Stepfather HIATUS escrita por Purplee


Capítulo 3
I Hate You, Justin Bieber!


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura
(I Hate You, Justin Bieber! - Eu Te Odeio, Justin Bieber!



Ah não! O diabo chegou.

Sei disso porque vi o carro dele estacionar na garagem agora pouco.

Eu juro que ás vezes tenho vontade de vomitar quando imagino esse pivete comendo a minha mãe.

Porque, sinceramente, minha mãe algum dia na vida já teve um bom gosto para homens. O meu pai, por exemplo. Ele era um homem lindo – modéstia parte, puxei ele u_u – alto, forte... Um HOMEM. E não um GAROTO!

Minha mãe tem 30 anos, é rica, bem sucedida, tem três mansões ao todo em diferentes cidades dos Estados Unidos, uma marca de roupas só dela, um carrão perfeito, uma filha linda e maravilhosa, e um namorado pirralho!! FALA SÉRIO!

-Então aí está a garotinha rebelde! – Ryan disse rindo, sentando-se ao meu lado no sofá. – Hum... Doritos! – falou esticando aquela mão enorme pro meu pacote. Afastei minha mão o máximo possível, sem deixar que ele comece meus nachos deliciosos.

-É meu. – falei dando um tapa em sua cabeça. – E que merda você está fazendo na MINHA casa? – perguntei, dando ênfase no MINHA.

-Na verdade, a casa não é sua. É da minha namorada, e ela me deu permissão pra trazer o Ryan aqui. – aquela imitação barata de Cody Simpson disse, entrando na sala e encarando a televisão.

-Quando eu falar com você, aí você responde, o.k.? – falei abanando a mão direita em sua direção. – Então, RYAN – quase gritei o nome do garoto ao meu lado. – O que você faz na minha casa?

-Você deveria ser mais educada. – Justin insistiu.

-E você deveria falar isso para alguém que se importe. – revirei os olhos e bufei, logo depois me levantando. Só então pude ver que Chaz também estava ali. – Cadê o ratinho? – perguntei.

-Ah, agora você está falando comigo? – Justin perguntou com a sobrancelha arqueada. Assenti, enfiando um punhado de Doritos na boca e mastigando com ela aberta. –Ele já deve estar chegando. – Justin falou fazendo uma careta. Gargalhei.

-O que foi? A madame está com nojinho? – perguntei rindo. Ele não respondeu, apenas se aproximou de mim, o bastante para colar nossos corpos.

-Se você não tivesse quinze anos, e a sua mãe não fosse a minha namorada, eu te mostrava aqui e agora o quão madame eu sou. – ele sussurrou em meu ouvido, fazendo com que eu sentisse as minhas pernas fracas. Arregalei os olhos e senti todo o meu corpo tenso, e logo depois ele deu uma gargalhada alta.

Os segundos se passaram tensos depois disso. Chaz e Ryan estavam sentados no sofá, vidrados na competição de skate que passava na televisão, e Justin estava em minha frente, com os olhos vidrados em mim, e com uma expressão de dar medo.

-Garota, não sabia que a sua direita era tão boa! – Chris gargalhou entrando na sala também e agarrando minha cintura com força.

-Ai... Chris. – sussurrei ao sentir suas mãos me apertando tão forte. Ele riu.

-Ui, sussurra assim na minha cama e você me mata! – ele disse, mordendo o lábio inferior, dei um tapa no seu ombro e ri.

-Cala a boca. – mandei negando com a cabeça. – Você viu a briga? – perguntei curiosa.

-Claro que eu vi! – ele disse rindo. Eu não tinha certeza, já que na escola Chris só fica comigo durante as aulas, e quando temos intervalo ele só fica atrás do Bieber.

-E eu me saí bem? – perguntei com os olhos brilhando.

-Foi perfeita! – falou entusiasmado – Quando você deu um soco no nariz dela e a derrubou – ele disse, imitando um soco no ar. – Sério, foi incrível!

-Chris, será que você poderia parar de incentivar a Lola com esse tipo de comentário? – Bieber perguntou, me fazendo bufar.

-Já disse que pra você é MACKENZIE! – gritei meu sobrenome.

-Qual é, JB! – Chris riu. – Falando assim até parece o pai dela!

-É, ultimamente ele está pensando que é isso mesmo. – comentei, cruzando os braços.

-Assim fico até com medo de te chamar de gostosa. – Chris falou, dessa vez gargalhando. Puxou meu braço, me virando de costas para ele e deu um tapa forte na minha bunda. – Gostosa! – disse rindo. Justin arregalou os olhos.

-AI, CHRISTIAN! IDIOTA! – gritei, passando a mão sobre o meu bumbum que ficou dolorido.

-Chris!             A Lola é só uma menina! Como você fala uma coisa assim pra ela? – Bieber perguntou, de olhos arregalados.

-CARALHO, BIBER! – berrei. – É MACKENZIE!

-PARE DE FALAR PALAVRÃO! – ele berrou, no mesmo tom que eu. No mesmo instante, Ryan e Chaz se levantaram rindo para se aproximar.

-E VOCÊ PÁRA DE ACHAR QUE É O MEU PAI! – gritei, batendo o pé no chão com força – EU FALO O QUE EU QUISER, EU BRIGO COM QUEM EU QUISER, E O CHRIS PODE PEGAR NA MINHA BUNDA O QUANTO ELE QUISER. PORQUE A BUNDA É MINHA! – gritei, e Chris sussurrou um “Hm... Interessante”.

-ESCUTA BEM, MENINA. – Justin disse nervoso, agarrando meu braço. – SE VOCÊ QUER AGIR COMO UMA VADIA É ASSIM QUE EU VOU TE TRATAR ENTÃO! – seus olhos naquele momento me assustaram. Estavam escuros, e não mais daquela cor-de-mel que me deixava desnorteada.

-Justin, calma. – Chaz falou, segurando o braço do amigo.

-ME SOLTA, SEU PIRRALHO! – gritei, me debatendo. Mas Justin forçou ainda mais sua mão envolta do meu braço. – SOLTA, TÁ MACHUCANDO!

-Justin, solta o braço dela. – Ryan mandou, dessa vez em um tom um tanto quanto controlador. Justin pareceu voltar a si, e me soltou imediatamente. Encarou o vermelho em meu braço, e estava prestes a me pedir desculpas quando eu gritei:

-NUNCA MAIS TOQUE EM MIM, SEU IMBECIL! – berrei tocando meu braço onde ele havia segurado. – EU TE ODEIO! – senti minha voz um pouco embargada e corri pelas escadas em direção ao meu quarto.

Bati a porta com toda a força e enxuguei os olhos.

Não vou chorar por causa dele.

Corri até o meu armário, abri a terceira porta da esquerda para a direita, fui até a última gaveta onde só haviam alguns esmaltes pretos velhos, que já deviam estar secos, porque eu não me lembrava da ultima vez que os tinha usado. Levantei a tábua do fim da gaveta, que continha um fundo falso, e dali tirei o meu Diário.

Digitei a senha conhecida. 4191. E logo a fechadura se abriu, dando acesso á todas aquelas páginas.

Sentei-me em minha cama e comecei a ler.

09/02 – Sexta-Feira – Casa.

Querido Diário...

Hoje – até agora, pelo menos – É O PIOR DIA DA MINHA VIDA.

POR QUÊ?

Bem... Por onde eu começo?

Logo de manhã eu acordei e descobri que estava exatamente quarenta e quatro minutos ATRASADA PRA CARALHO.

Nem tive tempo de me trocar direito, não consegui comer nada de manhã, e nem mesmo escovei os dentes (sim, eu sei, é um nojo). Só coloquei um Halls preto na boca pra disfarçar o bafo matinal.

Depois, como minha mãe já tinha saído com o motorista, e eu tinha perdido o meu ônibus, tive que ir A PÉ pra escola. O que foi horrível, porque no meio do caminho começou a chover.

Cheguei na escola encharcada, e ainda levei uma bronca da diretora. Fui pra sala e aí me lembrei de que não tinha feito a lição de matemática. Levei uma anotação daquela vadia da professora e ainda não sei como vou contar isso pra minha mãe de uma forma que ela não queira me assassinar.

Pra ajudar, Chris sentou atrás de mim na aula de física e ficou contando piadas a aula inteira, e eu não me controlei, dei uma risada alta e fui EXPULSA DA SALA.

EM 15 ANOS EU NUNCA TINHA SIDO EXPULSA!

Foi horrível, tive que ficar com aquele bando de baderneiros, viciados e bêbados na biblioteca, e aguentar o trouxa do Alan do sétimo B me pedindo em casamento.

PUTAQUEOPARIU

Depois fui almoçar com a Mica no refeitório, e lá eu paguei o maior mico quando a vadia da Ashley colocou o pé na minha frente e eu caí com a bandeja. Sorte que nem todo mundo viu.

Voltei pra sala de aula e recebi minha prova de matemática que eu tinha feito na semana passada. Consegui a proeza de tirar um D. Também tenho que achar um jeito de contar isso pra minha mãe.

No caminho de volta pra casa eu acabei caindo em um jardim, ralando o joelho e sujando TODA A MINHA ROUPA com terra. Nem preciso dizer que também rasguei todo o meu jeans preto.

Ótimo. É hoje que minha mãe me assassina.

Aí... Aí aconteceu o pior de TUDO. Sim, pode haver coisa pior.

Cheguei em casa e advinha quem está sentando no sofá da minha sala?

Justin Drew Bieber.

Simplesmente o amor da minha vida.

OMG OMG OMG

Eu não sei o que fazer! Ele está lá embaixo agora, conversando com a minha mãe sobre alguma coisa que eu não sei o que é. Mas como você se sentiria se chegasse em casa toda acabada, suja de terra, com o joelho sangrando e as roupas rasgadas e encontrasse o ser mais lindo e perfeito do universo sentando no seu sofá???

Eu já pus a bunda naquele sofá, e agora ele está colocando a bunda magnifica e macia dele ali também!

OMG!

Enfim... Vou tomar um banho porque estou espirrando igual uma porca. (Porcos espirram??)

Acho que peguei gripe! QUE INFERNO!

Tchaau! *-*

Rasguei aquela folha com toda a minha força.

Sentia meu coração apertar dentro do peito quando me lembrava do dia em que eu descobri o que Justin estava fazendo na minha casa.

Eu o vi... Comendo a minha mãe. No quarto dela. Com a maior cara-de-pau.

Fechei os olhos e senti uma lágrima descer pelo rosto.

“EU TE ODEIO, JUSTIN BIEBER!“



Notas finais do capítulo

E aí?? O que acharam???
Hoje é a Tatá aqui!! Tudo bem com vocês?? Senti saudades KK'
A Purplee foi MUITO MUITO MUITO querida e conseguiu betar esse capítulo em um dia só (eu digo isso porque ela tem mais duas fics pra postar, por isso ela tem muito pouco tempo), por isso, agradeçam á ela!
E aí? O que acharam?
A LOLA ERA APAIXONADA PELO JUSTIN, GENTE!! (e quem não é??)
HAHA, #tenso.
E o que acharam da explosão dele?? Será que ela perdoa???
Espero os reviews hein!
By: Thá♥