Eu sempre Te Amarei escrita por Pamellaa


Capítulo 12
Capítulo 11


Notas iniciais do capítulo

AMOREEEEES DE MINHA EXISTÊNCIA, OLHA EU AQUI DE NOVOO! EU SEI QUE DEMOREI... MAS ESTAVA MEIO SEM TEMPO. MAS FIZ DE TUDO PARA QUE GOSTASSEM DESSE CAPÍTULO. ELE ESTÁ TAAAAAAAAO GRANDE. ENTÃO SEPAREM UM TEMPINHO DO TEMPO DE VCS E LEEM E DEPOIS ME DIGA SE GOSTARAM.

AH! ONTEM FIQUEI MAIS VELHA...RSRS! COMPLETEI 16 ANINHOS
DE PRESENTE DE NIVER EU QUERIA VER MUITAS REVIEWS NESSE CAPÍTULO, OK? UM BEIJO IMENSOOOOOO E VEJO VOCÊS NAS NOTAS FINAIS



 

Edward PDV


Com a chegada inesperada de Renesmee, eu e Bella não nos movemos nem por um momento. Nós não sabíamos o que iríamos fazer. E eu não precisei ser um leitor de mentes para descobrir que Bella estava apavorada e sem reação igualmente a mim.

Eu estava envergonhado, desapontado e ao mesmo tempo surpreso. Afinal, eu não queria que Renesmee nos flagrasse em uma situação tão constrangedora e tensa. Eu estava tão fora de mim quando estava com a Bella a sós, que eu não dei a devida atenção aos pensamentos de Renesmee.
Eu percebi que havia um pensamento vindo dela, mas na hora da euforia preferi dar atenção ao meu desejo que era abrasador.

Nós estávamos na mesma posição, olhando para Renesmee. Bella se encontrava em meu colo e eu estava sem camisa com as mãos em seu quadril.

Bella olhou em nossa volta e levantou-se em uma velocidade desumana e foi em direção a Renesmee. E eu aproveitei para me vestir. Eu estava literalmente rezando para o sono ter impedido Renesmee de ver a Bella em cima de mim, como um canguru, pois a última coisa que eu precisava era que Renesmee achasse – depois que descobrisse sobre mim- que o pai dela era um tarado.

Enquanto Bella havia ido em direção a Renesmee, eu me mantive em uma distância razoável.
Eu estava receoso em relação ao que estava por vir. Eu não sabia qual seria a reaçõ de Renesmee, e muito menos se essa reação seria boa.

Eu estava ao fundo do quarto, enquanto Bella estava na frente de Renesmee. Pude ter um vislumbre da expressão de Renesmee e percebi que era de surpresa, pois seus olhos estavam arregalados na direção de Bella.

Bella quebrou o silêncio com um diálogo extremamente nervoso, diga-se de passagem.

- Filha... Eu... Bem, a mamãe estava com... - Renesmee a interrompeu.
- Eu sei o que você estava fazendo mamãe – ela disse para Bella e eu pude jurar que Renesmee havia gostado que tinha visto anteriormente no quarto de Bella. Não resisti e fiz uma pergunta diretamente para Renesmee, afinal de contas uma coisa que a Nessie não deixaria escapar- seria a minha presença naquele cômodo.

- Sabe?- perguntei.
- Aham... Mas eu não estou conseguindo ver quem está aí dentro com você mamãe...- ela disse diretamente para Bella, e eu ainda não conseguia vê-la por completo- exceto os seus olhos curiosos que vagavam pelo quarto a minha procura.


Bella virou-se para mim e
fez um gesto com a cabeça para que eu me aproximasse. Entendi que ela queria acabar com a dúvida de Renesmee.

Fui me aproximando devagar na direção das duas mulheres da minha vida. Eu estava extremamente nervoso e ansioso para saber qual seria a reação da minha filha em relação a tudo. Mas como não estava em meus planos contá-la que eu era o seu pai naquela noite, eu estava apreensivo pela reação dela em relação ao flagra que ela nos deu uns segundos antes.

Qaundo entrei no campo de visão de Renesmee não pude deixar de sorrir.
Minha filha. Minha filha. Era só naquelas duas palavras que eu pensava enquanto ela retrbuia o sorriso lindo e seus olhos me fitavam como se estivesse me reconhecendo. Na verdade havíamos nos conhecido na manhã do mesmo dia, mas eu pensei que a aquela altura da madrugada ela não lembraria de mim.

- Ah! É o moço bonito que estava conosco mais cedo no meu campo bonito. - ela sorriu e eu fiquei meio confuso por ela ter se referido a campina como o seu campo bonito.
Renesmee era uma incógnita para mim, do mesmo jeito que a mãe dela era. Eu queria saber tantas coisas sobre ela. Sobre
elas.

- É ele mesmo, filha.- Bella respondeu.
- Mas eu não sei o seu nome – ela disse enquanto me fitava e esperava uma resposta- Não deu tempo de você me contar.

Eu olhei na direção de Bella para que ela me desse algum sinal de que eu poderia dizer o meu nome para Nessie. Eu não sabia se ela possuía algum tipo de informação sobre mim- o pai dela.
No olhar de Bella só havia confusão e indecisão e com isso eu preferi não revelar o meu nome. Dei o meu apelido- que eu tanto odiava- que Emmet deu para mim.

- Bem, Renesmee... Eu gosto que me chamem de Eddie.- eu disse rezando para que ela não percebesse que não havia lhe dado um nome e sim um apelido.

Renesmee sorriu.

- Eddie? Mas Eddie é apelido não é?- ela perguntou. Droga! Literalmente Renesmee era igual a Bella quando o assunto era percepção.
- É sim... E eu gosto mais do meu apelido do que do meu nome.- menti discaradamente.

Nessie esboçou mais uma vez o seu sorriso encantador.

- Eu também tenho um apelido... Minha dinda que colocou em mim. É Nessie! Eu até gosto dele, mas a mamãe não gosta muito. - ela disse e sorriu um tanto desajeitada para Bella- qe havia feito uma cara de desaprovação.
- Nessie... Muito bonito esse seu apelido! Eu gostei. - eu disse enquanto olhava para Bella. E eu realmente tinha gostado do apelido. Mas tarde eu teria que perguntar a Bella o porquê do desagrado em relação ao apelido que Rosalie havia dado paar Nessie. Só podia ser a Rosalie que Renesmee estava se referindo como sua dinda. Pelo menos quando eu havia escutado a conversa das duas, ela a havia chamado de dinda.

Bella revirou os olhos com a minha resposta a Renesmee. Ela era tão linda. Linda até mesmo quando estava emburrada.

- Eu também gostei do seu... Er... Eu posso te chamar de Tio Eddie? – Renesmee perguntou e eu apesar de saber do que se tratava, eu pensei que ela não perguntaria mesmo aquilo, pois a mente de Renesmee era muito complicada de ler. Ela pensava em muitas coisas ao mesmo tempo, e isso me deixava confuso. Ela misturava pensamentos com imagens. E tinha vezes que eu realmente não tinha a total certeza de que pergunta afinal ela faria.

Eu olhei para Bella, esperando que ela me desse uma reposta. E ela apenas assentiu discretamente para que Nessie não percebesse.

Na verdade eu não queria que Renesmee me chamasse de Tio. Eu queria que ela me chamasse de Pai. Depois de ter descoberto a existência dela- naquela manhã- eu a olhava e era como se eu sempre a tivesse. Eu me sentia como se eu fosse o pai dela desde que Bella estave grávida.


- Claro que pode Nessie!- respondi mesmo querendo dizer para ela me chamar de Pai e não de Tio.

E Bella soltou um gemido, logo depois de eu ter dito o apelido de Renesmee que ela tanto odiava.

De repente notei que bella estava perdida em seus pensamentos. Ela chacoalhou a sua cabeça como se quisesse voltar a sua atenção para uma determinada coisa.

- Filha... Antes, você havia dito que sabia o que eu e
Eddie estávamos fazendo. O que você quis dizer com isso? – Bella perguntou, enquanto enfatizava o meu apelido- que eu odiava. Mas mesmo odiando o meu apelido, eu tive que conter o riso. Tudo que saía da boca de Bella, para mim, era simplesmente perfeito.

- Ah sim! É mamãe, eu sei sim. - Renesmee deu sorriso sapeca.
Renesmee era mesmo incrível. Mas não é que eu estava curioso?!. Tentei vasculhar em sua mente, mas ela só gargalhava mentalmente. Parecia até que Renesmee sabia como me despistar. Era muito estranho para mim. Eu já odiava, às vezes, quando não podia ler a mente de Bella. E Renesmee estava virando mais uma incógnita com seus pensamentos confusos.

- E... O que é Nessie?- perguntei cautelosamente. Eu literalmente não queria que Renesmee se assustasse e não revelasse o que estava pensando. E ela continuava a me despistar. Naquele momento ela só pensava em florestas e animais correndo. Argh! Odiava não poder entender seus pensamentos.
- Vocês estavam fazendo o que nas novelas fazem.- ela disse, por fim.

Olhei para Bella, que também não havia entendido o que ela estava querendo dizer.
- Como assim filha?- Bella perguntou.
- Vocês estavam fazendo o que aqueles atores e atrizes bonitonas fazem mamãe.

Continuamos sem entender.
- Nos explique melhor Nessie.- pedi. Renesmee só gargalhava mentalmente. Ela não focava seu pensamento a uma determinada pergunta como todos faziam normalmente. Ela confunde seus pensamentos e isso me deixava extremamente frustado.

- Ué... Vocês acham que eu sou boba- ela sorriu- Vocês estavam brincando de pega-pega, dã!- ela disse como se aquilo tivesse sido a conclusão mais óbvia de todas.

-
Pega- pega?- eu e Bella perguntamos ao mesmo tempo.
- É! Um dia enquanto a mamãe estava tomando banho, eu estava vendo um pouquinho de televisão no meu quarto... É que a mamãe não gosta muito tio Eddie, que eu veja televisão quando está muito tarde, então eu estava vendo escondida. – ela disse e ruborizou logo em seguida - Aí, estava passando um programa bem legal... Onde os atores bonitões davam uns beijões e depois eles ficavam brincando de pega-pega, e depois de um tempinho a moça bonitona ficava com uma barriga grandona. Aí depois de uns dias ela tinha um bebê... Só que eu não entendi essa parte direito. Como que os bebês vão para dentro da barriga dela? Não eram as cegonhas que deixavam na porta das mamães? De onde vêm os bebês Tio Eddie?

Eu estava com a boca escancarada. E Bella também estava.
E enquanto me recuperava das perguntas inesperadas de Renesmee, ela pensava nas imagens da tal cena do casal do programa... E ela realmente sabia inconscientemente o que nós estávamos fazendo. Era a primeira vez que eu consegui ver uma imagem perfeita no pensamento de Renesmee. Pois as outras eram muito confusas. Isso quando ela realmente pensava em alguma coisa, e não gargalhava mentalmente o que era habitual. Mas como a Bella não viu que ela estava assistindo a esse programa obsceno? Oh Céus! Esses programas de hoje em dia eram uma má influência, literalmente.
Nós não deixávamos de ter “brincado” de
pega-pega. Afinal estávamos mesmo nos “pegando”, digamos assim. E agora o que eu iria dizer para Nessie?

- Filha... Depois a mamãe lhe conta como isso acontece.- Bella disse.
- Ah não! Eu quero saber agora. - Renesmee exigiu.
- Eu sei Renesmee. Mas é madrugada e a mamãe tem que se despedir do Eddie... Pela manhã a mamãe precisa conversar com você. E é uma conversa de gente grande ouviu mocinha?- Bella disse.

Renesmee mordeu o lábio inferior igualmente quando bella fazia quando estava ansiosa ou nervosa.

- Eu não quebrei nada! O vaso do meu quarto quebrou sozinho. – Renesmee disse para Bella.
Sorri. Ela estava mentindo e isso era óbvio.

Meu sorriso apareceu involuntariamente.

Era mesmo fascinante cada minuto passado com a minha filha.
Minha filha! Ual. Já era maravilhoso pensar nessas palavras... Eu ficava imaginando como seria a sensação quando as dissesse.

- Ah! Então o vaso do seu quarto quebrou né? Eu estava procurando ele, igual a uma desvairada!- Bella disse com ironia.
- Mas não foi eu mamãe. Eu juro! – Nessie disse como se achasse que estava nos enganando.
Um flash da cena do ocorrido veio parar em minha mente. Sobressaltei-me um pouco, pois não esperava receber tal imagem. Bella estava de costas para mim, por isso não me viu sorrir mais uma vez para Renesmee que retribuiu cautelosamente. A cena dela quebrando o vaso e depois escondendo o que sobrou dele debaixo do tapete foi bem divertida. Não pude conter um sorriso.

- Tudo bem depois resolvemos isso.- Bella, disse por fim.

Logo em seguida, Bella olhou para o seu lado direito e analisou-me. Eu estava sorrindo e deveria estar com uma cara admiração para Renesmee, pois ao me olhar Bella conteu um sorriso.

- Ok! Mas não vou me esquecer das perguntas que a senhora não me respondeu.- Renesmee disse.
- Sim, eu sei.
- Bem... Mamãe posso só fazer uma perguntinha? Ela não é tão complicada. É só dizer sim ou não.

Fiquei observando ela responder. Tentei ler a mente de Nessie para poder saber o que ela iria perguntar, porém mais uma vez sua mente estava confusa. Sem um foco. Pensava em diversas coisas ao mesmo tempo. E eu, novamente fiquei irritado por não conseguir saber oq eu ela iria perguntar.
Saindo de meus pensamentos, ouvi Bella responder.
- Diga filha!
- Er... Que eu queria saber se você e o Tio Eddie estão namorando?

Bella parecia que tinha levado uma descarga elétrica por todo o seu corpo, pois ela ficou estática. E eu? Bem, acho que meus olhos quase saíram de meu rosto devido a pergunta que eu realmente fui pego de surpresa. Odiava ser pego de surpresa. E Renesmee estava tornando isso frequente.

- Fala mamãe! Você disse que iria responder.- Renesmee perguntou impaciente.

Ficamos em silêncio por alguns segundos. Foi quando decidi quebrar o silêncio.

- Você ficaria feliz com isso Nessie? – perguntei apreensivo.
- Ficaria. Iria ser muito bom! A mamãe nunca arranja nenhum namorado e eu nunca tive um papai... Às vezes vejo algumas crianças com papai e mamãe e eu só tenho mãe! Eu não conheci o meu pai... E a mamãe não gosta que eu pergunte muito sobre ele. - ela respondeu sem jeito.

Senti a pedra em meu peito morrer ainda mais.- se é que isso era possível.

Doía ouvir aquilo. Doía saber que Renesmee sofria por mim. E doía mais ainda saber que eu a estava fazendo sofrer quando eu poderia ter feito-a tão feliz, por me ter como seu pai ao seu lado. Eu havia feito a razão da minha existência sofrer. E agora ouvir a MINHA filha aparentando sofrer por minha culpa novamente, era uma dor ainda mais insuportável!

Eu queria tanto acabar com sofrimento dela. Queria tanto dizer que eu era seu pai. Mas eu não podia... Não naquela madrugada. Reuni minhas forças e fiz uma pergunta para a Nessie.

- Mas você quer conhecê-lo? – perguntei.

Fiquei esperando -tenso- Renesmee me responder.

- Muito. – Nessie começou a sorrir- Posso te contar um segredo tio Eddie?
Fiz um sinal positivo com a cabeça.
Ela veio andando em minha direção e fez sinal para que eu me abaixasse e cochichou em meu ouvido.

- Eu o imagino igualzinho a você- ela murmurou.
Fiquei maravilhado ao ouvir aquelas palavras. Mesmo ela não sabendo que eu era seu pai verdadeiro, pelo menos ela desejava que eu fosse. E isso era maravilhoso para mim.

- É mesmo Nessie? Nossa. Que honra a minha! O seu pai é um cara de sorte.- disse tentando colocar os meus reais sentimentos naquelas palavras.

Nessie ruborizou e eu passei a ponta dos meus dedos em sua bochecha e insconcientemente murmurei a seguinte frase: Linda como a mãe!

E ela era realmente. Linda como a mulher da minha vida. A única mulher a qual sempre amei e sempre vou amar. E a mulher que me deu o bem mais precioso. Uma filha!
Eu estava completo. Nada poderia se tornar melhor do que já estava- pensei.

Renesmee não me ouviu e eu realmente murmurei apenas para mim mesmo. Mas eu tive a certeza de que Bella ouvira- afinal ela era uma vampira.

De repente ouvi um pensamento e constatei que fosse de Renesmee. Eu estava ficando louco com os pensamentos escondidos dela e era sempre bom ouvi-la.
Ela estava se perguntando se poderia me tocar. Eu esperei fervorosamente por isso.

- Seus olhos... – Renesmee passou a mão pelas minhas pálpebras - São iguaiszinhos aos da mamãe e da Dinda Rose. Os meus não são assim, mas eu também sou diferente. Você também é
diferente igual a nós?

Virei-me para Bella. Queria que ela respondesse ao invés de mim. Eu não sabia que palavras eram melhores para explicar a Nessie.

- Sim filha, ele é! Ele também se alimenta de animais como nós.- Bella respondeu.
Renesmee começou a pular de alegria. E aquele ato me fez lembrar Alice.

- Eba! Mais uma coisa boa. Desse jeito não preciso esconder de você quando eu não quiser comer algumas comidas humanas. – ela franziu o nariz olhando para mim.

Não pude me conter e gargalhei. Ela era cada vez mais surpreendente para mim. Eu nunca esperava o que ela iria me dizer ou perguntar, porque ela simplesmente não “pensava” no que iria me dizer. Eu achava que isso era típico das crianças, talvez. Só poderia ser isso. Nunca vi uma mente tão diferente. Exceto a de Bella é claro. Até naquele fato, ela se parecia com a Bella. Ambas eram donas de mentes intrigantes para mim.

- Mamãe... Posso mostrar a ele?- Renesmee perguntou para Bella e ela estava se referindo ao seu dom, pelo que pude entender de seus pensamentos.

Olhei para Bella curioso e meio confuso, devido à bomba de imagens que Renesmee estava pensando. Eu não conseguia entender e muito menos adivinhar o que ela queria me mostrar. A única coisa que pude compreender era que ela queria me mostrar sobre o seu dom.

- Sim filha! Mas não mostre muitas coisas... Para ele pode ser um pouco assustador.- Bella disse irônica.
- Ta legal mamãe.

Renesmee levantou sua mão e foi em direção ao meu rosto. Ela olhou para mim e hesitou antes de me tocar.

- Eu posso lhe mostrar?- ela perguntou para mim.
- Claro Nessie.- respondi um tanto ansioso.

Renesmee colocou sua mão em meu rosto. Sobressaltei-me ainda surpreso pela imagem que ela havia me mandado. Na imagem continha apenas 3 pessoas. Eu, Bella e Renesmee. Estávamos felizes e na imagem ela me perguntava se poderia me abraçar.

Sorri de admiração e abracei Renesmee, que retribuiu da mesma maneira.
Bella estava extremamente curiosa. Dava para sentir a sua inquietude no ar.

Eu e Renesmee ficamos nos abraçando por algum tempo. E depois de termos nos afastado, sorri para ela que sorriu para mim de volta.


Levantei-me e fui em direção a Bella- sem tirar meus olhos de Renesmee.
Em seus pensamentos ela me mostrava o quanto estava feliz por eu estar com a sua mãe, e o quanto ela gostava de mim mesmo me conhecendo a pouquíssimo tempo.

O silêncio já estava tenso, então decidi quebrá-lo.

- Sabe Nes... Renesmee- me retifiquei após Bella ter feito uma carranca em relação ao apelido de Renesmee que ela não gostava – eu também tenho um dom sabia?
- Jura? E qual é Tio Eddie? É legal? Contaaaaaaaaa!- ela disse enquanto dava milhões de pulinhos.
Alice iria amá-la. E eu não precisei ver o futuro para adivinhar aquilo.

Sorri.
- Calma pequena... Mas o meu dom é legal sim, só às vezes que eu não queria tê-lo.
-Como assim? Qual é o seu dom afinal?- ela disse com um biquinho.
- Sou leitor de mentes. Posso ouvir qualquer mente que eu quiser, exceto... - virei-me para Bella e ela soube que eu estava me referindo a ela.

Renesmee também me deixava confuso com seus pensamentos. Algumas vezes realmente não dava para saber o que ela iria perguntar, ou o que ela estava pensando. A mente dela era muito confusa. Eu achava que a resposta, de repente era porque ela era uma crinaça e as mentes das crianças sempre foram realmente muito confusas.

- Exceto...? – Renesmee perguntou com curiosidade estampada em seu olhar.
- Exceto a da sua mãe. Ela é a única mente na face da Terra que eu não consigo ouvir os pensamentos.

Renesmee escancarou a boca e e seu olhar demosntrava fascinação.

- Que máximo! Ual mamãe. Você é demais hein! – ela disse enquanto corria e se jogava nos braços de Bella.

Eu sorri novamente. Nada poderia ser melhor do que aquilo- pensei.
Eu estava ao lado da mulher que eu amava e da minha única e verdadeira filha.

- Ah Filha! Isso é uma história que a mamãe lhe conta mais tarde. Já passou da hora de criança estar acordada.- Bella disse

Renesmee fez uma cara de desagrado.
- Ai que droga! Eu nunca posso ficar quando a conversa está ficando boa.
- Amanhã você vai poder ficar o tempo que quiser nos perguntando. - Bella disse.
- Ok, tudo bem. - Renesmee disse enquanto descia do colo de Bella.
- Ah! Mas antes quero testar o seu dom Tio Eddie!
-Claro pequena. Apenas pense.- eu disse.

Renesmee fechou e franziu os olhos- como se tivesse fazendo a maior força da face da Terra.

Eu tive que conter o riso com aquela cena que realmente estava engraçada. Afinal, ela estava pensando que era preciso fazer uma força anormal para que eu pudesse ouví-la.

Não aguentei mais e gargalhei alto, era inacreditável a pergunta que ela me fizera.
A pergunta veio em cheio. “
Tio Eddie, vocês vão voltar a brinca de pega-pega?”

Bem, Nessie... Eu realmente não sei sobre isso! – ele disse tentando conter mais uma garagalhada que estava se formando em meu peito.

Ela sorriu e voltou a fazer a mesma “força” com os olhos como tinha feito anteriormente.
- Não é preciso fazer nenhuma espécie de força para eu ler os seus pensamentos Nessie. Apenas pense.- eu disse

Seus olhos se abriram e pude entender que ela havia compreendido. Daquela vez, depois de eu ter dito que ela não precisava fazer nenhum esforço, ela apenas sorriu marota para mim e eu entendi que ela iria fazer mais uma pergunta. Novamente a pergunta gritou em minha mente.
“-
Você gosta da mamãe de verdade né?”

Renesmee parou de sorrir e apenas ficou me encarando. Por fim, decidi responder.

- Mais do que um dia pensei que fosse possível. - disse olhando para Bella.
Ela sorriu e me respondeu mentalmente. “-
Eu sei que sim... Eu consigo sentir! E é muito bom isso.”

- Como você sente?- perguntei para ela.
- Eu não sei direito... Só sinto! E eu gosto disso- ela disse sorrindo.
- Mas Nessie... Quando você sente esses sentimentos?- continuei questionando. Como assim ela sentia aquilo?
-Ah! Eu não sei direito. Só senti isso algumas vezes... A maioria delas foi com a mamãe. Mas hoje mais cedo senti no campo bonito com você e agora as senti novamente.

Bella olhou para mim e percebi que ela estava confusa com a nossa conversa “muda”.
- Depois eu te explico- murmurei perto do seu ouvido. Pude sentir ela se arrepiando com aquele ato. Sorri com aquilo. Era sempre bom ter a certeza que ela me desejava da mesma maneira.

- Nós precisamos contar sobre essas sensações de Renesmee para Carlisle- murmurei para que somente Bella ouvisse.
- Não agora!- eu disse- Eu ainda preciso conversar com ela sobre... você.
- Eu sei Bella. Só estou fazendo uma nota mental. Ele precisa se aprofundar sobre essas estranhas sensações dela que funcionam como intuições. É como se ela pudesse saber o que nós dois sentimos em determinadas circunstâncias.
- Eu sei Edward! Eu já havia falado com a Rose sobre isso.

Renesmee estava nos olhando com uma cara de zangada.

- Ei! Vocês podem parar de conversar tão baixo. Eu também quero ouvir.- ela disse cruzando os braços e fazendo um biquinho. Bastante lindo por sinal.

Nós dois rimos. Renesmee era simplesmente encantadora. Era impossível não amar aquele anjinho. Este deveria ser mais um de seus dons- pensei comigo mesmo.

- Bem, mocinha agora a senhora vai dormir porque logo pela manhã iremos conversar.- Bella disse enquanto a pegava em meu colo.
- Lá vem a senhora com essa história de dormir.- ela recostou-se na cravícula de Bella.
Ela estava com sono, pelo que pude perceber. Porém ela se mostrava relutante.
Ela me fez uma pergunta mentalmente sem Bella perceber. “-
Você vai embora? Eu não quero que vá...”

- Vá dormir Nessie! Prometo que quando acordar eu estarei aqui.- dei um beijo em sua testa. tranquilizando-a
- Tudo bem Tio Eddie! E não pense que eu me esqueci da pergunta que eu havia feito. Ainda quero saber se vocês estão...- Bella a interrompeu.
- Amanhã eu lhe conto.-
- Oh! Tudo bem mamãe.
- Ah! Mas uma coisa eu posso lhe dizer. A conversa que teremos amanhã é relacionada ao Eddie.- Bella disse enquanto caminhava para outro cômodo que deveria ser o quarto de Renesmee.
- Como assim mamãe? Eu vou gostar?
- Eu acho que irá. E eu realmente espero que você goste, meu amor.- ouvi enquanto esperava Bella dentro de seu quarto. Em certas ocasiões era bom ter sentidos aguçados de vampiro.

Percebi o silêncio e a respiração de Renesmee calma e tranquila. Ela já havia dormido.
Fiquei fitando o lado de fora pela janela de Bella. Eu estava aonde eu queria estar. Aonde eu nunca dveria ter saído.

Bella adentrou o quarto, e se manteve parada . Não me movi. Permaneci de costas para ela. Eu pude sentir que ela estava me observando, e eu queimava de desejo só de sentir que estávamos a sós.
Renesmee havia nos atrapalhado quando estávamos a beira do que inevitável. Quando íamos nos sentir por compelto depois de tanto tempo. Eu a amava tanto. Eu não poderia sequer me imaginar loge dela. Bella era o meu mundo- e Renesmee passou a ser também é claro.

Eu queria continuar de onde havíamos parado. Céus! Como eu queria.
Fingi estar distraído. Eu não precisava ser um leitor de mentes para saber que ela estava me observando e querendo as mesmas coisas do que eu queria.

- Estava me espionando Srt. Swan?- perguntei sorrindo torto para ela. Ela se arrepiou e eu gostei muito daquilo.
- Estava testando seus reflexos de vampiro. Queria ver por quanto tempo eu poderia ficar lhe observando sem ser notada.- ela respondeu. Mal sabia ela que eu já havia percebido sua presença desde que ela tinha adentrado o ambiente. Só fingi distração.

Me aproximei dela e peguei em suas mãos.
- E qual foi a sua conclusão?- perguntei.
- Pelo menos por 30 segundos eu pude lhe observar em silêncio – ela sorriu.
Sorri de volta e afaguei a sua bochecha.

- Senti falta do seu sorriso.
- Só do sorriso?- ela perguntou enquanto fazia um biquinho idêntico ao de Renesmee.
- Preciso mesmo responder?
- É claro que não.- ela me abraçou.

Sentamos na cama de Bella e eu a puxei para junto do meu peito e ela se aconcheguei ali. Era extremamente maravilhoso tê-la em meus braços novamente.

Do nada uma série de imagens me atingiram em cheio. Renesmee estava sonhando. E no sonho era a cena vista por ela quando nos pegou brincando de “pega-pega”, digamos assim.

- O que foi?- Bella perguntou.
- É Renesmee... Ela está sonhando.
- Com o que?
- Com nós dois.
- E o que ela está sonhando?- Bella perguntou curiosa.
- Ela está relembrando a cena que ela presenciou aqui a alguns minutos atrás.- sorri.
- Ah! Droga! Ela não deveria ter visto aquilo.- ela colocou suas mãos em seu rosto.

Virei Bella de frente para mim.
- Por que?- perguntei.
- Ela é uma criança Edward! Ela nem sequer sabe que você é pai dela.- ela murmurou.
- Mas ela vai saber.
- É eu sei que ela vai saber. Só não faço a menor ideia de como fazer isso.
- Vamos achar uma maneira juntos.

Bella sorriu.
- Com certeza vamos.
Me enrijeci ao lembrar do que havia conversado com Alice. Eles iriam voltar. E chegariam pela manhã.
A Bella vai dar um ataque quando souber- pensei comigo mesmo.
- O que foi?- ela perguntou.
- Nada.- tentei disfarçar apesar de saber que não funcionaria.
- Não minta para mim Edward. Me conte.- lea insistiu.
- Você vai querer me estrangular mesmo não sendo minha culpa.- disse.

Ela franziu o cenho.
- O que aconteceu?
- É sobre minha família...
- O que tem?
- Eles vão voltar para Forks.
- Eu já imaginava que daqui algum tempo, eles iriam querer voltar. Vai ser bom reencontrar todos dentro de algum tempo. Eles já sabem de Renesmee?- ela perguntou calmamante. Ela não tinha entendido que nã existia “algum tempo”. Eles chegariam no dia seguinte. E ela se pudesse iria me matar.
- Aham. É por isso que eles vão voltar... Vão voltar por ela e por você também. Se não há necessidade de eu me manter afastado de você, eles também não precisam mais.- tentei dar argumentos antes dela surtar.

Ela sorriu. Mas eu sabia que não seria por muito tempo.

- Não vejo nada de errado nisso. Porque você disse que eu iria querer lhe estrangular?
- Bem...- me sentei e peguei em suas mãos- É que... Eles chegam amanhã. E estão querendo conhecer Renesmee de qualquer maneira.

- O QUE?- Bella arfou.

Eu sabia que aquele sorriso não duraria por muito tempo. Eu sabia que ela iria surtar. E agora eu iria virar churarasquinho de uma vampira super zangada.

Eu literalmente odeio a Alice. Eu tinha a certeza que era culpa dela- a vinda repentina de minha família.
Quando ela chegar eu irei estrangulá-la- pensei.
Isso se eu ainda estivesse vivo.





 Bella PDV

- O QUE?- arfei descontrolada.
- Eu disse que você ia ficar irritada.

Levantei-me da cama e andei de um lado para o outro incrédula.
-Como assim Edward? Amanhã?
- Eu sei que é precipitado, mas você sabe como é a Alice e ...- o interrompi.
- Não quero saber qual a razão ou de quem é a culpa da vinda inesperada dos Cullen para cá. Eu os quero de volta mas não agora! Não sem antes Renesmee saber da existência deles.- disse apavorada.
Edward levantou-se e me abraçou.
- Calma, tudo vai dar certo!- ele disse me reconfortando.
- Edward, o que eu vou fazer? Eu tenho que contar para Renesmee sobre você, e agora sobre eles! Ela não vai suportar tanta informação de uma vez.- disse colocando minha cabeça em seu peito enquanto ele me abraçava.

- Meu amor, olha para mim- ele disse enquanto colocava a mão em meu queixo e o levantava para que eu pudesse olhar em seus olhos. - Eu estou aqui! E é claro que não precisa contar tudo de uma vez para nossa pequena! Eles querem conhecê-la, é apenas isso. Não precisa contar amanhã para ela sobre mim ou sobre eles. Eu posso esperar! E eles também- ele disse olhando em meus olhos com todo o amor que eu sentia falta.

- Promete que vai me ajudar a achar uma solução?- perguntei.
- Sempre! Eu para sempre vou estar aqui. Eu te amo e o que mais quero é te ajudar e te proteger. Proteger a você e a nossa filha.- ele disse esboçando aquele sorriso de que tanto senti falta.

Eu o amava tanto. E quando ele dizia tais palavras para mim, nada mais importava. O mundo poderia acabar que nada me faria parar de olhar naqueles olhos ocres que tanto me reconfortava. Eu o queria tanto...

- Edward... Posso lhe fazer uma pergunta?
- Claro Bella.
- Como você não ouviu a Renesmee quando ela havia acordado antes de ela nos pegar naquela situação?

Ele sorriu.
- É estranho nem eu mesmo sei lhe explicar... Eu consigo ouví-la, porém não em todas as vezes.
- Como assim? - perguntei confusa.
- A minha teoria é que essa confusão nos pensamentos dela seja devido à imaturidade de siua mente. Ela é uma criança apesar de possuir um desenvolvimento mental acelerado. Ela simplesmente não seleciona uma pergunta ou uma imagem, pelo menos não em todos os momentos. Ela formula as perguntas ou suas ações no momento. Por isso às vezes se torna complicado ler a mente dela.

Assenti após ele ter terminado de me explicar. Renesmee só me surpreendia, será que ela havi herdado um pouco do meu bloqueio mental? Talvez... Mas eu não diria isso a Edward, pelo menos não naquela noite.

- Mas está ouvindo e vendo os sonhos dela agora?- perguntei.

Ele inspirou e se concentrou pelo que pude perceber. Deveria estar tentando ver o sonho dela como eu havia lhe questionado.

- Sim, posso ver seus pensamentos. Ela estava sonhando que estava correndo pela campina à procura de algo ou alguém. Mas ela não encontrava nada...- ele disse com um olhar preocupado e intrigado.


Percebi que aquele sonho o deixou apreensivo. Será que haveria mais e Edward não quis me contar?

- Edward há algo de errado? - questionei.
- Não Bella, não é nada!- ele disse sentando-se em minha cama.
- Se não é nada porque ficou preocupado de repente?- disse enquanto se sentava ao lado dele.

- Realmente não é nada meu amor... É só que o sonho dela era bastante intenso- ele sorriu, mas pude perceber que aquilo ainda o intrigava.

De repente era coisa de minha cabeça. Se realmente houvesse algo mais importante, ele me diria- foi o que pensei.

- Tudo bem então. Se você diz que não é nada eu confio em você.- disse, colocando um fim a minha desconfiança.

Ele esboçou o meu sorriso predileto. Porém naquele sorriso torto possuía algo mais. Algo que fez a pedra em meu peito parecer criar vida.

- Porque está me olhando assim?- perguntei já sentindo calafrios se espalhar pela minha coluna.
- Eu estava pensando...- ele disse enquanto inclinava seu pescoço para perto do meu ouvido- Que eu realmente queria continuar de onde paramos- sussurrou em meu ouvido e não pude conter o arrepio involuntário que começou pelos meus pés até minha cabeça.

Céus! Que poder que ele tinha sobre mim que só de pensar ao que ele se referia o desejo em mim brotava com toda a força.

- Edward...- disse meio zonza de desejo- Esqueceu de Renesmee?!
- Não me esqueci! De maneira nenhuma, mas ela está dormindo como um anjo...- disse com a sua voz mais sexy e começou a destribuir beijos pelo meu pescoço.

Arfei.
Eu o queria tanto. Como eu o queria. O desejo em mim clamava por ele. Eu precisava tê-lo.
- Tem certeza?- disse enquanto passava a mão pelo seu cabelo.
- Absoluta!- ele levantou seus olhos e fitou-me. Ele estava ardendo de desejo. Eu pude ver em seus olhos.

Seria como se fosse a nossa primeira vez, pois quando tivemos relação sexual eu ainda era humana e Edward tinha que reunir todas as suas forças e o seu autocontrole para não me machucar. E naquele momento ele não precisaria. Ele poderia fazer o que quisesse comigo- desde que não acordasse Renesmee.

Sorri mordendo meu lábio inferior.
- Se você diz que não tem problema, estou entregando a inocência de nossa filha em suas mãos- disse enquanto me deitava sobre ele.

Ele sorriu.
- Então fique tranquila, pois se a senhora se controlar e não fizer nenhum barulho exarcerbado, nossa filha continuará dormindo.- disse com as mãos em minha cintura.

- Ah, eu é que sou a barulhenta agora?- perguntei com uma sombrancelha arqueada.
- Pode não ser a barulhenta nas outras vezes, mas está sendo agora.- ele disse sentando-se e me puxando para o seu colo.

Fiquei confusa.
- Estou sendo agora?
- Aham.- depois disso mordeu o meu pescoço.

Arfei pesadamente. Mas como eu era bastante curiosa, continuei perguntando.
- Porque estou sendo barulhenta?- perguntei já com os meus olhos fechados, me deliciando com a sensação de sentir as mãos de Edward entre os rasgões de minha camisola.

- Porque você está falando muito. Mas vou resolver esse probleminha agora- disse enquanto me beijava selvagemente. Seu beijo era violento, porém maravilhoso. Ele queria me mostrar através daquele beijo todo o seu desejo.

Ele me beijava enquanto passava as suas mãos por todo o meu corpo. Rápido como um vampiro, deitou-me na cama ficando por cima de mim.

Sorriu malicioso.

Ele estava arfante mas eu percebi que ele estava se controlando para não tornar aquele momento apenas carnal. Ele queria mostrar seu amor por mim. Eu pude sentir isso, mas eu não me importaria de que ele mostrasse o seu amor um pouco selvagem- sorri com o meu pensamento.

- Dessa vez quero fazer tudo direito. Quero sentir cada pedaçinho do seu corpo - ele disse enquanto passava seus lábios pelo meu queixo, pescoço e cravícula.
- Acho que você é o barulhento da vez.- disse puxando-o com toda a minha força. Naquele momento eu não o queria longe de mim. O desejo que eu sentia naquele momento era novo. Era mil vezes mais intenso do que quando eu ainda era humana.

Eu estava meio fora de mim. Eu só precisava dele. Eu não pensava em nada apenas nele.
Rasguei sua blusa, pois não tive paciência com os botões que se mostraram relutantes em serem abertos.

Edward sorriu e viu a minha necessidade de tê-lo o mais depressa possível. Eu não sabia que desejo era aquele tão abrasador. Será que Edward se sentia assim , por isso tinha tanto medo de me machucar quando eu era humana?

Agora, eu o entendia. Era forte e intenso ao ponto de me deixar fora de mim.

Ele me puxou para ele e murmurou em meu ouvido.
- Agora sabe como eu me sentia e sinto.

Assenti com pressa e o puxei para mim novamente. Ele beijou-me com intensidade e eu que estava em cima dele quando dei por mim, já estava sentada em cima dele sem camisola.
Eu só estava de calçinha e ele ainda estava de calça. Pude sentir seu membro rígido devido ao desejo que estávamos sentindo.

Arfei após sentir tal coisa. Eu estava enloquecendo- pensei.
Eu precisava cessar aquilo. Eu precisava tê-lo dentro de mim.

- Edward...?- disse arfante parando de beijá-lo e fazendo-o olhar para mim.
- Diga...
- Que desejo é esse? Parece que estou fora de mim...
Ele sorriu malicioso.

- Está na hora da senhorita Swan saber como me sinto a seu respeito, e o quanto preciso de você.

Ele veio na direção de meu seio equerdo, tomando-o com necessidade. Fui a loucura com aquele ato. Ele o sugava e o mordiscava como se quisesse me fazer chegar ao ápice com aquele simples toque. E enquanto tomava o meu seio, suas mãos brincavam com o elástico da minha peça íntima.
- Assim não vale senhor Cullen... Tire essa calça. Agora!- disse e Edward não pensou duas vezes e ficou apenas de boxer.
Ele era lindo e por um momento fiquei apenas o observando. Porém não por muito tempo, ele me puxou pelos calcanhares nos encaixando perfeitamente.

Pude sentir com mais autenticidade seu membro que estava cada vez mais erecto.

Gemi já insconciente de onde eu estava.
Ele deitou-me de bruços e começou a beijar minhas costas, quando chegou perto dos meus glúteos, fiquei a espera de que ele o beijasse, mas não. Ele os apertou com força, o que me fez arquear a cabeça para trás.

Ele não precisava ser cuidadoso, pois não me machucava e isso era bom para mim.

Ele deitou-se sobre mim, roçando seu membro em minhas nádegas.
Aquela sensação era pertubadora, só fazia o desejo que existia dentro de mim, gritar para que eu o cessasse.
Ele puxou meus cabelos puxando minha cabeça um pouco para trás para poder sugar o lóbulo da minha orelha.

Com uma velocidade desumana virei-me e me joguei em cima dele, apertando seu membro. Edward apertou meu quadril com força e sugou meu pescoço, demonstrando para mim o desejo sufocador que ele sentia por mim.

-Sem mais torturas Sr.Cullen- disse maliciosa.

Ele sorriu e me deitei sobre ele, o beijando violentamente. Puxei seus cabelos para demonstrar a minha necessidade de tê-lo dentro de mim. Senti minha feminilidade clamar pelo o membro dele. Eu estava pronta. Pronta para ele.

Eu não queria mais preliminares. Pelo menos não naquele momento.
Ele percebeu o que eu queria e num átimo destruiu minha peça íntima, deixando-me nua.

E eu não perdi tempo, fazendo o mesmo com ele.
Sem mais pensar em nada, sentei-me em seu membro e soltei um gemido quando fiz tal coisa.
Edward também não se conteve e deixou escapar um gemido também.

Em uma sincronia perfeita ficamos nos movendo. Com as mãos em minha cintura Edward demonstrava o ritmo que queria que eu me movesse.

Deitou-me na cama e em um ritmo mais rápido, começou a dar investidas mais fortes dentro de mim. Eu já estava chegando ao ápice, quando Edward murmurou um “ Eu te amo”.
Com todo o meu amor, murmurei um “ Eu te amo também”

Eu o arranhei, demonstarndo o desejo que eu sentia por ele. E ele mordeu meu pescoço com a tanta força que percebi que ele também estava quase chegando ao ápice.

Novamente ele tornou-se mais e mais rápido e assim chegamos ao ápice, juntos.
Sorri, maravilhada e pude perceber um sorriso nos lábios dele também. Ficamos deitados um do lado do outro de olhos fechados curtindo aquela sensação maravilhosa.
Ele puxou-me para perto dele. Encaixei-me em seu peito nu e continuei desfrutando daquela sensação inexplicável.

Estávamos ofegantes, eu podia sentir a respiração dele irregular. E a minha consequentemente também estava.
Enquanto nossa respiração voltava ao normal, virei-me de frente para ele.

- Edward?
- Sim?
- Eu te amo...
Ele sorriu e deu um beijo no topo de minha cabeça.
- Eu também te amo. Mais do que tudo e nunca duvide disso.

Ficamos abraçados curtindo aquele momento maravilhoso. Eu teria que estar renovada pela manhã, pois teria que enfrentar a chegada dos Cullen. E principalmente a chegada de Alice.

Tínhamos decidido – eu e Edward- que não contaríamos sobre ele naquela manhã e nem sobre quem era os Cullen para Renesmee. Eu não poderia privá-los de conhecê-la, mas ainda não diria a ela o que eles eram dela.

A madrugada passou e juntos com ela, nós ficamos daquele jeito sem nos mexer. Apenas ficamos nos sentindo. E depois de três anos, eu estava ao lado do amor de minha existência. E isso era indescritível!


Edward PDV

A melhor noite de minha existência havia acontecido. Sentir Bella foi e sempre seria a melhor das sensações. Nos redescobrimos, nos amamos de uma maneira nunca feita antes por nós dois. Eu não queria parar de tê-la, mas me conti por Renesmee.

Eu sabia que aquele desejo abrasador seria novo para Bella, mas nem em meus sonhos, nunca imaginei como ela lidaria com uma relação mais íntima quando fosse vampira.

O desejo em um vampiro era muito mais intenso do que em um humano. A vontade, a necessidade de possuir a pessoa amada se tornava incontrolável. Era como se precisássemos do corpo e da sensação maravilhosa do momento.

E para ela estava triplicadamente mais profundo devida a inesperiência dela. Antes eu tinha cogitado a possibilidade de Bella ter tido relações com outros, mas depois daquela madrugada esplendorosa, eu não tinha mais dúvidas de que ela não tinha sido de nínguem. Apenas minha e isso era simplesmente maravilhoso.

Passamos a madrugada abraçados, apenas sentindo um ao outro. A manhã seguinte seria tensa, devido à chegada de minha família. Mas eu estaria ao lado de Bella e tudo daria certo.

Vimos o dia amanhecer, os pássaros cantando e o vento entrando pela janela. Bella levantou-se e me deu um beijo calmo, porém magnífico. Ela estava mais linda do que nunca. Parada em minha frente sem nenhum traje, apenas como veio ao mundo, só me deixava com mais vontade de repetir o que havíamos feito na noite anterior.

- Não me olhe desse jeito Edward. Nem pense nisso! Em breve, Renesmee vai acordar- ela disse com um sorriso malicioso.
- Ela não está dando nenhum sinal de que isso vá acontecer logo- disse enquanto a puxava para mim.

Ela sentada em meu colo e acariciando meus cabelos disse: - Tem certeza? Talvez se fôssemos rápidos o bastante, nós poderíamos... - ela foi interrompida por um barulho. Era o meu celular.
Eu já estava pronto para destruí-lo por ter nos atrapalhado quando Bella o pegou de minha mão.

- É Alice. Devem ter chegado.- ela disse, tensa.
Bufei e peguei o telefone da mão de Bella.

- Diga Alice- disse de má vontade.
- Desculpe por atrapalhar vocês dois e agradeça Bella por ter salvo o seu celular. Sem ele não poderíamos lhe comunicar que já chegamos em Forks. Agora estamos indo para nossa casa. Ai que saudades dela! Esme pediu para você vir vê-la. Ela está com saudades.
-
Eu irei. Mas pare de ficar me obsevando Alice.
- Não estou lhe observando ok?! Talvez só um pouco, mas dessa vez não tive culpa. Só vi a decisão de Bella em relação ao seu celular. Eu não tenho culpa se a visão decidiu vir em minha mente.
-
Tá Alice. Daqui a algum tempo chego por aí. Até mais.
- Tudo bem então. Mande um beijo para Bella, e diga a ela que precisamos conversar. Ela não irá fugir de mim.
- Tchau Alice.- e logo em seguida desliguei meu celular.

Olhei para Bella- que já havia ouvido a conversa.
- Eles chegaram em Forks.
- Eu sei... Deu para ouvir- ela disse esboçando um sorriso tristonho.
- Não fique assim, meu amor. Eles não vão fazer nada de mais. Só querem conhecê-la.- disse enquanto a abraçava e acariciava suas costas desnudas.

Ela suspirou.
- Mesmo assim Edward... Ainda tenho medo. É muita informação para uma criança. Tenho medo dela se revoltar conosco ou algo do tipo.
- Vai dar tudo certo. Confie em mim. Posso não prever o futuro como Alice, mas estou acreditando em minha intuição. Tudo vai se resolver.- sorri confiante.
Ela levantou o rosto e olhou para mim.
- Vampiros possuem intuição agora?- ela perguntou com uma de suas sobrancelhas arqueada num tom divertido.
- Às vezes sim.- sorri
- Então tá. Essa é nova - ela sorriu novamente se aconchegando em meus braços.


Bella PDV

Após o telefonema de Alice, ficamos abraçados por um tempo em minha cama. Edward era maravilhoso e quando eu estava ao seu lado nada me afetava. Ele me deixava segura. Não existia medo ou receio quando ele estava por perto.

Eu o amava. E nada mais importava.

Nos levantamos da cama e nos vestimos. Já passava das oito da manhã quando decidimos acordar Renesmee. Ele iria acordá-la juntamente comigo. Como ele havia prometido. E logo depois ele iria ao encontro de sua família.

Estávamos chegando a porta do quarto de Renesmee quando Edward segurou em meu braço.
- O que foi?- perguntei.
- Eu esqueci de lhe dizer uma coisa.
- O que é?
- Alice disse que qer conversar com você. Provavelmente ainda hoje.
Fiquei fitando-o sem dizer nada. Eu sabia que Alice iria querer conversar comigo mais cedo ou mais tarde. Isso era óbvio. Havia muita coisa para ser dita. Muita coisa que havia ficado pendente entre nós duas.

Assenti.
- Ela irá lhe degolar. Você sabe disso- ele disse enquando me abraçava por trás e murmurava em meu pescoço.
Soltei um riso abafado.
- Eu se que vai.
- Ah! Bella onde está Rose?
- Provavelmente ela está caçando por outros arredores.
- Ah sim! Não a vejo desde ontem de manhã. Por isso estranhei.
- Entendo.

Chegamos em frente ao quarto de Renesmee. Abri a porta devagar, pois não queria assustá-la.

- Venha.- murmurei para Edward.
Ele estava sorrindo como se fosse fazer a coisa mais maravilhosa do mundo. Para ele deveria ser maravilhoso estar alí, acordando a nossa filha.

Sorri com o meu pensamento e feito uns espiões fomos andando devagarzinho- mas não que a gente precisasse disso.

Nos ajoelhamos em volta da cama dela. Ela estava dormindo feito um anjo- toda esparramada na cama. Ela estava sorindo também.

- O que ela está sonhando?- perguntei baixinho para Edward.
- Ela está sonhando que está correndo atrás de um leão-da montanha. O maior de todos eles.- ele disse risonho.
- Ela adora leões- da – montanha. Me faz lembrar uma pessoa- disse enquanto olhava para ele.
Ele sorriu orgulhoso.
- Tem bom gosto igual a mim- disse convencido.
- Nossa aonde foi para a sua modéstia?
- Deixei ela em seu quarto- disse sorrindo e sorri em troca para ele.

Renesmee se remexeu e eu pude entender que ela já estava quase acordando.
- Vá Edward. Acorde-a!
-Eu?
-É.. Hoje eu deixo!
- O que senhorita.

Ele acariciou os cabelos de Renesmee e sorriu emocionado. Baixou seu rosto em direção aos ouvidos dela e murmurou- Nessie! Nessie, pequena acorde, por favor.
Mesmo ele dizendo o apelido grotesco dela, naquele momento não me importei. Eu estava feliz. Feliz por ter o homem de minha existência ao meu lado. Feliz por ele estar acordando a nossa filha. Simplesmente feliz por ter a família perfeita.

Renesmee se remexeu mais uma vez.
Edward beijou o topo de sua cabeça.
- Nessie... que tal caçarmos alguns leões -da -montanha?
Ela abriu um de seus olhinhos olhando para Edward.
- Agora Tio Eddie?
- Depois que você acordar, quem sabe.- ele respondeu.
Ela sentou-se, se espreguiçando.
- Já estou acordada- ela sorriu olhando para nós.
- O que a mamãe te ensinou dizer para as pessoas quando se acorda pela manhã?- perguntei.
- Ah sim! Bom dia Tio eddie- ela disse abraçando-o e dando um beijo em sua buchecha- E bom dia mamãe- e pulou em meus braços.
- Agora sim.- levantei e fui em direção ao banheiro com ela em meu colo. Edward estava atrás de mim.
- Vá tomar um banho enquanto preparo os seus ovos. E... hoje mais tarde iremos ter visitas, filha.
- Quem mamãe?
- A mamãe te explica lá embaixo ok?!
- Tudo bem então. Tio Eddie irá ficar conosco?
- Vou dar uma saída, mas logo estarei de volta. Não vou demorar não pequena- ele disse sorrindo para ela.
- E o meu leão-da-montanha?- ela disse fazendo beicinho.
- De repente ainda hoje pegamos ele.- ele disse piscando para ela. Era óbvio que não pegariam. Não naquela noite.

Eu e Edward descemos às escadas e fomos em direção a cozinha- no segundo andar.
- Bella eu tenho que ir agora, porém mas tarde estarei aqui. - disse me dando um beijo amoroso nos lábios.
- Tudo bem. Eu realmente preciso conversar com Renesmee.
- O que vai dizer a ela?
- Vou dizer que sua família vem nos conhecer. Vou contar do seu laço familiar com Rose. Já é um bom começo... Aos pouquinhos vou contando a ela.- sorri tensa.
Edwar afagou meu rosto carinhosamente. Cada contato feito por ele era simplesmente indescrítivel.
Era sempre a melhor sensação de todas.

- Vou indo e mais tarde venho com a tropa.- disse tentando ser divertido.
- Vou me preparar emocionalmente para o sermão de Alice. Hoje ela irá me degolar.
Ele deu uma risada e se despediu em dando um beijo calmo, porém magnífico.



Preparei os ovos de Renesmee e subi ás escadas em direção ao segundo andar. Miha filha estava saindo do banheiro com o seu mini-roupão.
- Já preparei seus ovos.- disse enquanto apegava no colo.
- Eba!
Coloquei Renesmee na cama e fui em direção ao seu closet, escolhendo uma roupa simples, porém confortável.

Depois de se arrumar, a virei de costas para mim,penteando seus cabelos.
- Mamãe o que quer falar comigo?
- É sobre as visitas de logo mais.- respondi.
- Quem vem afinal?
- Filha...- a virei de frente para mim- São os irmãos e os pais do Tio Eddie.
- É? Que legal mamãe.
Respirei fundo.
- Filha... não tem a Dinda Rose?
- Aham...
- Então... A Dinda Rose é irmã do Tio Eddie.
- Sério mamãe? Que legaaaaaaaaaaaaaaaal! - ela disse enquanto dava pulinhos em cima da cama.
Fiquei meio desnorteada, pois pensei que de repente ela pudesse ficar chateada por eu não ter contado para ela antes.

- Você gostou da novidade filha?- perguntei ainda um pouco receosa.
- Claro mamãe. Assim as pessoas que gostam são da mesma família - ela disse esboçando o seu sorriso e saus lindas covinhas.

Sorri de volta para ela. Ela cessou os pulinhos e sentou-se na cama novamente.
- Mas mamãe onde está a Dinda Rose? E o Tio Eddie?
- A Dinda Rose foi caçar e o Tio Eddie foi encontrar com a família dele.
- Ah! Eles vão demorar?
- Provavelmente não. Devem chegar assim que anoitecer.
- Ham... Vamos fazer alguma coisa hoje mamãe?
- Hum... Deixe-me pensar. Que tal depois suspendermos os ovos e irmos caçar um pouco?- prôpus.
- Uhul! Eu topo.



Estávamos correndo atrás de alguns veados. Renesmee estava faminta e enquanto segurava em minha mão, me mandava diversas imagens dela sugando uns três animais. Ela deveria estar ansiosíssima para caçar.

Bem, eu me alimentei de 2 veados- um macho e uma fêmea- e Renesmee se alimentou de 2 também- o macho alfa e seu filhote.

Qaundo voltamos para casa já estva entardecendo. Decidimos tomar um banho. Renesmee foi para o meu quarto e pediu para que e enchesse a minha banheira para ela tomar banho.

Enquanto ela se deliciava com o seu banho, decidi ligar para Edward. Logo após o primeiro toque o telefone foi atendido.
- Oi Bella.- não era Edward que havia antendido. Era Alice. Senti uma pontada em meu peito. Há tempos não ouvia sua voz.
- Oi.- falei a única coisa que realmente consegui dizer.
- Daqui a pouco iremos visitar vocês. Já estamos prontos. Só estávamos esperando você chegar.
- Ok, tudo bem! Onde está Edward?
- Ele está me olhando furioso, esperando que eu o devolva o celular.- ela disse risonha.
Suspirei.

-Ah sim!
Um silêncio constrangedor se isntalou entre nós duas. Coisa que nunca aconteceu.
- Bem... Vou passar para ele. Até mais Bella.
- Até mais...

- Desculpe por isso Bella- Edward disse após pegar o telefone e ter murmurado algo como “ Você é incoveniente” para Alice.
- Tudo bem. Sem problemas.
- Já conversou com Renesmee?
- Já. Ela aceitou a primeira parte perfeitamente bem.
- Que bom meu amor. Já é um bom começo.- ele disse.
- Claro que sim.
- Vocês foram caçar?
- Fomos. Mas achei que já soubesse disso. Ali mencionou que esava a nossa espera.
- Sabíamos que você havia decido ir caçar... Mas com Renesmee ao seu lado as visões de Alice se tornam turvas. Não sabemos ao certo o porquê, mas quando você ou até mesmo eu estou perto dela, Alice não consegue nos ver com nitidez.
-
Mais uma das incógnitas de Renesmee- sorri.
- Pois é.
- Então te vejo daqui a quanto tempo?
- De quanto tempo você precisa?
- Hum... Acho que uns 20 minutos está bom. É o tempo de Renesmee acabar o banho e se arrumar. E eu também vou tomar um banho para relaxar. É um dos hábitos humanos que não me desfaço.
- Também gosto de tomar um banho para relaxar. Não sou do tipo porco- ele disse irônico.

Soltei uma risada.
- Então nos vemos mais tarde.
- Tudo bem. Eu te amo!
- Eu também. E muito!

Desliguei o telefone. Escutei um berro agudo de Renesmee.
- MAMÃE! ACABEI.

Subi às escadas correndo em direção a minha pequena.



Está linda!- disse para ela terminando de arrumá-la. Ela trajava um vestido azul com flores brancas. Em seus cabelos pûs uma tiara branca e os sapatos brancos para combinar, em seus pés.

Eu estava com um vestido florido e amarrei meus cabelos para trás, apenas prendendo uma parte dele. Nos pés estava com uma sandália branca baixa.

Dezenove minutos haviam se passado, e chamei Renesmee para descermos e esperarmos por eles no andar de baixo.

Chegamos no andar de baixo, Renesmee estava sentada em frente a mesinha de centro brincando com um de seus brinquedos, quando ouvi a 100 metros aproximadamente um abrulho de um carro. Um carro em alta velocidade, pode-se dizer.


Eram eles. Eu não havia ficado tensa até aquele momento. Eles iriam chegar dentro de 5... 4... 3... 2 ...1 e...

Toc Toc. Batidas na porta.
Chegaram!

Renesmee olhou para mim.
- Eu atendo mamãe. Eles chegaram!
- Calma filha... Atendemos juntas ok?

Renesmee levantou-se e me deu a mão e depois fomos juntas abrir a porta.
Respirei fundo e abri.

Edward estava de pé sorrindo.
- Oi minhas lindas!- ele disse beijando em minha testa e na testa de Renesmee.
- Oi Tio Eddie.
- Oi- sorri- Onde está todo mundo?
- Estão chegando. Daqui a 5 segundos.

E logo após passar 5segundos, dois carros adentram a rua, parando em frente ao meu jardim.
Reconheci ambos. Era o jipe de Emmet e o porsche de Alice.

Estaquei. Edward notou a minha tensão e se pôs ao meu lado.

Do jipe de Emmet soltou ele e Rosalie. E no porsche de Alice – ela, Jasper, Carlisle e Esme. Todos estavam sorrindo.
Não se aproximaram de imediato. Se mativeram em uma distância razoável. Apenas Rose veio em nossa direção.
Ela abraçou Renesmee e me deu um beijo no rosto. Apenas sorriu para Edward.
- Onde esteve dinda?- Renesmee perguntou.
- Estava caçando. Peguei um urso dos grandes.- ela disse piscando para minha filha.
- Também caçei hoje! Eu e a mamãe. Peguei dois veados grandões - ela disse.
Fiquei encarando-os. Todos estavam com uma feição de contentamento, mas mesmo assim pude perceber um olhar diferente em Alice. Seria naquela noite a nossa conversa.

Eu não conseguia dizer nada. Abria a boca mais nada saía dela. Porém Carlisle rompeu o nosso silêncio.

- Oi Bella! Está linda como uma imortal. Rose fez um bom trabalho- ele disse sorrindo.
- Oi Carlisle... Não precisam ser tão informais, ao menos comigo. Entrem por favor!- disse quase tendo uma síncope de tão nervoso. Mas é claro que isso não era possível.

Todos vieram em minha direção. Não disseram nada até chegarem bem próximos de mim.
O primeiro de todos a quebrar um pouco do clima tenso que estava no ar foi Emmet. Ele me deu abraço tão apertado. Eu senti que ali, naquele abraço, estava um misto de sentimentos como saudade, carinho e até amor. Eu gostava de todos mas Emmet e Alice semrpe foram meus prediletos antes de tudo acontecer. É claro que agora Rosalie fazia parte de minha vida com muita mais frequência e isso a tornou tão especial quanto eles. E bem... Alice, eu realmente não sabia o que esperar de nossa amizade. Eu realmente não sabia.

Retribuí o abraço de Emmet da mesma maneira. Que a verdade seja dita, eu gostava muito dele.

- Oh Bellinha! Eu senti tanta saudade de você! É tão bom poder te abraçar sem precisar me preocupar em esmagar os seus ossos.- Emmet disse e todos nós rimos.
- É muito bom te ver também Emmet!- disse rindo.

Logo em seguida Esme me abraçou- depositando um beijo em meu rsto logo em seguida. Depois Carlisle e Jasper apenas cedeu sua mão para um aperto simples e curto.

Alice não se moveu. Ela não tirava os olhos de mim. De vez em quando seus olhos faziam o caminho entre os meus e os de Renesmee.

Eu vi que ela a olhava com fascinação e angústia. Eu queria muito abraçá-la, ams uma aprte de mim ainda tinha mágoas em relação a ela. Ela era minha melhor amiga. Eu confiava em Alice de olhos vendados.

Continuei fitando-a esperando alguma reação. Ficamos uns 10 segundos nos olhando e ela finalmente ergueu sua mão. Fiquei olhando para a mão dela sem raciocinar direito. Eu esperava que ela me abraçasse, gritasse ou algo do tipo. Mas não. Apenas apertamos nossas mãos.
- Oi Bella. É bom ver que você foi bem cuidada. Bem preparada para essa nova vida. Seja bem-vinda ao nosso mundo.- ela disse friamente.

Processei bem aquelas palavras em minha mente. E tentei responder friamente também.

- Obrigada. Rosalie fez um ótimo trabalho.
Alice se manteve insondável. Fria no total sentido denotativo da palavra.

Todos adentraram em minha casa e Renesmee estava na cozinha com Rose. Eu sabia que estavam loucos para serem apresentados a ela.

- Filha?- chamei.
- Oi mamãe!- ela disse vindo em minha direção.
- Quero lhe apresentar algumas pessoas. Lembra que eu te disse sobre a família da Dinda Rose e do Tio Eddie?
Senti Alice revirando os olhos. E Carlisle ficou com uma expressão de confusão em seu rosto.

- Lembro mamãe.
- Então... Este aqui é o Carlisle.- eu disse apontando para ele- Ele é o pai do Eddie e da Rose.

Renesmee ficou com os olhinhos arregalados. Ela deveia ter pensado em como ele era novo para ser pai dos deles.

Carlisle aproximou-se e se agachou para ficar na mesma altura dela.
- Prazer pequena. Você é muito bonita!- ele disse estendendo a mão para ela. Renesmee simpática que só, o abraçou e deu um beijinho em seu rosto.
- Prazer Tio Carlisle.- ela sorriu- Posso lhe chamar assim né?
Carlisle sorriu com afeto para ela e assentiu com um gesto de cabeça.

Ele estava encantado, eu podia ver isso! Mas era impossível não se encantar pela minha filha. Ela era adorável! Às vezes me perguntava se este também não era um dos dons dela.

-Princesa, agora quero lhe apresentar a mãe da Dinda e do Eddie. Esta é Esme!- disse fazendo um gesto para que Esme se aproximasse.

Renesmee sorriu. Esme veio e fez a mesma coisa que Carlise havia feito anteriormente. Agachou-se ficando na emsma altura que ela.
- Você é muito bonita Dona Esme...- Renesmee disse enquanto afagava a bochecha dela- E o seu nome tem uma parte do meu. Que legal! O meu é Renesmee e o seu é Esme. É bem parecido!- ela sorriu encantadoramente para Esme.

Esme estava emocionada, eu pude notar. Afinal mesmo depois de tudo ela havia sido homenagiada por mim. Eu senti um pouco de obrigação em fazer isso. Era como se fosse preciso demonstrar de alguma maneira algum tipo de vínculo com os Cullen- sem que eles soubessem é claro.
Por isso homenagiei tanto René quanto Esme. Afinal de contas elas eram avós dela.

- É florzinha... Temos o nome parecido. E obrigada, mas acho você muito mais bonita!- Esme sorriu e afagou o rosto de Renesmee- E a propósito também quero ser chamado de Tia.- ela levantou o olhar e deu uma piscadela para mim.
Sorri com tal ato. Era bom saber que eles não estavam me pressionando.

Esme levantou segurando Renesmee pela mão e foi guiando-a em direção aos outros.
- Florzinha este aqui é o Emmet! Ele é marido da sua Dinda.
- Ual! Você é muuuuuuito grande! Parece até um urso.-Renesmee o olhou espantada.

Emmet soltou uma gargalhada.
- Toca aqui mini-bella- ele disse estendendo sua mão em forma de soco para Renesmee fazer o mesmo ato.- Você manda bem! Depois o titio aqui vai te ensinar a pegar uns ursos bem garndões e...- Esme o interrompeu.

Esmee pigarreou e foi em direção ao Jasper.
Com Jasper foi a apresentação mais rápida. Deveria ser porque Jasper é meio reservado então Renesmee o abraçou e ele deu um sorriso que eu nunca tinha visto antes.
- Prazer Renesmee.
- Prazer Tio Jasper!

E por última foi Alice. Eu podia sentir um pouco de ansiedade da parte dela, mas ainda sim ela tentava se mostrar indiferente.

Edward estava ao meu lado segurando minha mão. Ouvi ele soltar um riso baixinho.
- O que foi?- murmurei para que apenas nós dois ouvíssimos- pelo menos tentei.
- É Alice.
- O que tem?- se algum humano tivesse por perto não entenderia uma palavra sequer do que nós estávamos conversando.
- Ela está pensando que tem que ser melhor para Nessie do que Rose é. Ela está com muito ciúme.
- Ah! Não pensei nisso.
- Mas calma vai ficar tudo bem.

Renesmee foi saltitando em direção a Alice.
Alice sorriu. Era o primeiro sorriso verdadeiro que Alice dera desde que havia chegado em minha casa.

- Oi Tia Alice! Prazer...
Alice sorriu e agachou-se. Agarrou Renesmee em um abraço intenso.
- Oh Renesmee! É realmente tão bom conhecê-la. Eu estava louca por isso! Você é realemente linda. Vamos ser ótimas juntas.- ela disse abraçada a Renesmee.
- Eu gostei de lhe conhecer tia. Você é muuuuuuito legal! Só não é mais legal que o Tio Eddie.- minha filha disse enquanto olhava meiga para Edward.

Todos rimos.

Esme veio para perto de mim e conversamos um pouco. Ela me pediu perdão por diversas vezes por causa de sua ausência. Eu estava tentando esquecer- foi o que disse a ela. Eu queria recomeçar. Eu precisava disso! Precisava esquecer de tudoque havia acontecdo. Eu precisava aos poucos ir contando a verdade a Renesmee. Eu precisava de muita coisa.

Decidi por subri para pegar umas fotos de Renesmee para Esme ver. Ela insistia em ver fotos da pequena enquanto era apenas um bebê.
Ante sde subir notei Edward conversando com Carlisle sobre Renesmee. Falando de tudo um pouco. Sensações, o dom e o crescimento físico que era acelerado, mas que agora tinha se normalizado. Exceto o crescimento mental dela que ainda continuava avantajado, digamos assim.

Virei-me de volta às escadas e subi para pegar as tais fotos.


Estava mexendo nas gavetas de minha cômoda quando sinto alguém atrás de mim. No mesmo momento virei-me para ver quem era.

- Ah! Alice é você...- disse com uma mão em meu peito.
- Desculpe se a assustei.- ela disse meio encabulada.
- Tudo bem! Já estou descendo, só vim pegar algumas fotos e...- ela me interrompeu.
- Eu vim conversar Bella... Acho que realemente precisamos.

Estaquei. Eu realemente achei que essa conversa demoraria mais um pouco.
- Agora? Mas estão todos lá embaixo.
- Esme pediu para que pegasse as fotografias para que pudéssemos conversar sozinhas. Ela acha que merecemos isso. Pela nossa antiga amizade- Alice dizia enquanto fitava o chão.

Eu nuca havia visto Alice encabulada ou algo do tipo. Ela sempre conseguia o que queria e por isso sempe andava sorridente. Nunca a vi com vergonha porque ela sempre teve coragem de falar até mesmo as coisas mas bizarras que se pudesse imaginar.

- Tudo bem Alice... Vamos conversar.

Decidi resolver todas as minhas pêndencias. Eu precisava conversar com ela. Colocar tudo em seu devido lugar. Poderíamos nos odiar depois daquela conversa. Poderíamos nunca mais querer olhar uma para outra depois que desabafarmos tudo o que desejávamos dizer. Mas era preciso... Pela nossa antiga amizade... Era preciso.



Notas finais do capítulo

E AÍÍ O QUE ACHARAM??? PRECISO SABER A OPINIÃO DE VCS!

PEÇO DESCULPAS PELA DEMORA. EU REALMENTE TENTEI POSTAR MAIS CEDO MAS NÃO CONSEGUI. ESTAVA EM PROVAS E FIQUEI MEIO DOENTE =/
MAS CÁ ESTOU EU NOVAMENTE! E QUERO AGRADECER A PACIÊNCIA DE VCS E PEDIR PARA QUE COMENTEM DANDO IDÉIAS, DIZENDO SE ESTÃO GOSTANDO OU ATÉ MESMO O QUE GOSTARIAM QUE EU COLOCASSE NA FIC. DEPENDENDO DA IDÉIA QUEM SABE NÃO DÁ PARA EU ENCAIXAR HEIN?

CHEGAR DE FALAR MUITO...RSRS
UM GRANDE BEIJO E COMO ESTOU DE FÉRIAS DE REPENTE TEM CAPÍTULO ESSA SEMANA QUE ESTÁ POR VIR.

ATÉ O PRÓXIMO MEUS AMOREEEEEEEEEES ♥

PAM.