Pedaço De Pano escrita por EscritorB


Capítulo 9
De novo não!


Notas iniciais do capítulo

Praticamente depois de um ano volto a escrever essa história, que gosto tanto! Espero que gostem, abraços!



As portas da casa e o chão da casa tremeram durante aquele momento que me pareceu eterno. O breu da névoa tampava tudo, enquanto eu escutava a voz de Paula chamando a sua mãe, as janelas abriam e fechavam consecutivamente. Corri para a cozinha andando encostada na parede, sobre o balcão da casa de Paula achei um faqueiro, ainda tinha uma faca, o que sinceramente era o bastante para mim.

–Paula! Onde está você?! – gritou uma voz no fim do corredor.

–Mãe! Mamãe! – Paula gritava da sala.

Fui andando para fora da cozinha, novamente segurando a parede e empunhando a faca na outra mão. Pude escutar Paula correndo em direção ao corredor, por um segundo consegui segurar o braço dela, mas logo se libertou das minhas mãos me fazendo cambalear para o outro lado da sala, Não! Eu falei para mim mesma, enquanto via os pés de Paula em meio a fumaça. Continuei andando até o corredor, atenciosa e preocupada.

Preciso continuar! –pensava, enquanto minhas mãos vacilavam com a faca na mão deixando ela cair. –NÃO! NÃO!- Me abaixei para pegar a faca sem saber se conseguiria ficar de pé novamente. No final acabei achando a faca perto da mesa lateral do corredor, e enquanto me levantava ergui a faca na altura do meu peito, ela era bem afiada sobe a luz da lua que saia pela greta de uma ventilação de ar que refletia em meu rosto, mas tinha outra coisa iluminada pelo reflexo da faca, me ajoelhei espantada e incrédula! Era a mãe de Paula desacordada! Entrei em desespero por alguns segundos enquanto empunhava a faca na mão e tentava não deixá-la cair.

–Paula! – corria desesperadamente pelo corredor, mas meus pés não estavam concordando com isso- Paula cuidado! Não é a sua mã.. O rosto da criatura voltou-se para mim, os olhos cinzas, a pele clara igual a neve, aquele corpo erguia Paula pelo pescoço, que estava paralisada me fitando com olhos de horror.

–Solta ela!- Gritei com a voz abafada

De repente um barulho vindo de algum lugar sucumbia minha mente. Os ruídos ficavam cada mês mais forte, até que algo se tornou audível, algo que me fez não levantar a faca em direção à criatura .

Você- dizia a coisa dentro da minha mente. - Me dê ela agora! Ou eu mato essa daqui, e te garanto que não vai ser nada agradável. Olhei para Paula, as mãos da criatura faziam pressão sobre o pescoço.

–Ela o que?- respondi- Não sei do que está falando.

–Não se faça de sonsa! – gritou- Você sabe o que eu quero.. algo que está te assustando, se você me der vai ficar livre desse pesadelo.

A proposta era tentadora, mas ainda tem muita coisa para eu descobrir sobre aquela boneca- pensei. Mas a criatura não iria embora sem respostas.

–Você vai me dar ou não? – perguntou, mas me mantive em silêncio.

–Se é assim. – O homem ergueu mais o braço levantando Paula, mas em suas mãos, algo novo apareceu: garras. A mão apertou cada vez mais o pescoço dela, e mais e mais.. os olhos de Paula vidrados em mim, pareciam que iam saltar de suas orbitas.

–Não! Espera! E-u.. eu te dou a boneca, mas eu não estou com ela agora. Eu te dou depois! Eu juro!- os olhos dele brilharam.

–Muito bem. - ele parou para pensar- Na próxima lua cheia você precisa me entregar, ou ela morre. - Ele olhava para o céu através da janela como se estivesse contando os segundos, enquanto largou Paula, e ela caiu.

Corri até ela- Paula! Você... - de repente algo bateu com extrema força em minha cabeça, e minha visão foi escurecendo enquanto caia de lado, e acabei apagando.



Notas finais do capítulo

Boa leitura! Se gostar deixa um comentário.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Pedaço De Pano" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.