K.O.F escrita por Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 11
Kaido, feira e Shinobi acompanhados com muito salmão - Final


Notas iniciais do capítulo

O capítulo era para te demorado a sair, mas não aguentei e postei logo :D



Escutar da pessoa que mais confiou em sua vida palavras de traição não era nada fácil. Isaak sentiu como se uma faca estocasse suas costas. Seu fiel segurança falando aquelas coisas era demais. Teve vontade de entrar de uma vez e tirar satisfações com Victor, mas se segurou em apenas ouvir.

– Claro... o idiota me liberou justo no dia da morte dele... mais tarde passo no apartamento e mato o filho que me irrita até hoje. Tenho seguranças infiltrados Igniz não se preocupe.

Sentiu um baque forte ao ouvir o nome Igniz na conversa. O bandido do Krizalid trabalhava para o bandido do senhor Igniz. Agora era fato que não podia mais perder tempo. Teria que ir correndo à sua casa e tirar seu filho de lá, afinal há seguranças infiltrados.

O terror tomou conta de O'Brien. E se aqueles seguranças que deixou na porta do apartamento tivessem feito algum mal ao seu garoto não iria se perdoar nunca. Saiu sutilmente. A vontade era pegar a sua arma e atirar no desgraçado, no entanto se conteve, pois Kevin era sua prioridade no momento. Passaportes na mão, passagens prontas, só faltava sair da cidade.

– Senhor O'Brien o senhor falou com...

– Desculpa senhorita ele não está aqui. Com licença.

A secretária ficou confusa com a afirmação. Jurou ter visto Victor ir ao escritório momentos antes.

Kriz terminou sua conversa com o seu verdadeiro chefe. Saiu da sala quando foi abordado pela secretária. A mulher ficou mais confusa ainda.

– Pensei que não estivesse aqui - disse ela.

– Por que não? Falei que pegaria os documentos do senhor Dickens.

– É que agora a pouco o senhor O'Brien veio falar contigo. Foi até lá dentro, passou um tempo e saiu apressado dizendo que você não tava.

– Droga! - saiu rapidamente.

Victor ligou para o seu comparsa a fim de eliminar o garoto e se possível seu chefe. Ele tinha certeza de que foi descoberto.

...

Iori sentia-se humilhado por não vencer a luta. Pensou que podia com muitos homens, mas não. A sua ambição em matar o seu rival atrapalhava em muitos aspectos.

Crente que não venceria facilmente o ruivo lutava no porto. Olhou para os lados e viu os barcos. Logo lutava sobre o convés de um. Alguns shinobis lançaram bombas contra ele deixando-o desnorteado. O bastão que segurava foi partido ao meio por um inimigo.

– Já chega - disse sem um pingo de paciência.

Ele concentrou o fogo em suas mãos e formou uma bola. Atirou contra os ninjas que desviaram, mas não o encontraram mais.

Terry bebia seus últimos goles de cerveja enquanto chutava alguns capangas. Não poderia sair de cima da torre, pois os cães o aguardavam. Chutes, socos e tudo o que uma boa luta tinha direito. Apesar de desarmado possuía uma ampla vantagem contra os armados.

– Adoro chutar umas bundas de vez em quando - ele imobiliza um ninja e o chuta no traseiro fazendo o mesmo cair sobre a matilha de cães. Era a sua chance de sair daquele lugar.

Kyo teve a brilhante ideia de colocar fogo na sua espada. Subiu até o alto da torre onde fica a caixa d'água. Ele lutava com o líder dos Shinobis que também manejava uma espada.

O vilão vacilou deixando sua espada cair. Então ele usa a sua técnica especial para atacar. Ele caminhou vagarosamente até causar a ilusão de estar se duplicando. Kyo inicialmente ficou confuso, entretanto já havia aprendido algo similar pelos treinos que recebia do seu pai.

O ninja golpeava Kusanagi, mas não permitia que este o acertasse. Era rápido. Então o moreno, vendo que não adiantaria muito lutar com a espada, decide lutar com suas próprias técnicas. Suas mãos ficaram em chamas e seu corpo mais quente do que o normal. Shinobi foi acertá-lo e se queimou.

– Ainda vai querer brincar comigo?

Kusanagi foi respondido por uma retaliação, contudo desviou e chutou o estômago do inimigo que bateu as costas na base da caixa. Ele olhou para trás e para cima. Teve uma ideia.

Uma sequência de explosões surgiu no barco. Iori usou sua técnica especial. Agora por onde ele passa explodia tudo causando um grande estrago nos oponentes. Tais explosões lembram bolhas de água fervente que logo viram fumaça e carboniza os inimigos.

– A brincadeira acabou... chorem, gritem E MORRAM!!

Yagami pronunciou essas palavras antes de causar uma grande explosão incendiando boa parte do barco. Convenceu-se de que Mature não era nada confiável. Teria uma boa conversa com ela.

Antes de sair do porto foi pego de surpresa por um ninja que usou uma bomba de fumaça para o confundir. Era o último ainda vivo. Mas antes de atacar ele teve uma desagradável surpresa. Porque o shinobi vendo que, o ruivo estava sob uma rede de pesca, cortou o cabo que prendia ao barco.

Quilos e mais quilos de salmão fresco caíram sobre o músico que se afogou em tanto peixe. Eram tantos que muitos passaram pelos limites do porto até a praia.

Iori levantou os braços em seguida o corpo. Ficou todo molhado e fedendo a peixe. Sua expressão diabólica deu a certeza que iria tirar todas as satisfações com a loira que o trouxe. Saiu andando feito um zumbi com as pessoas se afastando por causa do odor de peixe.

Enquanto isso no hotel o capitão Collin, Vice e Mature se divertiam com as lutas dos participantes, principalmente com Iori que foi pego de surpresa.

– É melhor você sair daqui senão o ruivo arranca teu silicone - falou Vice rindo da situação.

– Não sou que nem você colega. - saiu.

Os dois riram quando Yagami foi parado pelo dono do barco. Em menos de cinco segundos o lutador enfia o homem na lata de lixo. Era engraçado. Agora surpreendente foi o que aconteceu na luta do Kusanagi.

Joe acordou do desmaio e se lembrou da luta. Viu Ralf lutando contra uns bandidos. Pensando em entrar na briga ele é surpreendido por uma sombra de alguém aparentemente alto. Seria seu azar se houvesse outro gigante em seu caminho.

Na verdade era um anão vestido de preto. O lutador de Muay Thai soltou um riso de satisfação. Primeiro o gigante, agora uma nanico. Pelo menos seria mais fácil, achou ele.

– Filhinho é muito perigoso ficar aqui - sorriu.

O sorriso de Higashi durou pouco quando apareceu um grupo com vários anões prontos para lutarem. Repudiou esse momento mais do que tudo. Foi a pior compra que fez em sua vida.

Ralf acabava com os shinobis que apareciam pela sua frente. Sua técnica como soldado lhe rende uma boa briga, afinal era treinado para isso. Sua sequência de socos era rápida o suficiente para acertar vários inimigos de uma vez só. Agora que o gigante ficou fora do seu caminho seria mais fácil vencer.

Benimaru ficou em frente ao hotel sentado num banco que havia. Conversava com Athena Asamiya e Kensou que também ficaram até altas horas da noite aproveitando o melhor da noite.

– Gente que cheiro é esse? - Athena.

– Parece ser peixe fresco - Kensou.

– Peixe fresco o caramba. Olha aquilo - falou Beni ao ver Yagami chegar todo fedido a peixe. Os cabelos vermelhos ficaram completamente arrepiados e o quimono que era branco ficou encardido. Nessa altura o loiro filmava com seu celular e dava pulos de alegria.

Iori, puto da vida, chegou até a recepcionista para pedir informações sobre Mature. A moça quase provoca quando sentiu fedor. Era insuportável ficar perto dele. Então ela se afastou um pouco para tomar ar.

– Deixa de frescura e vá chamar logo a maldita da Mature aqui. Senão eu vou de quarto em quarto atrás dela.

– Senhor... ela não diz aos funcionários onde fica... mas se o senhor deixar recado...

– Eu to assim por causa daquela vadia e agora quero acertar as contas. Chame agora. Vamos sua imprestável!

– Nossa o que está acontecendo? - perguntou o capitão.

– Ah... senhor Collin por favor. Este senhor quer falar com a senhorita Mature.

– Por que quer vê-la rapaz?

– Não é da sua conta. Pode chamar?

– Primeiro, Mature é minha colega e segundo, qualquer contratempo que há neste lugar terá que ser informado a mim. Organizo o torneio e qualquer coisa que envolva os participantes está sob minha responsabilidade.

– Pois bem, que droga foi aquela? Quem são aqueles que me atacaram? E não diga que não sabe porque eu sei muito bem que foi combinado.

– Claro que Mature sabia - o ruivo ficou indignado - eu também sabia senhor Yagami.

– O quê?

– O senhor acha mesmo que só porque veio como convidado teria uma vida tranquila? Aqui sua condição é mesma da dos competidores. Faz parte do jogo saber o potencial de todos que lutarão, portanto não venha com indignações, por que isso além de desnecessário é trivial. Por favor não perturbe mais os empregados com esse cheiro.

Iori ainda queria encontrar Mature e tirar satisfações. Afinal, ela não falara de nenhum teste antes do torneio.

Terry cansou de lutar com os oponentes. Era uma batalha sem necessidade. O que ele mais queria era se divertir. Voltou à feira e roubou mais um litro de cerveja que havia sido deixada de lado pelo vendedor. Viu um shinobi se aproximar por trás de Ralf e sem pensar muito quebrou a garrafa seca na cabeça do inimigo.

– Pô Terry me ajuda aqui - falou Joe tentando se desvencilhar dos anões. Estes já estavam sobre o lutador.

– Eu disse que você ultimamente tá mais fraco que caldo de bila.

– Para de tirar sarro e vem me ajudar logo - falou quase sufocado.

O jeito era ajudar o parceiro.

Kyo era mais forte e habilidoso. Usando tais habilidades ele conseguiu vantagem sobre o líder dos espectros. Usando suas chamas atingiu o inimigo. Depois tentou acertá-lo com o fogo, mas atingiu a base que sustentava a caixa d'àgua deixando-a bastante frágil por causa da temperatura do metal.

– Nada bom - disse ao ver o que fez. Não notou quando o shinobi se jogou sobre ele o fazendo cair de uma altura de trinta metros. Kusanagi, para não morrer na queda, dispara seu fogo contra o chão amortecendo a queda.

Olhou para os lados para ver o oponente, mas não o encontrou. Sua infelicidade foi que o bandido estava sobre a torre. As coisas pioraram quando a base de sustentação da caixa foi destruída causando uma inundação atingindo casas, praça e boa parte da vila.

– Merda - Kyo correu para não ser pego pela onda que vinha. Subiu numa casa.

Ralf acabou com os capangas. Entretanto não acreditou quando viu o gigante em pé querendo lutar.

– Não posso acreditar nisso.

– Pode sim hehe - falou o grande.

A possível luta foi interrompida com a água que descia ladeira abaixo. Ralf foi pego desprevenido juntamente com o gigante e todos que estavam na feira. A confusão tomou conta.

Terry e Joe também foram pegos e arrastados até a parte litorânea.

Enquanto isso Mai e Andy ficaram com o grupo formado por Benimaru, Kensou, Athena e Yuri no jardim. Assustaram-se ao ver Ralf Jones chegar todo molhado com cara de que havia gostado do passeio.

– Que aconteceu? - indagou Andy.

– Uma noite daquelas - disse Jones sorrindo. Ao entrar a recepcionista ficou abismada.

Na sequência apareceu Terry também molhado com o Joe. O cheiro que Higashi espalhava era insuportável.

– Ai o que houve gente? - disse Mai tampando o nariz.

– Uma puta noite - disse Terry bêbado.

Benimaru foi na direção de Kyo que aparentemente não estava molhado. Perguntou o que havia acontecido com todos.

– Depois eu te conto Nikaido, to com muito sono.

– Só quero falar mais uma coisa. Iori também veio sujo. Acho que ele tava na mesma que vocês pra vir daquele jeito. Deu um maior piti na recepção, filmei tudo.

– Quem te viu quem te vê. Acho que o meu dia melhorou a partir de agora. Saber que Yagami se ferrou de vez é uma linda melodia aos meus ouvidos. Amanhã quero ver o filme. - entrou.

– Isso é salmão? - Benimaru ao sentir o cheiro.

Kyo entrou no hotel. A recepcionista quando o viu desmaiou de vez. Não aguentou sentir tanto fedor assim na vida. Kyo correu até o elevador enquanto espantava alguns funcionários por causa do cheiro.

...

O carro parou. Isaak saiu do veículo e entrou imediatamente no prédio que morava. Combinou algo com o seu segurança e subiu até a cobertura. Ao chegar no apartamento ele viu a porta aberta e os móveis revirados. Sentiu um frio na espinha, pois o seu filho poderia estar morto. Foi ao quarto de Kevin, nada. Até que o último lugar era a sua suíte.

O homem escutou vozes. Arrombou porta com tudo e viu um corpo morto sobre a cama todo ensanguentado.



Notas finais do capítulo

O bom do autor é saber parar um capítulo. A gente pode segurar um leitor aflito por dias kkkkk aguardem, acho que só no fim do mês eu postarei kkkk aiai.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "K.O.F" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.