The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 3
Keep The Cutting In Secret


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura!




Correu tudo bem nas outras aulas, com tudo bem eu quero dizer: ainda estou viva.

Professores chatos, provocações chatas, apenas isso tudo, agora estou voltando pra casa, totalmente entediada, provavelmente meu irmão vai estar lá, pra me perturbar, que legal, e o fato dos cortes estarem doendo muito por causa das boladas do volei só piora as coisas.

Ah, lar, maldito lar, entrei em casa.

Meu meio-irmão estava brincando de carrinho no meio da sala, bagunçando tudo, se fosse eu fazendo algo muito mais importante como ler, estudar, escrever ou sei lá, algo muito mais sério tipo descobrir a cura para a o HIV minha mãe já teria me matado e me deixado de castigo por 200 anos, mas, como é o protegidinho, ela não diz nadam, e ele ainda apronta: colocou um dos carrinhos na minha frente só pra me derrubar, acabei estragando o brinquedo idiota dele, bem feito... Minha mãe? Me colocou de castigo:

- Alicia, para de estragar as coisas do seu irmão! Vai já pro quarto, garota!

Bufei, mas, fui, se não fosse as coisas só iriam piorar, pelo menos havia alguém, ou melhor, alguma coisa me esperando lá dentro: minha lâmina.

Entrei correndo no quarto e me tranquei lá dentro, fui logo pegar minha lâmina, é claro que eu sei que me cortar não é a melhor saída, mas, ajuda, e muito!

Peguei a lâmina, fui para o banheiro, empurrei as mangas da blusa para cima, olhei fixamente as marcas de cortes que eu já tinha feito e comecei...não fiz novos cortes, apenas aprofundei os de antes, e logo depois coloquei os pulsos em baixo d'água, era uma ótima sensação, pelo menos, para mim.... segundos depois de ter enfaixado os braços, minha mãe bateu na porta, e logo em seguida entrou eu pensei "foi por pouco" e realmente havia cido, se ela me pegasse me cortando, Deus sabe lá o que faria, mas, prosseguindo, quando entrou ela disse:

- Alicia, eu posso falar com você?

- Hm, fala...

- Depois de amanhã alguns amigos de trabalho do seu pai vão vir aqui e... - eu a interrompi, pai? hahahaha -

- Pai? E desde quando aquele sujeito com quem você se casou é  meu pai? Ele é a apenas pai daquela peste de irmão, nçai refira-se a ele como meu pai...

- Ok, desculpe, depois de amanhã alguns amigos de trabalho do seu padrasto vão vir aqui, e, você poderia por favor se comportar?

- Comportar? Hm, acho que não...

- Alicia, por favor, não precisa falar nada, simplesmente não ignore o Jhon - que é o meu padrasto otário - e responda a todos com educação, ok?

- Está bem, eu tento fazer isso...satisfeita?

- Sim, mas, tem mais uma coisa...você vai ter que usar um vestido, ok? Amanhã eu te levo no shopping depois da escola.

- Mas, mãe, eu tenho vestido, aquele preto, de mangas compridas, com renda, lembra?

- Filha, você precisa ser mais feminina! Amanhã depois da aula iremos comprar um vestido, sem mangas e que não seja preto, ponto final.

Minha mãe saiu do quarto, e eu fiquei paralisada, como eu iria usar um vestido sem mangas? Eles veriam os cortes... isso sim é um problema, um problema não: um desastre, o apocalipse!

Entrei em estado de choque, comecei a andar de um lado para o outro, o que eu vou fazer? Não posso mostrar os braços...Suicidio? - pensei - Não, não sou tão louca a esse ponto, ou será que sou?....Bom, me cortar já é um começo...Não, Ali, não comece a pensar nisso, Alicia!

Dormi pensando nisso, era realmente um problema, um ENORME problema? O que iria fazer?

Acordei super cedo, saí de casa até mesmo antes da minha mãe acordar, tinha que fazer alguma coisa... e não conseguiria pensar em algo com o chato do meu padrasto me olhando como se eu fosse uma completa estranha, aliás, para ele eu sou uma completa estranha.

Cheguei na escola, mais um dia de educação física, nessa droga levam essa matéria bem a sério, temos educação física três vezes por semana, até que é bem legal.

Ao entrar no ginásio, logo o professor Fox veio falar comigo:

- Alicia, temos que conversar...

- Já ouvi essa frase antes...diga, professor.

- Bom, eu conversei com a direção ontem sobre o uniforme, eu também acho meio inadequado, porém, eles disseram que todos terão que usar o uniforme completo de educação física, incluindo você, então, sinto em lhe dizer, mas, não poderá ficar com sua blusa na aula...

DROGA, DROGA, DROGA, DROGA! Estava tudo começando a dar errado, mas, eu não iria deixar toda a escola saber que eu me auto-mutilo, vou?  É claro que não, nunca, já mais!

- Hmm, tem uma menina sobrando, não tem?

- Sim, mas, porque?

- Coloque ela no meu lugar, eu não jogo com esse uniforme.

Saí e fui até a ultima arquibancada, o professor não entendeu nada, mas, me deixou não jogar por essa aula.

Metade da aula havia passado, eu estava mais concentrada na noite de amanhã do que na música que eu estava ouvindo, era quase impossivel eu escapar, o que iria fazer? Minha aflição era tanta que eu nem percebi o professor se aproximando e sentando perto de mim:

- Oi, Alicia...

- Ahh, oi, que susto!

- Hmm, estava muito concentrada na música?

- Concentrada sim, mas, não era exatamente na música...

- Hm, o que foi? Pode me contar, sou o seu professor...Porque não quer mais jogar? Apenas por causa do uniforme? Você é a nossa melhor jogadora...O que tem de mais naquele uniforme?

- Não é isso, não tem nada, é que eu... desculpe, não posso te contar.

- Mas, é claro que pode, confie em mim. - ele repousou a mão sobre o meu pulso, o que me fez reclamar por causa da dor dos cortes -

- Ai!

- O que foi? Eu te machuquei? Mas, eu só... - ele empurrou as mangas da minha camisa, e viu, ele viu as marcas, os cortes, as cicatrizes...o que me fez arregalar os olhos: Ele tinha descoberto o meu maior secredo - Alicia você se...

- Shhhh! Eu não quero que ninguém saiba - puxei a manga de volta - Você não vai contar a ninguém, vai ?

- Não, é claro que não...Mas, porque você faz isso?

- Tenho meus motivos...

- Sério, pode me contar.. - ele tirou meu cabelo do rosto, o que me fez enxergar aqueles lindos olhos azuis, tão claros quanto os meus, só que, os meus são verdes -

- Acho que aqui não é o melhor lugar para isso...

- É, você está certa, então, no recreio, na sala dos equipamentos, ok?

- Ok.

As horas passaram voando, logo estava na hora do recreio, eu não sabia ao certo se deveria confiar no professor Fox, mas, ele já tinha visto os cortes, não é? Talvez ele pudesse me ajudar.

Fui para a sala de equipamentos, chegamos praticamente juntos, e o professor Fox disse:

- Então, porque você se corta?

- Vários motivos...quando você começou a dar aulas aqui, eu já estudava nesse inferno a quatro anos,  comecei a me mutilar com dez anos... alguma parte dos motivos é por causa do que aquelas garotas idiotas fazem, outra é porque minha mãe se casou de novo, e mudou totalmente...O cara me odeia e agora minha mãe só tem olhos pro meu meio-irmão, outra parte é por causa do meu pai...são motivos infinitos...

- Hm, nossa...eu posso te ajudar de alguma forma?

- Bom, tem uma forma sim...

- Pode falar...

- Bom, amanhã, alguns amigos de trabalho do cara que se casou com minha mãe irão jantar lá em casa, até aí tudo bem, mas, tem um problema, minha mãe quer que eu use vestido, o que eu já odeio, mas, SEM MANGAS, eu não posso mostrar os cortes...ela só vai ter ainda mais certza que eu sou louca.

- Use as pulseiras, você não as usa também por causa disso?

- Sim, mas, pulseiras convencionais não escondem os cortes, uso essas de couro e spike porque gosto, mas, elas são as únicas que estancam e escondem o corte, e acho que se depender da minha mãe o vestido seria cor-de-rosa e cheio de glitter, e uma pessoa vestida como a cópia da barbie usando pulseira de spikes não vai ficar nada normal não acha?

- Bom, isso é verdade...mas, eu tenho uma idéia...

- Qual?

- Diz para sua mãe que você teve um imprevisto e vai ter que ficar até tarde na escola, fazendo um trabalho...

- Ótimo, mas, e se ela perguntar para algum professor?

- Diz que o trabalho é de educação física, eu te apoio com a mentirinha...Bom, mais algo que eu possa fazer?

- Sim...Isso.

Estava hipnotizada por aqueles olhos azuis, não suportava mais ficar longe dele...eu o puxei, para um beijo, intenso, demorado e caloroso.



Notas finais do capítulo

Review?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.