Decode escrita por Nina Webster


Capítulo 4
4º Capítulo: Primeiras demissões


Notas iniciais do capítulo

desculpem pela demora, estava num writer's block. :S



Um mês, o hospital parecia que iria abaixo a qualquer segundo.
- A Sra. House ainda não voltou... This is bad. Acho que não vai dar certo Eric. – falou 13 sentando-se na mesa com uma xícara de café à sua frente.
- Você esperava o quê? Que o cara fosse desistir em uma semana? Ele quer provar que é grande, forte... Ele se acha o alfa male. – Taub.
- E nós basicamente estamos querendo provar que esta matilha estava mais que satisfeita com o alfa male que tinha. – Foreman roubando o café de Remy.
Ouviu-se um alarme, característico de treinamento de incêndio, mas não tinha nenhum agendado para aquele dia. Alarme de Incêndio!
- Você acha que...? – 13 tinha os olhos arregalados e olhava diretamente pra Foreman.
Algumas enfermeiras passam correndo, alguns pacientes saíram de seus leitos e foram para os corredores.
- Merda. – Foreman levanta correndo pra ver o que estava acontecendo. Pegou uma enfermeira que passava por ele correndo pelo braço e perguntou. – Aonde é o fogo? – essa começa a rir.
- Não contaram pra vocês? Então, chegamos à fase física do plano, já que o caos psicológico não tá adiantando nada. Mas... Finja que tá tudo pegando fogo. – soltou-se dele e saiu correndo como quem tá desesperado.
Foreman pegou o braço da 13, olhou para ela e Taub e explicou:
- Não é nada sério, faz parte do plano do Mickey Olhos Azuis, mas vamos brincar que está pegando fogo no hospital.
- Eu adoro folgas inesperadas. – falou Taub antes de sair correndo enlouquecido.
13 riu e logo fechou a cara, correu de braços dados com Foreman.
- Vamos jantar em casa hoje?

House estava no saguão ao lado de um mendigo já de idade avançada que tinha uma placa na mão onde se podia ler os dizeres “O fim está próximo”. House berrava.
- Irmãos vocês não podem ver que tudo isso é obra do DEMÔNIO? Isso mesmo, vocês estão cegados pelo poder do demônio careca de nome ABRAHAM! Ele está apenas esperando a hora certa para comer o fígado de vocês e...
- House ele está descendo as escadas, está no terceiro andar. – falou Cameron ao passar por House.
- Por que eu te demiti mesmo?
- Eu me demiti.
- Verdade... – pegou um pedaço de papelão e escreveu “Tudo que ele disser”, pôs ao lado do mendigo e saiu em direção à saída.
- HOUSE! – todos pararam. Era Cuddy. – O que está acontecendo? O incêndio é em qual ala?
- O alarme foi disparado na pediatria. – explicou Chase ao aproximar-se.
- Pediatria? Já evacuaram? Alguma criança ferida?
- QUEM FOI O COMEDIANTE? – silêncio. Pelas escadas desce Abraham.
Cameron engasgou com a própria saliva tentando conter o riso, Chase olhava para o teto, pôs a mão na boca, Taub disse:
- Sempre achei que ele precisava de um banho. – Foreman o acotovelou sem a levantar a cabeça.
Abraham Capelli estava encharcado, a roupa colada ao corpo dava a impressão de sua enorme barriga de cerveja ser ainda maior, algumas gotas d’água pingavam da ponta do seu enorme nariz e as bochechas encontravam-se vermelhas de puro ódio.
- VAMOS! ME RESPONDAM! ESTIVE NA PEDIATRIA E NEM AO MENOS UMA FAÍSCA EU VI!
House levantou uma das mãos:
- Antes que você me culpe grandpa... Eu estive na clínica desde que cheguei. – e sorriu.
Abraham começou a olhar todos que estavam no saguão.
- Todos de volta ao trabalho, chamem os faxineiros para limpar a bagunça e Sanders... No meu escritório. – foi indo em direção ao seu escritório seguido por uma médica ruiva de estatura média, um pouco acima do peso.
A multidão começou a se dissipar, Cuddy segurou o braço de House e disse:
- Eu pedi pra você infernizar a vida dele, espero que esse incidente tenha sido completamente sem ligação ALGUMA com o meu pedido. Por que eu posso acabar sendo demitida House, e você também.
- House... – chamou a enfermeira Brenda fazendo um sinal com a cabeça para que ele a seguisse.
- Não sei do que você está falando Cuddlecakes, até colega de parquinho das enfermeiras eu virei... Apesar de ainda não saber o que elas fazem aqui. – e seguiu Brenda.
Ele foi andando até que parassem num dos corredores laterais que dão pra cafeteria.
- Se você tentar me violentar eu tenho uma bengala e não tenho medo de usá-la, duas na verdade. – e piscou.
- House, isso é sério. Tudo indica que o anti-Cristo irá começar a demitir hoje! HOJE! E existe uma ENORME possibilidade da Emily ser uma das primeiras demissões...
- E essa tal de Emily ser demitida me preocupa por que...
- Emily Sanders, chefe da Pediatria, uma das nossas maiores aliadas.
- Oh... Continuo não entendendo no que isso me afeta, mas finja que estou preocupado – e saiu andando.
- O Wilson... A Sanders trabalha diretamente com o Wilson. Assim que perceberem nossas intenções, se já não perceberam, a Cuddy será imediatamente demitida, mas acho que o Wilson roda antes.

Cuddy bateu três vezes na porta da sala do chefe da Oncologia.
- Wilson, é... – parou por alguns segundos para observar a sala cheia de caixas. – O que aconteceu?
- Nada demais, só acho que serei demitido. – falou com naturalidade.
- Você está brincando comigo! Foi você que deu o falso alarme?
- Não. O que eu fiz, você verá mais tarde, estou poupando serviço.
- Isso tudo só pode ter alguma coisa com o House. Pode começar a abrir a boca.
- Com quem? – Cuddy cruzou os braços, poor Jimmy boy, não sabe mentir. – Com o House? Pff, Cuddy! Por favor, né?
- Não seria a primeira vez que alguém se ferra às custas dele...
- Lisa... – passou a mão pelo cabelo e fez uma cara séria. – Eu... Não te devo mais satisfações, você não é mais minha chefe. – falou num fôlego só pra não desistir de falar o que tinha treinado. – Agora com licença que a amante de Noé... digo, a Sra. Pomers está assombrando... Me esperando na porta da sala. – apontando sem jeito para a porta que tinha a persiana da parte de vidro aberta. Abriu a porta. – Em que poderia ser útil Sra. Pomers?
- O Dr. Capelli está lhe esperando em sua sala.
- Imaginei, com licença. – e foi indo em direção ao elevador.
- Tem alguma coisa de estranho e vai sobrar pra mim. – reclamou para si e foi indo em direção à sua sala.

Chase entrou na sala de House sem avisar e disse:
- Tivemos três demissões hoje.
- Quem? – 13 sem tirar os olhos das cartas que tinha em mão. – Você tem um Rei?
- Shit. – Taub com cara de decepcionado. – Go fish. – sorriu vitorioso.
- A Sanders, a Wendy e o Peterson chefe dos Obstetras. E o Wilson está em observação nível dois, seja lá o que isso significa... Posso entrar no jogo?
Ouviram vozes exaltadas.
- Não Sra. Pomers! Já mandei não encostar em mim!
- Mas... Como isso aconteceu?
- E como essas coisas acontecem? Você abre a porta do seu carro um dia e ele está cheio de potes com amostras de urina e de fezes, com um enorme cartaz laranja escrito “Você está amaldiçoado por ter caído aqui”. Eu estava enfurecido e acabei caindo dentro do carro! – passaram pela porta da sala que Chase havia deixado aberta. 13 tapou o nariz.
- Eu sempre disse que ele precisava de um banho. – Taub.
- Bem, primeiras demissões... Precisamos ser mais invasivos...- 13.
- Você tem um dois? – Taub.