A Hospedeira 2 escrita por Rai


Capítulo 9
Capítulo 9


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem :B



Estava muito escuro ainda, deveria ser de madrugada, eu me sentei na cama e olhei para um Ian adormecido. Me levantando delicadamente fui até o baú pegar um pedaço de papel e escrevi.

"Sinto muito, meu amor. Eu não menti para você, em fato não consigo. Mas durante a noite acordei com um único pensamento, eu preciso ajudar Melanie. Saiba que quando eu voltar tenho esperanças que você possa me perdoar pelo ato. Eu te amo meu doce humano."

Terminado de escrever, eu dobrei o papel e deixei em cima de meu travesseiro. Então saindo do quarto fui procurar Jared. Ele estava com Melanie, adormecido na cadeira, andei silenciosamente até ele e o cutuquei. Jared acordou rapidamente e me olhou assustado.

- O que foi? - ele sussurrou

- Se for para salvá-la temos que sair agora. - eu respondi depressa

Jared na mesma hora se levantou e andou até Doc, que dormia com a cabeça apoiada na mesa, e o balançou. Doc acordou sobressaltado, mas ao focalizar seus olhos em nós dois se acalmou.

- Cuide dela por mim, por favor, Doc. - Jared disse tristemente - Nós vamos em busca de uma ajuda.

Doc olhou para mim, seus olhos me avaliando.

- Boa sorte, vocês iram precisar e muito.

Eu e Jared andamos a passos largos pelos corredores escuros, nós precisávamos sair logo dali. Quando saímos corremos para onde o jipe estava. Meu coração martelava tão forte que chegava a machucar minhas costelas, eu estava nervosa, anciosa e com medo.

- Para onde vamos?

Jared perguntou quebrando o silêncio entre nós, a caverna já estava muito distante, eu parei para pensar. Onde eu poderia ir? Não iria dar certo chegar no hospital e dizer os mesmos sintomas da Melanie. O que eu deveria fazer? Eu teria que falar com alguém que eu podia pensar em confiar.

- Nós vamos para Chicago, onde está meu curandeiro. - falei em fim

- Qual o nome dele? - Jared parecia meio hesitante

- Curandeiro Fords Águas Profundas, ele está no Saint Mary.

Jared concordou com a cabeça e aumentou a velocidade.

- Durma e descanse, Peg. Você dirige de dia e eu a noite.

Eu encostei a cabeça no vidro da janela e fechei meus olhos. Eu tinha muita coisa na cabeça, a maior parte era medo. Eu não queria que nada desse errado, sermos pegos ou não conseguirmos ajudar Melanie, mas o que realmente me assustava era o pensamento de que Ian não me perdoaria.

Se passaram dois dias desde que partimos, eu e Jared revezavamos no volante, chegamos em Chicago no terceiro dia à noite. Era uma cidade movimentada, mas ninguém se importava em olhar para que estava em sua volta. Nós fomos até o Hospital Sanit Mary, estacionamos no subsolo e enquanto Jared ficava escondido no carro, eu fui até a recepção.

Uma sorridente senhora me recebeu.

- Boa noite, minha jovem! Algum problema nesta noite tão tranquila?

Eu tentei sorrir.

- Não, ainda bem. - eu sorri de novo - Eu estou de passagem pela cidade e escutei que um amigo meu veio trabalhar aqui.

A senhora deu a volta no balcão e se aproximou de mim.

- Me diga o nome que eu chamo para você.

- Ele é o curandeiro Fords Águas Profundas.

A senhora me conduziu até a sala de espera, e sorriu outra vez para mim.

- Eu irei chamá-lo.

Não demorou muito e Fords já estava ali.

- O que eu poderia fazer pela senhorita? - ele falou cordial

- Curandeiro, sou eu, Peregrina. Aquela que hospedeu o corpo da jovem rebelde.

Ele me olhou por um instante.

- Meu Deus! Peregrina! - ele me abraçou - Não acredito no que meus olhos veem.

Eu sorri e olhei em volta.

- Nós precisamos conversar, mas é melhor não ser aqui.

O sorriso dele desapareceu do rosto.

- O que aconteceu? - ele disse preocupado

- Preciso muito de sua ajuda.

Nós descemos até o estacionamento onde estava o jipe, chegando na porta eu parei e me encostei. Olhando seriamente o avisei.

- Por favor, o que eu te contar, o que eu te pedir, se for demais para você ou contra seus princípios - eu engoli em seco - Esqueça tudo e me deixe partir.

- Peregrina, me conte o que está te acontecendo. - ele falou sério

Então eu comecei, meu coração palpitava cheio de medo. Contei sobre o que eu fiz e como fui parar no meio dos humanos, onde criei laços e me apaixonei. Lógico que omiti muitas detalhes, principalmente os importantes. E Fords Águas Profundas me ouviu atentamente, em silêncio. Então cheguei na parte do estado precário de Melanie, e ele se surpreendeu.

- Peregrina, não sei como posso acreditar nisso. - ele comentou - Como você pode fazer isso?

- O senhor pode achar errado, mas eu vi ali o que é realmente amor, união e esperança. - falei com lágrimas escorrendo dos olhos - Com eles eu sou feliz, são a minha família que eu queria tanto dar uma vida decente e segura sem correrem o risco de serem mortos ou algo do tipo.

Fords me abraçou emocionado.

- Eu quis dizer como você tem coragem, eu me orgulho de você, Peregrina e irei ajudá-la.

Eu esperei o curandeiro Fords de Águas Profundas terminar o seu turno, então fomos até sua casa onde eu e Jared ficamos. Fords ficou impressionado com Jared, e quis saber sobre suas histórias. No final eu não resisti.

- Fords, você vive sozinho aqui?

- Vivo, é só eu e meu trabalho.

Eu olhei para Jared, eu tinha uma ideia.

- Você gostaria de viver conosco?

Fords parou de fazer o café e virou-se para mim, uma expressão vazia no rosto.

- Você fala sério, Peregrina?

- Sim, existem outras almas lá além de mim. - ele sorriu - Você iria gostar tanto.

Foi apenas um dia, simplismente isso, um dia e conseguimos convencer Fords de Águas Profundas. Ele pediu aposentadoria no dia seguinte e pegou caixas e caixas de todos os remédios possíveis com a ajuda de Jared. Aquilo tudo parecia um sonho, irreal e me dava medo.

 

 

 



Notas finais do capítulo

Gostaram? Comentem!