Malfoy's sister - Em Hiatus escrita por Khaleesi


Capítulo 33
A gente manja dos paranaue dos feitiços.


Notas iniciais do capítulo

Lumus.

ALGUEM ME SOCORRE PQ O TODDYNHO CABO.



– CORRAM! - berrou Harry, quando as prateleiras começaram a balançar e mais esferas de vidro começaram a cair. Ele agarrou as minhas vestes e me puxou para frente, já que eu estava meio atordoada, ergui meu braço para proteger minha cabeça dos cacos, assim como Harry fez. Um Comensal da Morte atirou- se contra nós através da nuvem de poeira e Harry lhe deu uma cotovelada com força no rosto mascarado, todo mundo berrava, havia gritos de dor e estrondos de prateleiras desabando sobre nós, ecos estranhamente fragmentados dos Videntes libertados de duas esferas.
Eu e Harry corremos no caminho livre a frente, com Hermione sendo puxada por mim e Helo sendo puxada por Hermione, vimos Rony,Gina e Luna passarem correndo por nós, protegendo minha cabeça com o braço alguma coisa golpeou meu rosto, mas eu apenas abaixei a cabeça, como se fosse adiantar de algo, a mão de um Comensal agarrou o ombro de Harry, antes que eu pudesse fazer qualquer coisa Hermione berrou: Estupefaça! E o cara voou longe.
Estávamos no fim de alguma fileira de globos que não tive tempo de reconhecer o número, viramos a direita e começamos a correr a toda velocidade, Neville estava indo muito de vagar e Heloísa berrava apressando o menino, logo a frente, a porta que havíamos passado por último para chegar ali, estava entreaberta, cruzamos a porta praticamente voando, Harry fechou a porta e eu logo me apressei.

– Colloportus! - exclamei, ofegante, e a porta se lacrou com um estranho ruido.

– Onde...onde estão os outros? - perguntou Heloísa, mais ofegante que todos, pois enquanto corria berrava com Neville que estava indo devagar de mais.

Lembrei que Rony, Luna e Gina tinham ido mais á frente, era para eles estarem aqui, nos esperando, mas só havia nós cinco aqui.

– Eles devem ter tomado o caminho errado! - sussurou Hermione, com o terror estampado em seu rosto.

– Escute! - murmurou Neville.

Ouvia-se passos e gritos do outro lado da porta que eu tinha acabado de lacrar, se eles morressem a culpa seria minha, encostei o ouvido na porta, Harry imitou meu gesto, e ouvimos Lúcio berrar:

– Deixe,Nott, deixe-o aí: os ferimentos dele não significaram para o Lorde das Trevas diante da perda da profecia. Jugson,volte aqui, precisamos nos organizar! Vamos nos dividir em pares e fazer uma busca, e não se esqueçam, sejam gentis com o Potter até termos a profecia, podem matar os outros se precisarem, e se puderem, tragam a Alpha até mim, quero cuidar daquela peste... Belatriz, Roldofo, vocês vão pela esquerda; Crabbe, Rabastan para a direita... Jugson. Dolohov, pela porta da frente... Macnair e Avery, por aqui... Rookwood por lá...Mulciber venha comigo!

– Que faremos? - perguntei a Harry, tremendo.

– Bom, para começar, não ficaremos aqui parados esperando eles nos encontrarem. Vamos nos afastar dessa porta.

Todos nós corremos o mais silenciosamente que pudemos, em direção a saída para a sala circular ao fundo. Estávamos quase chegando quando ouvimos alguma coisa pesada colidir contra a porta que eu fechei com um feitiço.

– Afastem-se - disse uma voz rápida- Alohomora!

Quando a porta se escancarou, nós mergulhamos rapidamente em baixo das escrivaninhas. Dava para ver a barra das vestes negras dos Comensais que se aproximaram, seus pés movendo com rápidez.

– Eles podem ter corrido direto para o corredor. - falou uma voz, que parecia que a garganta se cortava enquanto a pessoa falava.

– Veja em baixo das escrivaninhas. - disse outra.

Os joelhos dos Comensais se dobraram em frente a escrivaninha que eu e Harry estávamos, o moreno meteu a varinha para fora e gritou:

– ESTUPEFAÇA!

Um jato de luz vermelha atingiu o Comensal que estava mais perto, o outro Comensal porem, saltou para o lado para evitar o feitiço, ergui minha varinha e sai de baixo da escrivaninha, o Comensal apontava a varinha para Hermione, que estava na escrivaninha do lado do mesmo com Heloísa.

– Avada...

– IMPEDIMENTA! - berrei e o comensal foi jogado para trás.

Neville com a intenção de ajudar se levantou rapidamente, derrubando uma escrivaninha, e apontou para o Comensal, porém Harry estava muito perto do mesmo, então acabou apontando para o moreno também.

– EXPELLIARMUS! - Neville berrou.

As varinhas de Harry e do Comensal saíram voando de suas mãos para a entrada da Sala da Profecia, os dois se levantaram depressa e se arremessaram atrás delas, o Comensal a frente, Harry em seus calcanhares e Neville mais atrás, visivelmente horrorizado com o que fez.

– Saia do caminho Harry! - berrou Neville, evidentemente decidido em consertar seu erro.

Harry se atirou para o lado e Neville mirou para o Comensal, e berrou:

– ESTUPEFAÇA!

O jato de luz vermelha passou por cima do ombro do Comensal da Morte e atingiu um armário de portas de vidro na parede cheio de ampulhetas de vários formatos, o armário caiu no chão e se abriu, vidros voaram para todo lado, um acertou minha bochecha, a arranhando e deixando um pouco de sangue pingar, o armário voltou a se aprumar na parede, inteiramente restaurado, e tornou a cair, e se espatifar.

O Comensal já havia agarrado sua varinha, caída no chão, Heloísa me puxou para trás de uma escrivaninha virada, onde ela e Hermione estavam agachadas quando o homem se virou, a máscara havia escorregado e impedido o homem de ver. Ele arranco a mesma com a mão livre e gritou:

– ESTUP...

– ESTUPEFAÇA! - berrou Heloísa, que se levantou especificamente para acerta-lo. O feitiço atingiu o Comensal no meio do peito, ele ficou parado como estátua, o braço ainda erguido, sua varinha caiu no chão com estrépito e ele desabou para trás, esperei o som da batida e do vidro, mas, em vez disso, sua cabeça afundou para dentro do vidro como se fosse apenas bolha de sabão, e ele acabou parando, esparramado de costas sobre a mesa, com a cabeça dentro do vidro cheio de vento cintilante.

– Accio varinha! - ordenou Heloísa. A varinha de Harry voou de um canto escuro para a mão da mesma, e ela entregou para o moreno.

– Obrigado. - Me levantei com Hermione e chegamos perto de onde eles estavam.- certo vamos dar o fora... - começou Harry.

– Cuidado! - Neville o interrompeu horrorizado. Olhava fixamente para a cabeça do Comensal da Morte no vidro.

Nós cinco empunhamos a varinha, mas ninguém a usou, olhávamos aquilo horrorizados, para o que estava acontecendo com a cabeça do cara.
Estava encolhendo rapidamente, ficando cada vez mais pelada, os cabelos e a barba raspando entrando para dentro da cabeça e rosto, as bochechas ficando lisas, a cabeça redonda recobrindo-se de uma penugem como pêssego.
Ali havia agora uma cabeça de bebe grudada macabramente com o corpo grande e forte do comensal da morte, que se esforçava para se levantar, mas enquanto olhávamos, de boca aberta, a cabeça começou a ficar normal de novo...acho que estou entendendo o que está acontecendo.

– É o Tempo. - disse Hermione com assombro.

– O Tempo...- repeti assombrada.

O Comensal da Morte sacudiu a cabeça feia mais uma vez, tentando clarea-la, mas, antes que pudesse se recuperar, ela recomeçou a encolher e remoçar mais uma vez...
Ouvimos então, um grito de uma sala próxima, um estrondo e um berro.

– RONY? - berrou Harry, dando costas, assim como nós, ao cara com caneça de bebe. - LUNA, GINA?

– Harry!- gritou Hermione.

O Comensal da Morte puxara a cabeça de dentro do vidro. Sua aparência era macabra, a cabeça de bebe berrando e os braços grandes balançando perigosamente, por pouco não me acertando, pois eu abaixei a cabeça a tempo. Ergui minha varinha mas, Hermione segurou meu pulso.

– Alpha! Você não pode machucar um bebê!

Não dava tempo para discutir isso, bufei, ouvimos passos mais fortes vindo da sala da Profecia e eu percebo, que era tarde e mais para correr, e que. Harry não podia ter gritado, pois denunciou onde estávamos.

– Vamos! - Harry berrou.

Deixamos o Comensal-bebe para trás e corremos para a porta que estava aberta no outro lado da sala, que nos levaria de volta a uma sala escura por qual já passamos. Tínhamos passado metade do caminho quando vimos pela porta aberta do outro lado da sala mais dois Comensais correndo em nossa direção, viramos a esquerda e praticamente voamos para dentro de um pequeno escritório escuro e cheio de móveis, e Harry bateu a porta.

– Collo...- comecei, mas antes que terminasse a porta se escancarou e os dois Comensais da Morte saltaram para dentro.

Aproveitando nossa surpresa eles berraram, triunfosos ( N/a: essa palavra existe Atena? Atena: Não, agora continua que os deuses e o mundo querem saber o que acontece. N/a: me sinto diva.)

– IMPEDIMENTA!

Nós cinco fomos derrubados de costas, Neville foi atirado por cima de uma escrivaninha e sumiu de vista, eu e Hermione, como estávamos muito perto uma da outra, fomos jogadas contra uma estante, e fomos soterradas por uma avalanche de vidros, pude ver Harry bater a cabeça na parede fria, e Heloísa ser jogada completamente contra a parede no fundo da sala, depois caindo no chão.

– PEGAMOS ELE! - berrou um Comensal- EM UM ESCRITÓRIO DO LADO...

– Silencio! - exclamou Hermione, e a voz do homem sumiu, ele continuou a falar, mas nada saia. Seu companheiro o empurrou para o lado.

– Petrifius Totalus! - exclamou Harry, esse ai aprendeu com a melhor!

– Muito bom Ha...- comecei.

Mas o Comensal que Mione silenciou fez algum gesto com a varinha cortando meu peito em luzinhas roxas e vermelhas, soltei uma exclamação de dor e surpresa e cai no chão gelado, não vendo mais nada, a ultima coisa que ouvi foi alguém berrar o meu nome.



Notas finais do capítulo

SNIAJHDAISUBDASIDASUBDASBDUBJSBD I'M BAD!


Nox.