A queda dos Deuses escrita por Hórus, BunnyBoo


Capítulo 3
Capítulo 3: A fuga- parte 1




Após o treinamento com Jamie ele se curou rapidamente pela água e agora já estava bem, os dias se passaram e Arthur já havia feito uma simples barraca de madeira, longe das casas dos outros, isolada perto de um lago naquela extensa área que parecia infinita e era uma floresta, havia matado animais para pegar comida, agora suas roupas estavam rasgadas e ele estava enfaixado nas duas mãos pois se machucara pegando madeira, sua estratégia de fugir da enorme cúpula de vidro falhou, ele tentava socar a cúpula e até arremessou uma árvore nela, mas nada adiantou, Zeus fizera um ótimo trabalho, conforme os dias foram passando ele havia se acostumado mas as pessoas não paravam de olha-lo e dizer que ele havia beijado Mary, estava sem paciência com isso e até seu amigo Jamie que ele já havia criado uma amizade comentava.

—Você não beijou ela mesmo? Perguntou Jamie com a espada empunhada e atacando Arthur.

—Não, ela só me levou para treinar. Respondeu ele defendendo o ataque com o escudo e contra-atacando. 

—Ilyana esta realmente muito nervosa com você, nunca a vi daquele jeito, parece que ela não gostou nada.

—Não é minha culpa se ela acredita na Mary.  

Terminando o treino ele tomou aguá num copo feito de madeira, era impressionante como tudo era feito de madeira, mas ele entendia, naquela extensa área havia, árvores com frutos, flores, e água, mas não havia metal ou minas ou qualquer coisa do tipo, os semideuses faziam suas casas mais para o norte e Arthur fez para o sul, e longe dos outros, gostava de ficar sozinho e já sabia de cor o caminho para sua barraca, cujo teto eram revestidos de folhas, a cama também era revestida com folhas e para espanto dele era confortável, já nem se lembrara da escola e de suas coisas fora dali.

Cansado de ouvir todos comentarem sobre ele e a Mary, Arthur decidiu acabar com isso e a procurou, ela estava andando com uma saquinho de jujubas na mão e estava sorrindo e comendo, Arthur notara a mudança na cor de seus olhos desde o treinamento porque ficaram vermelhos quando ele caiu em cima dela, ele puxou seu braço e ela deixou cair o saquinho de jujubas, eles se fitaram por um momento, Arthur estava aborrecido.

— Por que você está falando que a gente se beijou? – Perguntou, a ela a segurando pelo braço.
— Tem algum problema? – Perguntou ela com seus olhos vermelhos 
— Nós não fizemos isso! – Respondeu ele sério.
— Fizemos sim. – Ela da um sorriso de lado.
— Quando?
— Agora. ­– Ela sorri e dá um selinho em Arthur o fazendo soltá-la.

Os dois não pararam por aí, ficou mais intenso e ela sentiu uma onde de choque dos lábios de Arthur que era muito gostoso, ela tirara a prova de sua pergunta que fizera a ele sobre se ele podia emanar eletricidade por todo corpo ou só pelas mãos.

Porém um barulho surgiu diante de dois arbusto e uma garota se revelou, era Ilyana, escorria lágrimas pelo seus olhos que se transformaram em fogo na cor amarela e não queimavam sua pele, Arthur parou imediatamente.

—Ilyana? Perguntou ele incrédulo, ela saiu correndo e Arthur foi atrás deixando Mary ali. -Me espere, me deixa explicar.

—Não me deixa em paz!! Gritou ela, indo para um enorme árvore, ela deu um pulo incrível e se sentou em um tronco, foi surpreendente, pareceu que ela flutuara. -Sai daqui agora.

Arthur sentiu tristeza em seu coração, parecia que ela estava fazendo isso, pois sentiu um fogo em dentro de si.

—Escuta, ela me beijou não fui eu. 

Ilyana pulara do tronco e ficara em frente a ele.

—Mas você retribuiu não foi? Ela o fitou. -Não foi Arthur? 

Estava persuadindo ele a falar sim, mas no segundo seguinte, um jovem mais alto e mais forte que ele caíra em frente a Ilyana e Arthur, o fazendo recuarem, uma cratera no chão se formou, aqueles cabelos lisos que iam para trás com a força do vento, era Erick, carregando uma enorme espada.

—Você ousa me desrespeitar e ainda causar confusões nesse lar? Ele girou a espada querendo intimidar Arthur mas não funcionou, Arthur demonstrava coragem e o olhava feio com os punhos fechados. -Está na hora de alguém te dar uma lição.

—Erick não. Esbravejou Ilyana.

—Fique atrás de mim e não se intrometa. Respondeu ele.

 

Erick usara um investida em Arthur que o acertou bem no estomago e ele foi arremessado longe mas logo se levantara, havia resistido ao ataque.

—Dizem que os filhos de Zeus tem extremo poder assim como ele. Erick fincou a espada no chão sorrindo. -Você não parece ser desse jeito.

Arthur olhava para o chão, seus cabelos loiros tampando seus olhos.

—Chega. Disse Ilyana novamente.

—Não, eu não fujo que uma luta, e você Erick pediu por isso. Arthur avançou nele com tanta velocidade que nem Ilyana vira, seu punho emanando eletricidade, ele acertará dois socos, um no estomago e outro no rosto, Arthur cuspiu com tanta intensidade que pareceu cuspir seu coração junto.

—Ah, i... idiota. Ele engasgou e desferiu um soco em Arthur mas o mesmo desviara e dará um pulo flutuando no ar, agora seu pé emanava um gigante carga elétrica, ele chutou Erick no rosto que voou longe.

Erick atravessou duas árvores seguidas, e se levantara com raiva, avançara em alta velocidade e pegara sua espada, Erick fez o mesmo e pegou sua espada que estava na bainha e segui em Erick, os dois bateram com as espadas juntos se encarando com raiva e um enorme impulso que jogou longe as árvores ao redor foi disparado quando isso aconteceu.

—Você pensa que pode roubar Ilyana de mim? Berrou ele. -Pensa??

Erick estava tão nervoso que salivas voaram para o rosto de Arthur quando ele berrou.

—Não é culpa minha se você é fraco. Berrou Arthur em retribuição.

Erick o acertará um soco muito forte no rosto, mandando Arthur direto no teto da cúpula de vidro, ele colidiu com ela e sentiu uma energia elétrica que o fortaleceu quando isso aconteceu, seus olhos agora faiscavam energia, ele começou a cair de mais de 20 metros de altura do teto da cúpula de vidro que Zeus projetara, Erick preparava para perfura-lo com a enorme espada quando caísse, Arthur fechou seus punhos com intensidade, a eletricidade radiava por todo seus corpo e seus olhos estavam faiscando energia, quando colidiu com Erick como um meteoro, causou uma grande explosão que abriu uma cratera ainda maior e jogou tudo a um raio de 160 metros longe, casas e até mesmo a aguá dos lagos foram mandadas longe, quando a fumaça saiu, Erick estava com o rosto sangrando e afundado no chão, o punho de Arthur estava sobre seu rosto e suas espadas haviam ido longe.

—Acabou. Arthur retirou seu punho sobre o rosto dele e deu de costas, todos ao redor ficaram olhando para ele espantados, Mary estava ali gritando "Esse é meu homem" enquanto comia jujubas, porém Erick se levantou e o tentou acertar outro soco Arthur se abaixou e prosseguiu com outro soco nele em direção ao seu rosto mas Erick desviou pegou seu braço e o virou e o afundou no chão, ele foi bem mais rápido dessa vez.

Erick o levantou segurando pelo pescoço e o afundou no chão de novo e o jogou pra um pouco longe.

—É só isso que você sabe fazer filho de Zeus? Ele perguntou pulando a sua frente, os dois tinham a mesma idade mas o físico de Erick e sua altura era bem mas bem elevada. -Vou acabar com você e ninguém sentira sua falta. 

Ilyana queria parar a briga mas suas lágrimas ficaram azul, ela estava observando a sangue frio, Arthur se levantou.

—Não. Respondeu ele recobrando os sentidos, a armadura de Arthur estava estilhaçada revelando também seu bom físico e a mesma coisa aconteceu com Erick, os dois estavam apenas com a calça da armadura seus peitorais haviam sido estilhaçados, as filhas de Afrodite pareceram excitadas com aquilo, principalmente Mary que provocava Ilyana dizendo "Olhem o físico do meu homem." apontando para Arthur. -Tem muito mais de onde veio esse.

Arthur liberou um flash que cegou todos ao redor, mas Mary ainda estava normal com os olhos vermelhos, parecia que ela podia ver mesmo com aquele flash, ele avançou contra Erick e o acertou em um de seus músculos expostos um soco que o mandou mais longe ainda, ele colidiu com a parede da cúpulas, logo Erick recobrou os sentidos e Arthur liberou um feixe de eletricidade enorme que seguia em sua direção, ele foi para o lado e o feixe acertou a cúpula, e uma coisa surpreendente aconteceu, ela se abriu.

Logo ela se fechou rápido, Arthur descobrira que podia abrir a cúpula com sua eletricidade, não testou seus poderes nela apenas a força, Mary deixou seu saquinho de jujubas cair e seus olhos ficaram roxo, todos ficaram impressionados, até Ilyana, Erick observava espantado oque Arthur fez, ninguém nunca abrira a cúpula de vidro de Zeus antes, mas por um instantes duas esferas de aguá prenderam os dois e eles se sufocaram até desmaiar, Arthur havia gastado muita energia e não conseguiu fazer força para se livrar e Erick também estava com a mesma coisa, só conseguiu ver Jamie preocupado com as mãos erguidas, ele fara isso.

Depois de algumas horas Arthur abriu os olhos, ficou um pouco embaçado no início mas voltou ao normal e viu um lugar que parecia um hospital, camas de madeira revestidas com folhas e estavam vazias, ninguém estava ferido pelo visto além dele e de Erick, Jamie, Mary e Ilyana ao seu redor.

—Como você fez aquilo? Perguntou Ilyana.

—Não sei, apenas usei um dos meus poderes. Ele se sentou na cama e colocou um monte de folhas atrás para apoiar, estava sentado com as pernas retas, todo enfaixado sobre seus músculos. -Agora que descobri posso sair daqui.

—Não, não pode. Respondeu Jamie. -Zeus ficou sabendo e depois que você desmaiou ele surgiu furioso e colocou soldados olimpianos vigiando por toda parte da cúpula.

—Preciso sair daqui Jamie, encontrar minha mãe. Ele o fitou, dois olhos azul se encarando, um mais escuro o outro mais claro. -Estou acostumado com aqui mas algo está acontecendo lá fora.

Ele contou sobre a chegada de Ares a sua casa e o temporal que estava em Nova Iorque.

—Que irado. Disse Mary seus olhos agora estavam dourados.

—Zeus está em uma guerra. Ilyana olhou para ele também e o fitou. -Hades conseguiu reunir Deuses do olimpo ao seu lado, ele está forte e planeja destruir Zeus e roubar seu lugar, quer escravizar os humanos.

—Como você sabe rosinha? Perguntou Mary sorrindo.

—Pra sua informação eu já sai da cúpula, Héstia minha mãe queria me levar para ficar com ela e dizia que Hades não iria me destruir pois ele quer fazer isso com os semideuses mas comigo era diferente ela disse, e bem....

—Bem?

—Zeus impediu lutando contra ela, eles discutiram sobre essa guerra, ela dizia que era egoísmo prender os filhos dos Deuses na cúpula e que nós deveríamos fazer nossas escolhas. Ela suspirou. -Bem ela foi embora depois de Zeus quase matá-la, seu poder era assustador e ele estava fora de si, até as musas do Olimpo suas filhas estavam com medo, ele ficou agressivo e prendeu todos nós aqui em diante, eu fui uma das primeiras, ele quer extinção aos humanos e destruir Hades de uma vez para que a terra sirva de lar para os Semideuses e Hades bem ele quer destruir todos os Semideuses, roubar o trono de Zeus e escravizar os humanos.

—Por que não me contou isso desde o início? Arthur ficara aborrecido.

—Não queria que você se preocupa....

—Me preocupasse? E se ele tiver matado minha mãe? Ele a interrompeu.

—Arthur calma. Jamie suspirou também. -Você precisa pensar direito, não foi culpa dela que sua mãe seja sequestrada.

—Mas ela podia ter me contado tudo isso pelo menos. Gritou ele. -Todo s vocês sabem e eu não? Ele bateu com o punho na cama de madeira mas se acalmou sem seguida. -Olha tudo bem, mas eu vou sair quer você goste ou não, resgatar minha mãe e..

—E? Perguntou Mary agora com os olhos laranja e comendo as jujubas sem ligar.

—Vou parar essa guerra. Disse ele em um tom de decisão. -Zeus não pode exterminar os humanos e Hades não pode escravizá-los, eu vou partir quer vo....

Jamie interrompeu sorrindo.

—Sabíamos que você ia falar isso, é por isso que vamos com você.

Mary fez apenas um aceno e uma expressão "eu vou também" mas estava despreocupada.

—Nós decidimos e fizemos essa escolha, você não vai enganar os guardas Olimpianos fácil, precisa da gente. Disse Ilyana séria.

—E você precisa de mim Arthur. Disse Mary que comia suas jujubas sorrindo para ele, Arthur porém fingiu nem escutar e Ilyana também não, olhou de Jamie para Ilyana em seguida para Mary, todos eles estavam decididos.

—Muito bem, vamos lá. Ele ergueu o punho e o fechou, seu cabelo loiro foi para trás pelo vento que veio pela janela, estava anoitecendo. -Vamos fugir daqui primeiro.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado. *-*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A queda dos Deuses" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.