Minha jornada... escrita por eduarda14


Capítulo 8
Quando o amor é mais forte que o HIV...


Notas iniciais do capítulo

Frase do capítulo: “Amar o impossível é ter fé que um dia será conquistado. Se não obter vitória, é porque verdadeiramente não se amou. E se a espera levar muito tempo, é porque ainda não chegou ao fim.”




         A palestra foi ótima, nunca pensei que palestras poderiam ser tão divertidas. Foi uma coisa séria, mas tão dialética e interativa... Mas depois tudo ficou tão estranho. Eu meio que estava evitando um certo voluntário daquele lugar. 

— Essa palestra foi boa. Vamos embora? 

— Que bom que gostou... Mas antes de ir... É q-que...

 Ma-Malu... Eu posso te falar uma coisa? 

— Pode uai.

— É que... "Miguel não seja idiota!” É que... Não sei como mais. Quer dizer... Vamos tomar um sorvete? 

— Que enrolação, só para falar isso! Pode ser, não sei.  

— Por favor. 

— Ok, tudo bem.

Procuramos a sorveria mais próxima da instituição.

— Miguel, você mora sozinho? 

— Sim. 

— Não tem nenhum parente por aqui? 

— Não. Bem que eu queria viver assim como você, com toda a família morando em um mesmo lugar, todos próximos e unidos. 

— Pois eu preferia quando estava longe de todos. Essas pessoas não são tão unidas assim, era isso que eu pensava antes, mas eu não gostei destas pessoas, era melhor ficar sozinha com minha mãe, e longe daqui. Às vezes não importa onde estamos, e sim com quem estamos. 

— Verdade - Miguel olhou tão profundamente nos olhos de Malu, que foi difícil não se constranger. 

— Então Miguel, vamos pedir algo? Que sabor você quer? 

— O que você quiser. 

— Então eu quero de brigadeiro. 

 Depois de um tempo um rapaz chega com duas taças gigantes de sorvete sabor brigadeiro. 

— Que tal sairmos amanhã novamente? 

— Você não acha que está querendo demais não? 

Ah nem Malu.

— Para onde quer ir?

— Não sei... O que você acha de... Teatro?

— Legal.

Ops!  Quebrei minha pazinha! Me dá a sua – Malu deu um tapa na mão Miguel.

NOT!  Tá maluco? E usei este negócio!

— O que tem haver?!

— Geralmente as pessoas têm nojo ou medo de...

Aiai. Nojo de você? Claro que não.

— Sério? Mesmo assim...

Os dois ficaram se entreolhando como a vez anterior. Mas desta vez, o coração de Malu parecia mais acelerado que o normal... Então, depois de um tempo, os olhares se cruzam. O rosto de Miguel aproximara cada vez mais do seu. Com os rostos quase colados e trêmulos, lentamente os lábios se encontram. O que ela mais queria era afastá-lo, mas era como se não tivesse forças, pois o amor era mais forte. Ela desliza a mão sobre seu, e ele a puxa pela nuca.

Era como se o tempo tivesse parado para os dois... Malu finalmente abre os olhos e o empurra quase o derrubando.

— O que estava fazendo??

— O mesmo que você.

— Não acredito! O que você está pensando, garoto?

— Foi inevitável Malu! Não consegui resistir... Porque estou apaixonado por você.

— Tá errado! Tá tudo errado... Isso não pode acontecer, você está confuso, eu estou confusa!

— Não. Por que não pode acontecer? Estamos apaixonados não estamos?

— Não... Não posso. Não quero arruinar sua vida, como fizeram comigo!

— Como assim arruinar minha vida? Você tem medo de quê?

— Miguel, já chega! Amanhã não quero te ver, e nem depois. Nunca. E você não queira me ver também... Vai ser melhor...

— Não tem como. É impossível te esquecer...

— Tenho certeza que vai ser questão de segundos e... Adeus Miguel.

...

 13h: 30min

Em casa, estavam Gessy e Isadora preparando o almoço.

— Oi amiga! Estava te esperando, vim almoçar com vocês... Como foi o encontro, quer dizer a palestra? Malu? Por que está chorando?

— Não quero falar sobre isso!

— Minha filha, o que aconteceu? Fale por favor!

— Nada - Malu não gostava de mentir para sua mãe – É que... O Mi-Miguel, ele me...

— Ele te bateu? Te ofendeu? Te magoou? Te beijou? Te humilhou?

— Sim...

— O quê? Te humilhou?

— Não.

— Te bateu?

— Não! ELE ME BEIJOU!

— Mas então, por que está assim minha filha?

— Não posso fazer isso, não quero que isso aconteça!

— Acontecer o quê? Vocês se apaixonarem? Mas o amor não é questão de escolha!

— Não finjam que não estão entendendo! Eu tenho AIDS tá legal? Ninguém pode gostar de mim desta maneira! E nem eu posso querer um risco para alguém que diferente de mim, tem uma vida normal!

— De onde tirou isso tudo Malu? O que você tá dizendo não faz sentido!

— Para mim faz Isa! Está consumado! Não quero mais vê-lo! Vou para o meu quarto, não venham, pois quero ficar sozinha!

Malu subiu para o seu quarto muito abalada, parecia com medo.

—-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Por que fez isso Miguel? Sentir algo tão lindo por uma pessoa como eu? E depois deste beijo, tenho certeza que sinto o mesmo. Mas tenho que esquecer. Por causa de escolhas erradas estou desta maneira, e não quero errar da mesma forma.

TOC,TOC!

Malu, abre a porta. Trouxe seu almoço filha.

— Mãe, não quero comer!

— Vai ficar doente querida...

— Eu já sou doente!

— Vai continuar Malu?

— Desculpe mãe – Malu abre a porta e abraça sua mãe.

— Minha filha, você não pode, cada vez que a situação parecer difícil. Quando a vida nos oferece vários “nãos”, devemos manter uma postura correta, pois é a atitude que definirá seu destino.

— Mas é muito complicado!

— As complicações não existem lembra? O que parece ser complicado são apenas desafios.

Você deve jogar fora os pensamentos ruins, jogar fora também, toda esta tristeza e esses medos.

— Não posso lutar contra minha realidade mamãe...

— Você tem que entender que por pior que tudo pareça, vai melhorar. Eu me preocupo com você, o David e seus amigos também, incluindo este moço. É assim que vai agradecê-lo? Não é essa a direção que vocês dois devem tomar. Nesta caminhada você não está sozinha filha, ninguém está quando se tem amigos e companheiros...

— Pode ser...

— Aqui o seu almoço. Pense bem o que quer realmente.

Minha mãe tem razão, nessa minha estrada esquisita da vida, não estou sozinha, ninguém está sozinho, só se querer isso. E o Miguel também tentou me ajudar, não posso desprezá-lo, e sim agradecer por ser tão compreensivo... Não posso continuar focando em meus problemas. A felicidade e os sonhos devem ser maiores que qualquer doença, mesmo esta doença sendo a temida AIDS!

       Ao anoitecer Malu se encontrava estudando novamente seus livros de Ecologia. Estava se alimentando bem nos dias anteriores, o que resultou em melhoras nos exames e tratamentos. Gessy estava na escola finalizando sua aula, iria voltar para casa com David.

— Como está a Malu?

— Bem melhor.

— Fico feliz!

— Ela está se alimentando corretamente, tomando os medicamentos direitinho...

— Que bom... Sabe o que significa?

— Não.

— Significa que já podemos nos casar. Pois tudo está bem.

— Casar?

— O quê? Não gostou? Desculpe, estou muito apressado?

— Não... É que eu não esperava...

— Se quiser um tempo para pensar, tudo bem, mas saiba que quando eu vi você, minhas emoções ficaram em sintonia, parece que meu coração cantava uma canção alegre. E agora o que eu mais quero é me unir a você para sempre...

— David, você ocupou um lugar em meu coração. Sinceramente, me cativou! O seu pedido é irrecusável!

         Malu estava muito concentrada em sua lição de ecologia, que nada poderia a desconcentrar naquele momento.

Dlim, dlom!

Ao abrir a porta, pareceu mesmo que uma porta se abrira em minha vida, literalmente.

— Miguel!

— Malu... Eu vim para me desculpar de hoje...

— Eu que preciso me desculpar, mas eu queria apenas que você me entendesse...

— De verdade eu não consigo te entender. Você disse que eu merecia algo melhor, por quê?

—  Você vive com pessoas como eu, doentes. Por isso deveria saber que não pode ser feliz comigo.

— É claro que posso ser feliz. Ser feliz é ter um grande amor! E eu tenho você!

— Você acha que pode construir alguma coisa com alguém como eu?

— Sim Malu. Você se tornou para mim, única no mundo, não é como os meus pacientes, não é como as pessoas que encontro por aí, nas ruas ou colégio. É especial! Me completa. Sua voz me acalma, seu olhar me desconcerta, seu cheiro me prende a você. Sua pele me aquece e seus lábios me enlouquecem, principalmente quando estão juntos aos meus.

— Não fala essas coisas... Meu coração é sensível. Miguel, eu descobri que te amo e decidi que mesmo não sabendo se eu tenho tempo de ter um futuro. Só sei que quero ter você nele. Quero sua companhia na minha jornada.

Semanas depois...

       Não entendia como, mas observava aquela estrada florescer. As flores iam decorando e desenhando o caminho. E por ela eu seguia andando. O caminho parecia ser longo, mas eu sabia que nunca iria chegar se não continuasse seguindo.

        O sol se encontrava sempre em minha frente, distante, brilhante, nascente...

       Aos arredores haviam belas árvores, eram simplesmente as mais belas árvores que já vira... Todas cobertas por flores vermelhas e por lindos pássaros que sobre elas voavam.  Próximo das árvores eu podia ver imagens. Não sei... Mas pareciam bem reais. Nelas era possível ver uma jovem. Uma jovem feliz e animada.

       Em seus lábios, o mais belo sorriso. Um sorriso de esperança. Um sorriso de conquista. 

"Tudo depende de mim... De como eu olho para os obstáculos e lido com eles. Só depende de minha decisão."

— Malu? Malu?! Tá sonhando acordada? Quer perder a entrada triunfal da noiva?

— A situação é a mesma, mas o modo como você olha muda tudo.

— Tá viajando na batatinha?

— Não Miguel. Na batatinha não. É por um caminho estreito aos olhos, mas como só se vê bem com o coração, é na verdade um caminho maravilhoso e cheio de felicidade!

— Uau! Mas sua mãe está entrando! Olha lá, que linda!

A família toda estava presente, tanto da noiva, como do noivo. Todos admirando Gessy, com seu vestido deslumbrante. Porém o mas belo era o brilho em seus olhos.

— Um pouco de ti me basta para despertar da realidade.

Estas foram as palavras do noivo...

— Malu?

— O quê?

— Eu estava pensando... Quem sabe amar... Sabe o essencial...

— Verdade.

— Malu?

— Que?

— Imagina a gente... Nesta igreja...

— Se eu ainda estiver aqui...

— É claro que estará!

— Tá bem... Mais para isso tudo acontecer, vai demorar um tempinho... Primeiro os estudos. Se formar e tal, aí depois pensar nisso. Lembre que o amor é paciente.

— É...

Quem diria que estaríamos ali tão felizes... Realmente, para mudar minha vida eu precisei mudar meus pensamentos. As dificuldades (no meu caso... AIDS...) podem até existir, mas o que conta é como eu vejo e também como lido com elas... Lembrei que complicações não existem, as pessoas que tornam as coisas difíceis... Na verdade tudo é simples, a vida é simples quando aprendemos amá-la...





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Minha jornada..." morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.