My Beloved Prince escrita por GabVamp


Capítulo 25
Irritações Cotidianas.


Notas iniciais do capítulo

Quando o coração é imaturo, muitas vezes é dominado por seus próprios sentimentos. Frustrando-se por não conseguir se controlar e agir de forma, que considera vergonhosa.




"Não aguenta e acaba liberando a grande angustia em seu coração. Com seu rosto no peito de Rikku, acaba por chorar o mais alto que pode."

Lia acorda pela manhã. Deitada em sua cama, abre os olhos lentamente. Sua mente está uma confusão. Lembra aos poucos os acontecimentos de ontem... Vendo sua mãe. Abraçando Rikku desesperadamente... Chegando em casa e enfim podendo se deitar.

Nem parece que ela dormiu, pois ainda se sente cansada, tanto fisicamente, quanto mentalmente.

“Não acredito que minha mãe me viu... Será que ela queria me impedir de voltar? Eu fiquei com tanto medo...” pensa enquanto se revira e olha para o despertador.

Coloca os braços em cima do rosto. “Eu abracei o Ri-chan... Ele ficou abraçado comigo por um bom tempo, e ainda... Quando nos sentamos, eu deitei no ombro dele... E dormi. Que vergonha! Mas... O calor dele me acalmou de um jeito...”

Ela se vira para o lado agarrando um travesseiro e o apertando com força.

“Ele cuidou de mim novamente... Eu queria tanto poder ficar assim todos os dias... Abraçada com ele. Ganhando esse carinho e essa atenção... Podendo me aquecer em seu calor e sentir seu doce cheiro de maçã... Que droga!”

Está bem cedo, muito mais cedo do que o normal. Como não consegue sossegar, resolve se levantar e ir logo para a escola. Termina de se arrumar e sai.

No caminho fica pensando, pensando, pensando em tantas coisas.

“Preciso colocar minha mente em ordem. Tenho que agir normalmente para eles não se preocuparem. Tenho que me focar no Lain-sama, no Lain-sama! Não posso deixar meu coração tomar o controle de mim...”

Chegando à escola, Lia tem a sensação de que não a vê por décadas. Mesmo fazendo pouco tempo que ela estuda ali.

“É hoje que começo a limpar os banheiros... Arg!”

Como saiu sem comer, para na cantina para comprar algo. Sorte ter pouca gente na fila.

— Eu quero um sanduíche de queijo, por favor! — Pede à atendente.

— Queijo logo pela manhã? Não é meio pesado para você, que é tão delicada?

Lia é surpreendida com Lain-sama aparecendo do seu lado e se apoiando no balcão da cantina.

— E-eu gosto de queijo... — Responde com um sorriso sem graça, tentando disfarçar a timidez.

— Então irei te acompanhar nessa. — Da um sorriso. — Me vê o mesmo lanche que o da senhorita aqui, por favor. — Fala à mulher da cantina, essa que sorri.

“L-Lain-sama vai comer comigo?”

— Não te vi nos últimos dias por aqui, estava doente? — Ele pergunta galanteador enquanto esperam os lanches.

Lia fica um pouco desconfortável ao responder. — N-na verdade não... — Da um sorrisinho sem graça. — Eu estava suspensa...

— Oh! — Fica surpreso. — Não me diga que o Rikku-chan também? Ele também não esteve por aqui nos últimos dias.

A moça da cantina, enfim entrega os sanduíches.

— Sim... Nos envolvemos em uma briga com a Yumi... — Responde sem graça enquanto pega seu lanche.

Lain também pega o seu, já o abrindo. — Yumi sempre cria problemas para o Rikku-chan. Eles dois já brigaram várias vezes e... — morde o lanche — nossa! Esse lanche é muito bom!

Lia sorri contente. “Kyaaa! Lain-sama está comendo a mesma coisa que eu, e ainda gostou!”

— Não é? Eu sempre comia na minha outra escola. — Informa alegre.

— Eu confesso que nunca havia comigo. — Diz coçando a cabeça com as bochechas vermelhas.

— Jura? — Lia indaga surpresa.

Lain fica sem graça. — S-sim... É porque minha família não tem costume de comer coisas de lanchonetes assim. E eu também preciso manter uma dieta para ficar em forma por conta dos jogos. — Sorri. — Mas não faz mal experimentar coisas novas de vez em quando.

Os dois continuam comendo e sorrindo.

É a primeira vez que Lia tem a oportunidade de conversar com Lain-sama de forma tão descontraída.

— Achei você.

Lia se surpreende um pouco ao notar Rikku.

— Rikku-chan! Que bom vê-lo. — Lain abre um sorriso ao falar com Rikku.

Rikku fica corado. — Eu também fico feliz em vê-lo.

Lia sente uma pontadinha em seu estomago.

— Você está muito bonito hoje. Está mais corado, parece até que pegou sol. Seu cabelo também está bem brilhoso. — Lain repara muito em Rikku. — Foi para a praia?

— Podemos dizer que foi algo mais ou menos assim. — Responde sorrindo, tímido.

Lia mesmo não querendo, acaba ficando incomodada com essa situação. Seu coração não consegue deixar de ficar inquieto. Ela sente uma certa irritação a dominando.

“Ri-chan, seu idiota! Todo bobo com os elogios do Lain-sama...”

— Eu estou indo. — Joga o papel do lanche no lixo e começa a andar irritada na direção dos corredores. — Até mais.

Antes que se afastasse muito, seu braço é segurado com firmeza, fazendo a mesma cambalear.

— Espere! — Rikku a olha sério.

Lia abaixa o olhar.

— Eu estava te procurando. Temos que arrumar as coisas para limparmos os banheiros durante o dia. — Informa ainda a segurando.

— Hum... Não se preocupe com isso... Eu arrumo sozinha. — O olha tentando forçar um sorriso. — Você pode continuar lá, falando com o Lain-sama. — Puxa seu braço com força e sai batendo o pé em direção aos armários dos faxineiros que fica em baixo da grande escada principal.

Quando chega, para irritada de frente para os armários.

— Pode ficar lá de gracinhas com seu amado Lain-sama. — Diz baixinho, com raiva, para ela mesma.

— Você é uma caipira burra né? — Lia toma um baita susto quando Rikku a responde. Ele está parado, apoiado na parede, de braços cruzados.

Ela o olha totalmente corada e sem jeito.

— Não precisa ficar com raiva. — Diz se aproximando de Lia. —Eu já disse que vamos jogar limpo. — Termina a olhando nos olhos.

— E-eu não estou com raiva. — Desvia o olhar, irritada.

— Hum... Sei... Eu que deveria estar irritado. Você estava lá, toda sorridente e de gracinhas, lanchando com o Lain. — Empina o nariz, abrindo o armário.

— Eu não estava de gracinhas! — Responde furiosa.

Ele a olha de canto de olho e sorri.

— Não ria! Idiota... — Fala irritada e um pouco tímida enquanto, também, abre um dos armários.

— Você fez o Lain comer aquele sanduíche gorduroso. Se ele passar mal hoje, a culpa é sua. — Fala de forma provocadora, separando uns produtos de dentro do armário.

— Ele comeu porque quis. — Responde seca.

— Hummm...

— Pelo jeito o Lain-sama reparou bem em você, né? — Lia pergunta de forma ríspida.

— Você acha? — Da um risinho. — Ehhh! Então é por isso que você está nervosinha? — A indaga sorridente.

“Rikku idiota!”

— Eu não estou nervosa. — Começa a mexer nas coisas do armário de forma mais violenta.

— Lain está tão lindo hoje né? O jeito como ele arrumou os cabelos, ficou tão perfeito! — Comenta olhando para cima, maravilhado. —Eu estava com saudades de ver aquele sorriso tão encantador!

— Sim. Ele realmente está muito lindo. O cara mais lindo do mundo. — Termina de mexer no armário, e o fecha ferozmente.

“Você é um imbecil! Você é muito mais lindo que o Lain-sama, idiota...”

Rikku a olha de forma negativa.

— Você muda de opinião rápido não é? — Pergunta ironicamente.

— O que quer dizer com isso? — O olha de forma defensiva.

— Antes você disse que eu era o mais lindo. O cara mais lindo que você já tinha visto. Na sua cidade você disse que ninguém ganhava de mim e agora... — Vira o rosto irritado. — E agora o Lain é o cara mais lindo do mundo...

“Seu idiota! Que raiva! Que vontade de te bater!”

— Você não o acha lindo? Não o acha a pessoa mais linda do mundo? Com o sorriso mais encantador? Por que eu também não posso achar? — O olha enfadada.

— Eu nunca disse que ele tem o sorriso mais encantador, nem que ele é o mais lindo do mundo, até porque, a pessoa que é tudo isso na minha opinião é... — Antes de terminar a frase, se vira para o lado na cor de um tomate maduro. — Bom... Isso não importa!

“Imbecil. Rikku imbecil.”

— Estou indo para a sala. O sinal já vai tocar. — Sai batendo o pé fortemente.

“Arg! Que raiva! Como você consegue ser tão irritante? Idiota.”

Lia fica mordida, se sentindo super irritada. Tão irritada que tem vontade de mandá-lo ir “catar coquinhos”.

Contudo o dia segue até tranquilo. Com eles limpando os banheiros umas três vezes no dia.

Durante as aulas eles ficam sem se falar, mas no intervalo conversam normalmente. Brenda os ajuda a ensaiar uma ultima vez. Acabam voltando a se falar, mesmo ainda os dois estando um pouco irritados um com o outro.

Lia passa o resto da tarde ansiosa com a apresentação de amanhã.

E enfim, o dia termina até “tranquilo”.



Notas finais do capítulo

Obrigada por ler mais esse capítulo!
Achei divertido escreve-lo, eu sempre acho divertido cenas de briguinhas entre Lia e Rikku, ainda mais quando é por conta do Lain xD
Mas vimos nesse capítulo uma Lia bem ciumenta. Ela tentou se controlar, porém não deu muito certo. Quais serão os planos da nossa protagonista para o futuro?

Próximo capítulo, enfim, a peça. Foi um pouco difícil escreve-lo, entretanto gostei do resultado. Tive que pensar muito. Na verdade, os próximos capítulos estarão mostrando mais coisas, como eu posso dizer...? Erm... Certas coisas estarão acontecendo, coisas essas que farão a história avançar mais uma fase! Coisas muito importantes para a história, e até certos "climinhas"... Tá bom, paro por aqui, porque quero ver você lendo semana que vem. Hehehe.

Então não perca heim! ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Beloved Prince" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.