartamento. 

Quem visse aquela cena de um ângulo diferente, à noite, realmente pensaria que Taehyung estava beijando Yoongi. 

— Omo! Esses garotos sabem como aproveitar a vida! — Foi o que o cara do apartamento 406 disse, sorrindo. Ele também observava a queima de fogos e também pensava estar presenciando uma cena de beijo entre dois garotos. 

Quando a senhora do 504 olhou para a cena abaixo dos seus olhos, franziu o cenho em desgosto, desistiu de ver a explosão de fogos de artifício e fechou a janela do apartamento. 

— Já deu, Taehyung. — Yoongi resmungou, dando um passo para trás. 

— Melhor? — O mais novo perguntou, sorrindo. 

Yoongi assentiu. 

— Agora vamos entrar, estou congelando aqui fora. 

Naquela noite, Taehyung rolou na cama por um bom tempo até pegar no sono. Ele estava feliz; energético. 

Já Yoongi... Ele simplesmente não conseguia pegar no sono.  

— Aish! — Ele esmagou o travesseiro contra si. — Tem alguma coisa naquele garoto que me irrita. 



Notas finais do capítulo

Oi, de novo!
Se você leu até aqui, desde já muito obrigada pelo seu interesse e pela sua paciência. Que tal deixar um comentário dizendo o que achou desse capítulo? Eu ficaria ainda mais agradecida :)
Até logo õ/

Xoxo,
G a b i.
(09/03/2018)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Garoto da Porta ao Lado" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.