The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 2
Welcome To The Hell Again


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura




Ah, doce primeiro dia de aula...

Acordei intoxicada pelo cheiro de perfume barato do meu padrasto vindo do outro quarto, vi meus pulsos, não tinham sangrado muito depois que adormeci, fui no banheiro, fiz minha higiene matinal e me vesti: blusa preta de manga comprida para cobrir os cortes, é claro, calça jeans escura, all star preto, pulseiras de spike para ajudar a cobrir os cortes. Maquiagem? Apenas lápis de olho. Se eu me visto sempre assim? Sim, incluindo no verão, ninguém pode saber que eu me corto, essa é a melhor maneira.

Peguei minha mochila, deci correndo para a cozinha, meu padrasto, minha mãe e meu meio-irmão estavam lá, nem iria falar com eles, mas, minha mãe me interrompeu:

– Bom dia pra você também, Alicia, não vai comer nada?

– Não, estou sem fome.

– Quer que eu te leve para a escola?

– Não, acho que não desaprendi a andar ainda.

Se esse é sempre o meu humor? Com a minha mãe desde que ela se casou com aquele cara sim, apenas trato-a do jeito qeu ela me trata.

Sai correndo de casa, sem esperar pela bronca que minha mãe iria me dar.

Cheguei na escola, a mesma coisa de sempre, as putas lideres de torcida dando em cima dos jogadores, e o resto do mundo infeliz, eu? apenas no meu canto ouvindo música, pena que aquelas vadias não perdem a oportunidade de me encomodar, derrubando meus livros e dizendo:

– Hmm, olha quem voltou, a estranha quatro-olhos, foi expulsa do zoológico?

Eu poderia revidar, mas, da ultima vez que briguei com alguém, quase fui expulsa, e digamos que a vaca que me irritou foi para a clinica veterinária... desde então, simplesmente ignoro, recoli meus livros e fui para um canto.

A primeira aula era vaga, mesmo assim, prefiro ficar aqui, sozinha, escondida na minha paz, ouvindo musica, compondo, escrevendo e lendo do que aturar minha mãe, o cara com quem ela se casou e meu irmão, e fui isso que eu fiz.

Eu sou bem observadora, gosto de observar como essa sociedade hipócrita e idiota funciona, e põe idiota nisso.

A primeira aula é de educação física, sempre fui boa em esportes, mas, a minha droga de escola sempre dá um jeito de estragar tudo: eles inventaram de colocar uniformes para as garotas, que se resume em: um micro short colado ao corpo e um top com o simbulo do colégio, as outras garotas, ou seja, as vadias, adoraram, já eu, me recusei a vestir, fiquei simplesmente sentada nas arquibancadas esperando elas sairem para jogarmos, mas, o professor queria de qualquer forma que eu me vestisse:

– Alicia, vá colocar o seu uniforme...

– Não visto isso por nada nesse mundo.

– Porque?

- Não posso te contar.

- Porque?

- Porque... - Porque se eu te contar, você vai descobrir que eu me corto, vai me achar mais estranha ainda, vai ligar para a minha mãe, que vai pensar que eu estou drogada, vai me internar em uma clinica psiquiatrica e achar que eu to maluca de vez - pensei

Nesse momento uma daquelas vacas chegou e disse apenas para me provocaar:

– Professor, deixe a Alicia em paz, a baleia aí não quer vestir o uniforme para não mostrar seu lindo corpo com gordura em exesso.

Vocês devem estar se perguntando, se eu ERA gordinha, porque ela disse isso? Simplesmente para me provocar, ela não esquece, não perdoa nada, mas, eu tenho certeza que tenho um corpo mais bonito do que o de qualquer uma daquelas vacas, tenho seios fartos, uma cintura cheia de curvas, uma barriga chapada, pernas e braços firmes, pele branca, cabelos negros repicados até abaixo dos ombros e olhos verdes herdados do meu pai. Porque ninguém nota isso? simplesmente porque não me visto como uma prostituta, como elas.

Serrei os dentes, queria mesmo é matar aquela vaca, mas, me controlei. O professor tentando me consolar disse, depois que a vaca da Ashleu foi embora:

– Alicia, é simplesmente por isso que não quer usar o uniforme? Por causa do que a Ashley e as outras garotas vão pensar? Você sabe que é tudo mentira, tem um corpo lindo...

– Não é isso, professor Fox, é que...

– Que...

– Deixa pra lá, posso ao menos ficar com a minha blusa?

– Pode, mas, tire os braceletes, se não vai furar a bola... - risos -

– Ok, obrigada, vou me trocar.

Fui ao vestiário, coloquei o micro short, e tirei os braceletes, pelo menos pude ficar com a minha blusa, que escondeu os cortes.

Jogamos volei aquele dia, o time em que eu estava venceu.



Notas finais do capítulo

Reviews?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.