Tormenta escrita por Katherine


Capítulo 7
Capitulo 7




 

O chalé estava bastante movimentado para um domingo de manhã, uma semana após a chegada dos Volturi. Nada havia acontecido desde então, Alec ficava por perto, durante todas as noites e só assim Carly conseguia dormir sem pesadelos, mesmo não sabendo que ele estava ali. Os vampiros e lobos estavam trabalhando em equipe para que encontrassem os responsáveis por todo aquele terror, mas de certa forma, eram espertos. Sumiram com todos os rastros, parecendo que nunca tiveram por ali. O único lugar onde ainda estavam presentes eram nos pensamentos da humana que já se sentia bem, e louca para voltar para a escola, assim como Renesmee.

— Eu já disse que não – o leitor de mentes proferiu mais uma vez, naquela manhã – Vocês não vão voltar pra escola por enquanto, Carly.

A ruiva rolou os olhos andando até ele.

— Por favor, Renesmee não precisa voltar – deu de ombros – Mas eu preciso!

— Você não tem porque se preocupar, suas notas são perfeitas, vai conseguir entrar na faculdade que quiser – disse, sentando-se na mesa da cozinha – Amor, tenta colocar isso na cabeça dela.

O vampiro abriu um jornal enquanto Isabella olhava para a filha com compreensão, aquele olhar de toda mãe. Bella amava ver a filha daquela forma. Natural, vestindo uma camisa xadrez e calças jeans, o que era mais típico da hibrida. Os cachos que caiam sob seus ombros denunciavam que não havia escovado o cabelo na noite anterior, e isso os lembrava de quando a menina ainda era uma criança e sempre vivia com seus cachos balançando por ai. Carly era vaidosa de mais para sair de casa ao natural. Ela sempre estava produzida com uma roupa diferente a cada dia.

— E eu faço o quê? – sibilou – Estou proibida de sair sozinha de casa. Não posso fazer nada sem mais de dois vampiros no meu pé, enquanto você lê um jornal? Pai, por favor. Eu sei que tudo o que estão fazendo é pra me proteger, e eu entendo. Juro que entendo. Mas, não posso parar a minha vida simplesmente porque quase fui morta.

O vampiro largou o jornal sob a mesa no momento em que ficou de pé.

— Você tem noção da gravidade disso? – rosnou – Filha, você quase foi morta!

Carly engoliu seco, recuando dois passos.

— Posso pelo menos ir ao shopping com Alice? – perguntou, se dando por vencida.

— Não é uma boa ideia – Edward disse contrariado – Alice está enlouquecendo tentando descobrir algo sobre o paradeiro dos demônios que causaram isso a você.

Sem dizer mais nada, a garota subiu para o quarto da irmã, que estava falando com Jacob ao telefone. Carly deitou ao lado de Renesmee, enquanto a mesma finalizava a ligação com o namorado, combinando de saírem a algum lugar na noite de hoje.

— Vai sair? – perguntou a mais nova – Me leva junto?

Renesmee riu e a ruiva rolou os olhos.

— Eles não deixaram, não é?

— O que você acha, irmãzinha? – virou-se para a morena – Eu não aguento mais ficar aqui dentro.

— Você pode ir até a mansão – Carly franziu o cenho, não podia acreditar que ela estava falando serio – Por favor, não me olhe assim. Tudo o que estão fazendo é para o seu bem. Não nos perdoaríamos se algo acontecesse com você!

— Cala a boca – riu pelo nariz – Sou eu quem te protejo aqui.

— Estou apenas fazendo o papel de irmã mais velha.

— Então o faça direito, e me ajude a voltar para a escola! – implorou. A hibrida se levantou, vestindo um casaco – Vai sair?

— Vou – depositou um beijo na testa da mais nova – Volto antes do anoitecer.

— Aproveita por mim – gritou, para que seus pais pudessem ouvir.

 

 

(...)

 

 

— Já viram o noticiário? – Alexander perguntou ao entrar na mansão dos Cullen, onde todos estavam presentes. Todos menos ela — Quem tá com ela?

— Os lobos – Jacob disse, entrando na sala junto com sua namorada, que não havia sido convidada.

— Renesmee, o que você está fazendo aqui? – Edward perguntou, tentando ao máximo se controlar.

— E vocês confiam neles? – foi o Volturi quem perguntou, já rosnando alto.

— Acalmem-se, por favor – Calisle pediu, atraindo a atenção de todos – Sim, Alec. Os lobos estão tomando conta de Carly no momento e temos total confiança neles. Renesmee, se explique.

— Vim representar a minha irmã – Edward suspirou – Não, é sério, pai! Vocês querem protege-la, eu sei, também quero isso. Mas ninguém realmente está se preocupando com o que ela pensa sobre isso.

— E você sabe o que ela quer? – Jane perguntou, realmente curiosa.

— Se arriscar – o leitor de mentes foi quem respondeu.

— Não! – a hibrida tornou a dizer – Ela quer viver. Nós somos sobrenaturais, mas a Carly não, e estamos nos esquecendo disso. Ela quer ir a escola, sair com os amigos, entrar na faculdade dos sonhos, conhecer pessoas legais. Essa vida é nossa, e não dela. Pai, sabemos o quanto nós estamos assustados com essa situação. Mas, e ela? Sabemos o quanto isso a assusta? A Carly só quer... ser uma adolescente normal.

Alexander ouviu tudo o que Renesmee disse, com dor. Então, Carly não queria se transformar?

— Ela quer – Edward disse para o mesmo – Depois da faculdade.

— Vocês não acham que a Nessie tá certa? – Rosalie perguntou, se aproximando da sobrinha – Ela passou por muita coisa nos últimos dias. Se ela quer ser humana, deixem-na ser humana. A Carly precisa, no mínimo, se distrair.

— É arriscado – Jasper concordou com o irmão.

— É preciso – Jane sussurrou chamando a atenção de todos. Renesmee sorriu pra ela, mas a vampira não retribuiu – Não quero me meter no dilema de família perfeita. Eu continuo não gostando de vocês, mas gosto dela. E, ao que tudo indica, eles meteram a menina nisso por causa do meu irmão. Protegemos quem gostamos. Eu posso ir a escola junto com ela, ninguém faria mal contra mim.

— Você é um alvo – Edward rebateu – As duas estariam em risco.

— O Seth pode ir – Jacob ofereceu – Ele precisa voltar a estudar.

O leitor de mentes olhou para Alexander, e depois para sua filha mais velha.

— Vai pra casa, Renesmee – suspirou – E avise a sua irmã que voltará as aulas amanhã. Precisamos montar um esquema de segurança.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Tormenta" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.