Príncipe Às Avessas escrita por G a b i


Capítulo 9
O início da surpresa começa aqui.


Notas iniciais do capítulo

Olá! :)
Bem, esse capítulo não estava nos meus planos para a fic. Estou postando porque uma amiga que AMA a Thalia queria muito que ela aparecesse nem que fosse só um pouquinho na história. Aí lá foi a Gabi tentar encaixar uma cena com a Thalia num capítulo que já estava pronto (tudo por causa da Mari). Resultado: o capítulo acabou ficando enorme e eu fui obrigada a cortar ele ao meio. Fiz a outra metade ser outro capítulo, com outro título e tudo. Só que, parando para pensar, agora esse capítulo ficou meio pequeno e sem sentido (só um diálogo entre Piper e Leo, na maior parte do tempo).
Quero falar mais sobre a continuação desse capítulo com vocês, por isso, não deixem de ler as notas finais.
Agora, boa leitura!



Depois de passarem quase a tarde toda assistindo a filmes, brigando por causa dos filmes e se beijando, Calipso acompanhou Leo até a porta.

Eles haviam passado uma tarde incrível juntos. Divertiram-se como nunca.

Mas agora Leo tinha mesmo que ir para a casa.

Calipso se despediu do garoto com um beijo bem demorado.

Leo murmurou um "te ligo mais tarde" seguido de uma piscadela e se encaminhou aos portões de saída do condomínio.

O garoto estava definitivamente nas nuvens. Era a felicidade em pessoa.

Quando chegou em casa, por volta das 19 horas, seu pai já estava fechando a oficina.

Leo tomou um banho e vestiu uma calça de moletom preta com uma camiseta de mangas compridas listrada, a qual ele dobrou até a altura dos cotovelos. Parecia estar vestindo um pijama. Calçou seus chinelos e passou a toalha pelos cabelos molhados sem ao menos penteá-los; então desceu para jantar.

Depois de comer e contar animadamente para Hefesto sobre o seu "progresso" com Calipso, o garoto subiu novamente para seu quarto.

Ligou o notebook e conectou-se ao Skype. Na mesma hora já estava recebendo uma chamada.

Piper.

Leo aceitou.

— Por que você não atendeu as minhas ligações no celular? — O rosto de Piper apareceu na tela do notebook.

Leo riu. Era engraçado Piper tentando parecer brava.

— Oi pra você também, maninha. — O garoto ironizou. — Cheguei faz pouco tempo da casa da Calipso. O celular estava no modo silencioso. Desculpa, nem cheguei a ver as suas ligações. — Explicou.

— Ah, eu deveria ter imaginado. — Piper sorriu para a tela. No caso, para Leo. — Pelo jeito a tarde foi boa, porque pelo o que parece, você esqueceu de ir até à casa na árvore. Estou certa? — A garota arqueou uma das sobrancelhas.

— A casa na árvore! — Leo exclamou, batendo na própria testa. Ele realmente tinha esquecido de passar lá para ver a casa finalizada. — Ficou tudo pronto? Ah, cara, eu esqueci mesmo de passar lá para conferir.

— Eu percebi que você esqueceu. — Piper revirou os olhos. — E, sim, a decoração já está pronta. Mamãe confirmou isso para mim algumas horas atrás.

— Ótimo. Então amanhã será o dia da minha surpresa para a Calipso. Vou levá-la até lá amanhã mesmo! — O garoto esfregou as mãos uma na outra, ansioso.

— Não! — Piper disse. — Amanhã não vai dar. Era isso que eu estava tentando te avisar, mas você não me atendeu antes.

— Por quê? Não vai me dizer que deu algo errado. Por que a surpresa não pode ser amanhã? — Questionou.

Mas antes que Piper pudesse responder...

Do you know the enemy?

Do you know your enemy?

Well, gotta know the enemy

Piper chegou a dar um pulo da cadeira que estava sentada tamanho havia sido seu susto. A música tinha começado a tocar num volume absurdamente alto.

Do you know the enemy?

Do you know your enemy?

Well, gotta know the enemy

Green Day.

Thalia.

E talvez algumas vidraças e vasos quebrados.

Até Leo se assustou. Ele foi obrigado a diminuir o volume da chamada.

— Piper? Hey, me responde! — Mas a garota estava muito ocupada protegendo seus ouvidos, de costas para a tela do notebook.

Ao fundo Leo conseguia ver a imagem de uma Thalia raivosa e de um Jason que, ao que parecia, estava tentando acalmá-la.

Do you know the enemy?

Do you know your enemy?

Well, gotta know the enemy

A música ainda estava muito alta, mas Leo voltou a aumentar o volume da chamada para ver se conseguia entender alguma coisa.

— Abaixa!

— Não vou abaixar!

— Piper e eu vamos ficar surdos! Abaixa isso! — Jason e Thalia gritavam ao som de Green Day.

Violence is an energy

Against the enemy

Well, violence is an energy

— Ele não me deixou ir ao show, pois hoje vamos ter um show aqui em casa. Papai vai se divertir tanto!

"Thalia sendo Thalia", foi o que Leo pensou.

A cena mudou e tudo ficou girando na tela. Piper deveria estar saindo da sala e indo para outro lugar em que seus tímpanos não corressem o risco de explodir.

A música foi ficando baixa aos poucos.

Leo já estava ficando impaciente. Por que raios ele não poderia fazer a surpresa para Calipso no dia seguinte, afinal?

— Pronto. — Piper havia retomado a chamada com Leo.

E... estava ela sentada sobre o... meio fio? Sim. Piper foi obrigada a sair da casa e sentar na calçada do condomínio de Jason.

Ninguém segurava Thalia Grace.

— Thalia não mudou nada. — Disse o garoto.

— Não mesmo. — Confirmou Piper, dando uma risada.

— Então... Por que mesmo que eu não posso levar a Calipso até à casa na árvore amanhã?

— Minha mãe decidiu que amanhã haverá uma festinha de inauguração do parque. Ela e uma das administradoras do condomínio já estão ligando para os moradores para avisá-los e...

— Ah, não. — Leo a interrompeu. — Elas já ligaram para a casa da Calipso e estragaram a surpresa, foi isso?

— Não. — Piper riu. — Eu avisei minha mãe que não era para fazer isso. Eu sei que você quer mostrar a casa para ela primeiro.

— Mas qual é o problema dessa festa, então? Eu posso levar a Calipso para conhecer a casa antes que a inauguração comece. Pronto, surpresa feita. — O garoto sorriu de lado.

— O problema é que a sua surpresa vai ter que ser hoje. Agora. Essa noite. — Piper falou e Leo arregalou os olhos.

— O QUÊ? — Passou as mãos pelos cabelos, agitado. — Você tem noção de que horas são agora? E além do mais, eu acabei de voltar de lá!

— Eu sei que está em cima da hora. Mas a culpa não é minha, Leo. Amanhã, a partir das 8 horas da manhã, o pessoal que trabalha para a minha mãe já vai estar lá no condomínio. Eles vão começar a decorar tudo logo cedo. A festa de inauguração terá início às 16 horas. Desculpa, eu tentei te avisar antes.

— Tudo bem. Sei que não é sua culpa. — Leo sorriu. — Vou dar um jeito por aqui. Calipso vai ter a surpresa dela.

— Boa sorte com a desculpa que vai inventar para o seu pai. E boa sorte com a Calipso. Tenho certeza que ela vai adorar a casa. Ficou linda!

— Espero que ela goste mesmo. — Leo riu. — Eu vou ter que pegar um ônibus a essa hora só por causa dessa surpresa!

Piper riu também.

— Vai dar tudo certo. Agora deixa eu entrar, está escuro aqui fora. Espero que o show do Green Day já tenha acabado naquela casa.

— Boa sorte com a sua cunhadinha revoltada. — O garoto gargalhou. — Nos vemos amanhã na festa.

— Sim, nos vemos lá. Ah, eu convidei o Percy e a Annabeth! Eles disseram que vão! — Contou, animada.

— O que seria da minha vida sem a rainha da beleza! Obrigado. — Leo jogou um beijo em direção à tela do notebook.

— Sua vida seria um completo caos. — Ela riu. — Tchau, Leo.

Nesse momento eles encerraram a chamada. E Leo, esfregando as mãos uma na outra, falou em voz alta:

— O início da surpresa começa aqui.



Notas finais do capítulo

Hey!
Ficaram curiosos, né? Esse capítulo não explicou quase nada, eu sei.
Agora, eis aqui a minha proposta: Eu vou postar o próximo capítulo na terça-feira SE... Pelo menos 7 pessoas comentarem aqui usando isso => #GabiPostaNaTerça
Se eu tiver os 7 comentários com a tag acima (7 porque eu tenho uma relação meio doentia com esse número), posto o capítulo antes. E depois, na sexta-feira mesmo, vocês ainda terão o capítulo do dia certinho. Ou seja, dois capítulos em uma semana!
Bora comentar? Vou esperar vocês!
Espero que tenham gostado :)
Xoxo,
G a b i.
P.S.: Música do capítulo, Green Day - Know Your Enemy




(20/11/2015)